SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (71) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (146) CLASSE MATERNAL (103) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (505) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (284) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (9) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (147) MODISMOS (2) Mundo (608) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (229) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (110) REVISTA CLASSE JUNIORES (242) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (185) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (389) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (592) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

01 março 2012

1º Trim. 2012 - JARDIM DE INFÂNCIA - Lição 10: Recebido como Rei


1º Trim. 2012 - JARDIM DE INFÂNCIA - Lição 10: Recebido como Rei
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JARDIM DE INFANCIA – CPAD
1º Trimestre de 2012
Tema: A vida de Jesus
Comentaristas: Verônica de Oliveira Araujo & Marta Doretto
LIÇÃO 10 – RECEBIDO COMO REI
Ao Mestre
Professor (a)  há algum tempo, em minha congregação, nas reuniões de professores de EBD, “tenho batido na mesma tecla”, falando acerca da necessidade que todos nós, professores de EBD, temos de nos conscientizarmos da importância do trabalho que temos em mãos – não importa se aparecemos ou não, se reconhecem o valor de um professor de EBD ou não – devemos ter em mente que o fruto de nosso trabalho é a formação espiritual do crente, a edificação do Corpo de Cristo. Mesmo quando não dispomos de recursos, devemos nos conscientizar que a aula e nossos pequenos são de nossa responsabilidade, e por amor a Obra, devemos nos desdobrar para atender os interesses dos alunos, através de nossa própria atuação (criatividade, diversidade de metodologia, etc.).
Faz-se necessários termos sempre em mente, que é na EBD que o crente terá condições de ser filtrado, e se estruturar doutrinariamente – e a nós amados (as) nos é dada à oportunidade de ensinar a Palavra de Deus – estruturarmos o futuro da Igreja.
Que privilégio! E lembre-se não espere reconhecimento humano, aqui na terra a nossa maior recompensa é ver o resultado do nosso trabalho – vidas edificadas, cristãos autênticos para o Reino de Deus, mesmo que os homens não vejam, mas Deus que tudo vê já nos prometeu:
“... e os que a muitos ensinam à justiça refulgirão como as estrelas, sempre e eternamente.” Dn 12.3.
Texto Bíblico: Mc 11.1-11
Objetivo
Ministre sua aula de forma a conduzir os pequenos a compreender que Jesus como parente do rei Davi era de linhagem real tendo o direito de ser rei, e sendo Filho de Deus é Rei de reis.
A palavra é..
REI
Siga a instrução da revista de mestre, e explique aos pequenos que a autoridade dos reis terrenos é somente nas regiões onde mantém seu governo. Mas Jesus sendo Deus tem um governo sobre todo o universo e sendo SENHOR de todas as coisas, até mesmo da vida, é REI que tem o governo de tudo, em cujas mãos está todas a coisas – é REI sobre todos os reis.
Aprendendo a Bíblia
“O SENHOR é Rei para sempre”(Sl 10.16 – NTLH)
História Bíblica
Chegou a época da Páscoa, Quando Jesus e os discípulos estavam chegando a Jerusalém, foram até o monte das Oliveiras, que fica perto dos povoados de Betfagé e Betânia. Então Jesus enviou dois discípulos na frente, com a seguinte ordem:
 — Vão até o povoado que fica ali adiante. Logo que vocês entrarem lá, encontrarão preso um jumentinho que ainda não foi montado. Desamarrem o animal e o tragam aqui. Se alguém perguntar por que vocês estão fazendo isso, digam que o Mestre precisa dele, mas o devolverá logo.
Eles foram e acharam o jumentinho na rua, amarrado perto da porta de uma casa. Quando estavam desamarrando o animal, algumas pessoas que estavam ali perguntaram:
— O que é que vocês estão fazendo? Por que estão desamarrando o jumentinho?
Eles responderam como Jesus havia mandado, e então aquelas pessoas deixaram que os dois discípulos levassem o animal.
Eles levaram o jumentinho a Jesus e puseram as suas capas sobre o animal. Em seguida, Jesus o montou.
Muitas pessoas estenderam as suas capas no caminho, e outras espalharam no caminho ramos que tinham cortado nos campos.
Jesus montou no jumentinho e ploc... ploc... ploc... foi andando pelas ruas. Jesus estava indo para o grande e lindo templo de Jerusalém. Muitas pessoas começaram a acompanhá-Lo. Elas jogavam mantos, flores e folhas no caminho onde Jesus passava.
As pessoas começaram a dar vivas a Jesus. Falavam:
__ Viva Jesus!! Ele é o prometido de Deus. Jesus é o nosso rei! Hosana  (que quer dizer salva-nos) ao Rei que Vem em Nome do SENHOR.
Os chefes dos judeus se indignaram com as pessoas saudando a Jesus e disseram:
__ Jesus manda essas pessoas se calarem.
Jesus respondeu:
__ Por que? Por que elas devem se calarem? Não, elas estão falando a verdade – Eu Sou rei.
E as pessoas continuaram gritando:
__ Que Deus abençoe o Reino de Davi, o nosso pai, o Reino que está vindo! Hosana a Deus nas alturas do céu!
Assim Jesus entrou em Jerusalém, foi até o Templo e olhou tudo em redor. Entrou em Jerusalém aclamado como Rei, o filho de Davi.
Fixando a aprendizagem
Reproduzir os desenhos para os pequenos pintar e montar
Jd_1trim2012_L10_fig 1.png
Imagem: www.losninosylabiblia.blogspot.com
Fontes consultadas:
·         Bíblia NTLH – SBB
·         Bíblia Shedd – Editora Mundo Cristão – 2ª Edição
·         Bíblia Ilustrada Infantil – Editora Geográfica – Redatora Elvira Moraes Lustosa – São Paulo /SP, 2000
Colaboração para o Portal Escola Dominical: Profª. Jaciara da Silva.

