SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (73) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (153) CLASSE MATERNAL (104) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (506) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (285) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (10) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (148) MODISMOS (2) Mundo (610) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (230) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (111) REVISTA CLASSE JUNIORES (243) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (189) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (401) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (597) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

08 dezembro 2012

Bíblia, um livro maravilhoso


Bíblia, um livro maravilhoso
E se você pensa que a Bíblia é como qualquer outro livro que jamais foi escrito continue lendo. 
 Quando terminar de ler este postrs VOCÊ RECONHECERÁ QUE A BÍBLIA É UM LIVRO MARAVILHOSO!

”A Bíblia foi escrita milhares de anos atrás. E nós já estamos em pleno século 21! E Temos visto o homem ir à lua. Temos visto a humanidade dar grandes passos na conquista dos mistérios mais escondidos do universo. A Bíblia foi escrita milhares de anos atrás por homens com um conhecimento muito mais limitado que o nosso. Porem Com seus limitados conhecimentos, como poderiam eles ter escrito sobre certas coisas?
ANALISEMOS ALGUMAS:
Lucas 17:30-34 "Assim será NO DIA em que o Filho do homem se há de manifestar... NAQUELE DIA... vos digo, NAQUELA NOITE..." Ninguém nos dias de Lucas pensou que poderia existir dia e noite ao mesmo tempo! Eles pensavam que a terra era plana! Lucas foi escrito em torno do ano 65 d.C. Como sabia Lucas de algo que os cientistas não souberam até o século 16?
Isaías 40:22 "Ele é o que está assentado sobre o CÍRCULO DA TERRA”. Como, no ano 700 a.C., sabia Isaías que a terra era redonda? Os cientistas dos dias de Isaías pensavam que a terra era plana. Não descobriram que a terra era redonda até o princípio dos anos 1500, quando Magalhães navegou ao redor do mundo. Como é que Isaías sabia de algo mais de 2000 anos antes da ciência?
Jó 26:7 "... e suspende a terra sobre O NADA”. Durante o tempo de Jó, era crido que um deus chamado Atlas sustentava a terra sobre os seus ombros! Ninguém acreditava que a terra “pairava suspensa sobre o NADA!” Jó é o mais antigo livro na Bíblia! Foi escrito há mais de 3500 anos atrás! Como é que Jó soube de algo que era IMPOSSÍVEL saber durante os seus dias?
Gênesis 2:7 "E formou o SENHOR Deus o homem do PÓ DA TERRA, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”. Seguramente, você não toma Gênesis seriamente. Toma? Em novembro de 1982, Seleções do Reader's Digest incluiu um artigo com o título “Como a Vida na Terra Começou”. Este artigo declarou que, de acordo com cientistas no Centro de Pesquisa da NASA em Ames, os ingredientes necessários para formar um ser humano podem ser encontrados NO BARRO. O artigo disse, ainda, “O cenário descrito pela Bíblia quanto à criação da vida vem a ser NÃO MUITO DISTANTE DO ALVO”. (Seleções do Reader’s Digest, novembro de 1982, p. 116). Não, a Bíblia “não passou não muito distante do alvo” – ela atingiu exatamente o alvo! Os cientistas têm rido da possibilidade de Gênesis ter qualquer credibilidade científica, todavia – quanto mais aprendemos, mais descobrimos que a Bíblia é CIENTIFICAMENTE EXATA!
Salmo 8:8 "... tudo o que passa pelas VEREDAS DOS MARES”. Depois de ler Salmo 8:8, Matthew Maury, um oficial da Marinha dos Estados Unidos da América, lançou-se ao empreendimento de localizar estes curiosos “caminhos nos mares”. Descobriu que os oceanos têm caminhos que fluem através deles. Maury se tornou conhecido como o “descobridor das correntes marítimas”. Como é que Davi (o escritor do Salmo 8) soube, há mais de 2000 anos atrás, que havia “caminhos nos mares”? Davi, provavelmente, nunca sequer viu um oceano! COMO É QUE ELE SOUBE?
Eclesiastes 1:7 "Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr." Como é que o escritor de Eclesiastes sabia do ciclo de condensação e evaporação da água? O sol evapora a água do oceano, o vapor da água sobe e se transforma em nuvens, a água nas nuvens cai de volta para a terra como chuva, se ajunta formando rios, e estes correm de volta ao oceano. Isto não foi conhecido até ser descoberto por Galileu, em 1630! Como é que o escritor de Eclesiastes soube disto no ano 1000 a.C., 2500 ANOS ANTES QUE A CIÊNCIA?!
Levítico 15:13 "Quando, pois, o que tem o fluxo, estiver limpo do seu fluxo, contar-se-ão sete dias para a sua purificação, e lavará as suas roupas, e banhará a sua carne em ÁGUAS CORRENTES; e será limpo”. Deus disse para lavar a carne infectada em ÁGUA CORRENTE. A ciência não descobriu aquilo até surgirem dois homens chamados Pasteur e Koch, nos anos finais dos anos 1800. Todos os médicos de um hospital lavavam suas mãos em uma mesma bacia de água, dia após dia, e disseminavam os germes com a velocidade, facilidade e mortandade com que fogo se espalha num capinzal seco. Não foi até a invenção do microscópio e o surgimento da ciência da bacteriologia que os médicos começaram a lavar as mãos sob ÁGUA CORRENTE. Levítico foi escrito em torno de 1490 a.C. A CIÊNCIA FICOU CERCA DE 3000 ANOS ATRASADA! Não é embaraçoso quanto a ciência sempre se atrasa cerca de 2000 anos atrás daquele Livro tão maravilhoso?!
Jó 38:19 "Onde está O CAMINHO onde mora a luz? E, quanto às trevas, onde está o seu lugar”. Como é que Jó não disse onde É O LUGAR aonde a luz mora? Porque a luz está sempre se movendo. Como é que Jó soube de algo no ano 1500 a.C. que a ciência não descobriu até Einstein? Como podem os homens que escreveram aquele Livro maravilhoso, com o limitado conhecimento científico da época deles,... SEREM TÃO À FRENTE DA CIÊNCIA?
Eclesiastes 1:6 "O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta FAZENDO OS SEUS CIRCUITOS”. Como é que o escritor de Eclesiastes soube que o vento viaja formando circuitos? Como é que o escritor soube de algo que os aerologistas e os meteorologistas descobriram há tão pouco tempo? PENSE A RESPEITO DISSO! Como podem estes homens, com o limitado conhecimento científico da época deles, milhares de anos atrás, estar tão adiantados com relação à ciência?
Provérbios 6:6-8 "Vai ter com a formiga... na sega ajunta o seu mantimento..." Life’s Nature Library, em “Os Insetos” (p. 163), comentando sobre Provérbios 6, diz "Um dos enigmas entomológicos do último século diz respeito a esta observação por Salomão. Não havia nenhuma evidência de que formigas, realmente, faziam colheitas de grãos. Em 1871, entretanto, um naturalista britânico mostrou que Salomão, afinal de contas, tinha estado certo..." Como Salomão soube aquilo no ano 1000 a.C.? Como Salomão, claramente, detalhou um FATO científico que era IMPOSSÍVEL que ele o soubesse no ano 1000 a.C.?
Provérbios 17:22 "O coração alegre é como o BOM REMÉDIO..." Um artigo no The Birmingham News, intitulado “Rir: Receita para Saúde”, disse que as mais RECENTES evidências médicas revelam que “A algum ponto durante o riso, seu corpo recebe UM MEDICAMENTO PRESCRITO, vindo da farmácia que está no seu cérebro”. Como é que o escritor de Provérbios soube daquilo – 3000 ANOS ANTES DA CIÊNCIA MÉDICA?
Levítico 17:11 "Porque a vida da carne está no sangue..." Esta é a mais acurada declaração científica, jamais feita, a respeito do sangue!
É o sangue que dá continuidade a todos os processos da vida, no corpo.
É o sangue que causa o crescimento, constrói novas células, faz crescer o osso e a carne, armazena gordura, faz cabelo e unhas.
É o sangue que alimenta e sustenta todos os órgãos do corpo. Se o suprimento de sangue for cortado de um braço, este imediatamente começará a morrer e apodrecer.
É o sangue que repara o corpo. Que cicatriza as feridas, que faz crescer nova carne, nova pele e mesmo novos nervos.
É o sangue que combate às doenças. Quando uma vacina contra uma doença lhe é dada, aplica-se uma injeção na sua corrente sanguínea.
Por milhares de anos, os médicos tratavam as pessoas com uma prática chamada de “sangria”. Pensavam que doenças poderiam ser curadas através da extração de sangue. Em 1799, menos de 200 anos atrás, George Washington foi, literalmente, sangrado até à morte. Os médicos sangraram o pobre George quatro vezes, da última vez tiraram mais de um litro de seu sangue! Eles não sabiam, mas estavam, literalmente, retirando a vida de George quando estavam extraindo o seu sangue. Não foi senão no início dos anos 1900 que um homem chamado Dr. Lister descobriu que o sangue provê o sistema imunológico aos corpos – A VIDA DA CARNE ESTÁ NO SANGUE!
"Quando DEUS Trabalha O HOMEM Muda

