16 fevereiro 2019

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 7


AULA EM 17 DE FEVEREIRO 2019 - LIÇÃO 7
(Revista CPAD)

Tema: Tentação — A batalha por nossas escolhas e atitudes
Texto Áureo: 1Jo 2.16

INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição você falará de uma batalha que acontece com ou sem a interferência de Satanás, onde o inimigo se aproveita da concupiscência carnal para levar a pessoa a decisões erradas.
"Há certo paralelismo entre os quarenta anos", um detalhe desse paralelismo é que ambos foram conduzidos pelo Espírito Santo.
"A diferença é que Israel não passou no teste", e nem apareceu a figura de Satanás cara a cara com eles para tentá-los, foram somente as adversidades e a carnalidade que determinaram suas ações.
I – A TENTAÇÃO
1. A provocação de Refidim.

"“tentação”, a mesma palavra usada no Novo Testamento grego", nesse contesto essa palavra tem o sentido de "provocação", no deserto os israelitas estavam provocando a ira de Deus. Pode se entender por teste, como se fosse um filho testando a paciência do pai para saber até onde ele cede às vontades do filho sem o repreender.
2. A experiência de Massá e Meribá.
"serviu como um paradigma daquilo que não se deve fazer", o paradigma é como um modelo subconsciente que define até mesmo a forma de pensar.
"Testar Deus é questionar sua fidelidade", assim como aconteceu com os hebreus no deserto, nem precisa de Satanás para que as pessoas tentem a Deus dessa forma, duvidando de sua fidelidade. Isso acontece quando a pessoa está concentrada somente nas coisas materiais.

3. Como um teste.
"que tentou Deus a Abraão”", o tentar aqui tem o significado de "teste", pois era Deus aplicando um teste a Abraão. Esse tipo de teste, Deus aplicar a qualquer crente, não pode ser chamado de tentação, pois não tem nada de semelhante ao que o inimigo faz. 

II. A TENTAÇÃO DE JESUS

1. Levado ao deserto (v.1).
- "Foi no deserto que grandes homens de Deus foram preparados", as inversões térmicas do deserto tornam a pessoa preparada para enfrentar as adversidades repentinas. Um momento está tudo bem e depois tudo desmorona.
"uma parte despovoada da Judeia, onde João Batista iniciou o seu ministério", toda a região da Palestina tem o clima semelhante ao deserto, bastava que uma região fosse despovoada, então já se tornaria num deserto.

2. Sobre o jejum de Jesus (v.1).
- "praticaram um jejum tão prolongado de quarenta dias, Moisés e Elias", só a título de curiosidade, foram esses dois que apareceram no monte da transfiguração conversando com Jesus Mt 17.3 e são cada um deles representante de um canal para com Deus, Moisés representando a Lei, Elias os profetas e Jesus é o que trás a graça.
"não é doutrina da Igreja", alguns crentes tomam algumas atitudes como doutrina, como o monte, a vigília, e jejum em prol de algo, mas tudo isso e muitas utras não são mandamentos de Deus.

3. Como a tentação aconteceu (v.3a).
...

III. A TRÍPLICE TENTAÇÃO

1. A primeira das três últimas tentações (v.3b).
- "ele desafiou Jesus quanto à sua identidade", o objetivo era evidenciar a dúvida ao ponto de Jesus ter de provar que era o Filho de Deus, assim o inimigo também nos tenta, querendo tirar a certeza da nossa posição com Deus, para nos fragilizar.

2. A segunda tentação (v.5).
- "A “Cidade Santa”, para onde Jesus foi transportado, é Jerusalém", biblicamente só há uma cidade sagrada, Jerusalém, seja a terrena ou a espiritual que se fundirão numa só no período do Milênio.
"Ter a proteção divina, conforme as promessas desse salmo", aqui Satanás usa a Bíblia para tentar a Cristo, mostrando que o inimigo pode nos tentar até mesmo nas igrejas, cada crente deve ter o cuidado, pois nem todos proposta feita no Reino é do Reino.

3. A terceira tentação (v.8).
...

4. Respostas de Jesus.
- "a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida”, cada uma dessas concupiscência foi trabalhada por Satanás nessa tentação: da carne, quando ele oferece que Jesus transforme as pedras em pães, dos olhos, quando o inimigo mostra-lhe os reinos do mundo, soberba da vida quando o convida a demonstrar o poder garantido na Palavra. FORTE ISSO!
"Ele foi vencido pelo poder da Palavra de Deus", todos os que sabem usar a Palavra de Deus podem ser vitoriosos do mesmo jeito sobre o inimigo. É preciso manejar essa espada.

CONCLUSÃO
- Faça a revisão.
- Corrija o questionário.

Pr Marcos André

Pr Marcos André - Contatos para palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)   http://marcosandreclubdateologia.blogspot.com/

Lição 1, Daniel ora por um despertamento - 05 de Julho de 2020

Ajuda para a Lição -

Wikipedia

Resultados da pesquisa