SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (73) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (153) CLASSE MATERNAL (104) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (506) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (285) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (10) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (148) MODISMOS (2) Mundo (610) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (230) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (111) REVISTA CLASSE JUNIORES (243) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (189) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (401) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (597) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

16 dezembro 2012

Aniversário da A primeira igreja batista (PIB) em Piancó PB




A primeira igreja batista (PIB) em Piancó PB, comemora seu 47º aniversário,o blogADPIANCO, deu total cobertura ao evento deste Sábado.
O evento foi marcado pela presença de muitas igrejas locais, e cidades vizinhas. O Pr. Tarcísio muito se emocionou e disse ser um milagre está vendo a união do povo de Deus aqui em Piancó e declarou a sua alegria em ver a igreja assembléia de Deus está ali presente.O culto desta noite foi composto de louvores coreografia e franqueada a oportunidade para os pastores Inaldo Félix(assembléia de Deus)e pastor José Hilton (pentecostal do Brasil),o pastor Adaílton foi o preletor do evento,Depois do evendo foi oferecido um jantar para toda igreja. confira abaixo as fotos do evento.





16 de dezembro de 2012
veja fotos aqui 
fonte  AD Piancó

LIÇÃO 12, ZACARIAS, O REINADO MESSIÂNICO


LIÇÃO 12, ZACARIAS, O REINADO MESSIÂNICO

LIÇÕES BÍBLICAS - 4º Trimestre de 2012 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Os Doze Profetas Menores - Advertências e Consolações para a Santificação da Igreja de CRISTO.
Comentários da revista da CPAD: Pr. Esequias Soares
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  

 
 
TEXTO ÁUREO 
"Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; sendo rei, reinará, e prosperará, e praticará o juízo e a justiça na terra"  (Jr 23.5). 
 
 
VERDADE PRÁTICA 
JESUS é tanto o Salvador do mundo, como Rei do Universo.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - Is 2.2-4 - A guerra não mais existirá
Terça - Is 11.6-9 - A plenitude da paz universal
Quarta - Jr 23.5,6 - Haverá completa segurança na terra
Quinta - Zc 14.11 - Jerusalém habitará segura
Sexta - At 3.20,21 - A restauração de todas as coisas
Sábado - 2 Pe 3.13 - Esperamos novos céus e nova terra 
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Zacarias 1.1; 8.1-3, 20-23
Zacarias 1.1 No oitavo mês do segundo ano de Dario, veio a palavra do SENHOR ao profeta Zacarias, filho de Berequias, filho de Ido, dizendo:
 
Zacarias 8.1 Depois, veio a mim a palavra do SENHOR dos Exércitos, dizendo: 2 Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Zelei por Sião com grande zelo e com grande indignação zelei  por ela. 3 Assim diz o SENHOR: Voltarei para Sião e habitarei no meio de Jerusalém; e Jerusalém chamar-se-á a cidade de verdade, e o monte do SENHOR dos Exércitos, monte de santidade.
 
Zacarias 8.20 Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Ainda sucederá que virão povos e habitantes de muitas cidades; 21 e os habitantes de uma cidade irão à outra, dizendo: Vamos depressa suplicar o favor do SENHOR e buscar o SENHOR dos Exércitos; eu também irei. 22 Assim, virão muitos povos e poderosas nações buscar, em Jerusalém, o SENHOR dos Exércitos e suplicar a bênção do SENHOR. 23 Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Naquele dia, sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla da veste de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que DEUS está convosco.
 
Esboço BEP - CPAD (Bíblia de Estudo Pentecostal)
I Primeira Parte: Palavras Proféticas no Contexto da Reedificação do Templo      
(520—518 a.C.) (1.1—8.23)
A. Introdução (1.1-6)
B. Série de Oito Visões Noturnas (1.7—6.8)
1.Visão do Cavaleiro entre as Murtas (1.7-17)
2.Visão dos Quatro Chifres e dos Quatro Ferreiros (1.18-21)
3.Visão de um Homem Medindo Jerusalém (2.1-13)
4.Visão da Purificação de Josué, o Sumo Sacerdote (3.1-10)
5.Visão do Castiçal de Ouro e das Duas Oliveirs (4.1-14)
6.Visão do Rolo Voante (5.1-4)
7.Visão da Mulher num Efa (5.5-11)
8.Visão dos Quatro Carros (6.1-8)
C. A Coroação de Josué como Sumo Sacerdote e o Seu Significado Profético (6.9-15)
D. Duas Mensagens (7.1—8.23)
1.O Jejum e a Justiça Social (7.1-14)
2.A Restauração de Sião (8.1-23)
II.Segunda Parte: A Palavra Profética a Respeito de Israel e do Messias (sem data)   (9.1—14.21)
A.Primeira Profecia do Senhor (9.1—11.17)
1.A Intervenção Triunfal do Senhor (9.1-10)
2.Anunciada a Salvação Messiânica (9.11—10.12)
3.Rejeição do Messias (11.1-17)
B.Segunda Profecia do Senhor (12.1—14.21)
1.Luto e Conversão de Israel (12.1—13.9)
2.A Entronização do Rei Messias (14.1-21)
Autor: Zacarias
Tema: A Conclusão do Templo e as Promessas Messiânicas
Data: 520—470 a.C.

Considerações Preliminares
O primeiro versículo identifica o profeta Zacarias, filho de Baraquias e neto de Ido (1.1), como o autor do livro. Neemias informa ainda que Zacarias era cabeça da família sacerdotal de Ido (Ne 12.16). Por esta passagem, ficamos sabendo que ele era da tribo de Levi, e que passou a servir em Jerusalém, depois do exílio, tanto como sacerdote quanto profeta.Zacarias era um contemporâneo mais jovem do profeta Ageu. Esdras 5.1 declara que ambos animaram os judeus, em Judá e Jerusalém, a persistirem na reedificação do templo nos dias de Zorobabel (o governador) e de Josua (o sumo sacerdote). O contexto histórico para os capítulos 1—8, datados entre 520—518 a.C., é idêntico ao de Ageu (ver a introdução de Ageu). Como resultado do ministério profético de Zacarias e Ageu, o templo foi completado e dedicado em 516—515 a.C.
Em sua juventude, Zacarias havia trabalhado lado a lado com Ageu, mas ao escrever os capítulos 9—14 (que a maioria dos estudiosos data entre 480—470 a.C.), já se achava idoso. A totalidade das profecias de Zacarias foi enunciada em Jerusalém diante dos 50.000 judeus que haviam voltado a Judá na primeira etapa da restauração. O NT indica que Zacarias, filho de Baraquias, foi assassinado “entre o santuário e o altar” (i.e., no lugar da intercessão) por oficiais do templo (Mt 23.25). Algo semelhante ocorrera a outro homem de DEUS que tinha o mesmo nome (ver 2 Cr 24.20,21).

Propósito
Os dois propósitos que Zacarias tinha em mente ao escrever seu livro correspondem às duas divisões principais da obra. (1) Os capítulos 1—8 foram escritos a fim de encorajar o remanescente judeu, em Judá, a persistir na construção do templo. (2) Os capítulos 9—14 foram escritos para fortalecer os judeus que, tendo concluído o templo, ficaram desanimados por não ter aparecido imediatamente o Messias. Nesta passagem, é revelado também em que importará a vinda do Messias.

Visão Panorâmica
O livro divide-se em duas partes principais. (1) A primeira parte (1—8) começa com uma exortação aos judeus para que voltem ao Senhor, para que também o Senhor se volte a eles (1.1-6). Enquanto encorajava o povo a terminar a reedificação do templo, o profeta Zacarias recebeu uma série de oito visões (1.7—6.8), garantindo à comunidade judaica em Judá e Jerusalém, que DEUS cuida de seu povo, governando-lhe o destino. As cinco primeiras visões transmitiam esperança e consolação; as últimas três envolviam juízo. A quarta visão contém uma importante profecia messiânica (3.8,9). A cena da coroação em 6.9-15 é uma profecia messiânica clássica do AT. Duas mensagens (7;8) fornecem perspectivas presentes e futuras aos leitores originais do livro. (2) A segunda parte (9—14) contém dois blocos de profecias apocalípticas. Cada um deles é introduzido pela expressão: “Peso da palavra do Senhor” (9.1;12.1). O primeiro “peso” (9.1—11.17) inclui promessa de salvação messiânica para Israel, e revela que o Pastor-Messias, que levaria a efeito tal salvação, seria primeiramente rejeitado e ferido (11.4-17; cf. 13.7). O “peso” (12.1—14.21) focaliza a restauração e conversão de Israel. DEUS prediz que Israel pranteará por causa do próprio DEUS “a quem traspassaram” (12.10). Naquele dia, uma fonte será aberta à casa de Davi para a purificação do pecado (13.1); então Israel dirá: “O Senhor é meu DEUS” (13.9). E o Messias reinará como Rei sobre Jerusalém (cap. 14).