JARDIM DA INFANCIA - Lição 10: Aprendendo a agradar a Deus


4º Trim. 2012 - JARDIM DA INFANCIA - Lição 10: Aprendendo a agradar a Deus

PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JARDIM DE INFÂNCIA – CPAD
4° Trimestre de 2012
Tema: Valorizando os bons Princípios
Comentarista: Midiam Pessoa, Mônica Barreto Valente Varela


LIÇÃO  10 – APRENDENDO  AGRADAR A DEUS


Objetivo: Incentivar a criança a ter uma vida santa a fim de agradar a Deus em tudo o que fizer


Palavra do dia: AJUDAR
Amplie o desenho Jd10 fig na galeria de imagens e use para fixar o tema de hoje



Aprendendo a Bíblia
“Samuel ia crescendo e fazia-se agradável para o Senhor”( 1ª Sm 2.26)

      
HISTÓRIA BÍBLICA
1ªSm 1.20-28;2.18-20
Quando Samuel nasceu ,sua mãe ficou muito feliz e como ela havia prometido em levar Samuel para ajudar o sacerdote Eli ,assim ela fez. Samuel já estava grandinho igual a vocês e a sua mãe que se chamava Ana o deixou no templo que e´ a igreja , e Samuel ficou la´ aprendendo tudo o que Eli o ensinava. Samuel não chorou, nem reclamou mas fazia o possível para aprender tudo porque ele queria muito agradar a Deus .

E tudo quanto Eli mandava ele fazer Samuel obedecia , e cada vez mais ele agradava a Deus
Samuel ajudava a limpar a igreja e quando chegava a noite ele era o primeiro a acender as luzes para que a casa de Deus ficasse clarinha. Samuel também orava a Deus e agradecia tudo o que ele tinha isso agradava muito a Deus

Certa noite enquanto Samuel dormia Deus o chamou e ele acordou para ouvir a Deus.
Samuel amava a Deus foi por isso que ele ouviu o Senhor. Deus contou coisas importantes a Samuel, porque todos  nos temos que obedecer e amar a Deus e isso o deixa muito feliz. Se obedecermos tudo o que a Bíblia nos ensina, estaremos agradando a Deus.Devemos gostar de ir para a igreja, não conversar na hora do culto, não jogar papel no chão ,porque Samuel não fazia nada disso ele amava a casa de deus , vocês sabiam que tem crianças que não gosta de ir para a igreja? , nem de cantar, nem de orar, Deus fica triste em saber que tem crianças que não gosta de ficar  pertinho dele.

Assim como Samuel todos nos somos importantes para Deus e Ele quer sempre estar pertinho de nós. Mas precisamos amá-lo e respeitar a sua casa que e´a igreja e assim todos nós iremos agradar a Deus.     


Fixando a aprendizagem
Amplie o desenho Jd10 fig 2 na galeria de imagens para os pequenos colorir:


Fontes consultadas:
·         Bíblia de estudo pentecostal
·         Bíblia da galerinha
·         A Bíblia dos amiguinhos.


Colaboração para Portal Escola Dominical  - Profª Cristina Araújo

 fonte  http://www.portalebd.org.br

 fonte 

PRIMARIOS - Lição 10: Sirvo a um Deus que me salva


4º Trim. 2012 - PRIMARIOS - Lição 10: Sirvo a um Deus que me salva

PORTAL ESCOLA DOMINICAL
PRIMÁRIOS – CPAD
4º Trimestre de 2012
Tema: A alegria de servir a Deus
Comentaristas: Midian Pessoa e Laudicéia Barboza


LIÇÃO 10 – SIRVO A UM DEUS QUE ME SALVA


Texto Bíblico: Lucas 19.1-10


Objetivo
Ministre sua aula de forma a conduzir os pequenos a conscientizar-se de que Deus tudo executou para que sejamos salvos.


Frase do dia...
EU SIRVO A DEUS PORQUE ELE ME SALVA

Amplie o desenho Prim10 fig 1 na galeria de imagens e cole em um cartaz, escreva a frase do dia e o versículo para memorizar. Enfatize aos pequenos que crer e aceitar ao Senhor Jesus nos traz grande alegria e constante paz.


Fonte:www.malucoporjesus.wordpress.com


Memória em ação
“Vocês têm essa alegria porque estão recebendo a sua salvação, que é o resultado da fé que possuem.” (1 Pe 1.9 - NTLH)

Leia várias vezes este versículo com os pequenos, isso auxiliará na memorização.


