SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (73) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (153) CLASSE MATERNAL (104) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (506) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (285) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (10) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (148) MODISMOS (2) Mundo (610) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (230) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (111) REVISTA CLASSE JUNIORES (243) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (189) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (401) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (597) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

23 novembro 2017

Betel Adultos – 4º Trimestre de 2017 – 26/11/2017 – Lição 9 – A fé que nos une a Deus e nos torna produtivos



Este post é assinado por: Cláudio R. de Souza
TEXTO ÁUREO 
  • Romanos 1:1717 Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. (ARC)
TEXTO DE REFERÊNCIA 
  • Romanos 1:1717 Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. (ARC)
  • Hebreus 11:1-3,61 Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem.2 Porque, por ela, os antigos alcançaram testemunho.3 Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.6 Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam. (ARC)
COMUNICADO IMPORTANTE
É com muita alegria que nos dirigimos a vocês com excelentes notícias.
Recentemente, o site EBD Comentada atingiu um novo patamar e somos gratos a Deus e também a vocês, pois em oito meses de atuação, nos tornamos uma das melhores referências em estudos bíblicos para Escolas Dominicais, atingindo a expressiva marca de 220 mil acessos!
Neste período recebemos inúmeros elogios, incentivos e dedicatórias de agradecimentos por disponibilizar um conteúdo exclusivo da mais alta qualidade e confiabilidade teológica.
Você sabia que muitos professores enquanto ministram suas aulas tem os subsídios da EBD Comentada abertos (online) em seus smartphones, tablets e mesmo computadores para consultas? Isso somente é possível porque atingimos um alto grau de credibilidade junto a todos vocês em mais de 60 países!!
Muito breve o site EBD Comentada contará com novos recursos para os professores e vocacionados que utilizam os subsídios que disponibilizamos para ministrarem suas aulas, sendo eles:
  • 1 – Apresentações em PowerPoint (padronizados pela EBD Comentada);
  • 2 – Bloco de Anotações Online para cada lição esboçada, isto é, além do comentário da revista e dos esboços, o professor poderá introduzir as suas próprias notas;
  • 3 – Ao final de cada trimestre, o professor receberá um lindo e-book contendo todos os esboços de forma organizada e pronta para futuras ministrações, estudos, pregações, etc.;
  • 4 – A cada trimestre ofereceremos cursos especiais para fazer com que você cresça no conhecimento da Palavra de Deus e desenvolva práticas pedagógicas adequadas às necessidades de cada aluno, tornando-se um professor baseado na excelência.
Além disto, informamos a maior conquista que conseguimos neste último mês que foi a parceria missionária com os seguintes trabalhos:
  • Equipe Semear – Localizada na cidade Uberaba – MG e que realiza relevante trabalho de evangelismo na própria Uberaba e região;
  • Equipe Exército da Última Hora – Localizada na cidade de Porto Velho – RO – e que também executa o mesmo trabalho tanto na capital de Rondônia como nos arredores.
A EBD Comentada decidiu unir o Ensino com Missões e assim, alavancar recursos financeiros para contribuir com esses projetos.
Para mantermos tudo isto funcionando, foi necessário criarmos uma forma de obter recursos financeiros e em breve teremos um formato de trabalho voltado para isto.
Cada um de nós poderemos contribuir com o site ebdcomentada.com e com as obras de missões citadas, realizando o cadastro como assinante e escolhendo o plano que achar conveniente.
Optamos por oferecer valores acessíveis para que todos continuem a desfrutar dos nossos esboços e ao mesmo tempoAJUDAR a obra missionária, portanto a EBD Comentada, juntamente com você estará ao mesmo tempo ENSINANDO e FAZENDO MISSÕES.
Em breve disponibilizaremos os planos de assinaturas e os benefícios que cada um terá.
Contamos com a ajuda de todos para mantermos este trabalho que tem auxiliado milhares de professores no Brasil e no mundo.
  • Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo (Mt 28.19 – ARC).
Mande-nos um e-mail e diga-nos o que acha da mudança (contato@ebdcomentada.com.br)
Deus lhe abençoe ricamente e vamos aprender…
INTRODUÇÃO
Irmão professor e vocacionado, tendo em mente que as lições deste trimestre tem o foco voltado para a Reforma Protestante, o estudo de hoje se volta para uma das 5 Solas resultantes desta Reforma – A Sola Fide, ou Somente a Fé!
O texto áureo desta lição: “Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé” (Rm 1.17), é exatamente o mesmo que iluminou a mente de Martinho Lutero quanto a questão da fé salvadora.
A fé que revela o único meio do homem se achar justificado perante Deus e viver por ela e através dela até a vinda do Salvador.
4TBA2017L9a
Após meditar no texto de Romanos 1.17 que diz: “O justo viverá da fé”, Martinho Lutero percebeu que a justiça de Deus é a justiça que o homem pecador recebe do próprio Deus, como uma dádiva imerecida através da fé.
