SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

Marcadores

Aborto ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL Adolecentes Cristão ADOLESCENTES ADPB ADULTÉRIO ADULTOS Agradecimento Aniversario Apologética Cristã Arqueologia As Inquisições Assembleia de Deus Barack Obama Batismos Bíblia Brasil Casamento CGADB Ciência Círculo de Oração CLASSE BERÇARIO CLASSE BERÇÁRIO CLASSE DOS DISCIPULADOS CLASSE DOS DISCIPULANDO CLASSE DOS DISCIPULANDOS CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL CLASSE MATERNAL Congresso CPAD Cruzada Curiosidades Cursos Departamento Infantil Depressão Desaparecido DESENHOS BIBLICOS Desfiles Dia do Pastor Discipulado Divórcio EBD EBO Escatologia Estudantes Estudos Eventos FALECIMENTO Família Filmes Galeria de Fotos Gospel Gratidão a Deus Hinos Antigos História Homenagens Homilética Homoxesualismo Ideologia de Gênero Idolatria Inquisição Islamismo Israel LIção de Vida Louvor Luto Maçonaria Mães Mensagens Ministério Missões MODISMOS Mundo Mundo Cristão MUSICAS EVANGÉLICAS Namoro Cristão Noivados Notícias Obreiros ONU Oração Pneumatologia política PRIMARIOS Psicopedagogia Pureza sexual Realidade Social Reforma Protestante RELIGIÕES Retiro Revista Central Gospel REVISTA CLASSE PRIMARIOS REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA REVISTA CLASSE JUNIORES REVISTA DA CLASSE JOVENS. REVISTA DA CLASSE ADULTOS REVISTA DA CLASSE JUVENIS Revista Maternal Santa Ceia Saúde Seminário Sexualidade Subsídios Subsídios EBD Subsídios EBD Videos Templos Teologia Testemunho TRANSGÊNEROS Utilidade publica UTILIDADE PÚBLICA Vida de Adolecente videos Virgilha

04 março 2016

EUA JÁ TEM 134 MIL CASOS SUSPEITOS DE ZIKA

post-feature-image

O continente americano já tem mais de 134 mil casos de zika vírus suspeitos e 2.765 confirmados, a maioria na América Latina e no Caribe, embora a Organização Pan-Americana da Saúde (OPS) considere que estes dados conservadores, já que 80% dos infectados não apresentam sintomas.


O rápido avanço do vírus, o desconhecimento sobre a infecção e a possibilidade "cada vez maior de causar microcefalia" (bebês com a cabeça de um tamanho menor que o normal) e síndrome Guillain-Barré (um transtorno neurológico) foram os assuntos principais da reunião extraordinária sobre o zika que terminou nesta quarta-feira na sede da OPS em Washington.

A organização reuniu 70 cientistas e especialistas de todo o mundo para debater sobre as perguntas mais urgentes que a pesquisa científica deve responder sobre o vírus e publicará em breve um relatório que servirá como agenda comum em nível internacional.

"O mais importante neste momento é averiguar sobre a potencial associação do vírus com a microcefalia, com outras más-formações congênitas e com a síndrome de Guillain-Barré", explicou Marcos Espinal, o diretor de doenças contagiosas da OPS, em entrevista coletiva.

A transmissão local do vírus (por picada do mosquito Aedes aegypti) foi confirmada em 31 países e territórios do continente, a maioria na América Latina e no Caribe, enquanto nos Estados Unidos só houve casos importados (de viajantes infectados no exterior).

Apenas Brasil e a Polinésia Francesa reportaram casos de microcefalia vinculados ao zika, enquanto em seis países ou territórios se detectou um aumento de casos de Guillain-Barré possivelmente associado ao vírus: Brasil, Polinésia Francesa, El Salvador, Colômbia, Venezuela e Suriname.

"Os casos reportados de zika não dão a medida da situação porque 80% das pessoas não apresentam sintomas e, mesmo que tenham, muitos não vão ao médico porque são leves demais", afirmou Espinal.

A detecção do vírus do zika em laboratório "ainda não está muito desenvolvida", por isso a criação de novos exames foi um dos pontos centrais da reunião internacional.

"A detecção em laboratório é uma das ferramentas principais tanto para saber se um paciente tem o vírus como para que possamos elaborar bons estudos sobre sua relação com outras doenças depois", indicou Espinal.

A comunidade científica espera ter nos próximos três ou quatro meses os primeiros estudos que revelem a possível vinculação do zika com as más-formações congênitas e os transtornos neurológicos, assim como outras possíveis complicações de saúde associadas ao vírus. 


Fonte: EFE e ocorreiodedeus.com.brhttp://www.libertar.in/2016/03/eua-ja-tem-134-mil-casos-suspeitos-de.html