SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (73) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (153) CLASSE MATERNAL (104) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (506) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (285) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (10) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (148) MODISMOS (2) Mundo (610) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (230) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (111) REVISTA CLASSE JUNIORES (243) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (189) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (401) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (597) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

26 outubro 2013

JUVENIS - Lição 4: O impacto da TV na vida cristã

4º Trim. 2013 - JUVENIS - Lição 4: O impacto da TV na vida cristã
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUVENIS – CPAD
4º Trimestre de 2013
Tema: O CUIDADO COM A INFLUÊNCIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
COMENTARISTA: Jamiel de Oliveira Lopes

LIÇÃO 4 - O IMPACTO DA TV NA VIDA CRISTÃ.


TEXTO BÍBLICO  Cl 2.4-10; 2Co 10.4,5)

ENFOQUE BIBLICO
“Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia.” (1Co 10.12)
OBJETIVOS
Descrever os principais efeitos da TV sobre o comportamento.
Conhecer os danos que a TV pode causar a vida cristã.
Identificar os meios necessários para não ser atingido.

INTRODUÇÃO
Os programas televisivos têm causado impacto na sociedade, as mudanças de valores tem sido radical. Os jovens têm iniciado suas atividades sexuais cada vez mais cedo, a profanação, a violência tem sido propagada nas salas das casas de milhões pelo mundo afora, não há mais princípios morais, andam indiferente quanto às coisas divinas. Jovens e adultos tem sidos levados a formarem ídolos que os levam a infidelidade ao Deus Todo Poderoso. A vida de oração, a leitura da Bíblia, os Cânticos que louvam a Deus, estão sendo trocados por filmes, futebol, novelas, reality shows. Jesus advertiu: “Assim como foi nos dias de Noé ... (Mt 24.36-44)

OS EFEITOS DA TV SOBRE O COMPORTAMENTO
Eugenio Bucci, jornalista, que já foi presidente da Radio Brás disse: “tire a televisão de dentro do Brasil e o país desaparece.” A televisão está presente de modo direto ou indireto, na vida de todas as pessoas (pt.shvoong.com). Não há como negar o poder que a tv exerce sobre as pessoas lançando modas, atitudes etc. No Brasil onde as desigualdade social é muito grande, a TV é um veiculo que devido a seus variados modelos e preço pode entrar em todas as casas, rodoviárias, bares, lanchonetes etc.

 A televisão exerce influencia no desenvolvimento sócio-emocional da criança e do adolescente.
a) No âmbito social – na formação dos grupos, amizades
b) No afastamento da família – de um lado isto é progressivo, mas olhando de outro âmbito, surge à preocupação com a formação do caráter moral, devido ao alto consumo televisivo, pode haver desvios.
c) Nos atributos físicos – a busca pela beleza, a imitação dos personagens televisivos

De qualquer forma o homem moderno está influenciado pelos programas televisivos. Isso é visto nas atitudes, nos valores e nos comportamentos, hoje é muito difícil desassociar parte de nossas vidas da TV. Ela tem atuado como instrumento de socialização, pois, por vezes orientamos nossas ações por algum programa, e, com isto mudamos, transformamos  nossos padrões de consumo, por exemplo.

Em  principio a idéia que se tem com a TV, é que ela informa, diverte e educa. Mas a idéia que os críticos têm  hoje é que seu papel desinforma e deseduca, mas  aliena as pessoas. A televisão de hoje oferece para sua audiência entretenimento, na busca de audiência e seguidamente de propagandas imorais, pois daí vem os lucros, não se importam com a formação de nossas crianças e adolescentes.

Os programas educativos foram desaparecendo e sendo apresentados em horários impossíveis de ser assistidos por crianças, adolescentes ou jovens. A televisão se tornou um negocio de altos lucros, e ai há coisas que atraem o povo, como: sexo, dinheiro e fama. Apresentam namoros precoces, e olha que esta pratica já chegou às igrejas, jovens, que ainda nem se definiram na vida, estão namorando ou ficando. E de onde vem isto? Da TV é claro. As gravidezes apresentadas na TV, quase sempre o pai desaparece, ou não assume compromisso. É muito comum a grávida ficar com outro e as cenas de ciúmes levam a destruição de lares, isto parece muito bonito, pois está na sala de nossas casas.