Explorando a Bíblia
Zaqueu era um chefe dos publicanos, um judeu que cobrava imposto para o governo romano. Era desprezado por trabalhar para um dominador estrangeiro e por ser geralmente desonesto.

Zaqueu morava em Jericó, cidade situada 9km a oeste do rio Jordão e 11km ao norte do mar Morto.
É provavelmente a cidade mais antiga do mundo.
Zaqueu tinha comportamento desonesto, ele agiu como um impuro. Nós também somos como Zaqueu. A Bíblia diz que Deus nos fez a sua imagem e semelhança (Gn.1.26), entretanto nos comportamos como não fôssemos.

No verso 3 do nosso texto principal diz que Zaqueu procurava ver Jesus, mas não conseguia, por causa da sua pequenez e da grande multidão que o cercava. Assim tem sido com muitas pessoas também. Tentam se aproximar de Jesus, mas os seus pecados o impedem. Acham-se imperfeitos de mais para se aproximarem de Deus por isso desistem de ser discípulos de Jesus.

No verso 4 do nosso texto principal diz que Zaqueu correu adiante e subiu naquela figueira para poder ver Jesus. O sicômoro citado no texto é um tipo de figueira de raízes profundas e galhos fortes que produz figos de qualidade inferior. Zaqueu precisou subir nela para poder ver Jesus, devido a sua pequena estatura e por causa da multidão que cercava Jesus.

Não podemos confiar em nós mesmos, não podemos presumir que seremos perfeitos algum dia para podermos nos aproximar de Deus. A Bíblia nos diz que todos nós somos pecadores (Rm.3.23), e nos diz também que por meio de nossas obras não seremos salvos (Ef.2.8,9). Devemos fazer como Zaqueu, ele superou as suas dificuldades para poder ver Jesus. Supere seus traumas, seus pecados, seus problemas e venha para Jesus. Não espere que eles sejam resolvidos ou desaparecerem. A Bíblia nos diz que sem Jesus não podemos fazer nada (Jo.15.5).

Zaqueu foi recebido por Jesus. Todos os que estavam próximo da árvore que Zaqueu havia subido esperavam que Jesus viesse recriminá-lo por causa de suas trapaças. Entretanto no verso 5 do texto principal Jesus se convida para jantar em sua casa. Nós não merecemos nem o perdão e nem a presença de Deus. Mas quando nos aproximamos diante Dele de maneira sincera Ele nos acolhe.
A Bíblia cita um convite pessoal de Jesus para todos nós, semelhante ao que ele fez a Zaqueu:
 “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo”.(Ap.3.20)

Oficina criativa
Amplie o desenho Prim10 fig 2 na galeria de imagens para os pequenos colorir


Fonte: www.tiapaulalimeira.blogspot.com


Fontes Consultadas:
·         Bíblia NTLH - SBB
·         Curso para Professor de EBD - Faculdade de Teologia e Ciências Humanas IBETEL – Pr. Vicente de Paula Leite
·         53 Histórias de Jesus – Geográfica Editora
·         Bíblia Ilustrada Infantil – Editora Geográfica – Edição 2000.
·         Histórias Bíblicas para Adoração Infantil


Colaboração para Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva 

 fonte http://www.portalebd.org.br/

JUNIORES - Lição 10: Pé na estrada


4º Trim. 2012 - JUNIORES - Lição 10: Pé na estrada

PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUNIORES – CPAD
4º Trimestre de 2012
Tema: Fé em ação
Comentaristas: Miriam Reiche e Luciana Alves de Souza


LIÇÃO 10 -  PÉ NA ESTRADA


Texto Bíblico:Atos 15.396-41 à 18.1-28


Objetivo
Professor ministre sua aula de forma a conduzir seu aluno a compreender que a Igreja é um corpo e como  os membros de nosso corpo físico precisam de cuidados assim devemos cuidar uns dos outros, visitando, consolando.


Exercitando a memória
“E como é que a mensagem será anunciada, se não forem enviados mensageiros? As Escrituras Sagradas dizem: “Como é bonito ver os mensageiros trazendo boas notícias!”” (Rm 10.15 – NTLH).


Crescendo no conhecimento
Paulo e Barnabé anunciaram o evangelho por onde passaram e muitos creram no Senhor Jesus e o aceitaram como Salvador. Mas, havia forte oposição por parte de alguns cristãos judeus a batizar os gentios sem que fossem primeiro circuncidados. Note que este conflito não veio de fontes externas, mas de dentro da própria igreja.

Estes são judeus que haviam aceito o evangelho de Cristo. O problema é que eles pensam que as bênçãos de Deus só podem ser dadas a judeus, e que eles são o único povo escolhido de Deus. Portanto, estão dizendo que os gentios precisam primeiro se tornar parte da aliança com Deus (isto é, através do sinal da circuncisão) antes que tenham o direito de ser salvos.

Este era um assunto muito importante. Poderia ter dificultado intensamente o progresso do evangelho. Foi a fonte de muitos conflitos nos anos que se seguiram. Paulo trata desta questão freqüentemente em seus escritos. Gálatas 2 acrescenta bastante ao estudo de Atos 15.
Enquanto Paulo e Barnabé ainda estavam em Antioquia, depois de sua primeira viagem de pregação, certos homens vieram da Judéia para Antioquia e ensinaram os irmãos dizendo:“A menos que vocês sejam circuncidados como Moisés ordenou, não poderão ser salvos.”

Os homens da Judéia conferiam grande importancia a qualquer mensagem que pudessem trazer, porque Jerusalém, na província da Judéia, foi onde o evangelho havia começado a ser pregado. Por um longo tempo depois que outros discípulos foram dispersados, os apóstolos permaneceram em Jerusalém. Alguns ainda estavam lá (At 15:4,6,22). Por isso, Jerusalém era ainda considerada a fonte da informação bem valiosa para os cristãos primitivos.
Paulo e Barnabé tiveram extensos debates e muitas discussões com esses homens. Depois de algum tempo, ficou determinado que Paulo, Barnabé e alguns outros iriam aos apóstolos e anciãos de Jerusalém para discutir o assunto com eles. Paulo não sentia necessidade de ir a Jerusalém para aprender nada. A resposta já lhe havia sido dada pelo Espírito Santo.

Mas, o Espírito revelou que ele deveria ir com os homens a Jerusalém (Gl 2:2). Em sua viagem para Jerusalém, Paulo e Barnabé visitaram as igrejas na Fenícia e Samaria. Em cada lugar, eles contavam como os gentios haviam sido convertidos. A mensagem deles trazia grande alegria a todos os irmãos.
Quando chegaram a Jerusalém, receberam as boas vindas da igreja, dos apóstolos e dos anciãos (At 15:4). O primeiro encontro de Paulo foi com Tiago, Pedro e João, para que ele pudesse lhes dizer o que ele esteve pregando entre os gentios (Gl 2:2,9).

