SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

Marcadores

Aborto ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL Adolecentes Cristão ADOLESCENTES ADPB ADULTÉRIO ADULTOS Agradecimento Aniversario Apologética Cristã Arqueologia As Inquisições Assembleia de Deus Barack Obama Batismos Bíblia Brasil Casamento CGADB Ciência Círculo de Oração CLASSE BERÇARIO CLASSE BERÇÁRIO CLASSE DOS DISCIPULADOS CLASSE DOS DISCIPULANDO CLASSE DOS DISCIPULANDOS CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL CLASSE MATERNAL Congresso CPAD Cruzada Curiosidades Cursos Departamento Infantil Depressão Desaparecido DESENHOS BIBLICOS Desfiles Dia do Pastor Discipulado Divórcio EBD EBO Escatologia Estudantes Estudos Eventos FALECIMENTO Família Filmes Galeria de Fotos Gospel Gratidão a Deus Hinos Antigos História Homenagens Homilética Homoxesualismo Ideologia de Gênero Idolatria Inquisição Islamismo Israel LIção de Vida Louvor Luto Maçonaria Mães Mensagens Ministério Missões MODISMOS Mundo Mundo Cristão MUSICAS EVANGÉLICAS Namoro Cristão Noivados Notícias Obreiros ONU Oração Pneumatologia política PRIMARIOS Psicopedagogia Pureza sexual Realidade Social Reforma Protestante RELIGIÕES Retiro Revista Central Gospel REVISTA CLASSE PRIMARIOS REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA REVISTA CLASSE JUNIORES REVISTA DA CLASSE JOVENS. REVISTA DA CLASSE ADULTOS REVISTA DA CLASSE JUVENIS Revista Maternal Santa Ceia Saúde Seminário Sexualidade Subsídios Subsídios EBD Subsídios EBD Videos Templos Teologia Testemunho TRANSGÊNEROS Utilidade publica UTILIDADE PÚBLICA Vida de Adolecente videos Virgilha

05 novembro 2016

Aula 06 – DEUS: O NOSSO PROVEDOR

Adicionar legenda

Texto Base: Gênesis 26:1-33

"Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo" (João 16:33).




INTRODUÇÃO

Nesta Aula estudaremos a respeito das crises que Isaque, filho de Abraão, enfrentou, principalmente crise da falta de água e de alimento, além de vizinhos invejosos e perversos. Sua história está registrada em Gênesis 26:1-33. Isaque era o filho da promessa, mas isso não significava que ele não enfrentasse obstáculos e crises em sua vida. No lugar onde vivia houve uma grande seca, e todo o seu patrimônio corria o risco de ir à bancarrota. Por causa da escassez de grãos na terra, Isaque resolve sair de Canaã. Ele saiu rumo ao Egito, mas parou em Gerar, lugar dos filisteus. Antes de continuar sua caminhada para o Egito, o Senhor apareceu-lhe e disse: “Não desças ao Egito” (Gn.26:2). O Senhor o prevenira acerca dos perigos do Egito e prometeu abençoá-lo onde estivesse, mas não nesse lugar. A ideia de ir ao Egito lembrava experiências ruins que ocorrera com seu pai, Abraão. Isaque estava sendo lembrado pelo Senhor de que não seria bom que ele fosse ao Egito, uma vez que seu pai, Abraão, havia passado por experiências ruins naquele lugar, com consequências amargas que lembravam mentira, engodo e humilhação por estar fora da vontade de Deus. Agora, depois de muitos anos, Deus falou com Isaque, que à época já era pai de Esaú e Jacó, que não descesse ao Egito. Deus sabia, por sua presciência, que Isaque poderia ser vencido pelas tentações da terra e não teria firmeza suficiente para evitar as ameaças do povo daquela terra. Isaque obedeceu ao Senhor, ficou em Gerar. Por isso, sobreviveu àquela crise. 

Vejamos, à luz deste episódio ocorrido com Isaque, alguns princípios norteadores para se sobreviver em tempos de crise. Adaptado do livro “Quatro Homens, um destino”, do Rev. Hernandes Dias Lopes – páginas 67 a 77.