Características Especiais
Seis aspectos básicos caracterizam o livro de Zacarias. (1) É o mais messiânico dos livros do AT, em virtude de suas muitas referências ao Messias, que ocorrem em seus catorze capítulos. Somente Isaías, com seus sessenta e seis capítulos, contém mais profecias a respeito do Messias do que Zacarias. (2) Entre os profetas menores, possui ele as profecias mais específicas e compreensíveis a respeito dos eventos que marcarão o final dos tempos. (3) Representa a harmonização mais bem sucedida entre os ofícios sacerdotal e profético em toda a história de Israel. (4) Mais do que qualquer outro livro do AT, suas visões e linguagem altamente simbólicas assemelham-se aos livros apocalípticos de Daniel e Apocalipse. (5) Revela um exemplo notável de ironia divina ao prever a traição do Messias por trinta moedas de prata, tratando-as como “esse belo preço em que fui avaliado por eles” (11.13). (6) A profecia de Zacarias a respeito do Messias no capítulo 14, como o grande Rei-guerreiro reinando sobre Jerusalém, é uma das que mais inspiram reverente temor em todo o AT.

O Livro de Zacarias ante o NT
Há uma aplicação profunda de Zacarias no NT. A harmonização da vida pessoal de Zacarias, entre os aspectos sacerdotal e profético pode ter contribuído para o ensino do NT de que CRISTO é tanto sacerdote quanto profeta. Além disso, Zacarias profetizou a respeito da morte expiatória de CRISTO pelas mãos dos judeus, que, no fim dos tempos, leva-los-á a prantearem-no, arrependerem-se e serem salvos (12.10—13.9; Rm 11.25-27). Mas a contribuição mais importante de Zacarias diz respeito a suas numerosas profecias concernentes a CRISTO. Os escritores do NT citam-nas, declarando que foram cumpridas em JESUS CRISTO. Entre elas estão: (1) Ele virá de modo humilde e modesto (9.9; 13.7; Mt 21.5; 26.31, 56); (2) Ele restaurará Israel pelo sangue do seu concerto (9.11; Mc 14.24); (3) será Pastor das ovelhas de DEUS que ficaram dispersas e desgarradas (10.2; Mt 9.36); (4) será traído e rejeitado (11.12,13; Mt 26.15; 27.9,10); (5) será traspassado e abatido (12.10; 13.7; Mt 24.30; 26.31, 56); (6) voltará em glória para livrar Israel de seus inimigos (14.1-6; Mt 25.31; Ap 19.15); (7) reinará como Rei em paz e retidão (9.9,10; 14.9,16; Rm 14.17; Ap 11.15); e (8) estabelecerá seu reino glorioso para sempre sobre todas as nações (14.6-19; Ap 11.15; 21.24-26; 22.1-5).
 