Os reformadores então concluíram que nada (nem penitências, sacrifícios ou compra de indulgências) poderá livrar o homem da condenação eterna no inferno e das garras de Satanás, a não ser pela salvação através da fé em Cristo (Ef 2.8). Essa foi a primeira e grande redescoberta da Reforma e que abalou o mundo cristão para sempre. A salvação pela fé é um dom de Deus, por isso ninguém deve gloriar-se.
A fé é o elemento que nos conecta ao Criador, sendo essencial para sobrevivência do cristão e do seu relacionamento com Deus.
1 – O FIRME FUNDAMENTO DA FÉ
O objeto adequado da fé genuína é Deus.
Nos aproximamos dEle crendo em sua existência, mesmo sem vê-lo ou senti-lo - “… aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe…” (Hb 11.6).
É a fé que nos garante que Ele simplesmente ESTÁ presente.
É a mesma fé que também nos assegura, que por Ele somos recompensados, assim como o foram os heróis do passado que ousaram depositar a sua fé nEle – “… e que é galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6), isto é, o exercício desta fé em Deus, foi um atestado de vitória e premiação para as suas vidas!
1.1 – Conceito bíblico de fé
Para Strong, fé no hebraico é: ‘emuwnah’ ou (forma contrata) ‘emunah’ cujo significado pode ser:
1) firmeza, fidelidade, estabilidade;
No grego é: ‘pistis’ e significa:
1) convicção da verdade de algo, fé; de uma convicção ou crença que diz respeito ao relacionamento do homem com Deus e com as coisas divinas, geralmente com a ideia inclusa de confiança e fervor santo nascido da fé e unido com ela:
1a) relativo a Deus:
1a1) a convicção de que Deus existe e é o criador e governador de todas as coisas, o provedor e doador da salvação eterna em Cristo;
1b) relativo a Cristo:
1b1) convicção ou fé forte e benvinda de que Jesus é o Messias, através do qual nós obtemos a salvação eterna no reino de Deus;
1c) a fé religiosa dos cristãos;
1d) fé com a ideia predominante de confiança (ou confidência) seja em Deus ou em Cristo, surgindo da fé no mesmo;
2) fidelidade, lealdade;
2a) o caráter de alguém em quem se pode confiar.
No latim é ‘fides’ cujo significado é o mais simples e quer dizer ‘crer’. Do latim originou-se a expressão “eternizada” por Lutero “Sola Fide”, ou seja, “Somente a fé”.
4TBA2017L9b
A doutrina acerca da justificação através da fé reuni em si mesma os significados da palavra em seus originais escritos na Bíblia, assim, somos justificados em Deus através da nossa firmeza e convicção na verdade revelada por Cristo em Sua Palavra. Tal fé não pode ser estremecida por qualquer coisa que seja, pois ela é também estável (estabilidade) e nos capacita a sermos fieis e leais (fidelidade e lealdade) ao Deus revelado na Escritura.
1.2 – Alguns tipos de fé
Na vida humana pode-se detectar diversos tipos de fé que não resultam em salvação (fé salvífica).
Vejamos alguns tipos que gosto de classificar:
  • Fé natural: É a fé comum a todos os homens. Ela simplesmente age como uma convicção de que as coisas naturalmente acontecerão. Todos nascem com ela; por exemplo: Trabalhamos tendo fé que ao final do mês receberemos o salário. Não depende do extraordinário e ela existe por si mesma;
  • Fé intelectual: Esta fé permite ao homem natural crer na existência de Deus e na divindade de Jesus Cristo, contudo tal fé se limita tão somente a este discernimento, não conduzindo o homem a ter um relacionamento com Deus. A fé intelectual ou cerebral é responsável por reconhecer tal verdade em semelhança aos demônios que mesmo crendo que Jesus é o Filho de Deus e se estremecerem, não produz nenhuma eficácia ou muito menos salvação (Tg 2.19);
  • Fé imperfeita: Existe um ditado popular que diz: “Acende uma vela para Deus e outra para o diabo”. Na fé imperfeita, o homem divide a mesma, ora crendo em Deus, ora crendo em si mesmo, em objetos ou outras valências que se possa agarrar. Como exemplo, as igrejas que exploram a fé imperfeita de muitos ao oferecer a eles objetos ungidos, consagrados que julgam ter algum tipo de poder místico (cajado de Moisés, óleo de Israel, vassoura ungida, água benta, capa de Elias e tantos outros). Outros dividem o seu altar de adoração a Deus e a ídolos. O próprio povo de Israel muito praticou este tipo de fé (I Re 18.21);
  • Fé infrutífera: Esta é a fé estéril cujo ramo só tem folhagens e não frutos. Os praticantes deste tipo de fé não se arrependem dos seus pecados (Mt 3.8) e não produzem o fruto do espírito que é a fé genuína no Cristo e em suas obras (Gl 5.22);
  • Fé utilitária: É a fé usual, aproveitadora, egoísta, interesseira e individualista. Nela não se acha o compromisso com Deus. É uma fé mercantilista que não atenta para vontade de Deus, senão para si mesmo (Jo 2.23-24; 12.42-43);
4TBA2017L9c
Ainda existem outros tipos de fé que nos conectam a Deus e nos aperfeiçoa no serviço e no desenvolvimento da obra dEle em nós e por nós.
