SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

Marcadores

Aborto ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL Adolecentes Cristão ADOLESCENTES ADPB ADULTÉRIO ADULTOS Agradecimento Aniversario Apologética Cristã Arqueologia As Inquisições Assembleia de Deus Barack Obama Batismos Bíblia Brasil Casamento CGADB Ciência Círculo de Oração CLASSE BERÇARIO CLASSE BERÇÁRIO CLASSE DOS DISCIPULADOS CLASSE DOS DISCIPULANDO CLASSE DOS DISCIPULANDOS CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL CLASSE MATERNAL Congresso CPAD Cruzada Curiosidades Cursos Departamento Infantil Depressão Desaparecido DESENHOS BIBLICOS Desfiles Dia do Pastor Discipulado Divórcio EBD EBO Escatologia Estudantes Estudos Eventos FALECIMENTO Família Filmes Galeria de Fotos Gospel Gratidão a Deus Hinos Antigos História Homenagens Homilética Homoxesualismo Ideologia de Gênero Idolatria Inquisição Islamismo Israel LIção de Vida Louvor Luto Maçonaria Mães Mensagens Ministério Missões MODISMOS Mundo Mundo Cristão MUSICAS EVANGÉLICAS Namoro Cristão Noivados Notícias Obreiros ONU Oração Pneumatologia política PRIMARIOS Psicopedagogia Pureza sexual Realidade Social Reforma Protestante RELIGIÕES Retiro Revista Central Gospel REVISTA CLASSE PRIMARIOS REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA REVISTA CLASSE JUNIORES REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. REVISTA DA CLASSE JOVENS. REVISTA DA CLASSE ADULTOS REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS REVISTA DA CLASSE JUVENIS Revista Maternal Santa Ceia Saúde Seminário Sexualidade Subsídios Subsídios EBD Subsídios EBD Videos Templos Teologia Testemunho TRANSGÊNEROS Utilidade publica UTILIDADE PÚBLICA Vida de Adolecente videos Virgilha

15 julho 2017

Lição 3 - Fazendo a diferença na sociedade I






ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO DO IPIRANGA - SEDE - SÃO PAULO/SP
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
TERCEIRO TRIMESTRE DE 2017
Adolescentes: Vivendo em sociedade
COMENTARISTA: TELMA BUENO
COMENTÁRIO: JACIARA DA SILVA

