SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

Marcadores

Aborto ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL Adolecentes Cristão ADOLESCENTES ADPB ADULTÉRIO ADULTOS Agradecimento Aniversario Apologética Cristã Arqueologia As Inquisições Assembleia de Deus Barack Obama Batismos Bíblia Brasil Casamento CGADB Ciência Círculo de Oração CLASSE BERÇARIO CLASSE BERÇÁRIO CLASSE DOS DISCIPULADOS CLASSE DOS DISCIPULANDO CLASSE DOS DISCIPULANDOS CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL CLASSE MATERNAL Congresso CPAD Cruzada Curiosidades Cursos Departamento Infantil Depressão Desaparecido DESENHOS BIBLICOS Desfiles Dia do Pastor Discipulado Divórcio EBD EBO Escatologia Estudantes Estudos Eventos FALECIMENTO Família Filmes Galeria de Fotos Gospel Gratidão a Deus Hinos Antigos História Homenagens Homilética Homoxesualismo Ideologia de Gênero Idolatria Inquisição Islamismo Israel LIção de Vida Louvor Luto Maçonaria Mães Mensagens Ministério Missões MODISMOS Mundo Mundo Cristão MUSICAS EVANGÉLICAS Namoro Cristão Noivados Notícias Obreiros ONU Oração Pneumatologia política PRIMARIOS Psicopedagogia Pureza sexual Realidade Social Reforma Protestante RELIGIÕES Retiro Revista Central Gospel REVISTA CLASSE PRIMARIOS REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA REVISTA CLASSE JUNIORES REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. REVISTA DA CLASSE JOVENS. REVISTA DA CLASSE ADULTOS REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS REVISTA DA CLASSE JUVENIS Revista Maternal Santa Ceia Saúde Seminário Sexualidade Subsídios Subsídios EBD Subsídios EBD Videos Templos Teologia Testemunho TRANSGÊNEROS Utilidade publica UTILIDADE PÚBLICA Vida de Adolecente videos Virgilha

12 agosto 2017

CPAD JOVENS 3º Trimestre de 2017 Lição 7 Tempo para estar a sós com Deus


CPAD JOVENS – 3º Trimestre de 2017 – 13/08/2017
Lição 7 – Tempo para estar a sós com Deus

TEXTO DO DIA
“Daniel […] entrou em sua casa (ora, havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava […].”
(
Daniel 6.10)

TEXTO BÍBLICO
Marcos 14.32-42
32 E foram a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu oro.
33 E tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João e começou a ter pavor e a angustiar-se.
34 E disse-lhes: A minha alma está profundamente triste até a morte; ficai aqui e vigiai.
35 E, tendo ido um pouco mais adiante, prostrou-se em terra; e orou para que, se fosse possível, passasse dele aquela hora.
36 E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres.
37 E, chegando, achou-os dormindo e disse a Pedro: Simão, dormes? Não podes vigiar uma hora?
38 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.
39 E foi outra vez e orou, dizendo as mesmas palavras.
40 E, voltando, achou-os outra vez dormindo, porque os seus olhos estavam carregados, e não sabiam o que responder-lhe.
41 E voltou terceira vez e disse-lhes: Dormi agora e descansai. Basta; é chegada a hora. Eis que o Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos pecadores.
42 Levantai-vos, vamos; eis que está perto o que me trai.

