SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

Marcadores

Aborto ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL Adolecentes Cristão ADOLESCENTES ADPB ADULTÉRIO ADULTOS Agradecimento Aniversario Apologética Cristã Arqueologia As Inquisições Assembleia de Deus Barack Obama Batismos Bíblia Brasil Casamento CGADB Ciência Círculo de Oração CLASSE BERÇARIO CLASSE BERÇÁRIO CLASSE DOS DISCIPULADOS CLASSE DOS DISCIPULANDO CLASSE DOS DISCIPULANDOS CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL CLASSE MATERNAL Congresso CPAD Cruzada Curiosidades Cursos Departamento Infantil Depressão Desaparecido DESENHOS BIBLICOS Desfiles Dia do Pastor Discipulado Divórcio EBD EBO Escatologia Estudantes Estudos Eventos FALECIMENTO Família Filmes Galeria de Fotos Gospel Gratidão a Deus Hinos Antigos História Homenagens Homilética Homoxesualismo Ideologia de Gênero Idolatria Inquisição Islamismo Israel LIção de Vida Louvor Luto Maçonaria Mães Mensagens Ministério Missões MODISMOS Mundo Mundo Cristão MUSICAS EVANGÉLICAS Namoro Cristão Noivados Notícias Obreiros ONU Oração Pneumatologia política PRIMARIOS Psicopedagogia Pureza sexual Realidade Social Reforma Protestante RELIGIÕES Retiro Revista Central Gospel REVISTA CLASSE PRIMARIOS REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA REVISTA CLASSE JUNIORES REVISTA DA CLASSE JOVENS. REVISTA DA CLASSE ADULTOS REVISTA DA CLASSE JUVENIS Revista Maternal Santa Ceia Saúde Seminário Sexualidade Subsídios Subsídios EBD Subsídios EBD Videos Templos Teologia Testemunho TRANSGÊNEROS Utilidade publica UTILIDADE PÚBLICA Vida de Adolecente videos Virgilha

04 janeiro 2017

ESCOLA DOMINICAL CPAD - Conteúdo da Lição 2 - Revista CPAD - JOVENS


O real propósito da Igreja
08 de Janeiro de 2017



TEXTO DO DIA
“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1Pe 2.9).

SÍNTESE
A Igreja de Jesus Cristo tem por objetivo mostrar ao mundo como Deus age na história da salvação.

TEXTO BÍBLICO

Romanos 12.1-8.
1 — Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
2 — E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
3 — Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.
4 — Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação,
5 — assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros.
6 — De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada: se é profecia, seja ela segundo a medida da fé;
7 — se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino;
8 — ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.

INTRODUÇÃO
Toda instituição precisa ter propósitos bem definidos. Uma empresa deve oferecer emprego e dar lucro a seus acionistas ou proprietários. Uma escola tem como objetivos principais educar e formar cidadãos. As forças armadas e policiais têm como alvos zelar pela segurança nacional e pública. A Igreja, como instituição fundada por Deus, tem dentre outros desígnios a adoração, a edificação dos crentes e a evangelização. Trataremos desses três objetivos nesta lição.

I. COM RELAÇÃO A DEUS — ADORAR

1. O que é adorar.
A adoração sem dúvida tem sido um dos assuntos mais comentados de nossos dias. De forma positiva, tem se buscado um modelo de culto que respeite a santidade e a presença de Deus entre aqueles que se dizem seus filhos, e, ao mesmo tempo, permita que esses filhos de Deus participem do culto com ordem e decência. Por outro lado, têm sido abundantes os cultos marcados por excessos de manifestações artísticas, músicas cujo conteúdo mexe mais com o corpo do que falam ao coração, e pouca primazia se dá à pregação bíblica e ao ensino. Adorar envolve mais do que cânticos e louvores. Envolve ter uma vida que agrade a Deus e que seja um exemplo de serviço a Ele e aos membros do Corpo de Cristo. Quando entendemos que servir faz parte do ministério de Cristo (Mc 10.45), entendemos também que nossa adoração a Deus, no “aspecto vertical”, deve ser desenvolvida igualmente no “aspecto horizontal”, quando nos dispomos a ser servos uns dos outros.