I. NA CRISE, TOME ATITUDES CORAJOSAS, SOB O AUSPÍCIO DE DEUS (Gn.26:1-6)

Nas crises, duas atitudes são indispensáveis: oração e ação. É o binômio que nos mantém de pé nas circunstâncias adversas. Com a oração nós movemos o dedo de Deus em nosso favor, dinamizando as nossas ações, dando-nos pleno sucesso, contra o inimigo que nos roubou a bonança e a alegria.

1. Lute pela própria sobrevivência (Gn.26:1) - “Sobrevindo fome à terra, além da primeira havida nos dias de Abraão, foi Isaque a Gerar, avistar-se com Abimeleque, rei dos filisteus”. A fome assola a terra onde morava Isaque. É tempo de escassez, de desemprego, de contenção drástica de despesas, de recessão. Isaque, porém, não ficou lamentando; ele saiu, se moveu. Hoje, vivemos o drama do achatamento da classe média, da falta de oportunidade e perspectiva para aqueles que não conseguem ter acesso às universidades. A batalha do emprego é maior do que a batalha do vestibular. O desemprego é um gigante. O medo do futuro apavora os pais de família.

2. Não busque atalhos sedutores (Gn.26.2) – “Apareceu-lhe o SENHOR e disse: Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser”. Isaque foi tentado a descer ao Egito, lugar de fartura e riquezas fáceis. Mas Deus diz a Isaque: "Não desças ao Egito". Muitos querem soluções rápidas, fáceis e sem dor, em tempos de crise. Atividades ilícitas são oferecidas em épocas de crise. Precisamos ter cuidado para não transigir com os valores de Deus; precisamos ter cuidado para não tapar os ouvidos à voz de Deus. Portanto, desista das vantagens imediatas por bênçãos mais invisíveis (Gn.26:3) e remotas (Gn.26:4). Siga o projeto de Deus, ainda que isso pareça estranho. Não desças ao Egito.

3. Tire os olhos das circunstâncias e ponha-os nas promessas de Deus (Gn.26:3-5) – “habita nela, e serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai. Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra; porque Abraão obedeceu à minha palavra e guardou os meus mandados, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis”.

Deus diz a Isaque: Não fuja, fique! Floresça onde você está plantado. Não corra dos problemas; enfrente-os; vença-os. Seu futuro está nas mãos de Deus. Não deixe a ansiedade estrangular você: Onde morar? Onde trabalhar? Onde meus filhos estudarão? Como eu pagarei meu plano de saúde? E se eu ficar doente? Saiba que Deus cuida de você! Você vale mais do que as aves do céu e as flores do campo. Certa vez Jesus disse isso para os seus discípulos, que estavam ansiosos quanto à vida (Mt.6:25-34):

25. Por isso, vos digo: não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo, mais do que a vestimenta?

26. Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?

27. E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?

28. E, quanto ao vestuário, porque andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam.

29. E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.

30. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pequena fé?

31. Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos?

32. (Porque todas essas coisas os gentios procuram.) Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas;

33. Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.

34. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.

Deus conhece cada uma das nossas necessidades, e é poderoso para suprir todas elas. Deus acalmou o coração de Isaque e lhe disse: Calma! Eu estou com você. Calma! Eu tomo conta de tua descendência. Calma! Teu futuro está em minhas mãos, e não será destruído pelo terremoto das circunstâncias. Calma! Farei de você e da tua descendência uma bênção para o mundo todo! 

Irmãos, a causa de nossa vitória não é ausência de problemas, mas a presença de Deus nos garantindo a vitória. Moisés não se dispôs a atravessar o deserto sem a presença de Deus. Paulo perguntou: "Se Deus é por nós, quem será contra nós?" (Rm.8:31). Você e Deus é maioria absoluta. Com Deus a seu lado, você é mais do que vencedor.

4. Obedeça sem racionalizações (Gn.26:6) – “Isaque, pois, ficou em Gerar”. Deus deu duas ordens para Isaque: não desças ao Egito e fica na terra de Gerar (Gn.26:2,6). Isaque não discute, não questiona, não racionaliza, não duvida. Isaque obedece de imediato, pacientemente. Ele aprendeu com seu pai, Abraão. Deus disse a Abraão: "Sai-te da tua terra [...] para a terra que eu te mostrarei", e Abraão saiu. Deus disse a Abraão: "Toma agora teu filho, o teu único filho; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto", e Abraão foi e ofereceu seu filho. Deus disse a Abraão: "Não estendas a mão sobre o mancebo", e ele obedeceu. O caminho da obediência é o caminho da bênção, da vitória. Portanto, na crise, não fuja de Deus, obedeça-lhe!