O resultado deste encontro foi o pleno acordo, que é exatamente o que esperaríamos de homens inspirados. Pedro, Tiago e João entenderam plenamente que, como Deus tinha dado a Pedro a responsabilidade de pregar aos judeus, ele tinha dado a Paulo a responsabilidade de pregar aos gentios.

Após algum tempo da comunicação à igreja de Antioquia, Paulo convidou Barnabé para visitarem os irmãos em todas as cidades em que pregaram, para verem como eles estavam.
Barnabé queria levar seu primo João, chamado Marcos; mas Paulo opôs-se porque ele os tinha deixado na Panfília, na primeira Viagem. Não chegando a um acordo, Barnabé embarcou para Chipre com Marcos; e
Paulo, levando Silas, partiu, encomendado pelos irmãos à graça do Senhor.

Atravessaram a Siria, rumo noroeste. De Antioquia (da Síria) partia uma estrada que levava a Tarso e à Asia Menor. Passaram por Tarso e seguiram para Derbe. Listra, lcônio e Antioquia (da Psisídia). Em Listra conheceram um discípulo chamado Tímóteo, filho de judia convertida e pai grego: dele, os irmãos davam bom testemunho. Paulo levou-o, mas antes circuncidou-o, por causa dos judeus daqueles lugares. Todavia, ao passarem pelas cidades entregavam aos irmãos as decisões tomadas pelos Apóstolos e presbíteros na Assembléia de Jerusalém. As igrejas aumentavam em número dia a dia.


Aplicação da Lição
Nós, os Cristãos nascidos de novo cuidaram e tomaram conta uns dos outros.
Todos os cristãos na Bíblia precisavam uns dos outros e serviam à justiça de Deus juntos.
Esta vida de fé é a vida real dos justos.


 Fontes Consultadas:
·         Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal – Editora CPAD – edição 2003
·         Bíblia de Estudo Plenitude – SBB/1995 – Barueri/SP
·         Bíblia de Estudo Pentecostal – Editora CPAD – Edição 2002.
·         Bíblia Shedd – Editora Mundo Cristão – 2ª Edição
·         Bíblia de Estudo da Mulher – Editora Mundo Cristão/SBB – Edição 2003
·         Dicionário Vine – Editora CPAD – 3ª Edição 2003
·         365 Lições de vida extraídas de Personagens da Bíblia - Rio de Janeiro Editora CPAD
·         Richards – Lawrence O. – Guia do leitor da Bíblia – Editora CPAD – 8ª  Edição/2009
·         Stotti – John, - A Mensagem de Atos – Editora São Paulo


Colaboração para Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva

 fonte http://www.portalebd.org.br

JUVENIS - Lição 10: Mil anos de paz


4º Trim. 2012 - JUVENIS - Lição 10: Mil anos de paz

PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUVENIS – CPAD
4º Trimestre de 2012
Tema: O Que A Biblia Fala Sobre O Futuro Da Igreja
COMENTARISTA: Ciro Sanches Zibordi

LIÇÃO 10 - MIL ANOS DE PAZ

TEXTO BÍBLICO(Ap 20.1-10) 

ENFOQUE BÍBLICO
“Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.” (Ap 20.6).


OBJETIVOS
Explicaros três principais sistemas de interpretação do Milênio: amilenarismo, pós-milenarismo e pré-milenarismo.
Apresentara doutrina do Milênio segundo a Palavra de Deus
Responderas principais perguntas concernentes ao Reino Milenar, despertando nos alunos o desejo de reinar com Cristo na Terra.


INTRODUÇÃO
São inúmeras as profecias que falam de um tempo em que será estabelecido um governo milenar na terra. Não se cumpriram ainda, durante muitos anos Israel ficou sem Pátria, perdeu a independência, que só foi recuperada em 1948. Muitos governantes ímpios têm raiva deste povo, procuram destruí-los, principalmente a cidade principal que é Jerusalém. Mas está registrado nas Escrituras Sagradas que Jerusalém será a capital do mundo inteiro (Mq 4.8,13; Sf 3.13,20; Is 2.3,5; Zc 14.16,19). Quando acontecerá este governo? Assim que a igreja for arrebatada, sete anos após Jesus vem com ela glorificada, para salvar Israel, julgar as nações e estabelecerá o Milênio.


ESCOLAS DE INTERPRETAÇÃO DO MILÊNIO
Os eventos finais não são obras de ficção ou de mera reflexão. Assim como cremos que em um principio Deus criou tudo em conformidade com um plano que daria seqüência, equilíbrio e corresponderiam as expectativas do Criador. Compreendemos então que nada aconteceria como obra do acaso, assim que o homem peca, as promessas de redenção estão bem presente (Gn3.15). A partir daí,  encontramos na Bíblia as promessas tanto no AT, quanto no NT, sobre a vinda de Jesus; seu nascimento, seu ministério, sua morte na cruz do calvário, sua ressurreição, sua ascensão, sua vinda até as nuvens, para o arrebatamento da igreja, as bodas, sua vinda gloriosa para salvar Israel e estabelecer o Milênio.
Essa é a esperança do cristão, não há como negar que a Bíblia toda aponta para o futuro. Não um futuro qualquer, cheio de duvidas, mas um futuro assegurado na própria natureza de Deus. Deus é esperança e toda vez que nele confiamos temos paz em nossos corações. O amor de Deus enviou a Jesus Cristo para morrer em nosso lugar, ainda mandou o Espírito Santo, para nos fazer abundar em esperança, portanto a nossa esperança não é incerta (Rm 8.24,25). Não existe esperança para quem não tem Cristo ou não esteja apoiado em sua Palavra (Ef 2.12).

Portanto o Milênio é real, desde o Principio Deus tinha em mente o fim. Os profetas do AT, não estavam apenas satisfazendo a curiosidade de algumas pessoas, mas focalizavam a vontade de Deus, que através das profecias incentivava o povo a ser fiel (Is 2.2,3). Agora uma coisa é certa, nem todos os Teólogos e estudiosos da Bíblia, pensam a mesma coisa sobre o assunto, não deixam de crer que o milênio é real, mas tem idéias deferentes quanto à interpretação. 
O Milênio não é um reino alegórico, trata-se de um reino real, onde Jesus, juntamente com a sua igreja glorificada governará a terra. Será um governo real, concreto e visível (Ap 20.4-6). Embora haja divergência nos pensamentos, isso não quer dizer que o Milênio não seja real.