1º Trim. 2012 - PRIMÁRIOS - Lição 10: O Salvador Reina


1º Trim. 2012 - PRIMÁRIOS - Lição 10: O Salvador Reina
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
PRIMÁRIOS – CPAD
1º Trimestre de 2012
Tema: Jesus é o nosso Salvador
Comentaristas: Laudicéia Barboza da Silva & Débora Ferreira da Costa
LIÇÃO 10 – O SALVADOR REINA
Ao Mestre
Professor (a)  há algum tempo, em minha congregação, nas reuniões de professores de EBD, “tenho batido na mesma tecla”, falando acerca da necessidade que todos nós, professores de EBD, temos de nos conscientizarmos da importância do trabalho que temos em mãos – não importa se aparecemos ou não, se reconhecem o valor de um professor de EBD ou não – devemos ter em mente que o fruto de nosso trabalho é a formação espiritual do crente, a edificação do Corpo de Cristo. Mesmo quando não dispomos de recursos, devemos nos conscientizar que a aula e nossos pequenos são de nossa responsabilidade, e por amor a Obra, devemos nos desdobrar para atender os interesses dos alunos, através de nossa própria atuação (criatividade, diversidade de metodologia, etc.).
Faz-se necessários termos sempre em mente, que é na EBD que o crente terá condições de ser filtrado, e se estruturar doutrinariamente – e a nós amados (as) nos é dada à oportunidade de ensinar a Palavra de Deus – estruturarmos o futuro da Igreja.
Que privilégio! E lembre-se não espere reconhecimento humano, aqui na terra a nossa maior recompensa é ver o resultado do nosso trabalho – vidas edificadas, cristãos autênticos para o Reino de Deus, mesmo que os homens não vejam, mas Deus que tudo vê já nos prometeu:
“... e os que a muitos ensinam à justiça refulgirão como as estrelas, sempre e eternamente.” Dn 12.3.
Texto Bíblico: Lc. 19.28-46
Objetivo
Ministre sua aula de forma a conduzir os pequenos a compreender que Jesus como Rei, não quer reinar em um país, mas sim em nossos corações
Frase do dia...
JESUS QUER REINAR EM MEU CORAÇÃO
Memória em Ação
“Dá-me, filho meu, o teu coração”(Pv. 23.26 – ARC)
Explorando a Bíblia
Chegou a época da Páscoa, Quando Jesus e os discípulos estavam chegando a Jerusalém, foram até o monte das Oliveiras, que fica perto dos povoados de Betfagé e Betânia. Então Jesus enviou dois discípulos na frente, com a seguinte ordem:
 — Vão até o povoado que fica ali adiante. Logo que vocês entrarem lá, encontrarão preso um jumentinho que ainda não foi montado. Desamarrem o animal e o tragam aqui. Se alguém perguntar por que vocês estão fazendo isso, digam que o Mestre precisa dele, mas o devolverá logo.
Eles foram e acharam o jumentinho na rua, amarrado perto da porta de uma casa. Quando estavam desamarrando o animal, algumas pessoas que estavam ali perguntaram:
— O que é que vocês estão fazendo? Por que estão desamarrando o jumentinho?
Eles responderam como Jesus havia mandado, e então aquelas pessoas deixaram que os dois discípulos levassem o animal.
Eles levaram o jumentinho a Jesus e puseram as suas capas sobre o animal. Em seguida, Jesus o montou.