  • Fé como fruto do Espírito Santo: É a lealdade constante e inabalável a alguém que estamos unidos por promessa, fidedignidade e honestidade (Gl 5.22; Mt 23.23; Rm 3.3; I Tm 6.12);
  • Fé como dom espiritual: É a fé sobrenatural concedida pelo Espírito Santo. Nossa fé é acrescentada e pela qual fazemos e acreditamos em milagres fora da razão humana (I Co 12.9);
  • Fé salvífica: É a fé que faz o homem se aproximar de Deus (Hb 11.6) ou por Ele ser atraído (Jo 12.32) que resulta em salvação. É a uma fé dirigida a Cristo!
Esta última, a fé salvadora é a responsável por tornar o homem crente em Jesus Cristo. Ela arremete o homem a experiência de acreditar nas Escrituras e conhecer a Deus.
Segundo Carl Boyd Gibbs, a fé que salva não se dirige a um credo ou crença doutrinária, mas a uma pessoa – Cristo (Cl 2.5). Não basta ao homem aceitar as verdades divinas sobre a salvação, se ele não se render a Cristo como seu Salvador pessoal e não cultivar uma comunhão íntima com Ele (Tg 2.14).
A realidade da nossa fé, ter Cristo como seu fundamento se vê nas expressões bíblicas como: “Crê no Senhor Jesus…” (At 16.31), e “…nele crê” (Jo 3.16). Observe que não somos admoestados a crer em um fato para ser salvo, mas crer em uma pessoa – Jesus Cristo.
Carl Boyd Gibbs sinaliza pontos importantes sobre a fé salvadora:
A fé salvadora é baseada na revelação Bíblica
Alguns teólogos populares querem descrever a fé como “qualquer tentativa sincera do homem buscar a Deus”, contudo, a verdade é que, buscar a Deus sem a orientação da Bíblia, só leva à frustração, ao desespero, a superstições, ao misticismo e a suposições. Isso nunca poderá levar alguém a salvação.
A palavra de Deus é quem revela o conhecimento mínimo sobre Jesus, o fundamento da nossa fé.
  • Romanos 10:1717 De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. (ARC)
  • 2 Timóteo 3:1515 E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. (ARC)
A fé salvadora é o único meio de salvação
Um certo erudito da Bíblia, verificou que a palavra “crer” é mencionada na Bíblia, como meio de salvação, 115 vezes; e a palavra fé, seu sinônimo, 35 vezes. Veja alguns exemplos:
  • Atos 13:3939 E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por ele é justificado todo aquele que crê. (ARC)
  • Romanos 3:2222 isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que creem; porque não há diferença. (ARC)
A fé é uma decisão pessoal
A fé, como ato de crer em Cristo, vem da nossa própria vontade; vontade essa sob o efeito da graça de Deus e da convicção pelo Espírito Santo (Jo 16.8).
  • Efésios 2:8-9Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie. (ARC)
1.3 – A fonte da fé
Biblicamente, a fé é uma dádiva concedida por Deus – “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus” (Ef 2.8). Isto quer dizer que a fé tem em Deus a sua fonte, a sua origem.
Sobre a fé graciosa podemos afirmar:
  1. Ela pode ou não ser encontrada no homem – “e para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos (II Ts 3.2);
  1. Ela é gerada pelo ouvir da Palavra de Deus – “De sorte que a fé é pelo ouvire o ouvir pela palavra de Deus (Rm 10.17);
  1. Ela tem tamanho e pode ser medida – “Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um”(Rm 12.3);
Pequena fé: “E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o e disse-lhe: Homem de pequena fé, por que duvidaste?” (Mt 14.31; Mt 6.30; 8.26; 16.8; 17.20; Lc 12.28);
Grande fé: “Então, respondeu Jesus e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé. Seja isso feito para contigo, como tu desejas. E, desde aquela hora, a sua filha ficou sã” (Mt 15.28);
  1. Ela pode ser adicionada e desenvolvida – “Disseram, então, os apóstolos ao Senhor: Acrescenta-nos a fé (Lc 17.5);
4TBA2017L9d
É confortador saber que para Deus agir, não é necessária uma fé impressionante, mas Ele definiu que se a nossa fé for como um grão de mostarda, transportaríamos montanhas; uma declaração proverbial que significa eliminar grandes dificuldades (Is 54.10; I Co 13.2).