2. A diversidade da adoração.
O culto ao Senhor pode variar de acordo com o lugar e a época. Quem trabalha no campo missionário tem muitas histórias sobre a diversidade cultural e a adoração a Deus. Há diversos modelos de cultos em nossos dias, e esses estão mais afeitos a lugares, com regionalismos próprios. Nem sempre um modelo adotado em um país será necessariamente aceito em outra cultura. O que não se pode esquecer é que o nosso culto deve ser racional, e feito com ordem e decência: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12.1). A adoração ao Senhor não pode ser transformada em um espetáculo, onde as pessoas se dirigem ao santuário para serem entretidas, para passar tempo, esquecendo-se de que estão ali para adorar, orar e ouvir a Palavra de Deus.

3. A adoração que Deus recebe.
Ter uma liturgia adequada para nos portarmos no culto ao Senhor é correto, pois isso nos ajuda a lembrar de que estamos na presença do Senhor, e o nosso culto deve ser racional (Rm 12.1). Entretanto, ainda mais importante é lembrar que “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4.24). Deus não recebe uma adoração forçada, falsificada, mas uma adoração que brota verdadeiramente de uma pessoa com um espírito agradecido, e que reconhece a grandiosidade de Deus não apenas no momento do culto, mas igualmente fora do ambiente do santuário, pois somos adoradores em tempo integral, dentro da igreja e fora dela.

Pense!
A adoração faz parte do culto, tanto quanto o faz a contribuição e o ouvir a Palavra de Deus, que também são adoração.

Ponto Importante
Adorar a Deus é uma das maiores oportunidades que o ser humano tem de reconhecer o senhorio do seu Criador e Senhor.

II. COM RELAÇÃO AOS CRENTES — EDIFICAR

1. Edificando por meio da comunhão.
Um dos fatores mais importantes na edificação do Corpo de Cristo é a comunhão. Ela não nos permite ficar isolados uns dos outros, mas nos incentiva à interação e ao fortalecimento por meio da oração, ações de graças, atos de generosidade e socorros. Pela comunhão, crescemos juntos, exercemos misericórdia e podemos, como corpo de Cristo, apresentar “todo homem perfeito em Jesus Cristo” (Cl 1.28).

2. Edificando por meio dos dons.
Os dons dados por Deus são meios pelos quais a Igreja é edificada. Os dons espirituais são dados de forma individual, mas sua utilização é manifesta na coletividade, na igreja local. Os dons de Deus não são um atestado de superioridade espiritual, mas instrumentos pelos quais Deus usa homens e mulheres com poder, apesar de suas limitações pessoais, em prol do crescimento e aperfeiçoamento dos santos.

Lembremo-nos de que os dons são concedidos pelo Espírito Santo. Não são aprendidos academicamente ou por técnica alguma. Com o passar do tempo, aqueles que os recebem devem primar em fazer com que os dons sejam exercidos com ordem no culto, e isso pode e deve ser ensinado. Esse aspectos, sim, podem ser aprendidos, de tal forma que possamos ver os dons do Espírito sendo usados de forma edificante e ordeira no santuário.

3. Edificando por meio do ensino.
Por meio do ensino bíblico, apresentamos assuntos teológicos e outros relacionados à vida cristã de forma sistematizada ao Corpo de Cristo, e todas as faixas etárias da igreja podem ser contempladas, cada uma com suas características e necessidades. É um momento em que há uma interação entre professor e aluno, o que não ocorre por ocasião da pregação expositiva da Palavra de Deus. E quando aprendemos realmente a Palavra de Deus, podemos usá-la de forma adequada tanto na Igreja quanto fora dela. Jesus dedicou grande parte de seu ministério ao ensino. Ele sabia que para dar prosseguimento à divulgação do Evangelho, seus sucessores deveriam ser ensinados sobre os princípios e verdades do Reino de Deus, e que pelo poder do Espírito, seriam lembrados dos ensinos de Jesus e os fariam conhecidos: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito” (Jo 14.26). O Espírito de Deus nos lembra o que aprendemos, ou seja, Ele se utiliza do que já recebemos para nos relembrar do que precisamos fazer.

Pense!
De que forma você tem sido um instrumento de Deus para edificar as pessoas que o cercam?

Ponto Importante
Adorar a Deus é uma das maiores oportunidades que o ser humano tem de reconhecer o senhorio do seu Criador e Senhor.