II. NA CRISE, VENÇA OS PROGNÓSTICOS PESSIMISTAS E FAÇA INVESTIMENTOS, EM VEZ DE FICAR LAMENTANDO (Gn.26:12-14)

12. Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento por um, porque o SENHOR o abençoava.

13. Enriqueceu-se o homem, prosperou, ficou riquíssimo;

14. possuía ovelhas e bois e grande número de servos, de maneira que os filisteus lhe tinham inveja.

Nos momentos de crise não podemos deixar que o pessimismo domine o ambiente. Lembram-se dos doze espias que Josué enviou para espiar a terra de Canaã? (Nm.13:26-33). Dez espias fizeram um relatório pessimista. Isto trouxe grande terror aos israelitas. Calebe acalmou o povo com palavras de ânimo e fé. Não negou o que os dez espias disseram, mas colocou sua esperança no que Israel podia fazer com a ajuda de Deus. Para ele e Josué não se tratava de Israel contra os gigantes, mas de Deus contra os gigantes. Porém os dez espias o contradiziam. Excluíam a Deus e exageravam seu relatório original. Agora todos os cananeus eram gigantes na opinião deles; não poderiam conquistar Canaã, diziam. Referindo-se aos filhos de Enaque, disseram que esses eram tão grandes que eles próprios se sentiam como gafanhotos diante deles. Realmente os enaquins eram homens grandes, mas pareciam ainda maiores porque os espias estavam com medo. Eles se viam como gafanhotos diante dos enaquins, mas se esqueceram do Senhor; se O tivessem incluído na equação o resultado seria totalmente outro. 

Quando sentimos medo e perdemos nossa fé, tendemos a exagerar as dificuldades e os problemas. Mas se nos voltarmos para Deus, que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos, ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós (Ef.3:20), as dificuldades e problemas serão vistos com os olhos da fé, e teremos coragem de enfrentá-los, pois, com este poder, venceremos. Portanto, na crise, vença os prognósticos pessimistas e tome atitudes corajosas e inteligíveis.

1. Semeie na sua “terra”, ainda que todos duvidem que isso será um sucesso (Gn.26:12). Muitos podiam dizer: Isaque, o lugar é deserto, aqui não chove, a terra é seca, aqui não tem água, não vai dar certo, outros já tentaram e fracassaram, jamais sairemos dessa crise, não há solução! Mas, Isaque se recusou a aceitar a decretação do fracasso em sua vida. Ele desafiou o tempo, as previsões, os prognósticos, a lógica - "Isaque semeou naquela terra". 

Eu conclamo você a parar de reclamar. Semeie em sua terra. Semeie em seu casamento. Semeie em seus filhos. Semeie em seu trabalho. Semeie em sua igreja. Não importa se hoje o cenário é de um deserto. Lance suas redes em nome de Jesus. Lance seu pão sobre as águas. Ande pela fé. Davi poderia ter pensado o mesmo diante de Golias - durante quarenta dias, o exército de Saul correu daquele gigante, com as pernas bambas de medo. Mas, em vez de correr do gigante, Davi correu para vencer o gigante e triunfou sobre ele. Alguém disse que a melhor defesa é o ataque. Agarre seu gigante pelo pescoço. Semeie em seu deserto. Deus faz o deserto florescer!

2. Torne-se um especialista no que você faz, não se acomode (Gn.26:18-22). Isaque tornou-se um especialista em cavar poços. Diz o texto sagrado:

18. E tornou Isaque a abrir os poços que se cavaram nos dias de Abraão, seu pai (porque os filisteus os haviam entulhado depois da morte de Abraão), e lhes deu os mesmos nomes que já seu pai lhes havia posto.

19. Cavaram os servos de Isaque no vale e acharam um poço de água nascente.

20 Mas os pastores de Gerar contenderam com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso, chamou o poço de Eseque, porque contenderam com ele.