A Bíblia relata alguns exemplos de fé e Tiago, apresenta-nos o exemplo da fé de Abraão (Tg 2.21-24) que por Deus foi considerado o pai da fé (Rm 4.1-25). O patriarca Abraão obedeceu a Deus quando o Senhor lhe pediu seu amado filho, Isaque. O patriarca de Israel, já havia demonstrado confiança em Deus quando decidiu, por um ato de fé e obediência, partir para uma terra desconhecida (Hb 11.8,9). Agora Abraão estava diante de uma prova de fé ainda mais dura: imolar o seu filho amado e oferecê-lo em sacrifício a Deus. Uma fé levada até as últimas consequências! A obra de Abraão demonstrou a sua confiança em Deus independente das circunstâncias.
E nós, como estamos diante de Deus? É cômodo crermos quando tudo vai bem, mas, e quando as circunstâncias são adversas? Mantemos a nossa fé?
O outro exemplo citado por Thiago em sua epístola é o de Raabe, uma mulher gentia e prostituta que vivia em Jericó durante a conquista da terra de Canaã pelos judeus. Quando Josué enviou os espias para olharem a terra, Raabe os escondeu e depois, os ajudou a escapar dos guardas da cidade. A atitude de Raabe levou os espias a prometerem que nenhum mal aconteceria a ela quando os israelitas tomassem Jericó (Js 2.1-24).
Raabe demonstrou fé no Deus de Israel! Na certeza de que Deus daria aquela cidade ao seu povo, ela agiu para proteger os espias enviados por Josué. Por isso, Raabe, a ex-prostituta de Jericó foi justificada e constituída na linhagem do nosso Salvador, Jesus Cristo (Mt 1.5) e uma grande mulher cujo nome está presente como heroína da fé (Hb 11.31).
A fé de ambos, Abraão e Raabe estava centrada em Deus.
2 – A FÉ QUE FAZ A DIFERENÇA
Sem dúvidas a fé centrada em Deus é distinta e contrastante quando comparada a fé depositada em qualquer outra coisa.
A fé que faz a diferença não é somente aquela que causa impacto e chama a atenção dos outros, mas aquela que age nos bastidores da alma do homem, trazendo ao seu coração a revelação da vontade de Deus!
Nos próximos tópicos, abordaremos alguns atributos da fé que faz a diferença.
2.1 – Baseada na revelação de Deus
O inimigo de nossas almas, na ânsia de poluir a genuína fé em Deus, apresenta algumas alternativas à fé genuína e revelada nas Escrituras.
4TBA2017L9e
Em seu blog, Thomas Magnum afirma que existe a fé relacionada ao pensamento positivo ou confissão positiva. Esse tipo de fé ou crença fundamenta-se no próprio homem, é uma fé “psicologizada”, humanista, que retorna a si num ciclo vicioso. Essa crença não tem nenhuma ligação com o que a Bíblia fala sobre a fé que repousa na vontade soberana de Deus. Nossa fé não é uma coleira posta em Deus, que lhe obriga fazer tudo que pedimos, como afirma a confissão positiva. Calvino refletia na fé como um dom de Deus (Ef 2.8), como sistema de doutrinas (I Tm 4.1), como o agarrar-se em Deus (Jo 3.16).
Portanto a fé em Deus não é uma mágica ocultista, não é uma abstração do poder interior ou a expressão de um sentimento mitológico de poder que provem do homem. A fé repousa em Deus que é o próprio autor dela (Hb 11.1), a fé é dada ao homem (Ef 2.8), embora essa fé precise ser posta em Deus por atitude do ser criado, ela provém do próprio Deus.http://blogelectus.blogspot.com.br/2015/03/calvino-fe-e-confissao-positiva.html
Paralelo a confissão positiva, encontramos também o DVD e um livro de autoria da escritora australiana Rhonda Byrne, bastante difundido no mundo e denominado como “O Segredo –  A Lei da Atração”, integrado ao chamado Movimento do Novo Pensamento e também ao da Nova Era.
Para Byrne, a lei da atração é a lei mais poderosa do universo!
Ela explica que os pensamentos de uma pessoa (consciente ou inconsciente) e sentimentos, trazem correspondentes manifestações positivas ou negativas. Os pensamentos positivos trazem manifestações positivas, enquanto os pensamentos negativos trazem manifestações sobre o negativo. A teoria é muito simples. Porque é uma lei absoluta, a lei da atração sempre responderá aos seus pensamentos, não importam quais são. Assim, seus pensamentos se tornam coisas. Você é a energia mais poderosa do universo simplesmente porque o que você acha se tornará realidade. Você forma o mundo que existe ao seu redor. Você forma sua própria vida e seu destino através do poder da sua mente.https://discernimentocristao.wordpress.com/2011/01/05/a-fabula-do-livro-%E2%80%9Co-segredo%E2%80%9D/
A lei da atração afirma que ao direcionarmos nossa mente, pensamentos e palavras para algo positivo e bom, o universo irá conspirar a nosso favor!