Muitas pessoas estenderam as suas capas no caminho, e outras espalharam no caminho ramos que tinham cortado nos campos.
Jesus montou no jumentinho e ploc... ploc... ploc... foi andando pelas ruas. Jesus estava indo para o grande e lindo templo de Jerusalém. Muitas pessoas começaram a acompanhá-Lo. Elas jogavam mantos, flores e folhas no caminho onde Jesus passava.
As pessoas começaram a dar vivas a Jesus. Falavam:
__ Viva Jesus!! Ele é o prometido de Deus. Jesus é o nosso rei! Hosana  (que quer dizer salva-nos) ao Rei que Vem em Nome do SENHOR.
Os chefes dos judeus se indignaram com as pessoas saudando a Jesus e disseram:
__ Jesus manda essas pessoas se calarem.
Jesus respondeu:
__ Por que? Por que elas devem se calarem? Não, elas estão falando a verdade – Eu Sou rei.
E as pessoas continuaram gritando:
__ Que Deus abençoe o Reino de Davi, o nosso pai, o Reino que está vindo! Hosana a Deus nas alturas do céu!
Aí alguns fariseus que estavam no meio da multidão disseram a Jesus: —Mestre, mande que os seus seguidores calem a boca!
Jesus respondeu:
— Eu afirmo a vocês que, se eles se calarem, as pedras gritarão!
Quando Jesus chegou perto de Jerusalém e viu a cidade, chorou com pena dela e disse:
 — Ah! Jerusalém! Se hoje mesmo você soubesse o que é preciso para conseguir a paz! Mas agora você não pode ver isso.
Pois chegarão os dias em que os inimigos vão cercá-la com rampas de ataque, e vão rodeá-la, e apertá-la de todos os lados.
Eles destruirão completamente você e todos os seus moradores. Não ficará uma pedra em cima da outra, porque você não reconheceu o tempo em que Deus veio para salvá-la.
Jesus entrou no pátio do Templo e começou a expulsar dali os vendedores.
Ele lhes disse:
 — Nas Escrituras Sagradas está escrito que Deus disse o seguinte: “A minha casa será uma ‘Casa de oração’.” Mas vocês a transformaram num esconderijo de ladrões.
Jesus ensinava no pátio do Templo todos os dias. Os chefes dos sacerdotes, os mestres da Lei e os líderes do povo queriam matá-lo. Mas não achavam jeito de fazer isso, pois todos o escutavam com muita atenção.
Jesus não tinha medo deles, pois estava aqui na terra para fazer a vontade de Deus, ensinando aos homens sobre a salvação, para que possa reinar em nossos corações
Oficina criativa
Material:papel em 2 cores (verde e creme), cola, lápis.
Como fazer:Recorte as figuras (como amostra acima) separadas, em papel colorido.
Escreva versículos bíblicos no corpo do boneco,:
“O SENHOR é Rei para sempre”(Sl 10.16 – NTLH)
Pinte e enfeite como quiser, cole a folha na mão do boneco.
As crianças podem fazer todas as etapas; para agilizar, leve o desenho já riscado no papel, para que recortem e pintem.
Pri_1trim2011_L10_ fig 1.jpg
Fonte:/www.bernerartes.com.br  com Adaptação de  Jaciara da Silva
Fontes Consultadas:
·         Bíblia NTLH - SBB
·         Curso para Professor de EBD - Faculdade de Teologia e Ciências Humanas IBETEL – Pr. Vicente de Paula Leite
·         53 Histórias de Jesus – Geográfica Editora
Colaboração para Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva
 fonte www.portalebd.org.br