INTRODUÇÃO
Quando Jesus no sermão da montanha nos ensina a orar, ele nos fala o seguinte:
“Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente”. Mateus 6:6
Jesus não está nos ensinando que todas as nossas orações devem ser feitas em secreto. Mas o que ele faz é nos chamar para um relacionamento íntimo com ele. Deus quer que tenhamos momentos a sós com Ele. Como você vai ter um relacionamento de intimidade com uma pessoa se não conversar com ela?
Certa vez ouvi um pregador que disse a respeito do nosso dízimo diário. Segundo lemos na bíblia:
“Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele”. Salmos 118:24
Outras traduções para um melhor entendimento dizem: “Este é o dia que o Senhor nos fez…”, ou seja, Deus fez e faz cada dia para nós. Então podemos concluir que ele nos dá cada dia.
Ele nos dando cada dia, devemos assim dar o ‘dizimo’ daquilo que ganhamos. Se o dia tem 24 horas, 10% desse tempo seriam: 2 horas e 24 minutos.
Será que estamos tendo esse tempo para Deus? Deus lhe convida sempre a estar junto dele, perto dele, com comunhão com ele.
Estamos justamente aprendendo a administrar o nosso tempo, onde sem preguiça, ativismo ou qualquer outro desperdício de tempo, teremos então uma parte do nosso dia voltado para comunhão com nosso Pai Celestial.
“Uma das maiores utilidades do Twitter e do Facebook será provar no Último Dia que a falta de oração não era por falta de tempo. John Piper

I – O SEGREDO DA ESPIRITUALIDADE
1. Inaugurando um novo tempo
Quando Jesus morreu na cruz, um dos eventos que aconteceu naquele dia foi:
“E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras”; Mateus 27:51
O véu separava o Santo dos Santos do resto do templo, onde as pessoas ficavam. Apenas o Sumo Sacerdote tinha a permissão de passar pelo véu uma vez por ano (Êxodo 30:10; Hebreus 9:7), de entrar na presença de Deus representando Israel e de fazer expiação pelos seus pecados (Levítico 16).
O rasgar do véu no momento da morte de Jesus dramaticamente simboliza que Seu sacrifício e o derramamento do seu próprio sangue serviram como uma expiação suficiente pelos pecados para sempre. Significa que o caminho para o Santo dos Santos estava aberto para todas as pessoas, em todos os tempos, tanto aos judeus quanto aos gentios.
Podemos então entrar no Santo dos Santos através dEle. Hebreus 10.19-20 diz que os fiéis entram no santuário através do “sangue de Jesus, pelo caminho que ele nos inaugurou, caminho novo e vivo, através do véu, isto é, da sua carne”.
Jesus em todo o tempo que esteve aqui na terra como homem, teve sempre seus momentos a sós com o Pai. Mesmo sendo Deus, também era 100% homem e por isso precisava sempre ter o seu momento de oração e comunhão com o Pai.

2. A sós com Deus na leitura da Palavra
“Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia”. Salmos 119:97
O salmista nos ensina que o seu prazer está em meditar na palavra do Senhor todos os dias.
Vamos pontuar aqui a diferença entre ler e meditar. Quando lemos a Bíblia, simplesmente o sentido é apenas uma leitura comum; lemos como um livro qualquer. Quando meditamos é aí que paramos para entender o que Deus quer falar conosco através do texto lido.
A meditação na palavra de Deus só irá vir em momentos que tivermos a sós com o Pai. Não devemos ser meros ouvintes e leitores da palavra, mas sim praticantes dela.
“E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos”. Tiago 1:22
Jesus ainda nos ensina que:
“Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Mateus 4:4
Isso significa que assim como o pão é alimento para a vida do corpo, a palavra de Deus é o alimento da vida do espírito. Da mesma maneira que temos as nossas paradas no dia para nos alimentarmos fisicamente (café da manhã, almoço, jantar), devemos ter tempo para nos alimentarmos espiritualmente.

3. A sós com Deus na oração
Como vimos, por diversas vezes Jesus saiu para orar. Muitos podem pensar que: ‘mas eu oro quando estou trabalhando’ ou ‘eu oro o dia inteiro, fico falando com Deus constantemente’. Não é esse tipo de oração que Deus requer de nós. Ele precisa de um tempo a sós conosco. Imagine um médico em uma consulta: por diversas vezes você fica a sós com ele para que o examine e dê ali o diagnóstico correto.
Oração é um momento de entrega a Deus, é um momento em que nos abrimos perante o nosso Pai. Oração não deve ser algo mecânico, mas sim espontâneo, com intimidade e com liberdade para conversar com o pai.
Seria possível você conversar com seus amigos e irmãos a mesma coisa todo dia, do mesmo jeito, na mesma ordem? Por diversas vezes, estamos assim: falamos as mesmas coisas com Deus todos os dias. Poderíamos até colocar um gravador e quando fossemos orar, seria só dar ‘play’.
Experimente ter diariamente o seu momento a sós com Deus. Experimente fechar a porta do seu quarto e falar com o Senhor recebendo dEle a sua porção diária do alimento espiritual. Não se esqueça, Jesus é o nosso Conselheiro:
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. Isaías 9.6