Perceba que tais apresentações tentam anular a verdadeira fé em Deus e tudo aquilo que tenta eliminar Deus do relacionamento humano é antibíblico e tem sua origem no maligno, no entanto, eles parecem se basear naquilo que o próprio Cristo falou em Marcos 11.24. Se assim for, trata-se de uma distorção grotesca ou pior, uma imitação tenebrosa da verdadeira fé que conecta o homem a Deus:
  • Marcos 11:2424 Por isso, vos digo que tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis. (ARC)
Distorcendo e suprimindo a palavra “orando” do texto citado por Cristo (pois ela evoca um Ser Superior (Deus), a quem deve suplicar aquilo que necessita), eles se apegam a suficiência humana e neutralizam a existência de Deus (Sl 10.4; 14.1; 53.1).
4TBA2017L9f
A verdadeira fé se fundamenta naquilo que Deus revelou ao homem, conforme encontramos em Romanos 10.14-17 que diz:
  • Romanos 10:14-1714 Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue?15 E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam a paz, dos que anunciam coisas boas!16 Mas nem todos obedecem ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem creu na nossa pregação?17 De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. (ARC)
A Abraão, Deus lhe fez promessas que sob a perspectiva puramente humana, seriam impossíveis de se concretizarem, no entanto, este patriarca decidiu voluntariosamente crer mesmo diante das circunstâncias improváveis (velhice, ventre amortecido – Rm 4.19); Paulo escreveu sobre o assunto: “o qual em esperança, creu contra a esperança…” (Rm 4.18).
Desta maneira, nos deparamos com a verdade esclarecida na Palavra de que “a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem. Porque, por ela, os antigos alcançaram testemunho” (Hb 11.1), isto é, a nossa fé voltada para Deus e posta em exercício prático, resulta na ação do Senhor, favorecendo os santos, pois a sua fidelidade e onipotência são garantias do cumprimento de suas promessas na vida do homem.
2.2 – Move à obediência
A teologia da prosperidade é nociva a verdadeira fé cristã, pois ela propõe rebaixar a Deus a um mero mordomo, a fim de lhes atender aos mais extravagantes desejos.
Essa fé não se interessa pelas coisas espirituais e pela vida espiritual proporcionada pelo Senhor, mas o que fascina e atrai são as bênçãos de Deus e nunca o Deus das bênçãos.
Esta é a fé utilitária, usada para receberem bênçãos de cunho material, mas totalmente descomprometida com Deus e Sua Palavra.
A verdadeira fé produz no crente, submissão a Deus e a Sua vontade, obediência a Sua Palavra e compromisso com o Seu Reino.
A fé que nos move a obediência a Deus, pode também nos levar por caminhos inseguros e até incertos, no entanto, uma vez neles, Deus dará resposta positiva a nossa fé.
4TBA2017L9l
Talvez o caso de obediência movida pela fé mais conhecido seja o de Abraão, no entanto, já o citamos nesta lição, assim exploraremos outros dois:
Diz a Bíblia que Hananias, Misael e Azarias, por causa da obediência ao primeiro mandamento do Senhor (Ex 20.3-5), não se curvaram diante da estátua erigida pelo Rei Nabucodonosor na Babilônia. A fé obediente daqueles três moços resultou em uma sentença de morte e assim foram lançados na fornalha de fogo ardente, no entanto, Deus interviu e eles não foram mortos e o nome do Senhor foi glorificado através da fé obediente daqueles jovens (Dn 3.1-30).
Do mesmo modo, o amigo mais famoso dos três jovens, chamado Daniel, por causa da fé obediente em Deus, não alterou a sua agenda de oração mesmo diante de um decreto que sentenciava a morte a qualquer que fizesse petição ao seu Deus ou qualquer homem senão ao Rei Dario.
Daniel em atitude de obediência e dependência de Deus, orava três vezes ao dia com as janelas abertas em direção a Jerusalém e desta forma, foi apanhando em “transgressão” e assim lançado na cova dos leões, porém mais uma vez, Deus interviu em favor dos seus servos, fechou a boca dos ferozes felinos e poupou a vida do seu profeta. Ao final, o nome do Senhor foi exaltado mais uma vez em toda a Babilônia (Dn 6).
Note que a fé obediente não atenta para as consequências, mesmo que elas possam parecer “destrutivas”, pois o servo fiel quer apenas servir de forma submissa ao seu Senhor, mesmo que isto lhe resulte em perda ou que venha custar-lhe a própria vida.
A fé honra a Deus, e Deus honra a fé!!
2.3 – Fé singular
Em tempos de pluralidades e diversidades, proclamar uma fé singular, isto é, uma fé única, impar, que apresenta um único Deus e uma única forma de salvação, é um verdadeiro convite ao conflito social; haja vista que há uma multiplicação de crenças religiosas e filosóficas que não se atritam, pois, o relativismo é também a moda deste mundo pós-moderno.