Comentários da BEP - CPAD
1.1 NO OITAVO MÊS... VEIO A PALAVRA DO SENHOR AO PROFETA ZACARIAS. Em novembro de 520 a.C., cerca de um mês depois da segunda profecia de Ageu (ver Ag 2.1), DEUS suscita Zacarias, um profeta mais jovem, para ajudar Ageu a encorajar o povo a concluir a reedificação do templo. Os seis primeiros capítulos incluem uma série de oito visões noturnas concedidas ao profeta Zacarias durante os dois primeiros anos da obra. As visões incitam o povo a examinar suas ações à luz do plano divino, que consistia em trazer-lhe a restauração espiritual no futuro. Tanto a primeira quanto a segunda vinda de CRISTO são focalizadas nestas profecias.
1.3 TORNAI PARA MIM... E EU TORNAREI PARA VÓS. A mensagem divina, anunciada através de Zacarias, começa com um chamado ao povo para que se volte a DEUS. Isto significa arrependimento. DEUS espera a obediência dos seus. E, Ele, por sua vez, promete abençoá-los e protegê-los de todos os males.
1.4 NÃO SEJAIS COMO VOSSOS PAIS. DEUS recorda ao povo de como fizera a mesma chamada aos seus pais, através dos profetas anteriores. Mas eles não se arrependeram. (1) Por haverem persistido em seus maus caminhos, os pais acabaram por desperdiçar sua oportunidade, sofrendo com isto as conseqüências do que se acha registrado em Dt 28. (2) Semelhantemente, se vivermos para os prazeres pecaminosos do presente sistema mundial, jamais alcançaremos o plano de DEUS à nossa vida. Por conseguinte, ser-nos-ão negadas, para sempre, as supremas bênçãos e bens que DEUS nos havia preparado.
1.8-11 OLHEI DE NOITE. Em fevereiro de 519 a.C., DEUS concede a Zacarias a visão de um homem montado num cavalo vermelho entre as murtas, tendo vários outros cavalos atrás dele. Acredita-se que o tal homem fosse uma manifestação de CRISTO como o anjo do Senhor (cf. v. 12; ver o estudo OS ANJOS, E O ANJO DO SENHOR). Um anjo intérprete explica que os cavalos tinham patrulhado toda a terra, e que esta achava-se em paz e em descanso (v. 11). Não obstante, o povo de DEUS, em Judá, encontrava-se oprimido e inseguro. Mas o Senhor transformaria a situação mundial ao restaurar e abençoar Jerusalém e as demais cidades de Judá.
1.9 O ANJO QUE FALAVA COMIGO. O anjo intérprete continua a explicar as visões a Zacarias (vv. 3-14,19; 2.3; 4.1,4,5; 5.5,10; 6.4,5). Este anjo não pode ser confundido com o anjo do Senhor.
1.12 O ANJO DO SENHOR... DISSE. O homem montado no cavalo vermelho é identificado como o anjo do Senhor, cuja missão é interceder em favor de Israel e de Jerusalém, para que se completem os setenta anos do castigo divino contra a cidade santa e o templo, destruídos em 586 a.C. A reedificação do templo, por exemplo, terminou em 516 a.C. precisamente setenta anos mais tarde. O anjo do Senhor é provavelmente CRISTO (ver vv. 8-11; cf. Êx 23.20,21; Is 63.9), que continua como nosso "Advogado para com o Pai" (1 Jo 2.1).
1.14 ESTOU ZELANDO POR JERUSALÉM. O amor de DEUS estava por trás da escolha de Jerusalém e da nação de Israel como sua possessão particular. Este amor, no entanto, não era para ser desfrutado somente pelos israelitas; teria de alcançar todas as nações. DEUS quer abençoar todas as famílias da terra através de Abraão e seus descendentes (ver Gn 12.3).
1.15 AS NAÇÕES... AUXILIARAM NO MAL. DEUS empregara nações pagãs para executar seus juízos contra Jerusalém (Is 10.5,6; Hc 1.6). Tais nações, porém, na sua cobiça por riquezas e poder, tinham ido longe demais. Mas, agora, seriam julgadas por DEUS em conseqüência de sua orgulhosa auto-suficiência.
1.18,19 ESTES SÃO OS PODERES QUE DISPERSARAM JUDÁ, ISRAEL E JERUSALÉM. Os chifres dos animais representam a Assíria, o Egito, a Babilônia, e a Medo-Pérsia.
1.20,21 QUATRO FERREIROS. Os ferreiros são provavelmente quatro impérios que executaram os juízos divinos contra os chifres (v. 18). Todos os opressores do povo de DEUS devem, finalmente, estar sujeitos ao seu juízo (cf. Sl 2.5,9).
2.1 UM HOMEM... UM CORDEL DE MEDIR. Jerusalém achava-se ainda numa condição lastimável por ocasião do término do exílio babilônico. O número dos repatriados era comparativamente pequeno em relação aos que haviam preferido ficar em Babilônia. Mas DEUS os encoraja, dizendo-lhes não ter ainda terminado seu trato com Jerusalém. A cidade santa, pois, tornar-se-ia o lugar mais glorioso da terra. A terceira visão focaliza, no futuro distante, o reino milenar, quando a cidade não mais terá muros. Ela transbordará com multidões de pessoas.
2.5 SEREI PARA ELA UM MURO DE FOGO EM REDOR... NO MEIO DELA, A SUA GLÓRIA. No reino milenar, Jerusalém não precisará de muros, pois o próprio Senhor ser-lhe-á um muro de fogo em derredor (cf. Is 4.5). Ainda mais importante: a glória divina, no meio do povo, transformará toda a cidade num templo cheio da presença de DEUS (cf. Ez 43.1-7). A presença e a glória de DEUS, no meio do seu povo, é algo que a igreja precisa desejar e buscar acima de todas as demais coisas.
2.6 FUGI, AGORA, DA TERRA DO NORTE. A ordem transmitida por Zacarias pode ser interpretada de diferentes formas. (1) A reedificação do templo era um sinal para os demais judeus exilados voltarem de Babilônia (v. 7). (2) Os profetas do AT também vislumbravam um retorno futuro que terá seu ponto culminante no reino milenar (vv. 7-9). (3) Podemos aplicar tais palavras aos nossos dias como se fora uma chamada para fugirmos da idolatria, imoralidade, iniqüidade, ocultismo e das demais modalidades pecaminosas do sistema mundial da atualidade.
2.8 AQUELE QUE TOCAR EM VÓS TOCA NA MENINA DO SEU OLHO. Sião (v. 7) representa o remanescente piedoso de Israel. Estes fiéis são a menina do olho de DEUS; são-lhe mui preciosos (ver Sl 17.8). Os crentes são tão importantes e amados como o era o povo de DEUS no AT. Encontramo-nos, pois, debaixo de seus cuidados e solicitudes.
2.10-12 NAQUELE DIA, MUITAS NAÇÕES SE AJUNTARÃO AO SENHOR. "Aquele dia" refere-se ao período em que JESUS CRISTO estiver reinando na -terra. Então, o remanescente piedoso de Israel, bem como os gentios, formarão um só povo de DEUS. Eles hão de receber a bênção da presença divina, bem como as bênçãos da escolha de Jerusalém como a cidade santa do DEUS de Israel.
3.1 JOSUÉ... E SATANÁS ESTAVA À SUA MÃO DIREITA, PARA SE LHE OPOR. Josué estava representando a nação de Israel diante de DEUS. Satanás, "o adversário" (ver Mt 4.10), encontrava-se em pé, à sua mão direita, para se lhe opor. Isto significa que os impedimentos e as oposições contra a reconstrução do templo realmente provinham do diabo. Ele continua como nosso adversário; é "o acusador de nossos irmãos" (Ap 12.10); o que procura tirar proveito de nós contra a obra de DEUS.
3.2 O SENHOR TE REPREENDE, Ó SATANÁS. Josué, como representante de Israel, não podia resistir a Satanás. Na qualidade de sumo sacerdote, trajava ele vestes malcheirosas e imundas, símbolos do pecado. (1) Por isso, o próprio DEUS resistiu a Satanás, e o repreendeu, pois escolhera a Israel para cumprir os seus propósitos. (2) Israel era "um tição tirado do fogo". O fogo representa os sofrimentos dos judeus no exílio babilônico. DEUS os acompanhara no meio dos sofrimentos, não para destruí-los, mas para discipliná-los e prepará-los para coisas melhores.
3.4 E TE VESTIREI DE VESTES NOVAS. DEUS ordena que as roupas imundas de Josué sejam removidas, simbolizando a remoção dos pecados do próprio sacerdote e de Israel. Em seguida, Josué é vestido de vestes festivas e dispendiosas. É-lhe posta uma mitra limpa na cabeça, indicando sua plena restauração ao cargo sacerdotal. O pecado de Israel é purificado; e o povo, revestido da justiça divina. A mesma purificação acha-se à nossa disposição por meio de CRISTO (Ef 1.7; Rm 1.16,17; 3.22,25,26).
3.7 SE ANDARES NOS MEUS CAMINHOS. A palavra que DEUS dirigiu pessoalmente a Josué, encorajou-o fortemente a segui-lo e a guardar a sua palavra. Se Josué assim o fizesse, governaria o templo como encarregado dos átrios de DEUS na terra, e teria acesso à sala do trono divino no céu, onde ministram os anjos. Também, temos livre acesso aos átrios celestiais, mediante a oração, se andarmos nos caminhos de DEUS.
3.8 O MEU SERVO, O RENOVO. Josué e os demais sacerdotes eram tipos proféticos, que prenunciavam a obra do Servo do Senhor, o Renovo (ver Is 4.2; 11.1; Jr 23.5). O anjo do Senhor (i.e., CRISTO), que se achava presente durante a purificação e restauração de Josué (v. 5), agora é identificado com o Renovo, o rebento que, como oferta pelo pecado, carregou com os nossos pecados, e levou a efeito a nossa redenção (cf. Is 53.1-6). Ele derrotou Satanás tomando sobre si as roupas dos pecados do mundo, e morrendo em nosso lugar.
3.9 SOBRE ESTA PEDRA ÚNICA ESTÃO SETE OLHOS. A pedra é outra prefiguração do Messias (cf. Is 28.16; 1 Pe 2.6). Os sete olhos representam a plenitude de entendimento, onisciência e inteligência divinas (cf. Ap 5.6). CRISTO removeria o pecado num único dia, i.e., no dia em que fez a expiação na cruz por nossos pecados.
4.2 UM CASTIÇAL TODO DE OURO. O castiçal é um lampadário de azeite. (1) Servia de apoio às sete lâmpadas, que se achavam sob o vaso que continha azeite, e estavam dispostas em derredor do receptáculo. O azeite fluía do vaso para manter cheias as lâmpadas. O vaso de azeite representa o poder inexaurível e abundante de DEUS através do ESPÍRITO SANTO. (2) Cada lâmpada possuía sete canudos, ou rebordos, cada um com um pavio, resultando em quarenta e nove chamas ao todo. As lâmpadas representam o povo de DEUS, que outorga a plenitude da luz ao mundo, por causa do fluxo abundante que emana do ESPÍRITO SANTO.
4.3 DUAS OLIVEIRAS. As duas oliveiras representam os ministérios real e sacerdotal de Zorobabel e de Josué (ver Ag 1.1). (1) As árvores simbolizam um manancial contínuo de óleo. Os dois líderes, pois, deviam guiar o povo a uma vida fortalecida pelo poder do ESPÍRITO (v. 12). (2) As árvores representam também os ministérios real e sacerdotal do próprio JESUS CRISTO. É Ele quem batiza no ESPÍRITO SANTO. Todas as plenitudes adicionais provêm dEle.
4.6 NÃO POR FORÇA, NEM POR VIOLÊNCIA, MAS PELO MEU ESPÍRITO. Embora esta mensagem tenha sido entregue a Zorobabel, é aplicável a todos os crentes (cf. 2 Tm 3.16). Nem o oderio militar, nem o político, nem as forças humanas poderão efetivar a obra de DEUS. Só conseguiremos fazer a sua obra se formos capacitados pelo ESPÍRITO SANTO (cf. Jz 6.34; Is 31.3). JESUS iniciou o seu ministério no poder do ESPÍRITO (Lc 4.1,18). E a igreja foi revestida pelo poder do ESPÍRITO SANTO no dia de Pentecoste para cumprir a grande comissão (At 1.8; 2.4; ver o estudo O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO). Somente se o ESPÍRITO governar e capacitar a nossa vida, é que poderemos cumprir a vontade de DEUS. É por isso que JESUS batiza seus seguidores no ESPÍRITO SANTO (ver Lc 3.16)
4.7 Ó MONTE GRANDE. As dificuldades, que parecem tão grandes como a montanha, serão vencidas pelo poder do ESPÍRITO que opera através de nós. Mas se as manifestações do ESPÍRITO não se fizerem presentes, o povo de DEUS será esmagado pela oposição e pelos problemas espirituais.
4.10 QUEM DESPREZA O DIA DAS COISAS PEQUENAS? Para alguns, a obra que o povo realizava parecia sem importância. No entanto, nenhuma obra feita sob o poder do ESPÍRITO de DEUS, e com a sua bênção, deve ser considerada insignificante. Pelo contrário: tem valor e importância eternos.
5.1-4 UM ROLO VOANTE. O rolo voante representa a maldição, ou castigo divino, contra os pecadores na terra de Israel. Embora DEUS seja misericordioso e longânimo (ver 2 Pe 3.9), apressa-se o julgamento que consumirá os ímpios. A era da graça chegará ao fim. A derradeira realização do juízo dar-se-á durante a grande tribulação.
5.5-11 UM EFA. O efa, ou cesta de medir, representa o pecado e a imoralidade do povo de Israel. (1) A mulher tipifica a idolatria e todos os tipos de iniqüidade. Ela é presa na cesta por uma tampa de chumbo, e levada a Sinear (i.e., Babilônia), que representa o sistema mundial dominado por Satanás (ver Ap 17.1). Os ímpios entre o povo de DEUS não somente precisavam ser castigados, como também removidos da terra. (2) O pecado e a iniqüidade têm de ser removidos de nossas igrejas; caso contrário, DEUS removerá o seu ESPÍRITO de nosso meio (ver Ap 2;3). Nos tempos do fim, DEUS extirpará o pecado da terra, e JESUS CRISTO reinará em glória com o seu povo (Ap 19-22).
6.1-5 ESTES SÃO OS QUATRO VENTOS DO CÉU. Zacarias, na oitava visão, vê quatro carros de guerra entre duas montanhas de cobre ou de bronze. (1) As cores dos cavalos que puxavam os carros eram vermelho (que significa a guerra), preto (que significa a pestilência e a morte), branco (que significa a vitória), e grisalho (malhado ou pintado, que significa a pestilência; cf. Ap 6.2-8). Acredita-se que os cavalos brancos representem a vitória gloriosa dos agentes do juízo divino. (2) Os quatro ventos são realmente seres angelicais (cf. Sl 104.4; Ap 7.1-3). (3) Tanto os carros de guerra quanto as montanhas de bronze falam do juízo contra os inimigos de DEUS. Os cavaleiros e os carros vão para o Norte e para o Sul, i.e., em direção a Babilônia e ao Egito. Estas nações também representam as potências do Norte e do Sul que se levantarão no final dos tempos, e hão de ser destruídas.
6.8 AQUELES... FIZERAM REPOUSAR O MEU ESPÍRITO. Os seres angelicais, ao executarem o juízo de DEUS, satisfazem-lhe a justiça, e aplacam-lhe a ira. DEUS zela para que os seus propósitos sejam realizados no devido tempo.
6.13 SERÁ SACERDOTE NO SEU TRONO. O Senhor ordena a Zacarias que faça coroas de prata e de ouro, e que as coloque na cabeça de Josué, o sumo sacerdote. (1) A coroação de Josué prenuncia a coroação e o reino de JESUS, que é o "Renovo", o Messias (Is 11.1; Jr 33.15; cf. Is 53.2; ver Zc 3.8). JESUS é tanto Sacerdote quanto Rei. Ele realizou primeiramente a sua obra sacerdotal, para então reinar (cf. Is 53.10; Lc 24.26). (2) No tempo presente, JESUS é a nossa paz (Ef 2.14,15), e nEle achamos o reino de DEUS, que subsiste em justiça, paz e alegria no ESPÍRITO SANTO (Rm 14.17). A realização ulterior do reino de CRISTO começará no Milênio, quando Ele exercerá na terra um reino de paz (cf. Is 9.6).