21. Então, cavaram outro poço e também por causa desse contenderam. Por isso, recebeu o nome de Sitna.

22. Partindo dali, cavou ainda outro poço; e, como por esse não contenderam, chamou-lhe Reobote e disse: Porque agora nos deu lugar o SENHOR, e prosperaremos na terra.

Quando estamos vivendo num deserto, precisamos nos tornar especialistas em derrotar crises. Isaque começou a cavar poços, cavou sete poços. Ele se especializou no que fazia. Ele buscou um milagre, mas estava pronto a suar a camisa. Isaque não ficou deitado esperando que os céus resolvessem o seu problema, não. Ele arregaçou as mangas e buscou uma solução para a crise que o rodeava. 

Você quer ser aprovado no vestibular? Então estude com afinco. Você quer passar num concurso? Então estude com seriedade. Um especialista disse que é mais fácil ganhar na loteria do que passar num concurso sem estudar. Você está desempregado e quer arranjar um novo emprego? Então, saia de casa o mais rápido possível e lute pelo seu sonho. Você quer ser uma pessoa próspera? Então, mexa-se, pare de ficar deitado de papo para o ar. Vá à luta. Especialize-se no que você faz. Isaque tornou-se doutor em cavar poços no deserto. Por isso, ele prosperou quando todo mundo estava reclamando da crise e da fome.

3. Faça o ordinário e espere o extraordinário de Deus (Gn.26:12-14). Isaque colheu a cem por um no deserto, na seca (Gn.26:12). Diz o texto sagrado: "E engrandeceu-se o homem; e foi-se enriquecendo" (Gn.26:13). Isaque tornou-se um próspero empresário rural (Gn.26:14). Isto não é extraordinário? Qual a razão deste fantástico sucesso? O Senhor o abençoava sobremaneira (Gn.26:12b). Havia naquele negócio a intervenção sobrenatural de Deus, mas é bom salientar que isto não anula a ação natural do homem. Isaque trabalhou dedicadamente e experimentou o milagre de Deus na crise, mas não prosperou na passividade. Ele cavou poços. Ele plantou. Ele investiu. Ele trabalhou. Ele foi um empreendedor. Saibamos que há uma profunda relação entre a diligência humana e a bênção de Deus, entre trabalho e prosperidade (cf. Pv.10:4; 13:4; 28:19). Portanto, é hora de parar de falar em crise e arregaçar as mangas. É hora de parar de reclamar e começar a trabalhar com afinco. 

III. NA CRISE, EM VEZ DE SE ACOMODAR, BUSQUE VELHAS E NOVAS POSSIBILIDADES (Gn.26:18-22,25,32)

1. Isaque aprendeu com a experiência dos mais velhos (Gn.26:18). Isaque reabriu os poços antigos de seu pai - “E tornou Isaque a abrir os poços que se cavaram nos dias de Abraão, seu pai (porque os filisteus os haviam entulhado depois da morte de Abraão), e lhes deu os mesmos nomes que já seu pai lhes havia posto”.

Isaque reabriu as fontes de vida que abasteceram seus pais. Precisamos redescobrir as fontes de vida que nossos pais beberam e que foram entulhadas pela corrupção dos tempos. Precisamos cavar esses poços outra vez. Lá tem água boa. Lá têm mananciais. Precisamos voltar a reunir a família em torno da Palavra. Precisamos orar juntos. Precisamos voltar a fazer o culto doméstico. Precisamos voltar às antigas veredas, em vez de ficar flertando com as novidades do modernismo teológico liberal. Não estamos precisando de novidades, de correr atrás de cisternas rotas. Não precisamos de outro Evangelho (Gl.1:6).

2. Isaque abriu novos poços, mostrando que não se contentava com as experiências do passado, ele queria mais (Gn.26:19-22,32). Isaque era um empreendedor. Ele queria mais. Precisamos aspirar mais do que nossos pais aspiraram. Precisamos avançar mais do que eles avançaram. Os melhores dias não ficaram para trás, estão pela frente. Não podemos deixar que as experiências do passado sejam o limite máximo de nossas buscas. Não podemos jogar o passado fora nem idolatrá-lo. A história é dinâmica. Devemos aprender com o passado, viver no presente, com os olhos no futuro. Isaque saiu da terra dos filisteus, foi para o vale de Gerar, depois para Reobote, depois para Berseba. Mas, para onde quer que ia, ele cavava poços. Ele queria água no deserto. Berseba era um deserto, mas agora é uma cidade, porque Isaque achou água ali. 