Se formos coniventes, não há o que reclamar das mocinhas e mocinhos problemáticos em nossas igrejas. Também estamos vendo namoros precoces, gravidez precoce, pais ausentes. As maiorias destes acontecimentos estão associadas aos apresentadores ou atores da TV. Quem não se lembra da década de noventa, quando uma apresentadora engravidou e passou a apresentar seus programas com a barriga descoberta e com a o nome da filha escrito sobre a barriga. Bem quando o ministro da saúde disse que seria mal exemplo as adolescentes do país, foi taxado de ignorante, e que nada tinha a ver com a vida da moça.

 Diversos apresentadores ficaram furiosos com o ministro, acontece que durante aquele período, varias meninas se engravidaram para mostrar suas barrigas. E muitas grávidas andavam com suas barrigas descobertas com o nome de seus bebês estampados. Nosso assunto aqui não é julgar, mas dizer que os programas da TV influenciam as pessoas. Esta mesma apresentadora nos anos oitenta vestiu as crianças do sexo feminino. No  Brasil, era impossível sair nas ruas e não encontrar uma menina vestida com algum tipo de vestuário da apresentadora. 

É muito comum vermos pessoas vestidas como as atrizes, os cortes de cabelos semelhantes ao da atriz ou ator, além da estética que não é tão perigosa, aliás, não oferece problemas maiores, a não ser a questão de usos e costumes em nossas igrejas. A TV tem aplicado muito em crianças, pois as primeiras lições de aprendizagem da criança são observando, experimentando e imitando. Então os programas televisivos oferecem seus modelos de comportamentos procurando alienar influenciando, a criança a não deixá-los, mas ir mudando de faze.

Ao chegar à adolescência onde se está vulnerável, devido à incompleta formação ideológica, cultural e pessoal, a TV trabalha nesta convulcividade. Trazendo transformações profundas na personalidade. A TV nesse caso é básica, maior e mais importante que o professores e os pais, depois de dormir e freqüentar a escola, a TV é a atividade mais freqüente na vida do adolescente. Os valores quando formado pela TV trás conseqüências desastrosas, o sexo se inicia antes do tempo determinado por Deus. A pessoa se tornará um degradado moral, tomando caminhos como os das drogas, da prostituição, sodomia etc. Está é a causa de uma geração má degradante, pois seus exemplos são dados ao pecado. (Gn 6.1-2; Rm 1.1-32)

OS DANOS DA TV NA VIDA CRISTÃ
Quando o salmista disse: “escondi a sua Palavra no meu coração para não pecar contra ti”, ele tinha motivos para dizer. Primeiramente o salmista procurava ser um homem ligado intimamente a Deus, pois assim não seria alheia a vontade divina. No mundo moderno ou já podemos dizer trans-moderno, quase não se lê a Palavra de Deus, pouco se ouvem e quase nada se guarda da Palavra.

Como vimos no primeiro ponto sobre a influência da TV na sociedade, não podemos ficar imaginando que na vida cristã a TV esteja ausente. Seria bom que tivéssemos apenas o aparelho, para assistirmos apenas algumas programações que não fossem nocivas para nossas vidas espirituais. É uma pena, mas a TV, já roubou o momento de oração, da leitura da Palavra, do dialogo familiar, daqueles comentários sobre o culto da noite etc.

Na verdade muitos crentes ficam apavorados com o horário do culto, que não termina na hora certa. Principalmente nos do meio de semana, perder aquele capitulo da novela, leva o crente a se perturbar ao ponto de não mais freqüentar os cultos semanais. E os ensaios? Sábado e domingo tem futebol, mas tem ensaios, evangelismo, visita a jovens novos convertidos, você tem participado?

Qualquer extremo é complicado, ser um fanático religioso não leva a nada, mas ir para o outro extremo também é viver uma vida indiferente, no formalismo. Quando tudo parece ser a mesma coisa, então é porque a pessoa se tornou insensível. Quando o culto não tem mais significado é sinal que viramos as costas para Deus. No meio jovem existe muito essa cosia de ignorar a pessoa, fazer de conta que ela não existe. Tenho certeza que você como jovem já viu este acontecimento, se não com você, com algum amigo. Então muitos estão fazendo isso com Deus, ignorando-o e dando mais valor as coisas passageiras desta vida.

Os programas televisivos tende a criar ídolos, já pensou um crente em Deus, que devido às conseqüências alienatórias que a TV lhe impõe, tornam se idolatras? Meninos e meninas que enfeitam seus quartos e enchem de fotos de atores, jogadores de futebol, garotas do play boy, apresentadores (as) da TV, fazendo deles seus ídolos. Os fãs clubes, espalhados entre os jovens crentes, será isto pecado? (Ex 20.3).