6.15 AQUELES QUE ESTÃO LONGE. A expressão refere-se aos gentios (cf. Ef 2.11-13).
7.1-5 JEJUASTES VÓS PARA MIM? A Lei de DEUS exigia um só dia de jejum por ano por ocasião do Dia da Expiação no sétimo mês. Os judeus, porém, haviam acrescentado um jejum, no quinto mês, como memorial da destruição do templo pelos exércitos de Nabucodonosor (2 Rs 25.8,9). Agora que o templo estava sendo reconstruído (518 a.C.), queriam saber se deveriam continuar observando aquele dia de jejum. (1) A palavra vinda do Senhor mostra-lhes que não estavam jejuando de maneira correta (ver Mt 6.16). Seu jejum não passava de mera formalidade. Estava destituído da verdadeira fome e sede de DEUS e de sua justiça. (2) Os fiéis teriam de prestar atenção aos profetas tais como Isaías (cf. Is 58.3-5), e, por meio de jejum e oração, pedir graça para viverem vidas santas e justas diante de DEUS e do próximo (vv. 8-10).
7.12 FIZERAM SEU CORAÇÃO DURO COMO DIAMANTE. O diamante (cf. Jr 17.1) é a substância mais dura que se conhece na natureza. (1) A chamada de DEUS, mediante o seu ESPÍRITO, através dos profetas anteriores, havia exigido justiça, misericórdia e compaixão, mas o povo porfiava em sua teimosia. Chegando o castigo devido, não houve mais tempo para o arrependimento. (2) O que DEUS espera do seu povo não mudou. Ele deseja que mostremos amor e compaixão aos que sofrem necessidades espirituais e materiais.
8.3 VOLTAREI PARA SIÃO. A chave para a plena restauração de Israel é a volta de DEUS a Sião. Pois indica a ocasião em que CRISTO voltará, em glória, para implantar o seu reino sobre as nações. Nesta ocasião, a presença divina fará de Jerusalém a cidade da verdade e da fidelidade. E o monte do Senhor será santo, i.e., separado à sua adoração. Este capítulo cita dez bênçãos que hão de acompanhar o reino de DEUS na terra. Cada descrição começa com a expressão: "Assim diz o Senhor".
8.4,5 VELHOS E VELHAS... MENINOS E MENINAS. Estes versículos retratam a paz, a prosperidade e a felicidade na Jerusalém milenial.
8.7,8 SALVAREI O MEU POVO. A restauração do exílio babilônico viria somente do Leste. Este trecho, portanto, refere-se à restauração futura, proveniente do Leste e do Oeste, i.e., de toda a terra (cf. Is 43.5,6). DEUS tornar-se-á verdadeiramente o DEUS do seu povo, e este participará da sua justiça através de CRISTO.
8.16,17 EIS AS COISAS QUE DEVEIS FAZER. Tendo em vista a volta de DEUS ao seu povo, e da esperança contida nestas profecias milenares, o povo dos dias de Zacarias devia mostrar uma conduta digna do Senhor a quem serviam (cf. 7.9,10). As profecias jamais foram dadas para satisfazer nossa mera curiosidade. DEUS espera que a nossa esperança quanto ao futuro leve-nos a buscar ao seu reino com maior intensidade e dedicação (cf. Tg 1.22; 1 Jo 3.2,3).
8.22 VIRÃO MUITOS POVOS... BUSCAR... O SENHOR. Haverá alegria incomparável quando os gentios reunirem-se aos judeus na busca ao Senhor em Jerusalém, pois Ele estará ali (ver Ez 48.35). Retrata-se, neste ponto, o cumprimento final da promessa concernente à aliança com Abraão, no sentido de que os gentios -seriam trazidos ao Senhor (Gn 12.3; Gl 3.8,26-29).
9.1 O OLHAR DO HOMEM E... DE ISRAEL SE VOLTA PARA O SENHOR. Por causa das promessas divinas, Israel se voltaria ao Senhor, pedindo-lhe livramento. Muitos outros também o fariam. O resultado seria o castigo das nações em derredor de Israel, que haviam causado tanto sofrimento ao povo de DEUS. Alexandre Magno cumpriu parcialmente esta profecia em 332 a.C.
9.8 PARA QUE NÃO PASSE MAIS SOBRE ELES O EXATOR. A paz final virá à Jerusalém terrestre durante o reino milenial de CRISTO. DEUS não permitirá que o seu povo seja totalmente destruído. A mesma garantia é dada à igreja, pois as portas do inferno jamais hão de prevalecer contra ela (ver Mt 16.18).
9.9 EIS QUE O TEU REI VIRÁ... SALVADOR, POBRE. Um motivo ainda maior para o regozijo é a vinda do Rei, não em esplendor, mas em humildade (cf. Fp 2.5-8), montado sobre um jumento. A profecia de Zacarias prevê a entrada triunfal de JESUS em Jerusalém (Mt 21.1-5). Ao entrar dessa maneira na cidade santa, JESUS declarou ser Ele o Messias e o Salvador, pronto a submeter-se à cruz.
9.10 E ELE ANUNCIARÁ PAZ... E O SEU DOMÍNIO... ATÉ ÀS EXTREMIDADES DA TERRA. Sem se referir ao período entre a ressurreição e a segunda vinda de CRISTO, Zacarias dá um passo adiante. Vai até à sua segunda vinda no final dos tempos. Depois do triunfo de CRISTO sobre o anticristo e seus exércitos, não haverá mais necessidade de carros de guerra, cavalos de batalha, nem de instrumentos bélicos. Os domínios do Senhor JESUS abrangerão toda a terra.
9.12 VOLTAI À FORTALEZA, Ó PRESOS DE ESPERANÇA. O futuro dos israelitas dispersos não é desesperador. DEUS promete que os restaurará com uma bênção dupla por causa de tudo quanto já tinham sofrido.
9.13 GRÉCIA. A Grécia passou a destacar-se por volta de 480-479 a.C., quando seus exércitos derrotaram a Xerxes. O cumprimento da profecia, neste versículo, veio com a derrota de Antíoco Epifânio em 168 a.C.
9.16,17 SEU DEUS... OS SALVARÁ. A salvação chegará ao ponto culminante quando DEUS fizer de Israel o seu rebanho. A salvação será uma obra suprema e exaltada. Todo o mundo a presenciará. O resultado será garantido pela bondade e beleza do Senhor. Tudo o que Ele faz em prol do seu povo, reflete a bondade e beleza da sua santidade.
10.1 PEDI AO SENHOR CHUVA NO TEMPO DA CHUVA SERÔDIA. A chuva serôdia, que caía na primavera, era essencial para amadurecer a colheita. Em certo sentido, a obra do ESPÍRITO, no AT, era como a chuva temporã um período de preparo e de plantio (ver Os 6.2,3). A chuva serôdia começou no Pentecoste e, com ela, teve início a colheita de almas. Confiemos, pois o derramamento do ESPÍRITO SANTO continuará como "chuva serôdia" até o fim da presente era.
10.2 OS ADIVINHOS TÊM VISTO MENTIRA. Por não terem os israelitas nenhum pastor para guiá-los nos caminhos retos, i.e., nos caminhos da confiança em DEUS, passaram a depender dos ídolos, adivinhos e outras práticas ocultistas. Os pastores e mestres que destroem a fé e a confiança na Bíblia, negando-lhe a inspiração divina e a infalibilidade, induzem as pessoas a apelar a tais práticas.
10.4 DELE A PEDRA DE ESQUINA. Da tribo de Judá surgiu a pedra de esquina (Sl 118.22; Is 28.16) JESUS, o Messias. Ele seria a estaca que simboliza a segurança (cf. Is 22.22,23). Ele é o Rei vitorioso (cf. Ap 19. 11-16).
10.6-8 JUDÁ... JOSÉ. O propósito de DEUS era redimir e salvar as doze tribos de Israel. Judá representa as duas tribos do Sul; e, José, as dez tribos do Norte.
10.11 ASSÍRIA... EGITO. A Assíria representava os inimigos de Israel, no Norte; ao passo que o Egito, os inimigos do Sul. DEUS prometeu que removeria toda a oposição que se levantasse contra a restauração de Israel.
11.4-17 APASCENTA AS OVELHAS DA MATANÇA. Zacarias fora instruído a representar o pastor de Israel que DEUS havia nomeado: o Messias (vv. 4-14). Em seguida, é-lhe ordenado que representasse o pastor iníquo de Israel (vv. 15-17), que pode prefigurar o anticristo no final dos tempos.
11.4 AS OVELHAS DA MATANÇA. O rebanho de ovelhas é Israel, marcado para o castigo por ter rejeitado o Messias. A matança foi levada a efeito pelos romanos em 70 d.C.
11.7 DUAS VARAS. Zacarias, representando o -Messias, usa duas varas para proteger o rebanho. As varas simbolizam o favor de DEUS para com a semente de Abraão, e seu plano de unir Israel e Judá numa única nação. Tais bênçãos tornar-se-iam realidade se o povo seguisse o Messias.
11.9 NÃO VOS APASCENTAREI MAIS. Como o rebanho odiava o Pastor-Messias, este deixaria o seu papel de pastor para que a nação de Israel fosse entregue à perdição.
11.10 DESFAZER O MEU CONCERTO. DEUS havia firmado um concerto para impedir que as nações atacassem Israel. Zacarias descreve como DEUS removeu tal proteção, e como Israel foi destruído e disperso. Assim aconteceu em 70 d.C., quando os romanos destruíram Jerusalém.
11.12 MEU SALÁRIO, TRINTA MOEDAS DE PRATA. Zacarias, ainda representando o Messias, pediu aos líderes que lhe pagassem a soma que, segundo a opinião corrente, mereciam seus serviços proféticos. Mas eles o ofenderam ao lhe oferecerem o preço de um escravo (Êx 21.32). Trinta moedas de prata foi também o preço pago a Judas para trair a JESUS (Mt 27.3-10).
11.14 PARA ROMPER A IRMANDADE ENTRE JUDÁ E ISRAEL. Parte do castigo divino constituiu-se na destruição da união de Israel. A nação do concerto seria desfeita em facções.
11.15,16 UM PASTOR INSENSATO. Zacarias seria obrigado a pegar agora os apetrechos de pastor a fim de representar o pastor iníquo que usava tais instrumentos para ferir ao invés de ajudar as ovelhas (ver vv. 4-17). A profecia do "pastor insensato" terá seu cumprimento final no anticristo (cf. Ez 34.2-4; Dn 11.36-39; Jo 5.43; 2 Ts 2.3-10; Ap 13.1-8).
12.3-9 AJUNTAR-SE-ÃO CONTRA ELA TODAS AS NAÇÕES DA TERRA. No fim dos tempos, as nações reunir-se-ão contra Jerusalém e Israel. DEUS, porém, intervirá, destruindo os inimigos de seu povo. As potências mundiais serão derrotadas na batalha do Armagedom (ver Ap 16.16; 19.19).
12.10-14 O ESPÍRITO DE GRAÇA. Estes versículos falam da conversão pessoal dos judeus. Em virtude da iminência de serem derrotados por seus inimigos, passarão a crer em JESUS como o verdadeiro Messias.
12.10 E O PRANTEARÃO. Em meio aos perigos daquele dia de batalha, os israelitas clamarão a DEUS por socorro. Então o Senhor derramará do seu ESPÍRITO SANTO para transmitir-lhes a sua graça, e atender-lhes à oração. (1) Os arrependidos reconhecerão serem culpados pela espada romana ter traspassado a JESUS, o Messias, causando-lhe a morte (cf. Sl 22.16; Is 53.5; Jo 19.34).
(2) O pranto dos israelitas será amargo. Cada família pranteará à parte. Os maridos também prantearão separadamente das respectivas mulheres. Por conseguinte, cada indivíduo terá de arrepender-se pessoalmente de seus pecados, e por haver rejeitado a JESUS CRISTO (cf. Rm 3.23; 6.23; At 16.31; 1 Pe 2.24).
13.1 UMA FONTE ABERTA PARA A CASA DE DAVI. A fonte retrata a purificação dos pecados levada a efeito pela morte de CRISTO na cruz. O povo judaico será purificado de suas iniqüidades da mesma maneira que o são os demais crentes em CRISTO (cf. 1 Jo 1.7,9).
13.4 OS PROFETAS SE ENVERGONHARÃO. Naqueles dias, DEUS desmascarará os falsos profetas. Eles ficarão tão amedrontados e envergonhados que, cada um dirá: "Não sou profeta, mas simples lavrador de terra." Enquanto isto, precisamos detectar os muitos falsos profetas que há nas igrejas. É por isto que DEUS nos conclama a testar os espíritos (1 Jo 4.1)
13.6 FERIDAS... NAS TUAS MÃOS. Tais feridas eram, provavelmente, provenientes da autoflagelação asso-ciada à idolatria (vv. 2-5).
13.7 ESPADA... FERE O PASTOR. Nesta perspectiva profética do livro, o Pastor é o Messias. (1) DEUS chama pastor a um varão que é "o meu companheiro" (i.e., meu igual, meu colega).
Portanto, um Messias divino. (2) O Pastor-Messias seria ferido, i.e., crucificado. Seus discípulos, diante disso, espalhar-se-iam como ovelhas (ver Mt 26.31,56; Mc 14.27). A profecia também pode ter prenunciado a dispersão da nação judaica em 70 d.C.
13.8,9 E FAREI PASSAR ESSA TERCEIRA PARTE PELO FOGO. Estes versículos provavelmente referem-se ao período da tribulação no final dos tempos. Os judeus incrédulos (dois terços) serão mortos (v. 8); somente um terço restará. São estes judeus que "olharão para... quem traspassaram" (12.10-14). Portanto, apenas um remanescente de Israel será salvo (Ap 11-18)
14.1 VEM O DIA DO SENHOR. "O dia do Senhor" é uma ocasião tanto de juízo quanto de restauração. Temos aqui uma referência ao tempo em que CRISTO voltará para julgar as nações, e estabelecer seu reino terrestre.
14.2 AJUNTAREI TODAS AS NAÇÕES... CONTRA JERUSALÉM. As nações darão a entender terem ganho uma vitória militar, mas acabarão por serem destruídas (ver 12.3-9).
14.3 E O SENHOR SAIRÁ. O Senhor intervirá na batalha, e derrotará as nações.
14.4 NAQUELE DIA, ESTARÃO OS SEUS PÉS SOBRE O MONTE DAS OLIVEIRAS. Esta profecia será cumprida quando JESUS CRISTO, na sua segunda vinda, voltar ao lugar de onde partira (Lc 24.50,51; At 1.9-12). A topografia da área será mudada dramaticamente. O monte fender-se-á: uma metade avançará para o Norte, a outra, para o Sul, deixando um vale entre ambas as metades.
14.8 CORRERÃO DE JERUSALÉM ÁGUAS VIVAS. Águas vivas (em contraste com as águas estagnadas) fluirão de Jerusalém (cf. Sl 46.4; Ez 47.1-12; Jl 3.18). Ao invés de ficar seca no verão (conforme acontece com a maioria dos ribeiros na Palestina), esta fonte fluirá ininterruptamente para os mares Mediterrâneo e Morto. Este trecho prevê que bênçãos divinas fluirão da Jerusalém milenial (Ap 22.1).
14.9 O SENHOR SERÁ REI SOBRE TODA A TERRA. Depois da volta de CRISTO e da destruição do anticristo e dos seus exércitos (cf. Ap 19), os sobreviventes das nações virão anualmente a Jerusalém por ocasião da Festa dos Tabernáculos a fim de adorar o Rei Messias, o Senhor JESUS. Os sobreviventes serão provavelmente, em sua maioria, civis que permanecerão na sua pátria e aceitarão a CRISTO como Senhor.
14.12-15 O SENHOR FERIRÁ. Estes versículos fornecem outros pormenores a respeito do julgamento das nações (ver v. 3).
14.17 NÃO VIRÁ SOBRE ELA A CHUVA. A total ausência de chuva será o castigo das nações que não subirem a Jerusalém para adorar o Senhor, e observar a Festa das Cabanas. Como o Egito sofre permanentemente com a falta de chuva, uma praga adicional lhe está reservada. (v. 18).
14.20 SANTIDADE AO SENHOR. Já não haverá separação entre o sagrado e o profano. Todas as coisas e pessoas serão santas, consagradas e dedicadas ao serviço e adoração do Senhor.
14.21 NÃO HAVERÁ MAIS CANANEU NA CASA DO SENHOR. O termo "cananeu" era sinônimo de imoralidade e impiedade. Mas DEUS estabelecerá a santidade e a retidão como as características universais e permanentes do seu reino.
 