4TBA2017L9g
Desta forma, o cristianismo ao propor a crença ou a fé em um único de Deus e a obediência a Sua Palavra, ele desafia uma estrutura social que está bem arregimentada em todo o mundo, inclusive em muitos países até existe o amparo de leis que contrariam tudo aquilo que a Bíblia ensina. O mundo está condicionado a rejeitar a fé em Jesus Cristo!
Muito bem exposto pelo Bispo Abner quando afirma que os pensadores e cientistas religiosos rotulam os cristãos de intolerantes, arrogantes e preconceituosos por divergirem e não aceitarem essa variedade de crenças como sendo favorável ao bem-estar espiritual dos homens, porque sabemos que existe somente um caminho, uma única verdade que pode conduzir o homem a Deus – Jesus Cristo (Jo 14.6) e fora dEle não há salvação (At 4.12).
4TBA2017L9h
Contrapondo as acusações de intolerância e arrogância que culmina em preconceitos por parte dos cristãos, a Bíblia nos defende e responde por nós:
  • 1 – Jesus rompeu com a intolerância e o preconceito entre judeus e samaritanos, dialogando com a mulher e desfazendo todas as barreiras étnicas por ela levantada (Jo 4.7-9);
  • 2 – Jesus também abençoou uma mulher cananeia que veio até Ele, mesmo que a benção estava primeiramente reservada para a casa de Israel, Jesus a atendeu demonstrando tolerância e não sendo preconceituoso para com ela (Mt 15.21-28);
  • 3 – Jesus despertou a ira dos fariseus por demonstrar que não tinha preconceitos ao sentar-se com publicanos e, pecadores, a fim de lhes apresentar o Reino de Deus (Lc 5.30);
  • 4 – Por fim, o convite de Jesus aos cansados e oprimidos é universal (Mt 11.28), “porque para com Deus, não há acepção de pessoas” (Rm 2.11).
A singularidade da nossa fé ainda se revela em que:
  • 1 – Jesus é o único mediador entre Deus e os homens (I Tm 2.5);
  • 2 – Jesus é o único caminho que o homem pode se achegar a Deus (Jo 14.6);
  • 3 – Jesus é o único nome que importa que os homens sejam salvos (At 4.12);
  • 4 – Jesus é o único Salvador (Jd 1.25);
  • 5 – Deus é o único Senhor (Mc 12.29; Jo 5.44; 17.3);
  • 6 – Há um só corpo de Cristo nesta terra – a Igreja (I Co 10.17);
  • 7 – O sacrifício de Cristo foi único e suficiente (Hb 10.12);
3 – EFEITOS DA FÉ QUE FAZ A DIFERENÇA
A crença teórica em Deus não significa muita coisa.
A fé não consiste em um discurso sobre o tema ou mesmo um posicionamento a favor da mesma, mas em uma convicção autêntica, acompanhada de atitudes que comprovam que a fé está lá, pulsando, viva e manifestando frutos que lhe dão veracidade.
3.1 – Produz obras
A fé do cristão não é estéril, antes, porém é, fecunda, próspera e frutifica abundantemente para a glória de Deus.
Ao ler desavisadamente a carta de Tiago, o leitor pode pensar que ela contradiz os ensinamentos de Paulo quanto a doutrina da salvação pela fé (Rm 4.1-6). No entanto, ao estudarmos cuidadosamente o tema, chegaremos à conclusão que os ensinos paulinos e os de Tiago não se rejeitam em hipótese alguma.
Tiago, nos mostra em sua epístola (Tg 2.14-26) que uma fé viva é autenticada pela produção de boas obras, pois não há divergência entre fé e obras, pois fé e obras não são distintas, mas complementares.
Quando Paulo escreve sobre as obras ele se dirige aos judaizantes e se refere a Lei – o orgulho nos rituais judaicos e na obediência a um sistema de regras religiosas; enquanto que Tiago se dirige a igreja e às obras de misericórdia ao próximo necessitado.
Nisto não há contradição, pois, enquanto Paulo anunciava ao pecador (judaizantes não convertidos a Cristo) a salvação pela graça mediante a fé (Ef 2.8), Tiago doutrinava os já salvos mediante a fé, sobre a impossibilidade de vivermos a fé em Jesus Cristo sem a manifestação dos frutos de arrependimento (Mt 3.8) e as boas obras que as declaram.
Paulo se preocupou com a causa da salvação e Tiago com o efeito dela.
4TBA2017L9i
Tiago ainda afirma que “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma” (Tg 2.17).
O pastor Eliezer de Lira e Silva declara que “fazer”, “realizar” e “agir” são atitudes que integram a religião pura e imaculada: ajudar os necessitados nas suas necessidades (Tg 1.27). A fé quando não produz tais frutos, é morta!
A fim de ilustrar tal verdade, Tiago inquire retoricamente os servos de Deus dizendo que se oferecermos, a um irmão ou irmã, que estejam padecendo necessidade, apenas uma palavra de “incentivo” e não lhes dermos as coisas de que eles necessitam, isso não resolverá o problema.
