SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

01 julho 2017





ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO DO IPIRANGA - SEDE - SÃO PAULO/SP
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
TERCEIRO TRIMESTRE DE 2017
Pré-Adolescentes: Jesus, o Salvador
COMENTARISTA: SÉRGIO SODRÉ
COMENTÁRIO: JAIR CÉSAR S. OLIVEIRA

LIÇÃO Nº 1 – CHEGOU O SALVADOR

Objetivos: Ensinar os adolescentes a respeito do nascimento de Cristo.
Texto Bíblico Lucas 2.1-7
E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse.(Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.

E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),
A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.
E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Introdução
Amado (a) neste Trimestre que se inicia, estaremos estudando “A vida de Cristo na harmonia dos Evangelhos”. Está aí uma grande oportunidade de levar os adolescentes a um melhor conhecimento de Cristo, mostrando-lhes acerca da humanidade e divindade do Senhor Jesus.
Para isso é imprescindível que o professor (a) se empenhe aprimorando-se mais e mais, não somente na metodologia a ser usada, como principalmente em conhecer a Palavra, e que “maneja bem a Palavra da Verdade” (2 Tm 2.15). Isso é primordial, pois como falar daquilo que não se conhece?
Estamos vivendo dias dificílimos, nas quais certas tendências, modismos e, o próprio mundanismo lascivo e escancarado tem gerado anomalias morais, sociais e pedagógicas, que pegam em cheio nossas crianças, adolescentes e jovens. Desclassificando totalmente o ensino sadio e eficaz que deve ser ensinado a eles. Hoje há uma linha de pensamentos de ordem psicológica que afirma que o adolescente deve viver do jeito que sua cabeça achar melhor – é ou não, existencialismo cru e explicito? Por essa razão é que os educadores da EBD devem ter muito mais que uma boa didática, devem ser voltados à Palavra de Deus, zelosos, dedicados e profundamente integrado com o Reino dos céus.
Educar adolescentes cristãos é um grande desafio, mas com a graça de Deus conseguiremos transpor, pois temos conosco Deus, e se meditarmos um pouco veremos que, a Obra é DELE, as vidas pertencem a ELE, a Palavra a ser ensinada é DELE, logo NELE seremos vitoriosos. Amém!
Para ser o nosso Salvador. Somente uma Pessoa Divina poderia ser o Salvador da humanidade.
A promessa do nascimento de Jesus foi esperada por todos os povos até que chegasse a “plenitude dos tempos” (Gl 4.4), conforme as Escrituras.
Jesus é o maior personagem da história Humana e da Igreja – JESUS, o SALVADOR DO MUNDO. Sem Jesus a História seria incompleta. Sem Jesus a Bíblia não teria sentido e nem objetivo, pois em todos os 66 livros que a compõe mostra Jesus, Ele é o tema central das Escrituras. A História registra grandes personagens que abalaram e conquistaram reinos e nações. Uns pela força, outros pela guerra, etc.
Entretanto, o Senhor Jesus Cristo, nosso maravilhoso Salvador, conquistou o mundo através do amor e de seus ensinos. Jesus é um assunto que não envelhece, falar de Jesus é falar de paz, amor, perdão e salvação.
O objetivo de Deus, Cristo veio realizar a Vontade de Deus
A Bíblia nos revela que Deus criou o homem perfeito, sem mancha e sem mácula, porque Deus é perfeito e as Suas obras são perfeitas. Mas quando o pecado entrou no mundo, nossos primeiros pais Adão e Eva se corromperam espiritualmente, arruinaram o seu caráter. Tornaram-se inimigos de Deus e deixaram de lado os santos princípios de Seu Reino.
E foi terrível a degradação moral, passando a viver de forma pecaminosa. Como pecadores, passaram a ter sobre si uma sentença de morte. A Escritura diz: "...o salário do pecado é a morte". (Rm 6.23).
Esta sentença de morte passou a todos os membros da humanidade. Foi em face desta grave condição do homem que Deus pôs em ação o Seu Plano de salvação.
Na previsão de Deus o plano já estava traçado quando nossos primeiros pais pecaram.Ele viu que o homem pecaria e de antemão tomou providências para sanar o mal. O apóstolo Pedro, falando do sacrifício de Cristo afirmou que Ele foi “conhecido... antes da fundação do mundo, porém manifestado no fim dos tempos, por amor de vós”. (I Pe 1.19, 20).
Assim, tão logo Adão e Eva pecaram, Deus interveio e anunciou o Seu grande plano. “Porei inimizade entre ti e a mulher (disse Ele a Satanás), entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gn 3.15).
Texto: Profª Jaciara da Silva
I- Não havia lugar para os pais de Jesus