INTERAÇÃO 
Zacarias foi contemporâneo do profeta Ageu. Ele teve uma série de visões durante os dois primeiros anos das obras de reconstrução do Templo. Essas visões objetivavam incitar no povo ânimo para o exercício do trabalho intenso na restauração do Templo. Os judeus estavam livres do exílio, mas o Templo não estava acabado. A reconstrução do Templo traria uma nova esperança para os judeus, pois a nação, no futuro, também seria restaurada espiritualmente. A primeira e a segunda vinda de JESUS CRISTO são, focalizadas pelas profecias de Zacarias, como cumprimento da esperança judaica.
 
OBJETIVOS 
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Compreender a estrutura e a mensagem do livro de Zacarias. 
Explicar a promessa de restauração da nação. 
Saber que o reino messiânico é real.  
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA 
Prezado professor, para que os alunos compreendam com mais facilidade o conteúdo da lição, utilize o esquema abaixo. Reproduza-o conforme as suas possibilidades. Explique aos alunos que podemos destacar ao longo da profecia de Zacarias dois propósitos principais: Os capítulos 1 - 8 foram escritos para encorajar o remanescente judeu na construção do Templo, em Judá. Enquanto que nos capítulos 9 - 14 o profeta trata de Israel e do Messias. O tema do livro é o Messias de Israel, todavia, Jerusalém também ocupa um espaço especial. 
 