Vejamos o que pensam as escolas:
a)      Escola amilenarista
Ensinam que não haverá um reino milenar de Cristo na terra no futuro, em sentido literal. Ensinam que é uma forma espiritual de reino e que já está presente agora. A forma da escola já diz: a = não, então amilenarista significa: “não milênio” . Essa escola é da opinião que desde a saída de Jesus da terra até a sua segunda vinda (sem arrebatamento), tanto o bem quanto o mal vão aumentar no mundo, pois o reino de Deus coexiste com o reino de Satanás, o qual eles acreditam estar preso. Esse grupo estava presente na igreja mais antiga, segundo os pesquisadores não há registro da  existência dessa escola no momento mais recente da igreja. Podemos citar um momento de crescimento da escola foi quando Agostinho (354-430) e Jerônimo (345-419) abandonaram o pré-milenarismo em favor do amilenarismo.

b)      Escola pós-milenarista
Essa outra escola ensina que o reino de Cristo esta agora sendo extendido por todo o mundo pela pregação do evangelho, sendo assim crê que a maioria das pessoas se converterá a Cristo. O mundo atual passará por uma cristianização geral antes da volta gloriosa de Cristo. A palavra pós=após, portanto segundo esse tipo de interpretação, Jesus virá somente após o Milênio. Para eles o milênio será regido por pessoas espirituais, que promoverá um progressivo crescimento da justiça e prosperidade. Esse desenvolvimento segundo eles ocorrerá em todas as esferas da vida, a perspectiva é que o mundo todo seja dominado por evangélicos. Após o milênio Cristo voltará e ressuscitará todos os mortos, destruirá esta presente criação e dará inicio ao estado eterno. O pós-milenarista surgiu após a Reforma protestante, antes desse tempo não havia muitas tendências, essa escola de pensamento foi a ultima posição importante sobre o Milênio. Existem dois tipos de pós-milenarista, o primeiro procura se basear nas Escrituras e no poder de Deus procura apoio bíblico para suas idéias. O segundo é mais liberal, evolucionistas, baseia em confiança humana, para alcançar o progresso por meios naturais. Durante o século XIX, esse foi o pensamento dominante da América até por volta de 1960.  

c)      Escola pré-milenarista
Esta escola ensina que a segunda vinda de Cristo à terra e o estabelecimento do Seu reino ocorrerão antes do reino milenar de Apocalipse (20.1-7). O termo pré=antes, o que significa, a segunda vinda de Cristo ocorrerá antes do milênio. Esta escola afirma que haverá no futuro, um reino literal de mil anos, em que Jesus Cristo governará sobre a terra, depois do Arrebatamento, da Tribulação e da segunda vinda de Cristo.
Há varias referencias sobre o Milênio como um tempo futuro em que Israel será restaurado em sua terra. Não podemos esquecer que só em Ap 20, encontramos a duração deste reino bem especificado. A igreja primitiva acreditava a principio nessa forma de governo futuro, abandonado na Idade Média, mas que no século XVII, os puritanos reavivaram essa doutrina e este é o ponto de vista da maioria dos interpretes da Bíblia, quando adotam uma abordagem conservadora.
Esta é uma visão onde se pode afirmar biblicamente de maneira usual ou literal que o milênio será após os acontecimentos escatológicos já citados.

O MILÊNIO SEGUNDO A BÍBLIA
O milênio é uma dispensação que como já vimos é real e acontecerá após a vinda gloriosa de Cristo. Será a recuperação de Israel, mas não devemos esquecer que Satanás a antiga serpente está condenado a prisão e será no período milenar que ele estará acorrentado, ficará mil anos preso. Durante o milênio Satanás não terá nenhuma atividade na terra.
O povo de Israel aguarda ansiosamente por esse momento, Jesus não os desesperançou apenas disse a eles que não tinha a hora e nem o momento para o acontecimento (Lc 2.38; At 1.6,7). O milênio é também um clamor da criação, o pecado trouxe a toda a criação desarmonia, inimizade, deteriorização, desequilíbrio no relacionamento entre Deus e o homem, mas também o universo todo sofre com a atitude do homem pecador e gemem por melhoras que só no milênio acontecerá (Rm 8.19-23).

O propósito do milênio é fazer com que todas as coisas se convirjam a Cristo (Ef 1.10),  a justiça e a paz  será estabelecida na terra, nesse caso eliminando todo tipo de rebelião contra Deus (1Co 15.24-28). Biblicamente na dispensação do milênio, Israel estará ocupando todo o território que lhe pertence e será cabeça danações (Is 11.10; Gn 15.18; 1Cr 15.18)  .
O pastor Antonio Gilberto, entende que em Lucas 9.27-31, é uma ilustração minúscula do Milênio. Neste texto vemos Jesus em glória, Moises, representando os santos que dormiram no Senhor, Elias, representando os Santos Transladados. Pedro, representando os santos que estarão vivos, a multidão ao pé do monte, representando as nações que terão lugar no milênio.  


PRINCIPAIS PERGUNTAS CONCERNENTES AO MILÊNIO
a)      Quando será o Milênio?
Nós Assembléianos ensinamos e cremos que o Milênio ocorrerá logo após a Manifestação de Cristo em Gloria.
b)      Onde será o Milênio?
Os santos hão de julgar o mundo, isto acontecerá durante o Milênio, logo o reino milenar, não pode ser no céu e sim na terra (1Co 6.2). A pedra na visão de Nabucodonosor virou um grande Monte (Dn 2.35) e as profecias dão conta que será na terra (Sl 2.8,9; Zc 9.10; 14.9; Is 65.21). Portanto não há duvida que a terra esteja recebendo o Senhor Jesus Cristo com os seus santos para reinar sobre ela. (1Tm 1.17).
c)      A capital do Reino será na terra?
A capital sem duvida será Jerusalém, pois de lá sairá as leis para reger o mundo. Hoje as determinações saem da ONU, no Milênio não será assim, as determinações sairão de Jerusalém (Is 2.2; Mq 4.2). A Jerusalém celeste descerá e estará acima da terrestre, Jesus governará na que tem mares, a celestial não há mares (Ap 21.1).  
d)      Quem participará do Milênio?
Os salvos desde o AT, a Igreja e os que viram da Grande Tribulação, estarão glorificado. Os salvos não estarão limitados a terra, pois os corpos transformados não serão mais limitados pelas coisas físicas como os dos mortais. O corpo ressurreto é apropriado para estar na terra ou no céu.
Os povos naturais, também estarão em estado físico e normal, são eles os judeus que escaparam da Grande Tribulação, os gentios poupados no julgamento das nações e o povo nascido durante o Milênio.
e)      Haverá pecadores no Milênio?
Bem a igreja receberá um corpo incorruptível, no entanto imune de pecados, mas os participantes que virão após o julgamento das nações não passarão por nenhuma restauração corporal. Devido à prisão de Satanás, não haverá tentação, portanto a natureza pecaminosa estará quieta, muitos nascerão no Milênio com o mal residente e imanente. O homem é pecador por natureza, prova disso é quando soltar Satanás (Ap 20.7-10). Ele não poderá mais tentar os crentes com corpos incorruptíveis. 
f)       Haverá salvação nesse período?
A Bíblia diz que caravanas sairão de todas as partes em busca da Lei do Senhor (Is 2.3; Zc 8.20-23). Isto significa que o pecado não foi desarraigado da terra, o povo terá necessidade de buscar o Senhor e como não há impedimento, farão de livre vontade.
g)      Quais serão os benefícios do Milênio para a humanidade?
Pleno derramamento do Espírito Santo, que virá sobre toda a carne, restauração  e renovação da terra. O prolongamento da vida humana, a fertilidade do solo, prosperidade geral para todos, alterações no relevo do solo e mudança no reino animal.  Os governos atuais alguns de forma demagógica é claro, procuram eliminar alguns males como: drogas, tabagismo, alcoolismo, prostituição, menores abandonados, moradores de rua etc.. No Milênio estas coisas desaparecerão.  