Quando José e Maria chegaram à região de Belém, mesmo tendo vários parentes na região, não conseguiram pousada em nenhum lugar. As hospedarias estavam lotadas. Talvez o casal tenha ficado triste por um momento e preocupados sem saber onde passariam a noite e para agravar mais a situação, as dores começaram a anunciar que a hora do parto estava cada vez mais perto.
Naquele tempo não havia maternidade ou hospital. Os partos eram realizados em casa mesmo. Mas no caso de Maria, não tinha nem uma casa para ter seu primeiro filho. Mesmo sendo inexperiente na maternidade, ficaram confiantes em Deus.
Fico imaginando as respostas de conhecidos, parentes e recepcionistas das hospedarias de Belém: ‘desculpe, mas a casa está cheia’, ‘hum, vocês reservaram vaga?’, ‘infelizmente devido ao recenseamento, todos os quartos estão ocupados’. Em outros casos podem ter visto uma plaquinha na porta escrito ‘lotado’ ou ‘não há vagas’. Mesmo assim José continuou procurando até anoitecer.
Possivelmente já era noite e não restava alternativa quando José contemplou um curral e diante do cansaço, o lugar lhe pareceu aconchegante. Maria de tão exausta e sentindo dores, não deve nem ter percebido os detalhes, entregando seu corpo ao deitar sobre um forro de palha. Chegou a sua hora. Foi ali que Jesus nasceu! Aquele foi o lugar preparado por Deus para o nascimento do rei do universo.
Existe vaga para Jesus nascer em seu coração?
Vamos refletir sobre a diferença da hospedaria e da estrebaria comparando com os corações onde nasce ou não o Senhor Jesus:
Hospedaria – NÃO HÁ VAGAS:
As hospedarias eram como pousadas ou hotéis onde as pessoas alugavam quartos e faziam refeições. Talvez tivesse que fazer reserva para se hospedar. Naquela ocasião a cidade estava muito movimentada devido ao recenseamento.
A hospedaria ocupada lembra-nos o coração que está sempre ocupado com preocupações, vaidades e paixões da carne. Este coração é como os das virgens néscias que se atrasaram e encontraram a porta fechada (Mateus 25.11) e sempre deixam para aceitar Jesus em outra oportunidade.
Jesus disse que muitas vezes o coração humano fica cheio de pecados (Marcos 7.21) e que quando satanás percebe que um coração está vazio e sem Jesus, “leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado desse homem é pior do que o primeiro” (Lucas 11.26).
O ‘coração hospedaria’ pode ser um coração que se ilude com as alegrias do mundo como o filho pródigo se enganou com seus amigos inconvenientes e interesseiros e esteve ocupado demais para abrir seu coração (Lucas 15.13,14). Mas quando se viu sozinho com os porcos, seu coração se abriu para entender que precisava voltar para casa.
Este coração se acostuma hospedar muitas pessoas, mas ninguém chega a habitar definitivamente em seu interior. As amizades e amores sempre são passageiros. Jesus não quer ser um simples hóspede passageiro em seu coração. Ele quer ser o dono e morador permanente em sua vida.
Os cristãos de Laodicéia estavam assim indecisos. Eram mornos, nem frios e nem quentes. Não se decidiam quanto a servir ou não a Jesus Cristo integralmente, por isso o Senhor estava do lado de fora de suas vidas, mas lhes disse: “Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo” (Apocalipse 3.20).
Cuide de seu coração e não se deixe encher de prazeres passageiros e ansiedades, mas abra sua vida para receber Jesus em sua vida e te dar paz (Filipenses 4.6).
Seu coração está ocupado demais para Jesus nascer?
Esvazie seu coração e deixe Jesus entrar!
Fonte: http://www.esbocosermao.com/2011/12/um-lugar-para-jesus-nascer.html
II- Ele nasceu humilde, numa manjedoura
Jesus e a Manjedoura
O ser humano gosta de ostentação e festas. Necessitamos de comer, beber e alegara-nos. E quando isso é feito com moderação é bom. As convenções sociais classificam as pessoas de acordo com o respeito e admiração que elas conquistam. Aos olhos do mundo, grandes desportistas, artistas e homens da política e dos negócios, são muito importantes. Mas, camponeses, lixeiros, e pastores de rebanhos são considerados sujos e ignorantes demais para receberem muita atenção. Deus é capaz de realizar um grande acontecimento sem muito barulho. Deus gosta de usar um pequeno palco para realizar um grande espetáculo.
Veja algumas lições da manjedoura:
1) Jesus nasceu em uma manjedoura para mostrar humildade. Quando Deus enviou o Seu Filho para nascer em Belém, Ele foi recebido com extrema humildade e sem celebração humana. Jesus veio em humildade para que também sejamos humildes. Esta é uma condição daqueles que vão morar com Deus: “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.” Mateus 5:3. Maria entendeu isso e não questionou, quando contemplou a maneira como Deus a escolheu para ser a mãe do Messias. A criança em seu interior encarnava a misericórdia de Deus para os humildes em aceitar o Deus Criador concedendo salvação aos pobres pecadores. Então Maria regozijou porque Deus: “Encheu de bens os famintos e despediu vazios os ricos” Lucas 1:53.