Finalizando este ponto convém lembrarmos que a infidelidade a Deus trás conseqüências graves. O povo de Israel sofreu muito e muitos crentes têm sofrido ainda hoje, pois Deus não mudou, ele é o mesmo (Js 24.15; 1Rs 18.21) 

OS CUIDADOS QUE SE DEVE TOMAR COM A PROGRAMAÇÃO DA TV
“Como tirar o melhor partido do uso da televisão?
Especialistas em educação familiar oferecem-nos 27 úteis e práticos conselhos, para utilizar a televisão como um meio eficaz para a educação dos filhos. A televisão, utilizada com critério, pode ser um meio eficaz para a educação dos nossos filhos. Ninguém mais quer o melhor para os filhos do que nós, os pais. Portanto, estamos obrigados a utilizar a televisão como um meio mais, dos muitos que existem ao nosso alcance, para educarmos nos valores da vida. E temos o direito de que ela seja de qualidade e respeite o direito a crescer com dignidade.
1- Os filhos devem ser ensinados pelos pais tanto a ver programas televisivos gratificantes e enriquecedores, como a não ver aqueles que os possam degradar na sua dignidade humana. Se os pais não ensinarem os filhos a ver televisão, quem o fará?
2- Temos de ensinar aos filhos que não se deve ''ver televisão'', mas sim ver programas de televisão. Assim podemos revelar a capacidade de seleção e discriminação, que nos habilitará a ver aquilo que nos convém e a não ver aquilo que não nos convém ver. Devemos perguntar aos nossos filhos: ''Que querem ver? '', mas não: ''Querem ver televisão?''.
3- Para criar um critério de seleção, devemos evitar estar presos à televisão quando não estamos a ver um determinado programa.
4- Uma boa maneira de pôr em prática as ideias anteriores é não ter à mão o controle remoto, o ''zapping'', ou o costume de mudar constantemente de canal, dado que isto é contrario ao critério de seleção que devemos criar nos nossos filhos para verem televisão.
5- Os nossos filhos não devem ter um aparelho de televisão no seu quarto. Este costume incentiva o isolamento e provoca uma dependência da televisão que é contrária à vida de família. Devemos ter presente que uma dependência desregrada da televisão impede o jogo dos nossos filhos, a sua criatividade e o convívio familiar.
6- É conveniente ter um horário pré-estabelecido para ver programas de televisão. Como todas as coisas, a televisão tem de ter ''o seu lugar'' na vida familiar, juntamente com outras atividades.
7- Não use a televisão como uma '' babá eletrônica'', dado que ela não cuida verdadeiramente dos nossos filhos, especialmente se os deixarmos ver ''o que está passando''. Quando os pais trabalham, o critério é especialmente importante.
8- A capacidade de imitação que as crianças têm deve ser orientada para o conhecimento de personalidades reais e exemplares (por exemplo: esportistas, heróis da nossa história, poetas destacados, etc.), e não para ''heróis imaginários'' e inexistentes.
9- Deitar a culpa à televisão é uma saída fácil. Os pais não devem abdicar da luta para que em casa se veja boa televisão, tendo sempre presente que nos pertence a nós o dever e a responsabilidade de formar os nossos filhos.