CONCLUSÃO
O Missionário Eurico Bergstén, em seu livro citado como material de consultas mostra os diferentes nomes aplicados ao Milênio:
a)      Mil anos (Ap 20.4,60
b)      Regeneração da terra (Mt 19.27,28)
c)      Consolação de Israel e redenção de Israel (Lc 2.25,38)
d)      Reino de Cristo e de Deus (Ef 5.5)
e)      Dispensação da plenitude dos tempos (Ef 1.10)
Qualquer alusão dizendo que é um reino alegórico, fica desprovido de apoio bíblico, pois trata-se de um evento real e literal

OBRAS CONSULTADAS
·         BERGSTEN, Eurico – A Doutrina da Ultimas Coisas – CAD - 1986
·         SILVA, Antonio Gilberto da –Escatologia Bíblica– Adaptado a EETAD, 2ª Edição 1997 – Campinas –SP
·         LAHAYE, Tim – O Final dos Tempos – Abba Press Editora LTDA – Dezembro 2004



Colaboração para o Portal Escola Dominical – Pr. Jair RodriguesPORTAL ESCOLA DOMINICAL
fonte  http://www.portalebd.org.br/

- PRE ADOLESCENTES - Lição 10: A Igreja, lugar de cura


4º Trim. 2012 - PRE ADOLESCENTES - Lição 10: A Igreja, lugar de cura

PRE ADOLESCENTES – CPAD
4º Trimestre 2012
Tema: O pré adolescente e a Igreja
Comentaristas: Damaris  Ferreira da Costa; Verônica Araujo; Telma Bueno

LIÇÃO   10 – IGREJA, LUGAR DE CURA

Texto Biblico    João  14.12-14; Tiago 5.14-16
Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.
E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.
Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.
Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor;
e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.

Objetivos
Após a aula seu aluno deve  entender que os milagres, e curas divinas, são para os dias atuais, e não apenas somente para o passado.
De igual modo deve entender que a igreja, é o lugar aonde as pessoas podem ser curadas.

Introdução
Estaremos estudando na lição 10, a cura divina na igreja,  e a sua atualidade nos dia presentes.

I-È preciso crer
Antes de iniciarmos o tópico  propriamente dito, seria importante analisarmos esta maravilhosa manifestação de Deus, que é a cura divina, pois antes de tudo a cura é um milagre !!
O que é um milagre?“Milagre” é uma palavra de origem latina, de “miraculum”, “algo espantoso, admirável,  extraordinário”. No Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, é “ato ou acontecimento fora do comum, inexplicável pelas leis naturais”. Na Bíblia On Line da Sociedade Bíblica do Brasil, milagre é conceituado como “fato ou acontecimento fora do comum, que Deus realiza para confirmar o Seu poder, o Seu amor e a Sua mensagem.”
OBS: É interessante a definição dada por um texto islâmico de milagre que, por sua biblicidade, aqui transcrevemos: “Um milagre é definido como um acontecimento extraordinário que não seria possível sob condições normais e que é realizado por Deus através dos Profetas que Ele enviou como Seus Representantes para confirmar sua veracidade.…” (ZIAD, Mohamad. Que é um milagre? Disponível em:  http://br.geocities.com/slidesislamicos/jesus_missao1.htm Acesso em 10 jan. 2008)
- A palavra “milagre”, na Versão Almeida Revista e Corrigida, surge apenas seis vezes (Ex.7:9; Mc.6:52; 9:39; Jo.4:54; 6:14 e At.4:22), mas a Bíblia registra, no Antigo Testamento, 67 milagres e, em o Novo Testamento, 20 milagres dos discípulos de Jesus, além de descrever 36 milagres de Jesus, embora faça menção a milagres do Senhor em outras 17 oportunidades, sem mencionar os milagres não registrados. Os milagres, entretanto, nem sempre são traduzidos para “milagre”, sendo comum o emprego de outras palavras como “maravilhas”, “sinais”, “prodígios” e “obras”.
- Tais circunstâncias demonstram que o ministério de Jesus foi caracterizado pelos milagres, tanto que os escritos mais antigos que se referem ao Senhor, ainda nos primeiros séculos da história da Igreja, por parte de pessoas que não professavam a fé cristã, dão ênfase a esta característica do ministério de Jesus, como, por exemplo, o historiador judeu Flávio Josefo, que, ao falar sobre Jesus, disse ter Ele feito “…obras admiráveis…” (Antiguidades Judaicas, XVIII, 4, 772. In: História dos hebreus. Trad. de Vicente Pedroso, v.2, p.156), como o filósofo grego Celso (séc. II), inimigo dos cristãos, que, entre outras coisas, acusava Jesus de “mágico” e “ilusionista”, prova de que uma das características marcantes de Jesus era o fato de ter sido alguém que realizou muitos milagres.
- Em Ex. 7:9, a palavra “milagre” é tradução do hebraico “môphet” (מןפת ), cujo significado é, precisamente, o de “algo admirável”, “uma demonstração do poder de Deus”. Em Mc. 9:39, a palavra “milagre” é tradução de “dynamis” (δύναμις), que tem o significado de “poder”, “poder em ação”, enquanto que, nas outras três referências (Jo.4:54; 6:14 e At.4:22), a palavra “milagre” é tradução de “semeion” (σημειον), cujo significado é “sinal”, “marca”, “acontecimento extraordinário, incomum que manifesta que alguém é vindo da parte de Deus”.
OBS: Não fizemos menção de Mc.6:52, pois a palavra “milagre”, neste texto, não se encontra no original, tanto que está em itálico na Bíblia, pois é um acréscimo feito pelo tradutor para que o texto tivesse sentido claro na língua portuguesa.
- O que se percebe, pois, é que “milagre” é um acontecimento que causa admiração, que não é comum. Por quê? Porque é um fato que foge à explicação das leis naturais, é uma ocorrência que não se consegue explicar, que aparentemente contradiz a ordem natural das coisas. Por isso, o milagre é uma demonstração de que Deus criou o mundo, não Se confunde com a Sua criação e, além disso, participa desta criação, fazendo intervenções que modificam as leis por Ele mesmo estabelecidas, quando isto é da Sua vontade e atende aos Seus sublimes propósitos.
Fonte: Prof. Dr. Caramuru Afonso Francisco
..........................................................................................................................
A cura divina é para os que crêem (Mc 16.17,18).
Jesus deixou de realizar muitos milagres por causa da incredulidade do povo (Mt 13.58). Assim, muitos deixam de receber a cura ou qualquer outro milagre por não exercitarem a sua fé no Senhor, quando, segundo a Bíblia, é por meio dela que nos aproximamos de Deus na certeza de que Ele galardoa aqueles que o buscam (Hb 11.6).
Mas ainda assim, mesmo o crente exercitando a fé, a promessa da cura divina precisa sempre ser olhada sob a perspectiva de Deus, até porque toda a cura está inserida no contexto da transitoriedade da vida humana aqui. O rei Ezequias recebeu a provisão da cura para sua doença e teve a sua vida prolongada por mais quinze anos, no entanto o seu dia de se encontrar com Deus também chegou (2 Rs 20.1-7,21).
Deste modo, a cura divina, além de servir como sinal conducente à salvação, cumpre sempre algum propósito divino em nossas vidas antes de irmos ao encontro do Senhor. Isso nos deve levar a refletir, quando somos curados, sobre a razão pela qual o Senhor interveio de maneira milagrosa em nosso inteiro ser, que propósito teve em nos devolver outra vez a saúde e o que Ele espera de nós como resposta ao milagre.
Seja qual for a circunstância, a promessa da cura divina tem por fim primeiro e último glorificar a Deus como o soberano Senhor de toda a terra (Jo 9.1-3).
Fonte: http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2007/2007-04-05.htm
...................................................................................................................................