O curioso do nascimento de Cristo são as circunstâncias e o local onde Ele nasceu. Veja este texto: “E deu à luz o seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.” Lucas 2:7. É curioso que Lucas é o único que nos conta que Jesus nasceu em uma manjedoura. Por que teria Deus; o Pai, tolerado que o Seu Filho nascesse numa estrebaria? Por que foram os animais do campo a Sua primeira companhia?
2) Jesus nasceu em uma manjedoura porque não havia lugar na pensão.
Se o dono da hospedaria soubesse de quem se tratava, talvez tivesse arranjado um quarto especial para o nascimento de Cristo. Como isso revela a avaliação que o mundo faz do Cristo de Deus! Não havia conhecimento das profecias sobre o nascimento do Messias. E assim permanece até hoje; em muitos corações não há lugar para Jesus; nas escolas, na sociedade, no mundo dos negócios, entre a grande multidão dos que buscam seus próprios prazeres, no âmbito político, nos jornais, nem mesmo em muitas das igrejas. É uma mera repetição da história. Tudo o que o mundo deu ao Salvador foi um estábulo como berço, uma cruz para morrer, e um túmulo emprestado para receber Seu corpo sem vida.
3) Jesus nasceu em uma manjedoura para mostrar o propósito da Sua nobre missão.
Veja este texto: “pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos”. II Coríntios 8:9. A pobreza de Jesus ficou marcada logo no Seu nascimento. Jesus que, mais tarde, não tinha onde reclinar a cabeça, que teve de pedir uma moeda quando quis responder aos Seus críticos sobre a questão do tributo, que teve de usar a casa de um amigo quando instituiu a Santa Ceia e que não tinha uma casa fixa para a Sua habitação; a manjedoura foi a evidência inicial disso.
4) Jesus nasceu em uma manjedoura para tornar-Se acessível a todos as pessoas.
Se tivesse nascido em um palácio real, poucos O procurariam. Pensamos que talvez fosse mais apropriado para Jesus nascer num palácio e ser colocado num berço de ouro, forrado de seda fina e cara. Mas como Ele mesmo nos lembra no evangelho de Lucas: “aquilo que é elevado entre homens é abominação diante de Deus”. Lucas 16:15. O seu convite é para que todos O aceitem: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” Mateus 11:28-30
5) Jesus foi posto em uma manjedoura para mostrar o estado real do ser humano sem Deus.
O estábulo era o lugar dos animais do campo, e quão bem eles simbolizam o caráter moral dos homens! Os animais do campo estão destituídos de qualquer vida espiritual, e, em como resultado disso, não possuem o conhecimento de Deus. Essa era, também, a condição tanto dos judeus como dos gentios. E como eram semelhantes aos animais; no sentido, estúpidos e teimosos como o jumento e a mula; astutos e cruéis como a raposa; baixos e imundos como porcos; e sempre sedentos do Seu sangue, como os mais selvagens dos animais. De forma correta Jesus foi posto entre os animais do campo por ocasião do Seu nascimento.
6) Jesus foi posto numa manjedoura para indicar a Sua identificação com o sofrimento e a miséria humana.
Aquele que nasceu era o Filho do Homem. Ele havia deixado as alturas da glória celestial e desceu ao nosso nível, e aqui O vemos identificando-Se com a sorte humana em sua mais baixa condição. Adão foi colocado num jardim, cercado da extraordinária beleza da Natureza exatamente como ela havia saído das mãos do Criador. Mas entrou o pecado, e com ele todas as suas tristes consequências de sofrimento e miséria. Por essa razão, Jesus a fim de recobrar e restaurar aquilo que o primeiro homem perdeu, surgiu primeiro num ambiente pobre para depois conceder-nos as riquezas do Seu reino: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo.” Efésios 1:3. A manjedoura também era o lugar onde a vida vegetal era sacrificada para sustentar a vida animal e depois alguns animais eram mortos para vários fins. A manjedoura era também um lugar apropriado para representar Jesus que iria morrer para nos salvar.