3. Isaque retirou o entulho dos filisteus para que a água pudesse jorrar (Gn.26:18). Isaque compreende uma verdade sublime: havia água nos poços. Mas ela não podia ser aproveitada. Primeiro era preciso retirar o entulho dos filisteus. Deus tem para nós fontes, rios de água viva. Nós não os recebemos porque há entulho para ser retirado. Antes de sermos cheios do Espírito de Deus, precisamos retirar o entulho do pecado: incoerência - vida dupla, ortodoxia morta, legalismo; impureza — fornicação, pornografia, adultério; incredulidade — secularismo, mundanismo, falta de fervor.

IV. NA CRISE, PROTEJA O SEU CORAÇÃO DA AMARGURA, EM VEZ DE BRIGAR PELOS SEUS DIREITOS (Gn.26:14b-21)

14. Possuía ovelhas e bois e grande número de servos, de maneira que os filisteus lhe tinham inveja.

15. E, por isso, lhe entulharam todos os poços que os servos de seu pai haviam cavado, nos dias de Abraão, enchendo-os de terra.

16. Disse Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós, porque já és muito mais poderoso do que nós.

17. Então, Isaque saiu dali e se acampou no vale de Gerar, onde habitou.

18. E tornou Isaque a abrir os poços que se cavaram nos dias de Abraão, seu pai (porque os filisteus os haviam entulhado depois da morte de Abraão), e lhes deu os mesmos nomes que já seu pai lhes havia posto.

19. Cavaram os servos de Isaque no vale e acharam um poço de água nascente.

20. Mas os pastores de Gerar contenderam com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso, chamou o poço de Eseque, porque contenderam com ele.

21. Então, cavaram outro poço e também por causa desse contenderam. Por isso, recebeu o nome de Sitna.

Destaco duas verdades importantes aqui:

1. Esteja no controle de seus sentimentos, pois sua paz de espírito é melhor do que a riqueza. Isaque enfrentou a inveja dos filisteus (Gn.26:14), a suspeita e a rejeição de Abimeleque (Gn.26:16) e a contenda dos pastores de Gerar (Gn.26:20,21). As pessoas normalmente não se alegram quando você prospera. Inveja, rejeição e contenda são tensões que você precisa enfrentar.

Como Isaque enfrentou a inveja, a rejeição e a contenda? Com equilíbrio, paciência e mansidão. Virtudes que, hoje, estão ausentes em muitos que cristãos dizem ser. Quando Abimeleque o mandou sair de sua terra, ele saiu. Quando os filisteus encheram seus poços de entulho, ele saiu e abriu outros poços. Quando os pastores de Gerar contenderam para tomar os dois poços novos, ele não discutiu, foi adiante para abrir o terceiro poço. A prosperidade que não passa pela paz de espírito não é a verdadeira prosperidade. 

A Paz de Deus implica uma prosperidade ampla, que abrange todas as áreas dos nossos relacionamentos. Precisamos ter paz com Deus e com os homens. Precisamos ter relacionamentos na vertical e também na horizontal. Precisamos ter pressa em fugir de contendas e também em perdoar aqueles que nos ferem. Quem guarda mágoa e passa por cima dos outros não é feliz. Quem atropela os outros e fere as pessoas não tem paz. Isaque nos ensina que é melhor sofrer o dano do que entrar numa briga buscando nossos direitos.

2. Quando você teme a Deus, Ele reconcilia com você seus inimigos (Gn.26:26-33). 

26 De Gerar foram ter com ele Abimeleque e seu amigo Ausate e Ficol, comandante do seu exército.

27 Disse-lhes Isaque: Por que viestes a mim, pois me odiais e me expulsastes do vosso meio?

28 Eles responderam: Vimos claramente que o SENHOR é contigo; então, dissemos: Haja agora juramento entre nós e ti, e façamos aliança contigo.

29 Jura que nos não farás mal, como também não te havemos tocado, e como te fizemos somente o bem, e te deixamos ir em paz. Tu és agora o abençoado do SENHOR.

