SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

21 novembro 2015

Administre biblicamente seus conflitos conjugais.






Vamos falar um pouquinho sobre a existência de conflitos no relacionamento conjugal. Um relacionamento sem conflitos é uma utopia, pois onde houver duas pessoas juntas num propósito, ali estará presente o conflito. Conflitos não devem ser evitados, mas confrontados  e bem administrados. O que não se pode é permitir que  aumente de volume, somando-se a outros, gerando ódio e rancor. A brandura, a paciência deve tomar lugar nessa hora: 

Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha. Efésios 4:26 .

E mais:
Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem. Hebreus 12:15
Para entendermos os conflitos conjugais, é preciso deixar claro a diferença entre “problemas” e “conflitos”. ”Problema” refere-se a situação adversa que surge e que os dois buscam resolver juntos. “Conflito” é uma divergência entre os dois, que coloca um contra o outro, há um choque, não se juntam para resolver uma questão, mas para se digladiarem por causa da questão.
 Um conflito vai desde  um simples desentendimento podendo chegar  até a destruição do outro. O maior exemplo disso são os homicídios e agressões praticados por maridos e namorados contra suas parceiras que vem ocupando os noticiários de TV.
Na realidade, os conflitos não são de todo mau, pois se conduzido com sabedoria, pode ser a oportunidade para resolver de vez dificuldades que se arrastam por longo tempo. Podes ser o marco de um novo tempo, um recomeço. Alguém disse que a tempestade é uma oportunidade para o conserto e o recomeço. Descobrir no conflito uma saída criativa que traga nova vida, mudando comportamentos, aí reside a sabedoria.  
A melhor ferramenta para se tratar com os conflitos é o diálogo, sempre acompanhado de respeito à individualidade e o modo de pensar de cada um. É preciso aceitar a ideia de que eu não sou o outro e assim também o outro não é eu, portanto, somos diferentes, pensamos  de modo diferente e algumas vezes iremos agir e reagir de modo diverso, o que pode gerar alguns problemas.
Um conflito pode ser resolvido de maneira que haja um vencedor e um vencido, o que não é bom para o casal. Também não é bom quando há uma acomodação por uma das partes, que desiste de defender suas ideias, princípios e valores, abrindo mão e sendo infeliz. Outras vezes, a vontade de um é imposta mediante ameaça ou truculência, então dizemos, que houve ali uma solução despótica, coisa maligna para quem quer viver juntos.
  
Também é possível que ambos percam com a resolução do conflito, por exemplo, quando eles resolvem desistir  quando daria para redirecionar o relacionamento. O bom mesmo, chegam a uma resolução de consenso, uma solução negociada, com os dois cedendo um pouco e assim a unidade é que saiu fortalecida. Algumas crises costumam trazer conflitos para a relação, por exemplo, as  crises de saúde,  financeiras, e emocionais. É preciso redobrar a atenção e não deixar que uma crise financeira, por exemplo, jogue um contra o outro, com apontamentos de culpa, criando feridas desnecessárias. Eles devem somar esforços para vencer a crise e nunca  se dividir e tentar um vencer o outro. Lembre-se de Jesus quando disse: “Um casa dividida não subsistirá”.

 A ausência de regras claras, de convenções , também são nascedouros de conflitos. É sempre interessante deixar claro, o que pode e o que não pode, quais os limites da individualidade, quem faz o quê, quando e como. Vou exemplificar, uma esposa que tem uma dupla jornada chega em casa e o seu marido não “moveu uma palha” com as  tarefas domésticas, revoltada inicia-se uma discussão séria. Talvez se tivessem previamente estabelecido uma regra de conduta para ambos, conversado a respeito, a discussão não teria acontecido. Ela esperava que ele fizesse o serviço, mas não falou, e não deixou claro isso.
Para um homem arrumar a casa não é algo natural, mas apreendido, e normalmente o marido acha que arrumando a cozinha de vez em quando, ou fazendo o almoço no final de semana já ajudou muito, mas para a mulher, isso pouco ajuda, não resolve o seu problema. Tenha sempre em mente que melhor do que criticar é pedir antes. 

Procure identificar de forma imparcial o que está acontecendo, porque estão se digladiando. É importante verificar o que vinha acontecendo antes do conflito, pois geralmente um conflito quando eclode é resultado de algo que já vinha se arrastando há muito tempo. Escolher o momento mais propício para o diálogo amistoso é sabedoria.

Uma ferida inflamada precisa ser exposta para ser bem curada. É sempre bom pensar que o seu cônjuge, via de regra, não está querendo o seu mal, talvez esteja errado nas suas convicções, nada, além disso.

Escutar o outro.

As duas partes devem ter a paciência de ouvir tudo o que o outro tem a dizer sem interromper, sem gritarias, ou descontroles. Resolver racionalmente. É sempre bom que ambos diminuam seus níveis de exigência, isso aumenta a chance de cura. Grandes brigas começam com a somatória de pequenas coisas. Ceder pode ser uma alternativa boa, porém, não é bom que seja sempre a mesma parte que cede, causando aí uma angústia. Conhecer e seguir os conselhos bíblicos pode ser a melhor das estratégias, vejamos alguns: 

Pela longanimidade se persuade o príncipe, e a língua branda amolece até os ossos. “Pv 25:15 .
“A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira.” Provérbios 15:1
“O amor....”Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. “ 1 Coríntios 13.