As Escrituras ensinam que Jesus foi totalmente humano, com um corpo físico, assim como o nosso, e isso Ele recebeu de Maria. Ao mesmo tempo, Jesus era totalmente Deus, com uma natureza eterna e sem pecado. Ver João 1:14; I Timóteo 3:16 e Hebreus 2:14-17. Jesus não nasceu em pecado, ou seja, Ele não herdou a natureza pecaminosa de Maria. ver Hebreus 7:26. Poderia parecer que a natureza pecaminosa é passada de geração a geração através do pai, ver Romanos 5:12, 17, 19, no caso de Jesus isso não aconteceu. O fato de ter nascido de uma virgem frustrou a transmissão da natureza pecaminosa e permitiu que o Eterno Deus Se tornasse um homem-Deus perfeito, capaz de salvara humanidade.
Fonte: http://temasbblicos.blogspot.com.br/2015/03/jesus-e-manjedoura.html
III-Um nascimento de trouxe alegria
Era noite de Natal em Belém da Judéia, mas parecia uma noite como outra qualquer. Havia um grupo de pastores que estava no campo, guardando seus rebanhos durante as vigílias da noite. De repente a rotina daquela noite foi quebrada por um acontecimento absolutamente extraordinário e maravilhoso: Jesus nasceu!
O Filho de Deus se fez carne, isso significava o cumprimento da palavra profética, era sinal do grande amor de Deus pela humanidade, posto que não poupasse Seu próprio Filho para nos resgatar do pecado. Os pastores que estavam no campo receberam uma bela visita naquela noite do primeiro Natal.
O anjo do Senhor veio sobre eles e a glória de Deus os cercou de resplendor e eles ficaram com muito medo, mas o anjo se dirigindo aos pastores disse: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.” (Lucas 2:10-11).
Era o anuncio mais importante de toda a história universal, o Filho de Deus havia nascido na Cidade de Davi e o anjo deu a indicação de onde estava o menino-Deus, veja: “E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura." (Lucas 2:12). Claramente Deus queria a visita dos pastores de Belém na estrebaria. Eles representavam o povo judeu, para quem se dirigiu a promessa do Messias.
Havia grande alegria nos céus pelo nascimento de Jesus e enquanto o anjo fazia o anuncio do primeiro Natal, uma multidão da milícia celestial apareceu para os pastores de Belém louvando a Deus e dizendo: “Glória a Deus nas maiores alturas, E paz na terra entre os homens a quem ele quer bem." (Lucas 2:14).
Depois que os anjos se retiraram para o céu, os pastores resolveram ir até Belém para verificar o que estava acontecendo. Viajaram com grande pressa e quando chegaram ao lugar indicado pelo anjo do Senhor, encontraram a cena simples e belíssima do Natal: Maria, José e o menino Jesus deitado na manjedoura.
Os pastores não guardaram segredo sobre o que o anjo do Senhor havia dito a respeito daquele menino da manjedoura e contaram para todo mundo que encontraram e todos os que souberam se admiraram de tudo o que aconteceu naquela noite de Natal e os pastores voltaram ao campo glorificando e louvando a Deus por tudo quanto tinham ouvido, visto e vivido.
Assim como os pastores de Belém não podemos nos calar sobre tudo o que sabemos a respeito daquele menino-Deus que se fez carne para nos salvar. Um encontro com Jesus não pode e não deve ficar em secreto. Ele nasceu, cresceu, morreu, ressuscitou e tudo isso para nos resgatar do pecado e nos dá vida eterna com Deus.
Fonte: http://sombradoonipotente.blogspot.com.br/2013/12/os-pastores-de-belem.html
Conclusão
Como podemos ver nesta lição, Jesus o Filho de Deus, veio ao mundo para tornar a religar o homem à posição que tinha com Deus antes da queda, no Éden.
Jesus afirmou que Suas Obras e Palavras eram guiadas por Deus (Jo 5.19,20; 10.38). Ele tomou sobre Si nossa natureza humana, pelo qual, nossa natureza humana poderia ser aperfeiçoada à semelhança da natureza divina.
Jesus o Filho de Deus se fez homem, para que os filhos dos homens pudessem serem feitos filhos de Deus. (Jo 1.12), e um dia seremos semelhantes a Ele (1 Jo 3.2), nossos corpos mortais serão incorruptíveis e serão “semelhantes ao seu corpo glorioso” ( Fp 3.21).
Professor (a) enfatize ao adolescente essa tão sublime realidade, Deus o Pai amoroso, não poupou ao seu Unigênito Filho, mas entregou-O para morrer em nosso lugar, para que nós pudéssemos tornar à ELE, estar com ELE. E a única coisa que precisamos fazer é aceitar esta tão maravilhosa graça (favor não merecido), RECEBENDO A JESUS CRISTO COMO NOSSO SALVADOR, e servi-LO como SENHOR de nossas vidas.
Fonte; Profª. Jaciara da Silva
Colaboração para o Portal Escola Dominical – Profº Jair César Silva Oliveira

Betel ADULTO – 3º Trimestre de 2017 – 24/09/2017 – Lição 13 – A perseverança do discípulo de Jesus Cristo

Este post é assinado por: Cláudio Roberto TEXTO ÁUREO Lucas 8:15 15  e a que caiu em boa terra, esses são os que, ouvindo a palavra,...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AS 10 MAIS VISITADAS