30 Então, Isaque lhes deu um banquete, e comeram e beberam.

31 Levantando-se de madrugada, juraram de parte a parte; Isaque os despediu, e eles se foram em paz.

32 Nesse mesmo dia, vieram os servos de Isaque e, dando-lhe notícia do poço que tinham cavado, lhe disseram: Achamos água.

33 Ao poço, chamou-lhe Seba; por isso, Berseba é o nome daquela cidade até ao dia de hoje.

Abimeleque expulsou Isaque, mas agora o procura, pede perdão e reconhece que Isaque é "o abençoado do Senhor" (Gn.26:29). Isaque teve uma reação transcendental, ele perdoou Abimeleque e eles se reconciliam. Ele perdoou aqueles que lhe fizeram o mal. Isaque mostrou que o perdão não é simplesmente uma questão de ação, mas, sobretudo uma questão de reação. O perdão é a transcendência do amor, é vencer o mal com o bem. É impossível ser verdadeiramente próspero sem exercitar o perdão. Jesus ilustra isso no sermão do monte (Mt.5:39-42). Ele diz que quando uma pessoa nos ferir a face direita, devemos voltar-lhe a outra face; quando a pessoa nos forçar a andar uma milha, devemos ir com ela duas milhas; quando uma pessoa procurar nos tirar a capa, devemos dar-lhe também a túnica. O que representa essas três figuras alistadas por Jesus? Primeiro, quando uma pessoa nos fere no rosto ela agride a nossa honra; Segundo, quando uma pessoa nos força a fazer o que não desejamos, ela agride a nossa vontade; Terceiro, quando uma pessoa nos toma as vestes pessoais ela agride o nosso bem mais íntimo e sagrado. Jesus quis realçar que mesmo que os pontos mais vitais da vida sejam atingidos - como a honra, a vontade e os bens inalienáveis -, devemos reagir transcendentalmente, ou seja, com perdão. 

Jesus Cristo nos ensina que: se eu não perdoar não posso orar; se eu não perdoar não posso adorar; se eu não perdoar não posso ofertar; se eu não perdoar, não posso ser perdoado; se eu não perdoar, eu adoeço fisicamente, emocionalmente, espiritualmente; se eu não perdoar, a minha alma, a minha vida será entregue aos verdugos da consciência e eu ficarei cativo e prisioneiro sem paz. Com bem diz o Rev. Hernandes Dias Lopes, o perdão é assepsia da alma, é a alforria do coração, é a faxina da mente. Se eu não perdoar, não serei considerado filho de Deus (Mt.5:44). Portanto, o perdão é necessário!

CONCLUSÃO

Se estamos em crise, se estamos angustiados, se estamos desesperados, vamos entregar a nossa causa a Jesus. Ele sabe o que está fazendo. Ele sabe quem somos, onde estamos, o que estamos passando, e Ele pode vir trazer o socorro de que tanto precisamos. O mundo está em crise, mas os céus não. O Senhor é soberano e não perdeu o controle da situação. O governo está em suas mãos. Ele tem o suprimento para todos aqueles que nEle confiam. Ele é o Deus da provisão. Portanto, se você está no deserto, ouça o que Deus está lhe falando pela sua bendita Palavra. Siga a direção de Deus e semeie em seu deserto. Se você vive num lugar seco, reabra os poços antigos. Busque as fontes da graça de Deus. Retire os entulhos. Não deixe seu coração azedar. O seu deserto florescerá. Se o chão está duro, regue a semente com suas lágrimas e prepare-se para uma colheita miraculosa.

------- 

Luciano de Paula Lourenço

 Fonte: http://luloure.blogspot.com

Referências Bibliográficas:

Bíblia de Estudo Pentecostal.

Bíblia de estudo – Aplicação Pessoal.

Comentário Bíblico popular (Antigo Testamento) - William Macdonald.

Comentário do Novo Testamento – Aplicação Pessoal. CPAD.

Revista Ensinador Cristão – nº 68. CPAD.

Elienai Cabral. O Deus da Provisão – Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio às crises. CPAD.

Rev. Hernandes Dias Lopes. Quatro Homens, um Destino.

Comentário Bíblico Beacon


Read more: http://euvoupraebd.blogspot.com/2016/11/aula-06-deus-o-nosso-provedor.html#ixzz4P80WpPJf