Mt 8.16,17 “E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados, e ele, com a sua palavra, expulsou deles os espíritos e curou a todos os que estavam enfermos, para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças.

A Provisão Redentora de Deus
O problema das enfermidades e das doenças está fortemente vinculado ao problema do pecado e da morte, i.e., às conseqüências da queda. Enquanto a ciência médica considera as causas das enfermidades e das doenças em termos psicológicos ou psicossomáticos, a Bíblia apresenta as causas espirituais como sendo o problema subjacente ou fundamental desses males. Essas causas são de dois tipos:
1- O pecado, que afetou a constituição física e espiritual do homem (Jo 5.5,14),
2- Satanás (At 10.38; cf.Mc 9.17, 20.25; Lc 13.11; At 19.11,12).

A provisão de Deus através da redenção é tão abrangente quanto às conseqüências da queda. Para o pecado, Deus provê o perdão; para a morte, Deus provê a vida eterna, e a vida ressurreta; e para a enfermidade, Deus provê a cura (cf. Sl 103.1-5; Lc 4.18; 5.17-26; Tg 5.14,15). Daí, durante a sua vida terrestre, Jesus ter tido um tríplice ministério: ensinar a Palavra de Deus, pregar o arrependimento (o problema do pecado) e as bênçãos do reino de Deus (a vida) e curar todo tipo de moléstia, doença e enfermidade entre o povo (4.23,24).


A Revelação da Vontade de Deus sobre a CuraA vontade de Deus no tocante à cura divina é revelada de quatro maneiras principais nas Escrituras.
A declaração do próprio Deus. Em Êx 15.26 Deus prometeu saúde e cura ao seu povo, se este permanecesse fiel ao seu concerto e aos seus mandamentos. Sua declaração abrange dois aspectos: (a) “Nenhuma das enfermidades porei sobre ti [como julgamento], que pus sobre o Egito”; e (b) “Eu sou o SENHOR, que te sara [como Redentor]”. Deus continuou sendo o Médico dos médicos do seu povo, no decurso do AT, sempre que os seus sinceramente se dedicavam a buscar a sua face e obedecer à sua Palavra (cf. 2Rs 20.5; Sl 103.3).
O ministério de Jesus. Jesus, como o Filho encarnado de Deus, era a exata manifestação da natureza e do caráter de Deus (Hb 1.3; cf. Cl 1.15; 2.9). Jesus, no seu ministério terreno (4.23,24; 8.14-16; 9.35; 15.28; Mc 1.32-34,40,41; Lc 4.40; At 10.38), revelava a vontade de Deus na prática (Jo 6.38; 14.10), e demonstrou que está no coração, na natureza e no propósito de Deus curar todos os que estão enfermos e oprimidos pelo diabo.
A provisão da expiação de Cristo. (Is 53.4,5; Mt 8.16,17; 1Pe 2.24). A morte expiatória de Cristo foi um ato perfeito e suficiente para a redenção do ser humano total — espírito, alma e corpo. Assim como o pecado e a enfermidade são os gigantes gêmeos, destinados por Satanás para destruir o ser humano, assim também o perdão e a cura divina vêm juntos como bênçãos irmanadas, destinadas por Deus para nos redimir e nos dar saúde (cf. Sl 103.3; Tg 5.14-16). O crente deve prosseguir com humildade e fé e apropriar-se da plena provisão da expiação de Cristo, inclusive a cura do corpo.
...............................................................................................................................

II-Uma igreja, muitos milagres
O ministério contínuo da igreja. Jesus comissionou seus doze discípulos para curaros enfermos, como parte da sua proclamação do reino de Deus (Lc 9.1,2,6). Posteriormente, Ele comissionou setenta discípulos para fazerem a mesma coisa (Lc 10.1, 8,9, 19). Depois do dia de Pentecoste o ministério de cura divina que Jesus iniciara teve prosseguimento através da igreja primitiva como parte da sua pregação do evangelho (At 3.1-10; 4.30; 5.16; 8.7; 9.34; 14.8-10; 19.11,12; cf. Mc 16.18; 1Co 12.9,28,30; Tg 5.14-16).
O NT registra três maneiras como o poder de Deus e a fé se manifestam através da igreja para curar:
a) a imposição de mãos (Mc 16.15-18; At 9.17);
b) a confissão de pecados conhecidos, seguida da unção do enfermo com óleo pelos presbíteros (Tg 5.14-16); e
c) os dons espirituais de curar concedidos à igreja (1Co 12.9). Note que são os presbíteros da igreja que devem cuidar desta “oração da fé”.

