SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

Marcadores

Aborto ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL Adolecentes Cristão ADOLESCENTES ADPB ADULTÉRIO ADULTOS Agradecimento Aniversario Apologética Cristã Arqueologia As Inquisições Assembleia de Deus Barack Obama Batismos Bíblia Brasil Casamento CGADB Ciência Círculo de Oração CLASSE BERÇARIO CLASSE BERÇÁRIO CLASSE DOS DISCIPULADOS CLASSE DOS DISCIPULANDO CLASSE DOS DISCIPULANDOS CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL CLASSE MATERNAL Congresso CPAD Cruzada Curiosidades Cursos Departamento Infantil Depressão Desaparecido DESENHOS BIBLICOS Desfiles Dia do Pastor Discipulado Divórcio EBD EBO Escatologia Estudantes Estudos Eventos FALECIMENTO Família Filmes Galeria de Fotos Gospel Gratidão a Deus Hinos Antigos História Homenagens Homilética Homoxesualismo Ideologia de Gênero Idolatria Inquisição Islamismo Israel LIção de Vida Louvor Luto Maçonaria Mães Mensagens Ministério Missões MODISMOS Mundo Mundo Cristão MUSICAS EVANGÉLICAS Namoro Cristão Noivados Notícias Obreiros ONU Oração Pneumatologia política PRIMARIOS Psicopedagogia Pureza sexual Realidade Social Reforma Protestante RELIGIÕES Retiro Revista Central Gospel REVISTA CLASSE PRIMARIOS REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA REVISTA CLASSE JUNIORES REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. REVISTA DA CLASSE JOVENS. REVISTA DA CLASSE ADULTOS REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS REVISTA DA CLASSE JUVENIS Revista Maternal Santa Ceia Saúde Seminário Sexualidade Subsídios Subsídios EBD Subsídios EBD Videos Templos Teologia Testemunho TRANSGÊNEROS Utilidade publica UTILIDADE PÚBLICA Vida de Adolecente videos Virgilha

06 setembro 2016

O incômodo da tentação


Tentação é o convite quase diário feito pela pecaminosidade latente, pelas circunstâncias e circunstantes, pela cultura secular e mundana e pelas potestades do ar

A tentação é uma experiência muito desagradável que dura a vida inteira, com possíveis intervalos de curta duração. O Evangelho de Lucas registra que o diabo, depois de “tentar Jesus de todas as maneiras, foi embora por algum tempo”, esperando outra oportunidade (Lc 4.13).

Até mesmo as pessoas desprovidas de temor a Deus são tentadas a fazer alguma coisa que contraria os seus escassos princípios e que põe em risco sua reputação. Por conhecerem e levarem a sério o significado da palavra “pecado”, os cristãos estão mais conscientes de que são tentados.

A tentação provoca um sério atrito entre a boa, agradável e perfeita vontade de Deus e a vontade do pecado. Uma oferece resistência à outra. A pessoa cai em pecado quando sacrifica a vontade de Deus para realizar a vontade que naquele momento toma conta de si. Ao ver “uma mulher muito bonita tomando banho” (2Sm 11.2), o rei Davi passou por cima de tudo e fez a vontade da tentação.“As pessoas são tentadas quando são atraídas e enganadas pelos seus próprios maus desejos” -- ensina a Epístola de Tiago (1.14).

A tentação pode ser uma mera sugestão interna (que procede da carne), externa (que procede do ambiente) ou etérea (que procede das forças espirituais do mal que vivem nas alturas). A tentação mais apavorante e furiosa é a tentação absurda. Satanás, por exemplo, teve a coragem de mostrar toda a glória do mundo a Jesus e dizer-lhe em seguida: “Eu lhe darei tudo isso se você se ajoelhar e me adorar” (Lc 4.7). Outra tentação absurda é a daquele noivo que se manteve casto a vida inteira e que, na véspera de seu casamento, teve uma vontade enorme de procurar uma prostituta. O terceiro exemplo de tentação absurda é mencionado por Mark R. Talbot, professor de filosofia de um renomado seminário americano. Trata-se de certo criterioso seguidor de Cristo, pai e esposo amoroso que, de repente, é atacado por uma tentação terrível de abusar sexualmente de um de seus filhos. Arrancar uma árvore do mato, levá-la para casa, fazer uma imagem com a madeira e depois curvar-se diante dela em adoração é o mais ridículo dos absurdos, cometido várias vezes pelo povo eleito (Is 44.9-20).

A tentação é exposta, mas nunca é imposta. Negar-se a si mesmo dia após dia, principalmente na hora da tentação, é a única maneira de não ceder ao convite pecaminoso. Foi Jesus quem disse isto: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23). Não há mistério algum: negar-se a si próprio é dizer um corajoso e persistente não aos desejos provenientes da tentação. Por quantas vezes? Todas as vezes que forem necessárias e sem a menor perda de tempo. Quanto mais se demora a dizer não, mais difícil torna-se a vitória sobre a tentação. A pessoa tentada precisa ser humilde e admitir que não é fácil vencer a tentação. Ela precisa de forças que vêm de cima e de domínio próprio (Gl 5.22-23).

Os dois exemplos mais notáveis de negar-se a si mesmo são o de José do Egito e o de Jesus. Dia após dia, a mulher de Potifar convidava o mordomo de seu marido a deitar-se com ela, e, dia após dia, o jovem se recusava, sob a alegação de que não poderia pecar contra Deus nem contra o marido dela (Gn 39.6-12). No Getsêmani, Jesus teve uma vontade enorme de não beber o cálice da salvação, mas cada vez que pedia isso ao Pai, ele acrescentava: “Não seja como eu quero, mas sim como tu queres” (Mt 26.39).

Na oração dominical, Jesus nos ensina a pedir: “Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal” (Mt 6.13).