II – O TEMPO DOS TEMPOS
1. Um convite
Certa vez escutei um pregador dizer que o nosso Deus é ‘carente’. Carente no sentido de que mesmo sabendo de todas as coisas, ele quer ouvir a nossa voz, ele quer estar próximo de nós. E esse convite de estar sempre próximo dele, está demonstrado em toda a Bíblia.
“Porque o Senhor repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem”. Provérbios 3:12
Quando um pai repreende o seu filho, não é para o mal, mas sim para o seu bem. Todo pai não quer perder o seu filho e por isso, às vezes, precisa dar uma repreensão.
Deus cuida de nós e por isso nos repreende para que não venhamos a se perder e se afastar dele.
“Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora”. João 6:37
Não há nenhum interesse da parte de Deus em perder alguém, pelo contrário, ele doou seu único filho para nos salvar e nos dar o direito de sermos chamados filhos e dessa forma desfrutar da eternidade juntamente dEle.
Não foi Deus que se afastou de nós, mas sim nós dEle. Ele nos convida para estarmos sempre junto a Ele, onde conseguimos isso através de Jesus:
“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”. João 14:6

2. Uma necessidade
Assim como o que comer e o que beber é uma necessidade nossa diária, estar na presença de Deus, também tem que ser uma necessidade nas nossas vidas.
Um cristão que não sente vontade de ir à igreja, de orar e de ler a palavra de Deus, com toda a certeza, tem algo errado. A oração, leitura da palavra e comunhão com os irmãos, deve ser sempre um desejo ardente em nossos corações.
Atualmente temos o movimento que se chama os ‘desigrejados’. A cada dia muitos dizem estar desiludidos com a igreja enquanto instituição. Porém, não podemos nos esquecer de que a Igreja, como Corpo de Cristo, deve reunir-se e os irmãos precisam estar juntos, pois tal postura não é algo opcional (Hebreus 10.25).
O fenômeno dos desigrejados é novo, nasceu no final do século 20 nos Estados Unidos, e lá foi denominado de Emerging Church (Igreja Emergente). Há no Brasil adeptos dessa nova forma de “ser igreja”.
Isso não é igreja. Veja o que a Bíblia nos relata em Atos dos Apóstolos sobre como os irmãos e a igreja vivia naquela época:
“E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.
E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.
Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos.
E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha”.

Atos 4:32-35
A comunhão entre os irmãos era tão grande onde quem tinha, vendia e ajudava quem não tinha. Esse é o corpo de Cristo: unido!

3. Um deleite
Além de arder em nossos corações a necessidade de estar em comunhão com o Pai, não podemos ver isso como uma obrigação ou algo que estamos fazendo de forma forçada. Esse desejo deve partir do fundo do nosso coração, pois esses momentos a sós com Deus deve ser um prazer para nós e não tristeza.
Estar com a pessoa amada, por exemplo, é um prazer! A partir do momento que passa a ser uma obrigação, o amor já não existe mais.
Por muitas vezes eu digo: O salmista não disse: ‘Alegrei-me quando me disseram: vamos ao shopping passear’! Ou então: ‘Alegrei-me quando me disseram: vamos à praça comer um lanche’! Não foram essas as palavras do salmista. Foram essas:
Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor. Salmos 122:1
A alegria e o prazer do salmista são claro: ele ficou alegre quando foi chamado para ir à casa do Senhor! Assim deve ser o nosso compromisso com Deus: feito com amor, alegria, prazer, dedicação. Deus nos deu o livre arbítrio porque não queria uma multidão de robôs o ‘amando’. Ele quer pessoas que o amem, que queiram estar com ele.
“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem”. João 4:23
Nosso desejo de ir ao céu e passar a eternidade com o Senhor, não é por medo do que é o inferno, mas devemos querer ir ao céu para nos encontrarmos com o Pai!! Esse tem que ser o nosso desejo: estar com o Pai porque queremos estar com Ele.