 Considere o que Salomão ensina:

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento” Pv 3.5. 

Não pense que você tem sempre razão. Considere a possibilidade de não estar certo. E para os homens digo, teu cônjuge não é um inimigo a ser vencido. O que precisa ser vencido é a dificuldade pela qual estão passando.

Veja agora,  mais alguns motivos de conflitos:

 - Esperava um pouco mais dele(a), mas não vejo mudanças para melhor.

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2.
  

Quando Planos e metas não são levados à efeito.

Muitas vezes, as pessoas têm boa intenção, fazem planos, mas não conseguem levar adiante seus planos,  não saem do papel. E assim vão protelando mais e mais. Isso pode ser a causa de dificuldades no relacionamento pois o outro, por vezes, está cheio de expectativa, e a  frustração é inevitável,  e por conseguinte, os conflitos.
“Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.”  Eclesiastes 11:4

-Promete muito, mas não cumpre.

“Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.”  Lc 16:10.

A promessa não cumprida quando era, sabidamente, possível é desanimador. Observamos que quem é muito rápido em prometer, costuma ser lento em cumprir. Há quem diga que ninguém é obrigado a prometer, mas uma vez feito, deve cumprir com o que prometeu. 

- Quando um ofende e não se arrepende.

“Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.”  Colossenses 3:13

- Ira não tratada.

“Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem. “Romanos 12:21. “Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.” Efésios 4:26.
Não deixe os ressentimentos se acumularem, e nem tampouco, guarde ressentimentos por coisas de somenos importância. Corte o mal pela raiz, aconteceu um fato ruim, converse logo sobre o assunto e depois disso, coloque uma pedra sobre ele. 

- Quando os esforços não são reconhecidos.

“Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!”  Provérbios 31:29 .
O reconhecimento por algo bem feito acaba sendo uma necessidade humana, todos gostamos de receber uma palavra de elogio, um encorajamento e quando isso não acontece é decepcionante, importa ficar atento, e sempre liberar uma palavra de afirmação, isso aumenta a motivação para o novo. 

-Pensamentos diferentes com relação à educação de filhos, parcialidade e preferências.

O casal deve entrar em um consenso com relação à melhor maneira de se educar os filhos, sempre trazendo seus pensamentos à luz da Palavra de Deus. Um não deve desautorizar o outro na presença dos filhos e todo cuidado é pouco para que não se tenha tratamento desigual com os filhos, pois quando acontece, feridas são abertas e inimizades são criadas dentro da própria casa.
Quem quer viver bem em família? Aumente o prazer e  diminua os conflitos. Tudo aquilo que traz alegria, como um jantar fora, um passeio no campo, uma viajem, um festa em família, é bem vindo, e deve ser colocada em prática. As discussões, invejas, agressões verbais, exigências desnecessárias, acusações, são coisas que devem ser excluídas do dia a dia.

Outros textos:

“Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.” Filipenses 2:4
“Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas” Filipenses 2:14
“O orgulhoso de coração levanta contendas, mas o que confia no SENHOR prosperará”. Provérbios 28:25
“O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados”. Provérbios 10:12
‘O homem irascível levanta contendas; e o furioso multiplica as transgressões”. Provérbios 29:22
“O homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta’. Provérbios 15:18
‘E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas”. 2 Timóteo 2:23
“É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas”.” 1 Timóteo 6:4
“Não contendas com alguém sem causa, se não te fez nenhum mal”. Provérbios 3:30
“Há no seu coração perversidade, todo o tempo maquina mal; anda semeando contendas’. Provérbios 6:14
‘A testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos’. Provérbios 6:19
“Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja’. Romanos 13:13
‘Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?” 1 Coríntios 3:3
‘O homem perverso instiga a contenda, e o intrigante separa os maiores amigos’. Provérbios 16:28
‘Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites”. Provérbios 18:6
“Honroso é para o homem desviar-se de questões, mas todo tolo é intrometido”. Provérbios 20:3
E para quando não houver jeito, o conflito se estabeleceu, e não há consenso, há um remédio milagroso chamado perdão, basta alguém dizer:

“Eu errei, por favor, me perdoe.

“O perdão é a ferramenta que Deus usa para restaurar relacionamentos” (Pr Ismael R Carvalho). 

Perdoar é permitir que o outro entre novamente na história de sua vida.
http://casadosemcristo.blogspot.com.br/2015/05/administre-biblicamente-seus-conflitos.html

ESCOLA DOMINICAL BETEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 8

AULA EM 20 DE AGOSTO DE 2017 – LIÇÃO 8 (Revista: Editora Betel) Tema:  Jesus o missionário excelente Texto Áureo:   Jo 12.4...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AS 10 MAIS VISITADAS