 ESBOÇO DO LIVRO DE ZACARIAS
PRIMEIRA PARTE    (1.1 — 8.23)
Palavras proféticas e a reedificação do Templo
• Introdução (1.1-6).
• Série de oito visões: [a] dos cavaleiros entre as murtas; [b] dos quatro chifres e quatros ferreiros; [c] dum homem medindo Jerusalém; [d] da purificação de Josué, o sumo sacerdote; [e] do castiçal de ouro e duas oliveiras; [f] do rolo voante; [g] da mulher num efa; [h] dos quatros carros (1.7 — 6.8).
• A coroação de Josué como sumo sacerdote e o seu significado profético (6.9-15).
• Duas mensagens: O jejum e a justiça social; a restauração de Sião. (7.1— 8.23).
SEGUNDA PARTE   (9.1 — 14.21)
A palavra profética a respeito de Israel e do Messias (9.1 — 14.21)
• Primeira profecia do Senhor: a intervenção triunfal do Senhor; a salvação messiânica; a rejeição do Messias (9.1 — 11.17).
• Segunda profecia do Senhor: luto e conversão de Israel; a entronização do Rei Messias (12.1 — 14.21).
 
RESUMO DA LIÇÃO 12, ZACARIAS, REINADO MESSIÂNICO
I. O LIVRO DE ZACARIAS 
1. Contexto histórico (1.1). .
2. Vida pessoal.
3. Estrutura e mensagem.
4. Unidade literária.
a) Combinação profética.
b) Coletânea de profecias.
II. PROMESSA DE RESTAURAÇÃO  
1. Sião.
2. O zelo do Senhor (8.2).
3. Restauração de Jerusalém.
III.  O REINO MESSIÂNICO  
1. A pergunta pela paz.
2. A paz universal.
3. A orla da veste de um judeu (8.23).
 
SINÓPSE DO TÓPICO (1) - Os oráculos do livro de Zacarias são apocalípticos. O assunto central é o surgimento do Messias de Israel.  
SINÓPSE DO TÓPICO (2) - A restauração de Jerusalém é uma promessa futura, pois quando ela tornar-se uma "cidade de verdade [...] monte de santidade", a promessa será cumprida.
SINÓPSE DO TÓPICO (3) - O Reino Messiânico é o período onde todo o mundo desfrutará da verdadeira paz do Messias de Israel.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I
Subsídio Sociológico           
"Zacarias, que profetizou perto do fim de outono de 520 a.C., também aguardava ansiosamente pela libertação da nação do domínio estrangeiro, e com confiança esperava que um povo renovado fosse governado por um descendente da casa de Davi. Ele deu continuidade ao trabalho de Ageu ao apressar a conclusão do segundo Templo; e em 515 a.C, cerca de setenta anos após a destruição da primeira construção, o seu sucessor foi consagrado. Embora os persas tivessem designado Tatenai como o governador militar de Judá (Ed 6.13), incentivaram o estado a funcionar como uma comunidade religiosa em vez de política, com o sumo-sacerdote Josias em seu comando. Quanto a Zorobabel, não se sabe se morreu ou se foi destituído do cargo pelos persas, como medida preventiva. Em todo caso, a situação política em Judá parece ter sido estabilizada pelo estabelecimento de um sistema teocrático apoiado pelo governo persa" (HARRISON, R. K. Tempos do Antigo Testamento: Um Contexto Social, Político e Cultural. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p.285).
 
 AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICOII
Subsídio Teológico
"O futuro programa de DEUS para o povo           
Zacarias teve uma visão escatológica muito mais detalhada e completa que os outros profetas menores dos séculos VI e V. [...] Embora o tom global permaneça otimista, o profeta previu que a liderança do Senhor seria rejeitada, o que necessitaria julgamento purificador. O Senhor, porém, intervirá a favor do povo em uma batalha culminante. Isto levará ao arrependimento o povo e à concessão das bênçãos divinas.
A restauração de Jerusalém é central aos capítulos 1 a 8. Ao declarar a profunda ligação emocional com a cidade, o Senhor promete restaurar-lhe a prosperidade (Zc 2.10,11; 8.1-5). Tomará residência uma vez mais em Sião (Zc 2.10,11;8.3) e sobrenaturalmente a protegerá  (Zc 2.5). O foco da cidade restaurada será a habitação de DEUS, o Templo reconstruído (Zc 1.17). Esses residentes da cidade que ainda estão no exílio voltarão em grandes levas (Zc 2.4,6,7; 8.7,8). Sinais das bênçãos divinas serão visíveis nas ruas da cidade, onde os que chegarem a uma idade madura verão crianças brincando contentemente (Zc 8.4,5). Embora muitos se maravilhem com esta reversão na situação de Sião, o Senhor todo Todo-Poderoso não compartilhará desse assombro, pois nada está acima do seu poder (v.6).
[...] Os capítulos de 1 a 8 de Zacarias também foca a liderança da Jerusalém restaurada. Sacerdotes e rei desempenham papéis proeminentes nestes capítulos. Na quarta visão noturna do profeta (Zc 3.1-10), ele testemunhou a purificação de Josué, o sumo sacerdote na comunidade pós-exílica daquela época. As 'vestes sujas' de Josué, símbolo do pecado, foram trocadas por 'vestes novas' e uma mitra limpa lhe foi colocada na cabeça (Zc 3.3-5). O Senhor encarregou Josué de obedecer aos mandamentos e prometeu recompensar-lhe a obediência, dando-lhe autoridade sobre o serviço do Templo e acesso ao conselho de DEUS (vv. 6,7). Claro que a mensagem se aplica à nação inteira, porque Josué, como sumo sacerdote, representava o povo. O fato de ter sido limpo simbolizava o restabelecimento da nação como um todo e, mais particularmente, dos sacerdotes que faziam mediação entre DEUS e o povo" (ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Antigo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD. 2009, pp.457-58).
 
VOCABULÁRIO 
Enigmático: Difícil de compreender ou interpretar.
Secularismo: Doutrina que ignora os princípios espirituais na condução dos negócios humanos. O secularismo, ou materialismo, tem o homem, e somente o homem, como medida de todas as coisas.
Hipotético: Duvidoso, incerto.
Trucidado: Morto com crueldade.
Reiteração: Repetição.
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA 
HARRISON, R. K. Tempos do Antigo Testamento: Um Contexto Social, Político e Cultural. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
SOARES, Esequias. O Ministério Profético na Bíblia: A voz de DEUS na Terra. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Antigo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD. 2009.
 
SAIBA MAIS PELA Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 55, p.42.
 fonte  http://www.apazdosenhor.org.br

Como obter perdão


A Bíblia Responde 37

2 (2)Como obterperdão
Parece uma questão tão intransponível para muitos, para outros até impossível. Pedir perdão é deixar o “eu” em favor do “outro”. Se não perdoamos atamo-nos uns aos outros e no dia da volta do Senhor não subiremos com Ele.
Este é um assunto tão sério biblicamente que Jesus o aborda ele várias vezes, inclusive ao pedir ao Pai que perdoe seus algozes.
Liberemos o perdão para que a nos libertemos e libertemos os outros também.
Salmo 32.1-5; 51
“BEM-AVENTURADO aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano. Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (Selá.) Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.)”
“TEM misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares. Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário. Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão. Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua louvará altamente a tua justiça. Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor. Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos. Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus. Faze o bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém. Então te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; então se oferecerão novilhos sobre o teu altar.”
Provérbios 28.13
“O que responde antes de ouvir comete estultícia que é para vergonha sua.”
Joel 2.12-17
“Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal. Quem sabe se não se voltará e se arrependerá, e deixará após si uma bênção, em oferta de alimentos e libação para o SENHOR vosso Deus? Tocai a trombeta em Sião, santificai um jejum, convocai uma assembléia solene. Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai as crianças, e os que mamam; saia o noivo da sua recâmara, e a noiva do seu aposento. Chorem os sacerdotes, ministros do SENHOR, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó SENHOR, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que os gentios o dominem; porque diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?”
Mateus 6.14-15
“Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.”
Lucas 15
“E CHEGAVAM-SE a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles. E ele lhes propôs esta parábola, dizendo: Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la? E achando-a, a põe sobre os seus ombros, gostoso; E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende. E disse: Um certo homem tinha dois filhos; E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se. E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças. E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo. Mas ele se indignou, e não queria entrar. E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos; Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas; Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se.”
Filemom
“PAULO, prisioneiro de Jesus Cristo, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom, nosso cooperador, E à nossa amada Áfia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que está em tua casa: Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Graças dou ao meu Deus, lembrando-me sempre de ti nas minhas orações; Ouvindo do teu amor e da fé que tens para com o Senhor Jesus Cristo, e para com todos os santos; Para que a comunicação da tua fé seja eficaz no conhecimento de todo o bem que em vós há por Cristo Jesus. Tive grande gozo e consolação do teu amor, porque por ti, ó irmão, as entranhas dos santos foram recreadas. Paulo intercede pelo escravo convertido,Onésimo, que tinha fugido a seu senhor Por isso, ainda que tenha em Cristo grande confiança para te mandar o que te convém, Todavia peço-te antes por amor, sendo eu tal como sou, Paulo o velho, e também agora prisioneiro de Jesus Cristo. Peço-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões; O qual noutro tempo te foi inútil, mas agora a ti e a mim muito útil; eu to tornei a enviar. E tu torna a recebê-lo como às minhas entranhas. Eu bem o quisera conservar comigo, para que por ti me servisse nas prisões do evangelho; Mas nada quis fazer sem o teu parecer, para que o teu benefício não fosse como por força, mas, voluntário. Porque bem pode ser que ele se tenha separado de ti por algum tempo, para que o retivesses para sempre, Não já como servo, antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim, e quanto mais de ti, assim na carne como no SENHOR? Assim, pois, se me tens por companheiro, recebe-o como a mim mesmo. E, se te fez algum dano, ou te deve alguma coisa, põe isso à minha conta. Eu, Paulo, de minha própria mão o escrevi; eu o pagarei, para te não dizer que ainda mesmo a ti próprio a mim te deves. Sim, irmão, eu me regozijarei de ti no Senhor; recreia as minhas entranhas no Senhor. Escrevi-te confiado na tua obediência, sabendo que ainda farás mais do que digo. E juntamente prepara-me também pousada, porque espero que pelas vossas orações vos hei de ser concedido. Saúdam-te Epafras, meu companheiro de prisão por Cristo Jesus, Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito. Amém.”
Hebreus 4.14-16
“Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.”
1 João 1.5-10
“E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. A confissão dos pecados e o perdão por Cristo Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.”
_____________________________________________
Obedecer é melhor que sacrificar. Então porque não perdoar? fonte http://jornal-da-assembleia.blogspot.com.br

veja lista com as mais recentes e curiosas previsões e profecias a respeito do fim do mundo que não deram certo