10- Se for possível, é muito conveniente que os pais vejam televisão com os filhos. De maneira a poderem conhecer diretamente os efeitos que os programas que vêem produzem neles.
11- Nem todos os programas são igualmente vantajosos. Devemos preferir que os nossos filhos vejam aqueles que têm a ver com o revelar de valores familiares, amor pela natureza, ocupação positiva dos tempos livres, estudo e desenvolvimento da cultura do espírito, etc., e não aqueles programas superficiais e sem fundamento.
12- Não é conveniente que a criança veja um programa que a iluda, tanto com a cumplicidade dos pais como às escondidas deles. Não convém dar por assente que todos os programas chamados infantis têm um conteúdo adequado. Nós, pais, devemos orientar os nossos filhos nesse sentido, o que nos obriga a informarmo-nos adequadamente a este respeito.
13- Nós, pais, devemos informar-nos do conteúdo dos programas de televisão. Qualquer programa que inclua erotismo, sexualidade, violência, maldade, promiscuidade, delinqüência, racismo, etc., não é apto para crianças. E os pais devem sabê-lo, e evitar que os filhos vejam. Para adquirirem esse conhecimento, podem consultar os guias de qualificação da programação que se publicam ocasionalmente em diversos organismos e revistas de critério.
14- Há que ter presente que os filhos devem aprender os valores morais antes de mais nada no domínio da família e no convívio com os outros, e não com os personagens e ações da televisão.
5-Os pais de família devem fazer esforços para procurar alternativas à televisão: desporto, visitas a museus e parques naturais, sessões de teatro, projeções de vídeos, fomentar conversas familiares, praticar ações solidárias a favor dos outros, etc.
16 - A "cultura da imagem'' deve chegar às crianças por outros meios que não seja exclusivamente a televisão, quer dizer por fotografias, exposições, mapas, leitura, etc.
17 - Inevitavelmente, e apesar dos nossos esforços, haverá conteúdos televisivos contrários aos valores familiares. É por esse motivo que nós, pais, devemos fazer o necessário para que os programas sejam analisados e discutidos em reuniões de família, por exemplo às refeições. Isto não só enriquece a comunicação familiar, mas também é uma boa maneira de dar um apoio à educação dos nossos filhos, evitando que se enraízem neles maus conteúdos televisivos.
18-As famílias, a pouco e pouco, podem criar uma coleção de vídeos com filmes e documentários de interesse para as crianças.
19-Os anúncios comerciais podem ser tão perigosos como os maus programas de televisão. Os pais devem estar muito atentos para que a televisão não torne os seus filhos pessoas superficiais ou consumidores de tudo o que se anuncia. Nunca se deve fazer caso da publicidade de jogos que incitem à violência, à discriminação ou ao racismo.
20- Ver ou não ver televisão não deve constituir para as crianças uma questão de prêmio ou castigo.
21 - Os pais de família devem iniciar os seus filhos, segundo a sua idade e desenvolvimento, numa prudente e positiva educação sexual, na qual se evite que uma imagem distorcida da mulher e do sexo lhes seja transmitida, pouco a pouco, por meio da televisão.
22 - Nós, pais de família, devemos lutar para que qualquer programa de televisão infantil, realizado sem ética, sem respeito pelos valores e pelos direitos das crianças, seja qualificado como um delito pela legislação nacional. A má televisão infantil, ou "programação-lixo" tem como origem o desprezo pelas crianças como pessoas.
23 - Não devemos deixar que os nossos filhos vejam televisão-lixo. Se estes programas de televisão forem vistos pelos nossos filhos, farão com que confundam realidade e ficção; desorientar-se-ão e ficarão equivocados na compreensão do valor e do sentido da vida, e irão deformar a sua própria consciência. Transigir com a má qualidade desses programas de televisão impróprios para crianças, deixando-os ver, equivale a transigir e tornar-se cúmplice dessas pessoas que distorcem os valores e os direitos da infância.
24 -Nós, pais de família, devemos organizar-nos para exigir uma boa televisão, em horários infantis. As atitudes grosseiras, os hábitos e comportamentos anti-sociais, as linguagens obscenas, a perda do sentido da autoridade, a vulgaridade e a frivolidade, o direito a condutas menos corretas, qualquer desrespeito à vida humana, etc., devem ser eliminados, especialmente dos programas que tenham as crianças como destinatários.
25-Perante uma programação infantil com baixa, discutível e reprovada qualidade, os pais têm o legítimo direito de pôr em marcha uma crítica construtiva. Assim, devemos incentivar uma boa televisão, destacando os bons programas.
26-Os pais de família e educadores devem fazer compreender aos seus filhos que a televisão não é imprescindível nem é o único meio para ocuparem o seu tempo livre.
27-O exemplo é uma terapia eficaz. Se os pais vêem muita televisão, e televisão de má qualidade, com que critério vão evitar que os seus filhos vejam os programas que são negativos para eles?” (Fonte Portal da Família. Org)



CONCLUSÃO
Não há duvida de que o Diabo tem tirado proveito dos meios de comunicações, principalmente a televisão, que tem tido o papel de orientadora. Aproveitando esta deixa, ele tem usado todas as suas artimanhas, daí os alarmantes números de mães solteiras, divórcios, famílias inteiras tem sido desfeitas. Que Deus guarde a sua Igreja.

OBRAS CONSULTADAS

VIDIGUEIRA, Vânia Cristina Rosário – A influencia da televisão no desenvolvimento sócio-emocional dos adolescentes – Portal dos Psicólogos

Colaborador para o Portal Escola Dominical – Pr Jair Rodrigues
FONTE  PORTAL EBD

LIÇÃO 05 - A INSTITUIÇÃO DA MONARQUIA EM ISRAEL / SUBSÍDIOS / CLASSE ADULTOS

Apresentado pelo Comentarista das Revistas Lições Bíblicas Adultos da CPAD, pastor Osiel Gomes