SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

12 maio 2017

Pastor já batizou mais de 1.200 refugiados na Alemanha: "Precisamos de uma igreja maior"

O número de refugiados que dão suas vidas a Cristo na Alemanha continua a aumentar, apesar da perseguição dos muçulmanos. São muitos os que estão se convertendo do Islã para o cristianismo, de acordo com o site Deutsche Welle, citando líderes de igrejas do país.
Gottfried Martens, pastor da Protestant Trinity independent church (Igreja Protestante Independente da Trindade, em tradução livre) em Berlim, disse que convertidos são forçados a se esconder secretamente, fora dos campos de refugiados, para assistir aos cultos da igreja. Eles também se certificam de esconder os objetos que os identificam como cristãos, como os colares que recebem após o batismo.
Às vezes, o comportamento ameaçador dos muçulmanos se torna violento. Uma mãe afegã de 38 anos, por exemplo, foi recentemente esfaqueada pela morte de um homem afegão "muito religioso", segundo o relatório.
Gottfried diz que já batizou 1200 refugiados. Ele começou em 2008 com dois refugiados do Irã que procuraram sua congregação. Eles trouxeram um conhecido com eles, que já havia sido batizado pelo pastor. Ao longo dos anos, mais e mais refugiados vieram com o desejo de mudar de religião. Agora a congregação de de Gottfried é bem conhecida em Berlim, com sermões em alemão e persa.
"Recém-chegados"
Os convertidos iranianos e afegãos são originalmente da fé islâmica. Muitos deles são "recém-chegados" que foram apresentados à congregação por outros cristãos. "Muitos também estavam em congregações domésticas privadas no Irã ou foram tocados pela fé cristã durante sua viagem de fuga", disse Gottfried ao DW.
"Tivemos que nos mudar para outra igreja porque não havia espaço suficiente. O ponto alto disso veio quando a rota dos Balcãs foi fechada", disse ele. Durante a chamada crise dos refugiados no início de 2016, havia cerca de 250 participantes em cursos de pré-batismo na Igreja da Trindade. Geralmente, o pastor Gottfried só ensina cerca de 30 pessoas por curso.
Todas as pessoas que Gottfried batizou eram refugiados que falavam persa ou algum dialeto dessa língua. "Para essas pessoas é muito importante que nossa congregação seja bilíngue", ressaltou. Alguns deles estão à espera de uma decisão no processo de asilo, enquanto outros têm pedidos de asilo que foram rejeitados.
Eles passam três meses nos cursos preparatórios e, em seguida, eles fazem um teste em que eles precisam dizer ao pastor Gottfried suas razões pessoais por trás da conversão. "Havia cerca de 300 pessoas que tínhamos que rejeitar", disse ele. Outros foram batizados e receberam um certificado.
http://www.cleitonalbino.com/

AD em Itajá realiza batismo nas águas

Aconteceu, neste sábado dia (22), na cidade de Itajá, liderado pelo Pastor Josias Belmiro, líder da Assembleia de Deus naquele município...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AS 10 MAIS VISITADAS