III – O VALOR DE ESTAR A SÓS COM DEUS
1. Tempo de comunhão
Comunhão. Segundo o dicionário: sintonia de sentimentos, de modo de pensar, agir ou sentir; identificação.
A palavra grega mais frequentemente traduzida como “comunhão,” por definição e uso bíblico, dá o sentido de participação num interesse ou projeto comum.
Devemos ter essa sintonia de sentimentos com Deus. Temos que viver de tal modo que a nossa vontade seja a vontade de Deus e que consequentemente a vontade de Deus será a nossa vontade.
Para ter comunhão é necessário intimidade. Tempo junto. Relacionamento. Somente dedicando algumas horas do nosso dia para com Deus, teremos comunhão com ele.
A comunhão com Deus é como um casamento, quando o casal deixa o primeiro amor e cai na rotina, quando um dos dois perde aquele sentimento de “querer agradar” e esquece como foi bom o início do namoro, e começam a se distanciar, eles vão perdendo a comunhão um com o outro. Viver em comunhão é estar sempre em contato, é o amar como no início.
Busque a vontade dele em tudo que fizer, e ele lhe mostrará o caminho que deve seguir”. Provérbios 3.6 (NVT)

2. Tempo de entrega
“Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. Romanos 8.26
De modo simples, orar é conversar com Deus. É expor o nosso coração diante do Pai estabelecendo uma relação de intimidade. A oração se dá de inúmeros modos: em pensamento, em louvores etc. Às vezes um simples suspiro ou um choro vale mais do que mil palavras (“… e Ezequias chorou amargamente”. – Isaías 38:3b).
É na oração que derramamos diante de Deus tudo aquilo que está em nosso coração. É na oração que devemos nos abrir e falar com Deus de forma direta e clara.
Jesus estava extremamente angustiado quando ‘suou sangue’. Foi em um momento de oração que isso aconteceu. E não é apenas um relato do escritor, mas sim, isso é possível. Veja esse relato:
O “suar sangue”, ´é chamado de “hematidrose“. Essa reação é produzida diante de condições excepcionais: para provocá-lo é necessária uma fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção, por um grande medo. A tensão extrema, com contrações musculares localizadas, produz um rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas; o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo
O fenômeno Hematidrose consiste em intenso vaso dilatação dos capilares subcutâneos que distendidos ao extremo rompem-se. O sangue se mistura com o suor e esta mistura acaba surgindo pela superfície do corpo.
Esta disfunção ocasiona uma extrema sensibilidade em todo o seu corpo, uma fragilidade que deixa toda a extensão do corpo com dores intensas.
Jesus se entregou por nós. Sendo homem sofreu o que ninguém nunca sofreu (e nem irá) por alguém. Foi na oração que ele se entregou ao Pai e sabendo que tudo aquilo era necessário:
“Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia”. Lucas 22:42,43

3. Tempo de consolação
Quando temos comunhão com Deus, existe uma paz dentro de nós diferente de qualquer paz que o mundo possa proporcionar.
“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”. João 14:27
Paulo mesmo sabendo que iria ser morto pelo evangelho, disse:
“Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé”. 2 Timóteo 4:7
Em nenhum momento desfaleceu, mas sim permaneceu fiel até a morte, guardando toda a palavra de Deus em seu coração.
Se Jesus está no barco, pode vir a tempestade que vier, ele pode acalmar! Quando estamos aos pés do nosso Deus obtemos consolação a nossa alma aflita.
“O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes”. Deuteronômio 31.8
Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá; não permitirá jamais que o justo seja abalado”. Salmos 55.22
“Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”. Salmos 23.4
Fique firme aos pés do Senhor, dedique sempre um tempo do seu dia para Ele. Deus quer falar com você!
Deus lhe abençoe!

Por Rafael Cruz   ebdcomentada.com.br