SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

24 dezembro 2016

LIÇÃO 13 - A fidelidade de Deus I


Terminando o estudo dos exemplos bíblicos de provisão divina, estudaremos a respeito das adversidades sofridas pelo apóstolo Paulo em seu ministério.

PORTAL ESCOLA DOMINICAL
QUARTO TRIMESTRE DE 2016
ADULTOS - O DEUS DE TODA PROVISÃO - Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio às crises
COMENTARISTA: ELIENAI CABRAL
COMENTÁRIO: EV. CARAMURU AFONSO FRANCISCO
ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO DO BELÉM - SEDE - SÃO PAULO/SP


ESBOÇO Nº 13
LIÇÃO Nº 13 – A FIDELIDADE DE DEUS

A fidelidade de Deus é uma das garantias de que o propósito divino sempre será cumprido e que vale a pena nos dispormos a realizá-lo.

INTRODUÇÃO

- Terminando o estudo dos exemplos bíblicos de provisão divina, estudaremos a respeito das adversidades sofridas pelo apóstolo Paulo em seu ministério.
- A fidelidade de Deus é uma das garantias de que o propósito divino sempre será cumprido e que vale a pena nos dispormos a realizá-lo.

I – A ALEGRIA DE PAULO MESMO ESTANDO PRESO EM ROMA
- Estamos terminando não apenas um trimestre letivo da Escola Bíblica Dominical mas o próprio ano de 2016, um ano dificílimo para o povo brasileiro, mas que chega ao final com a oportunidade que temos não só de aprender a Palavra de Deus mas de termos consciência que, em meio às crises desta vida, o Senhor está conosco.
- Nesta última lição, nosso comentarista quis dar um exemplo de provisão divina em o Novo Testamento, mais precisamente na vida do apóstolo Paulo, que muito padeceu por causa do Evangelho mas que, mesmo estando preso em Roma, pôde escrever a chamada “carta da alegria”, a carta à igreja de Filipos em que procura animar os irmãos filipenses que se encontravam abatidos por causa da prisão do apóstolo.

Lição 13 – A fidelidade de Deus INTRODUÇÃO - Terminando o estudo dos exemplos bíblicos de provisão divina, estudaremos a respeito das adversidades sofridas pelo apóstolo Paulo em seu ministério. - A fidelidade de Deus é uma das garantias de que o propósito divino sempre será cumprido e que vale a pena nos dispormos a realizá-lo. Lição 13 – A fidelidade de Deus I – A ALEGRIA DE PAULO MESMO ESTANDO PRESO EM ROMA - Apesar de estar preso, Paulo não estava desanimado, ao contrário dos irmãos de Filipos. Entendia que tudo que estava acontecendo era da vontade de Deus e que, por intermédio de sua prisão, ele pudera finalmente ver a igreja de Roma se dedicando à evangelização e, assim, tornando possível seu projeto de, em saindo da prisão, pregar o Evangelho na Espanha. - Paulo tinha plena consciência de que sua estada em Roma era da vontade do Senhor (At.23:11) e, portanto, tudo o que estava acontecendo estava no pleno controle de Deus e que era bom, tanto para ele, Paulo, quanto para a obra de Deus. Lição 13 – A fidelidade de Deus - Tendo esta noção a respeito do papel da Divina Providência, Paulo, ao saber por intermédio de Epafrodito, que os crentes de Filipos estavam entristecidos e abatidos com a sua prisão, resolveu escrever-lhes uma carta para que tivessem eles a mesma alegria de que estava a desfrutar o apóstolo. - Esta alegria do apóstolo é mencionada por dez vezes nesta epístola e vale a pena observarmos qual o teor desta alegria para sabermos como devemos nos alegrar apesar das vicissitudes da vida, até porque a alegria espiritual do salvo não decorre das circunstâncias, mas, sim, da presença do Senhor em nossas vidas. Lição 13 – A fidelidade de Deus As alegrias de Paulo na carta aos filipenses (I): a) “alegria da oração” (Fp.1:4); b) “alegria no fato de Cristo ser pregado” (Fp.1:18); c) “a alegria na fé” (Fp.1:25); Lição 13 – A fidelidade de Deus As alegrias de Paulo na carta aos filipenses (II): d) a “alegria da fraternidade cristã” (Fp.2:2); e) a “alegria de sofrer por Cristo” (Fp.2:17); f) a “alegria de receber um amado servo de Deus” (Fp.2:28,29); Lição 13 – A fidelidade de Deus As alegrias de Paulo na carta aos filipenses (III): g) a “alegria de estar em Cristo” (Fp.3:1; 4:1,4); h) a “alegria de quem ganha almas para Cristo” (Fp.4:1); i) a “alegria de receber donativos” (Fp.4:10); j) “o contentamento com o que se tem” (Fp.4:11). Lição 13 – A fidelidade de Deus - O amor de Paulo era amor a Deus e, por isso mesmo, não poderia ser amor às riquezas, pois quem serve a Deus não pode servir às riquezas (Mt.6:24). - Paulo demonstra aqui uma libertação de todas as circunstâncias desta vida. Estava aqui para cumprir a vontade do Senhor e considerava que Deus, como sendo o Soberano do Universo, podia muito bem querer que ele passasse por necessidades, se isto fosse representar crescimento espiritual para o apóstolo. Lição 13 – A fidelidade de Deus II - A FONTE DA ALEGRIA DE PAULO - Quando Paulo disse que “tudo podia n’Aquele que lhe fortalecia”, ele estava a dizer que, independentemente das circunstâncias, ele era capaz de suportar tudo por amor a Cristo, sabendo que “estar com Cristo é bem melhor” (Fp.1:23), de que devemos estar completamente desapegados das coisas passageiras desta vida. - O apóstolo Paulo estava a ensinar os crentes de Filipos de que eles deveriam esforçar-se para atingir um patamar na vida espiritual em que tudo o que se passasse nesta Terra seria indiferente. Lição 13 – A fidelidade de Deus - Paulo exorta, não só os filipenses, mas a nós todos, visto que este texto passou a fazer parte das Escrituras, a termos o mesmo sentimento de Cristo Jesus que deixou a Sua glória para ser obediente até a morte e morte de cruz (Fp.2:5-8). - A libertação das circunstâncias desta vida, o desapego às coisas terrenas não era decorrência de uma força interior do próprio apóstolo, nem mesmo consequência de uma “chamada especial divina” ou de “anos de experiência” no Evangelho, mas efeito de ele “estar em Cristo” Lição 13 – A fidelidade de Deus - Quando estamos em Cristo, morremos para o mundo e, portanto, podemos viver exclusivamente para o Senhor. - Estamos “mortos com Cristo quanto os rudimentos do mundo” (Cl.2:20) e, por isso, não mais nos importamos em “satisfazer a carne”, de sorte que não somos mais movidos por interesses próprios, Lição 13 – A fidelidade de Deus - O desprendimento das coisas terrenas exige de nós que nos “fortaleçamos em Cristo” a cada dia, a cada instante. - Para alguém se fortalecer em Jesus é preciso, em primeiro lugar, reconhecer que é fraco (II Co.2:10; 12:9). http://www.portalebd.org.br/index.php

Bíblia é considerada livro “homofóbico” e proibida nas escolas do Canadá

A Escola Cristã Cornerstone não poderá mais ensinar sobre a Bíblia, porque o livro foi considerado "homofóbico" e "ofensi...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AS 10 MAIS VISITADAS