Relação dos milagres de Jesus registrados nas Escrituras.
Milagres de cura e de expulsão de demônios
Milagres
Mateus
Marcos
Lucas
João
Um leproso

O servo de um centurião romano


A sogra de Pedro

Dois gadarenos (gerasenos)

Um paralítico

Uma mulher com hemorragia

Dois cegos



Um endemoninhado que não podia falar



Um homem com a mão atrofiada

Um endemoninhado cego e mudo


A filha de uma cananéia


Um menino endemoninhado

Dois cegos (um dos quais Bartimeu)

Um surdo e gago



Um possesso na sinagoga


Um cego de Betsaida



Uma mulher encurvada



Um homem com hidropisia



Dez leprosos



O servo do sumo sacerdote



O filho de um oficial em Cafarnaum



Um inválido à beira do tanque de Betesda



um cego de nascença



Maria Madalena e outras mulheres santas

16:9
8:2

 

Milagres de ressurreição

Milagre
Mateus
Marcos
Lucas
João
A filha de Jairo

O filho de uma viúva de Naim



Lázaro



 
Fonte: Prof. Dr. Caramuru Afonso Francisco

III- Chame os Presbíteros
Tiago 5:14-15 diz: "Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor. E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados."
A palavra "doente" em Tiago 5:14 pode referir-se tanto a doença espiritual como a física.. A palavra "enfermo" vem de uma palavra grega que é usada duas outras vezes no Novo Testamento. Em ambos os casos (Hebreus 12:3 e Apocalipse 2:3) ela se refere a fraquezas espirituais.
Deste modo entendemos que não é o presbítero que cura o enfermo, mas sim a oração da fé, aquele que busca pela cura precisar crer que receberá.  Observe:
E estava assentado em Listra certo varão leso dos pés, coxo desde o seu nascimento, o qual nunca tinha andado.
Este ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que tinha fé para ser curado,
disse em voz alta: Levanta-te direito sobre teus pés. E ele saltou e andou. (At 14.8-10)

Neste caso, a fé do doente  foi a razão pela qual recebeu a sua cura.
.......................................................................................................................................

 Qual o significado de ungir com óleo? No Velho Testamento, reis, sacerdotes, e, algumas vezes, profetas, eram ungidos com óleo para mostrar que eram escolhidos e abençoados, de forma especial, por Deus.
A unção é associada uma vez no Novo Testamento com curas milagrosas (Marcos 6:13), e, outras vezes, com bênçãos espirituais recebidas de Deus (2 Coríntios 1:21-22; 1 João 2:27).
Em Tiago 5:14, ela, provavelmente, se refere, simbolicamente, às bênçãos espirituais de Deus que o ensinamento e o encorajamento dos presbíteros levam àquele que está espiritualmente fraco..
Fonte: Dennis Allan

IV-A cura divina é para hoje
Não há em toda a extensão do Novo Testamento qualquer indício de que a promessa da cura divina tenha sido restrita à era apostólica. O livro de Atos, que narra os primeiros anos de existência da Igreja, está pontilhado de curas milagrosas, inclusive na última viagem de Paulo, em direção a Roma (At 28.7-9), e termina de uma forma incomum, sem qualquer encerramento do texto, o que pressupõe a continuidade do ministério de poder que a Igreja exerceu nos seus primeiros anos.
Hoje o Senhor ainda quer curar os enfermos!
O próprio Jesus deixou claro que os seus discípulos através dos tempos teriam a mesma autoridade para realizar as mesmas obras (Jo 14.12-14). Por outro lado, o escritor da epístola aos Hebreus afirma que o Senhor não mudou, mas permanece o mesmo para sempre (Hb 13.8).
E o apóstolo Tiago, por sua vez, traz aos crentes três orientações condicionadas à nossa comunhão com Deus:
a) “Está alguém entre vós aflito? Ore”;
b) “Está alguém contente? Cante louvores”, e
c) “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados” (Tg 5.13-16).
Fonte: http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2007/2007-04-05.htm
.....................................................................................................................................

- A história da Igreja está repleta de exemplos de que, quando os crentes passaram a buscar a Deus de forma mais decidida, orando, jejuando e se santificando, Deus promoveu grandes avivamentos, sempre acompanhados de sinais e maravilhas, de que é prova, aliás, o avivamento pentecostal, que já tem mais de 100 anos de existência, embora, tenhamos de admitir, em muitos lugares, pela falta de persistência, não mais vemos tanto sinais e maravilhas como no passado. De qualquer maneira, esta é a maior demonstração de que é propósito do Senhor fazer com que os milagres que ocorreram em Seu ministério terreno continuem a acontecer durante a dispensação da graça, que só terminará com o arrebatamento da Igreja.
- O próprio Novo Testamento é prova do que estamos a dizer. Nele está registrado que Jesus disse que os Seus discípulos fariam obras maiores do que Ele havia feito (Jo.14:12). Ora, nas páginas do Novo Testamento, estão registrados apenas 20 milagres dos apóstolos, enquanto que os Evangelhos registram 36 milagres de Jesus. Como, então, admitir que, com a conclusão do Novo Testamento, os milagres cessaram? Para que a Palavra de Deus se cumpra, tem-se como necessário que os milagres prosseguissem depois dos dias apostólicos, portanto.
Fonte: Prof. Dr. Caramuru Afonso Francisco.


Conclusão
Como conclusão descreveremos abaixo alguns motivos que podem impedir a cura divina:
Às vezes há, na própria pessoa, impedimentos à cura divina, como:
1. pecado não confessado (Tg 5.16);
2. opressão ou domínio demoníaco (Lc 13.11-13);
3. medo ou ansiedade aguda (Pv 3.5-8; Fp 4.6,7);
4. insucessos no passado que debilitam a fé hoje (Mc 5.26; Jo 5.5-7);
5. o povo (Mc 10.48);
6. ensino antibíblico (Mc 3.1-5; 7.13);
7. negligência dos presbíteros no que concerne à oração da fé (Mc 11.22-24; Tg 5.14-16);
8. descuido da igreja em buscar e receber os dons de operação de milagres e de curas, segundo a provisão divina (At 4.29,30; 6.8; 8.5,6; 1Co 12.9,10,29-31; Hb 2.3,4);
9. incredulidade (Mc 6.3-6; 9.19, 23,24); e
10. irreverência com as coisas santas do Senhor (1Co 11.29,30).
Casos há em que não está esclarecida a razão da persistência da doença física em crentes dedicados (Gl 4.13,14; 1Tm 5.23; 2Tm 4.20). Noutros casos, Deus resolve levar seus amados santos ao céu, durante uma enfermidade (cf. 2Rs 13.14,20).
Fonte: http://www.iead-pvh.com/portal/html/doutrinas/cura.htm

Colaboração para Portal Escola Dominical - Prof. Jair César S. Oliveira

fonte  http://www.portalebd.org.br

LIÇÃO 05 - A INSTITUIÇÃO DA MONARQUIA EM ISRAEL / SUBSÍDIOS / CLASSE ADULTOS

Apresentado pelo Comentarista das Revistas Lições Bíblicas Adultos da CPAD, pastor Osiel Gomes