LIÇÃO Nº 3 – FAZENDO A DIFERENÇA NA SOCIEDADE

Para refletir
“"Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens.". (Mt 5.13- NVI).
Texto Bíblico: Mt 5.13-16
Sal da terra e luz do mundo
Nós, cristãos, temos a oferecer ao mundo, como modelo, a exemplo de Jesus.
O Senhor Jesus, comparando os discípulos com o sal e com a luz, explica-lhes que devem ter em conta duas coisas para cumprir com sua missão no mundo:
1) ser fiéis à sua identidade;
2) a necessidade de “localizar-se” em um lugar apropriado do qual sua luz possa iluminar os que se encontram “na casa”.
O sal, para “dar sabor” aos mantimentos, deve manter sua força ou virtude, quer dizer, sua capacidade de salgar. De modo análogo o discípulo, para ser sal da terra, deve ser o que está chamado a ser, deve ser verdadeiramente cristão, acolhendo em si mesmo a força transformante do Senhor, vivendo como o Senhor ensina.
Por outro lado, o Senhor Jesus compara a missão de seus discípulos com a função que desempenha uma lâmpada posta em um lugar escuro (Mt 9. 15-16): deles tem que brotar uma luz que deve iluminar a todos os homens que vêm a este mundo. Esta é uma luz própria? Não, a luz que o discípulo deve espalhar é a Luz que ele mesmo recebe do Mestre, do Senhor: Ele mesmo é a Luz que ilumina a todo homem que vem a este mundo (ver Jo 1. 9), Luz que vem de Deus.
Quer dizer, o modo comum como Deus pensou em seus amorosos desígnios para fazer brilhar sua Luz no mundo — aquela que é a vida dos homens, aquela que os arranca das trevas do pecado e da morte — é por seu Filho: Eu vim como luz ao mundo; assim, todo aquele que crer em mim não ficará nas trevas (Jo 12.46). Mas também quis fazer brilhar sua Luz associando a esta missão de seu Filho seus discípulos. Os discípulos congregados em sua Igreja — desde que o Senhor Ressuscitado ascendeu aos céus até que Ele volte — têm que fazer brilhar “em seu rosto”, quer dizer, em si mesmos, a luz de Cristo para refleti-la ao mundo inteiro: A luz dos povos é Cristo: por isso, este sagrado Concílio, reunido no Espírito Santo, deseja ardentemente iluminar com a Sua luz, que resplandece no rosto da Igreja, todos os homens, anunciando o Evangelho a toda a criatura.
Ao perceber aquela luz — luz que vem de Deus e que é “feita própria”— que emana do ser do discípulo (qual luz que arde em um abajur, e que posta sobre a mesa ilumina a todos os que estão na casa), luz que se faz visível a todos particularmente em suas boas obras (as obras da caridade que correspondem perfeitamente aos ensinamentos do Senhor Jesus), muitos — conhecendo a misericórdia do Pai pela força irradiativa do amor — ver-se-ão impulsionados a voltar-se para Deus e a dar-lhe glórias.
Luzes para a vida cristã
Todo homem ou mulher que consciente ou inconscientemente rejeita a Deus, que o afasta de sua vida cotidiana, que não admite suas leis e as transgride, fica submerso nas trevas. As trevas que inundam a mente e o coração do ser humano não ficam nele: difundem-se, avançam sobre outros corações e sobre a sociedade inteira, alimentando progressivamente uma cultura sem Deus, oposta a Deus, imersa na confusão e na espessa escuridão.
Há os cegos que, transformados totalmente em trevas, odeiam a Luz e a rechaçam (ver Jo 1. 9-11), odiando todo aquele que vem da luz. Mas há muitos outros que, embora submersos nas trevas e no mar de confusão, andam procurando ansiosos que alguém ilumine seus olhos e dissipe suas trevas.
Felizes somos nós, que fomos iluminados por Cristo! Foi a nós que Ele tirou das trevas por meio de homens ou mulheres que souberam nos transmitir essa luz de Cristo. O Senhor também nos chama agora para ser “luz do mundo”, lâmpadas que com a Luz de Cristo brilhem dissipando as trevas de muitos corações. Com efeito, você é luz quando acolhe em si Àquele que vindo ao mundo, ilumina todo homem (Jo 1. 9). Se Cristo habitar em você, você será como uma lâmpada que irradia a Cristo, dissipando muitas trevas com sua presença, testemunho e palavras.
Entretanto, temos que reconhecer que também nós precisamos ser iluminados continuamente por Cristo, que tampouco nós estamos totalmente livres das trevas. Há trevas em mim quando o pecado habita em mim. Há trevas em mim quando alguns de meus modos de pensar, sentir e agir obedecem aos critérios do mundo. Você não descobre em si mesmo alguma treva que ainda precisa ser iluminada e dissipada? Sem dúvida! Por isso humildemente reconheçamos que necessitamos de uma maior conversão: preciso me assemelhar a Cristo cada vez mais, para que seja Ele quem viva plenamente em mim (ver Gal 2. 20), e seja essa Luz em mim que passe através de mim como por um cristal puro e limpo para iluminar a muitos, libertando-os das trevas nas quais se acham submersos. Se você e eu não brilhamos intensamente com essa Luz, que é Cristo, quantos ficarão submersos nas trevas por nossa culpa?
Assim, pois, afaste de ti todas as trevas, para que você seja todo luz! Liberte-se de todo obstáculo, de toda opacidade, para transparecer uma plena e total adesão ao Senhor, para mostrar o fogo de amor que arde em seu coração, para irradiar o entusiasmo que significa seguir plenamente o Senhor Jesus! Deixa que a luz de Cristo inunde todo o seu ser, sua mente e coração, para que você seja também “luz do mundo”!
Conclusão
É, freqüentemente, muito difícil corrigir anos ou mesmo gerações de erros. Mas está claro que o único modo pelo qual podemos esperar ter boas famílias moldadas nos princípios divinos é voltar ao plano que Deus tem revelado. Temos que estudar a Bíblia, aprender estes princípios, aplicá-los em nossas vidas, e ensiná-los aos nossos filhos e aos outros.
Lembrem-se, os benefícios serão eternos!
A família não pode se fechar sobre si mesma! Pais, mães e filhos devem sair dos limites de seus lares para santificar seus vizinhos, sua rua, seu bairro. Para, junto com outras famílias, mudar estruturas, corações e mentalidades. Colaborar, em última análise, na implantação do Reino de Deus na terra.
Colaboração para Portal Escola Dominical – Profª Jaciara da Silva  http://www.portalebd.org.br/