Diante de alguém necessitado o que precisa ser feito? Orar e despedi-lo sem nada? Se assim procedermos, nossa oração não servirá para nada. Aliás, como ensina João, a pessoa que não se compadece dos necessitados não tem o amor de Deus em sua vida (I Jo 3.17,18). Tal aspecto já havia sido ensinado por Jesus ao dizer que, no socorro àqueles que precisam de ajuda, acolhemos o próprio Senhor (Mt 25.40).
O pastor Eliezer também afirma que a concepção de fé apresentada por Tiago é a confiança em Deus: “Tu crês que há um só Deus?” (Tg 2.19a). Logo, as obras de que Tiago fala, consistem na expressão da vontade de Deus, ou seja, amar o próximo, visitar os enfermos, defender os direitos dos pobres, praticas a justiça, etc.
Esta é a fé viva em Deus! A epístola nos ensina que se amamos o outro, não amamos segundo as nossas concupiscências, mas segundo o amor de Deus por nós. Este amor nos estimula a amar o ser humano independentemente de quem ele seja. Ame o próximo e mostrará uma fé viva. Não ame e se confirmará que a tua fé está morta!
3.2 – Produz resistência
Consideramos também que a fé seja um instrumento eficaz no fortalecimento do cristão.
Na verdade, biblicamente, a fé é também uma ferramenta de guerra! Por conseguinte, implica em afirmarmos que cada cristão é um soldado embrenhado na batalha. Pensar diferente é descuido e falta de discernimento!
Nesta tão dura peleja que os servos de Deus estão empenhados nesta terra, a fé constituiu poderoso utensílio na composição da armadura do cristão.
Já vimos que sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6) e sem o escudo era impossível um soldado romano vencer a sua luta. Paulo ao escrever a sua carta aos efésios estava na prisão, diante de um soldado que o observava e o Espírito de Deus lhe foi aplicando a mensagem espiritual da própria armadura que era um símbolo de autoridade sobre sua vida de prisioneiro. Vejamos algumas curiosidades citadas pelo pastor Geziel Gomes referente ao assunto:
  • 1 – O uso do escudo: O escudo romano (no grego ‘thureos’) era tão grande que um soldado podia esconder-se atrás dele. Protegia o corpo das lanças, dos choques e das setas ou flechas lançadas pelos inimigos. Assim encontramos aqui o significado espiritual da nossa fé conforme ele mesmo vaticinou: “tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno” (Ef 6.16);
  • 2 – O uso da fé: A fé é um dom de Deus (Rm 12.3; Ef 2.8; Fp 1.29), é algo precioso e santíssimo (II Pe 1.1; Jd 1.20) e o elemento produtor de edificação (I Tm 1.4), adoção (Gl 3.26), preservação (I Pe 1.5) e santificação (At 15.9; 26.18). A fé vence o mundo (I Jo 5.4) e é evidencia incontestável do novo nascimento (I Jo 5.1). Quando o Filho do homem voltar, procurará fé nos corações (Lc 18.8). Nós a temos hoje?
  • 3 – Cristo é nosso escudo: No hebraico a palavra escudo é ‘tsinnah’, que significa ‘escudo grande’ (I Cr 12.24,34) ou‘magem’ que significa ‘escudo pequeno’ (Jz 5.8; I Cr 5.18). Ambos os termos se aplicam a Deus (Gn 15.1; Sl 84.9; Sl 5.12). Jesus prometeu estar conosco todos os dias, até a consumação dos séculos, sem que tivéssemos o desprazer de sermos deixados órfãos, visto que Ele voltaria para nós (Mt 28.18-20; Jo 14.18). Alegremo-nos, Ele nos guardará como um escudo intransponível (Hb 13.6)!
4TBA2017L9j
O Reverendo Hernandes Dias Lopes oferece ainda mais detalhes sobre o “Escudo da fé”. Ele afirma que esse escudo media 1,60 m de altura por 70 cm de largura. Ele protegia todo o corpo do soldado. Era feito de madeira e coberto por um couro curtido. Quando os soldados lutavam emparelhados, formavam como que uma parede contra o adversário. Uma das armas mais terríveis eram os dardos de fogo porque não apenas feriam, mas também incendiavam. O diabo lança dardos de fogo em nosso coração e mente: mentiras, pensamentos blasfemos, pensamentos de vingança, dúvidas e ardentes desejos de pecar. Se não apagarmos esses dardos pela fé, eles acendem fogo em nosso interior e nós desobedecemos a Deus. Na aljava do diabo há toda espécie de dardos ardentes. Alguns dardos inflamam a dúvida, outros a lascívia, a cobiça, a vaidade e a inveja.
Curtis Vaughan diz que esses dardos de fogo eram flechas untadas com breu ou com outro material combustível e acesas imediatamente antes de ser lançadas contra o adversário. Não só feriam, como também queimavam.