III. COM RELAÇÃO AO MUNDO — EVANGELIZAR

1. A necessidade de se falar de Jesus às pessoas.
Uma das missões mais importantes da Igreja é falar de Jesus às pessoas que ainda não o conhecem. A essência de se evangelizar é fazer com que Jesus esteja vivo em cada pessoa, e o ato de falar de Jesus a uma pessoa é o evangelismo. A Igreja Primitiva não cessava de anunciar a Jesus, mesmo sob perseguição. Eles sabiam que Jesus fazia tanta diferença em suas vidas que não poderiam privar outras pessoas de poderem experimentar uma relação sólida com Deus por meio do perdão dos pecados e da comunhão com Deus. Sigamos o exemplo dos crentes do primeiro século, que testemunhavam de Jesus sempre, mesmo sob perseguição, perda de bens e familiares. Todos temos a oportunidade de tornar Jesus conhecido de nossos parentes, familiares, amigos e mesmo daqueles com quem não temos qualquer tipo de relacionamento. Conhecer Jesus faz a diferença em nossas vidas, e o mesmo fará na vida de outras pessoas. Há pessoas que “conhecem” Jesus como um grande profeta, sacerdote ou pessoa que lutou por uma boa causa. Mas essas pessoas precisam saber que Jesus é o Filho de Deus, que está vivo, que veio para salvar os pecadores. Sem isso, Jesus permanecerá para tais pessoas uma figura histórica.

2. A salvação é oferecida a todos.
Deus, em Cristo, oferece gratuitamente a salvação dos pecados e da morte eterna por intermédio do sacrifício de seu Filho, Jesus Cristo. Devemos, conforme Cristo ordenou, fazer discípulos em todas as nações, sem distinção (Mt 28.19), pois a salvação não é privilégio de alguns poucos escolhidos aleatoriamente, mas de todo aquele que crê em Jesus Cristo, como falou o próprio Jesus: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). Jesus deve ser anunciado por todos os meios lícitos e para todas as pessoas. Quando dizemos que a salvação é para todos, entendemos que o ato de Jesus, de morrer por nossos pecados, abrange todos aqueles que creem na mensagem do Evangelho. Isso não significa que mesmo aqueles que rejeitaram a Jesus, no final das contas, terão uma oportunidade de se arrepender e ser salvos, pois a hora de decidir aceitar a Jesus é agora, e não depois da morte. Portanto, faça o nome de Jesus ser conhecido do maior número de pessoas que você conhece.

3. A presciência divina.
Deus evidentemente sabe, pela sua presciência, quem vai ou não rejeitar a mensagem da salvação, mas isso não significa que Ele predeterminou quem será salvo e quem não vai, e não podemos confundir a presciência divina com determinismo. O importante é anunciar a Cristo em todos os momentos e fazer o seu nome conhecido em todos os lugares.

Pense!
Até que ponto você tem feito do ato de evangelizar uma constante em sua vida?

Ponto Importante
Nossa missão é tornar Jesus conhecido não apenas com nossas palavras, mas principalmente com a nossa vida.

CONCLUSÃO
Somos chamados a servir na igreja local com propósitos bem definidos. Portanto, não podemos enterrar nossas vocações e talentos, e sim observar esses três propósitos — adoração, edificação e evangelização — de forma equilibrada, como também deve ser equilibrada a nossa vida cristã.

QUESTIONÁRIO

1. Segundo a lição, o que é adorar?
Adorar envolve mais do que cânticos e louvores. Envolve ter uma vida que agrade a Deus e que seja um exemplo de serviço a Ele e aos membros do Corpo de Cristo.

2. Qual é a adoração que Deus recebe?
É aquela que reconhece a grandiosidade de Deus não apenas no momento do culto, mas igualmente fora do ambiente do santuário, pois somos adoradores em tempo integral.

3. Qual dos fatos é um dos mais importantes na edificação do Corpo de Cristo?
A comunhão.

4. Qual o objetivo dos dons espirituais?
São instrumentos pelos quais Deus usa homens e mulheres com poder, apesar de suas limitações pessoais, em prol do crescimento e aperfeiçoamento dos santos.

5. Qual é a missão mais importante da Igreja?
É anunciar Jesus às pessoas que ainda não o conhecem.
http://marcosandreclubdateologia.blogspot.com.br/