veja lista com as mais recentes e curiosas previsões e profecias a respeito do fim do mundo que não deram certo
Durante todo o ano de 2012 muito se falou a respeito do fim do mundo no dia 21/12, devido às interpretações que são feitas do calendário maia. Porém, as previsões a respeito de um apocalipse são constante, e diversas figuras já se envolveram em prognósticos falhos.
Há pouco mais de um ano, o pastor Harold Camping virou piada na internet ao ver que sua previsão sobre o fim dos tempos havia dado errado. Camping chegou a anunciar em sua rede de rádios que o evento se daria através de catástrofes.
No começo deste ano, o autointitulado profeta Ronald Weinland afirmou que Jesus voltaria à Terrano dia 27/05 deste ano. Apesar do esforço em detalhar a data, a profecia não se cumpriu. Weinland já havia previsto anteriormente que o mundo acabaria em 2008, o que, apesar da crise econômica daquele ano, não se confirmou.
Uma das profecias mais peculiares a respeito do tema foi feita por José Luis de Jesús Miranda, líder da seita Cresciendo em Gracia. Conhecido como “Jesus Cristo Homem”, Miranda afirmou que o calendário maia estava errado a respeito da data em que o planeta Terra conheceria seu fim. Segundo seus cálculos, a data correta seria 30/06, quando ele seria transformado em imortal, e após um incêndio no Vaticano, seria levantado a líder mundial em meio ao caos.
O Vaticano não foi incendiado, e nenhuma evidência, além das declarações dos membros da seita, evidencia que “Jesus Cristo Homem” tenha se tornado imortal.
Em meio aos boatos confusos sobre o fim do mundo, uma empresa norte-americana resolveu lucrarcom a situação e passou a oferecer abrigos à prova do apocalipse. Por valores que variam entre US$ 18 mil a US$ 78 mil, era possível comprar bunkers que permitiriam sobreviver às supostas catástrofes.
No Brasil, um líder de uma seita no interior de Piauí também resolveu arriscar suas chances nas previsões e afirmou que o mundo chegaria ao ponto final no dia 12/10. Com isso, Luis Pereira dos Santos induziu mais de 120 pessoas a se reunirem na sede da seita para aguardar o evento, mas como a profecia não se cumpriu, acabou preso sob acusação de estelionato.
Aproveitando que o Vaticano não foi incendiado como previa “Jesus Cristo Homem”, uma paróquia da cidade de Assis, na Itália, resolveu vender perdões para os pecados, como prevenção para o apocalipse, por US$ 16, o equivalente a R$ 35,00, aproximadamente. A iniciativa polêmica repercutiu em todo o mundo, e a Igreja Católica não se pronunciou sobre o caso.
Tudo isso acontece, segundo Luiz Carlos Fernandes – palestrante e estudioso do Apocalipse, porque as lideranças cristãs não instruem os fiéis a respeito do assunto, e essa postura abre brechas para o surgimento de falsas doutrinas: “Infelizmente não é raro as lideranças evangélicas afirmarem que esse [Apocalipse] é um livro velado, misterioso, impossível de ser entendido. Sinal evidente que as mesmas não são verdadeiros servos de Jesus Cristo, além de o chamarem de mentiroso, pois se Ele diz que é uma revelação como podem afirmar que é um mistério?”.
 Gospel+

A primeira “Bíblia Gay” Chega ao mercado



 A primeira “Bíblia Gay” Chega ao mercadoChega ao mercado a primeira “Bíblia Gay”
Após centenas de debates entre a comunidade LGBT e os evangélicos sem uma solução definitiva, um grupo de ativistas decidiu publicar a primeira “Bíblia Gay”.
A homossexualidade continua a ser uma questão amplamente debatida e a Bíblia tradicionalmente é vista como um documento que condena a relação sexual de pessoas do mesmo sexo. Por isso, alguns editores anônimos afirmam que chegou a hora de reinterpretar as Escrituras para criar uma tradução favorável a gays e lésbicas.
Ela é chamada de “Bíblia Rainha James”, pois segundo o grupo responsável pela sua edição, o Rei James da Inglaterra, que autorizou a primeira tradução para o inglês mais de 400 anos atrás, seria gay.
“A Bíblia Rainha James resolve quaisquer interpretações homofóbicas da Bíblia, mesmo assim sabemos que a Bíblia ainda está cheia de contradições”, diz o website que promove a publicação. “Não há Bíblia perfeita. Esta também não é. Nós queríamos fazer um livro cheio da palavra de Deus, que ninguém poderia usar para condenar incorretamente os filhos de Deus que nasceram LGBT, e conseguimos. ”
Os editores fazem várias ponderações sobre as dificuldades de tradução de termos como “sodomita” e “abominação”. Afirmam ainda que a palavra “homossexual” não foi colocada no livro sagrado até 1946 e que esse termo não existe em nenhum verso dos manuscritos originais. Essa nova versão é supostamente “mais pura”.
Levando em conta os versículos mais citados em argumentações teológicas contra a homossexualidade e a atração pelo mesmo sexo, os editores dizem terem refeito o texto “de uma maneira que faz com que seja impossível haver interpretações homofóbicas.”
Para eles, essa Bíblia visa corrigir “algumas passagens que geram discriminação contra os membros da comunidade LGBT” e “ser uma referência para as pessoas da comunidade gay que são crentes, e agora têm uma Bíblia que se adapta à sua forma pensar e não discrimina segundo a orientação sexual”.
Os exemplares da primeira edição estão à venda no site Amazon.com e custam cerca de 70 reais.  Mais informações no site queenjamesbible.com.

Pastor Silas Malafaia esta entre os 100 brasileiros mais influentes do Brasil de 2012



Pastor Silas Malafaia esta entre os 100 brasileiros mais influentes do Brasil de 2012
Pastor Silas Malafaia esta entre os 100 brasileiros mais influentes do Brasil de 2012
De acordo com a revista “Época”, o pastor Silas Malafaia, esta entre os 100 brasileiros mais influentes do Brasil de 2012.
Este reconhecimento pelas dedicações sociais e religiosas agracia Malafaia na categoria de líderes, a lista está dividida em quatro categorias: Líderes, Heróis, Construtores e Artistas.
Pelo sexto ano consecutivo, a revista Época, ligada ao mesmo grupo que comanda a rede Globo, elegeu os “100 brasileiros mais influentes do ano”. Na edição que chega as bancas nesta segunda-feira (17), a revista  pretende mostrar quem são as “personalidades capazes de influenciar o rumo e o desenvolvimento do país”.
Entre os 100 brasileiros estão: o ex-presidente Lula, a presidente Dilma Rousseff, o ministro do (STF) Joaquim Barbosa, o jogador Neymar, o senador Aécio Neves, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o Padre Marcelo Rossi, dentre tantos outros.
Embora esteja longe de ser uma unanimidade, o Pastor Silas Malafaia aparece na categoria “Líderes”, desta vez ao lado dos ex-presidentes Fernando Henrique e Lula, além do ministro do STF Joaquim Barbosa, entre outras personalidas que se destacaram, pelo reconhecimento notório em suas distintas contribuição pelo país.
Entre os evangélicos, Silas Malafaia repete a dose. Presente nas listas de 2011 e 2012, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo mostra que tem se tornado uma referência também fora do meio evangélico.
Pastor Silas Malafaia esta entre os 100 brasileiros mais influentes do Brasil de 2012
Pastor Silas Malafaia esta entre os 100 brasileiros mais influentes do ano na categoria líder
Esse tipo de lista é comum em várias publicações do mundo, sendo que a mais reconhecida é a feita pela revista Times, que já listou vários pastores em outros anos. Este ano, a revista Época separou novamente as pessoas em diferentes categorias: artistas, construtores, heróis e líderes.
Embora não tenham sido divulgados os critérios usados na escolha dessas 100 pessoas, não deixa de chamar atenção o fato de recentemente Malafaia ter anunciado que existe uma campanha orquestrada para difamá-lo, que envolveria membros do PT e da imprensa.
O pastor Malafaia, que também é empresário e apresenta programas na TV há um quarto de século, sempre atrai a atenção da mídia por suas declarações contundentes. Mais recentemente tem sido retratado como um dos grandes “inimigos” do movimento gay no Brasil. Sua participação ativa nas últimas campanhas políticas também foram bastante discutidas pela mídia.Informações Revista ÉPOCA/

LIÇÃO 05 - A INSTITUIÇÃO DA MONARQUIA EM ISRAEL / SUBSÍDIOS / CLASSE ADULTOS

Apresentado pelo Comentarista das Revistas Lições Bíblicas Adultos da CPAD, pastor Osiel Gomes