A analogia do escudo com a fé, dá-nos a ideia exata de proteção e resistência. Deste modo, sem escudo, isto é, sem a fé, ficamos vulneráveis e desprotegidos, mas com a nossa fé focada em Cristo, estamos protegidos e capacitados a resistir a TODAS as investidas do diabo contra as nossas vidas!
  • Salmos 3:33 Mas tu, SENHOR, és um escudo para mim, a minha glória e o que exalta a minha cabeça. (ARC)
3.3 – Produz vitória
  • 1 João 5:44 Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. (ARC)
O apóstolo João, depois de desmascarar os falsos profetas que disseminavam suas heresias, tentando enganar os crentes, mostrando que eles não conhecem a Deus, não são de Deus, mas do Maligno, do mundo e, por isso, saíram da igreja, João, agora, fala sobre as certezas daquele que é nascido de Deus.
Para Hernandes Dias Lopes, o crente verdadeiro é conhecido por três provas fundamentais:
  • 1 – A fé, a prova doutrinária;
  • 2 – O amor, a prova social;
  • 3 – E a obediência, a prova moral.
A fé, o amor e a obediência são as provas cabais de que pertencemos à família de Deus.
A fé em Cristo concede dois benditos privilégios:
  • 1 – Primeiro, participação na família de Deus (I Jo 5.1);
  • 2 – Segundo, vitória sobre o mundo (I Jo 5.5).
Aqueles que pertencem à família de Deus por crerem que Jesus é o Cristo são aqueles que vencem o mundo. Não há pertencimento à família de Deus nem vitória sobre o mundo para aqueles que negam a divindade e a humanidade de Cristo.
4TBA2017L9k
A palavra vencer é usada aqui numa forma verbal que significa vitória contínua no meio de luta incessante. A vitória de Cristo sobre Satanás, a morte e o pecado como uma única vitória no tempo e para todo o tempo fazem da sua vitória a nossa vitória. Vale destacar que João ressalta não a pessoa vitoriosa, mas o poder vitorioso. Não é o homem, mas o seu nascimento de Deus é que vence. O novo nascimento é um evento sobrenatural que nos tira da esfera do mundo, em que Satanás governa, para a família de Deus.
Augustus Nicodemus, citando J. Gill, escreve: “A vitória sobre o mundo não se deve à fé propriamente dita, mas ao seu objeto, Cristo, o qual tem vencido o mundo e torna os que verdadeiramente creem nele mais que vencedores sobre o mundo”.
A fé vitoriosa não se fundamenta em conquistas materiais ou pessoais, mas única e exclusivamente em Deus!
Jó exemplificou a natureza da fé vitoriosa quando após perder os dez filhos; todos os seus bens; sua saúde, honra e amigos, declarou: Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra” (Jo 19.25).
Paulo, do mesmo modo modelou a fé vitoriosa quando afirmou: “por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho, porque eu sei em quem tenho crido e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele Dia” (II Tm 1.12).
A fé vitoriosa não somente nos conduz a salvação em Jesus, mas age como ferramenta que move a mão de Deus em nosso favor, beneficiando, sustentando e provendo tudo o que precisamos.
CONCLUSÃO
Vimos nesta lição a importância da fé na vida cristã e como o entendimento dela é decisivo para a salvação do homem.
A fé é essencial para que a vida cristã seja coerente, abundante, forte e vitoriosa.
As Escrituras a declara e através dela experimentamos as grandezas de Deus e por fim somos vitoriosos!
“Com fé em Deus não há trevas que prevaleçam ou turbulências capazes de nos afastarem do caminho certo” (autor desconhecido).
BIBLIOGRAFIA CONSULTADA
Bíblia Eletrônica Olive Tree – Versão Revista e Corrigida / Revista e Atualizada / NVI;
Dicionário da língua portuguesa;
Dicionário Bíblico Strong – James Strong – Sociedade Bíblica do Brasil;
Doutrina da Salvação – Carl Boyd Gibbs – EETAD;
Revista EBD – 3º Trimestre 2014 – Lição 7 – Eliezer de Lira e Silva – CPAD;
Coleção Lições Bíblicas – Vol. 3 – 1971 a 1975 – Geziel Gomes – 4° Trimestre de 1975 – Lição 13 – CPAD;
Efésios – Comentário Expositivo – Hernandes Dias Lopes – Editora Hagnos;
I, II, III João – Comentário Expositivo – Hernandes Dias Lopes – Editora Hagnos;
Site da internet mencionado quando citado no texto;
Todos os direitos de imagens são de seus respectivos proprietários;
Por Cláudio Roberto
fonte http://ebdcomentada.gdigital.com.br/

LIÇÃO 05 - A INSTITUIÇÃO DA MONARQUIA EM ISRAEL / SUBSÍDIOS / CLASSE ADULTOS

Apresentado pelo Comentarista das Revistas Lições Bíblicas Adultos da CPAD, pastor Osiel Gomes