1º Trim. 2012 - JUNIORES - Lição 10: Jesus ensina sobre o amor a Deus


1º Trim. 2012 - JUNIORES - Lição 10: Jesus ensina sobre o amor a Deus
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUNIORES – CPAD
1º Trimestre de 2012
Tema: Os ensinos de Jesus
Comentaristas: Damaris Ferreira da Costa & Luciana Alves de Sousa
LIÇÃO 10 – JESUS ENSINA SOBRE O AMOR A DEUS
Ao Mestre
Professor (a)  há algum tempo, em minha congregação, nas reuniões de professores de EBD, “tenho batido na mesma tecla”, falando acerca da necessidade que todos nós, professores de EBD, temos de nos conscientizarmos da importância do trabalho que temos em mãos – não importa se aparecemos ou não, se reconhecem o valor de um professor de EBD ou não – devemos ter em mente que o fruto de nosso trabalho é a formação espiritual do crente, a edificação do Corpo de Cristo. Mesmo quando não dispomos de recursos, devemos nos conscientizar que a aula e nossos pequenos são de nossa responsabilidade, e por amor a Obra, devemos nos desdobrar para atender os interesses dos alunos, através de nossa própria atuação (criatividade, diversidade de metodologia, etc.).
Faz-se necessários termos sempre em mente, que é na EBD que o crente terá condições de ser filtrado, e se estruturar doutrinariamente – e a nós amados (as) nos é dada à oportunidade de ensinar a Palavra de Deus – estruturarmos o futuro da Igreja.
Que privilégio! E lembre-se não espere reconhecimento humano, aqui na terra a nossa maior recompensa é ver o resultado do nosso trabalho – vidas edificadas, cristãos autênticos para o Reino de Deus, mesmo que os homens não vejam, mas Deus que tudo vê já nos prometeu:
“... e os que a muitos ensinam à justiça refulgirão como as estrelas, sempre e eternamente.” Dn 12.3.
Texto Bíblico:  Mt 22.34-40
Objetivo
Professor (a) ministre sua aula de forma a conduzir seu aluno a:
Ø    Compreender que Deus é Criador de todas as coisas, e que através DELE, vivemos e respiramos. Devemos reverenciá-Lo e adorá-Lo.
Introdução
Temos nesta narrativa de Mateus o diálogo de um escriba com Jesus. Os escribas eram intelectuais, minuciosos conhecedores dos textos da Lei. Este que dialoga com Jesus chega a afirmar que o amor a Deus e ao próximo supera todos os holocaustos e sacrifícios. Reconhece, assim, os dois maiores mandamentos. Jesus, então, afirma que ele não está longe do Reino de Deus. Por seus detalhes, esta narrativa assemelha-se à cena do jovem rico (Mc 10.17-22), ao qual apenas faltou dar tudo aos pobres e seguir Jesus. A expressão de nossa adesão ao amor de Deus não é o culto religioso, mas sim o amor concreto, leal a Ele e o amor solidário ao nosso próximo.
O grande mandamento
Certa vez Jesus foi questionado por um jovem de qual seria o maior dos mandamentos da Lei de Deus. Então, Jesus respondeu dizendo: “Amarás o Teu Deus de todo coração, de todo entendimento e teu próximo como a Ti mesmo”.
Desta maneira Jesus resumiu a espiritualidade daquele que quer caminhar com Ele sendo seu discípulo. Ele revela o que seu Pai espera de cada um de seus filhos.
Amar a Deus sobre todas coisas       
Ao confirmar esta passagem bíblica, Jesus chamou a atenção para a necessidade da excelência do amor a Deus. Este amor precisa ser expresso com todo entendimento, com toda alma, com todo coração e com todas as forças.
Diante dos incontáveis motivos que temos para amar a Deus – pelo que Ele é e faz – trazemos apenas cinco razões que os motivarão mais e mais a amá-lo sobre todas as coisas:
 1.    Ele é o “Eu Sou” (Ex 3.14) – Ele existe porque sempre existiu, e porque existirá para sempre. A existência de Deus é a razão do nosso ser e a fonte da vida. Ele é um Ser dotado de personalidade, emoções e é sensível às coisas do coração. É transcendente, pois ocupa todos os espaços e também é Imanente: está dentro de nós.

2.    Deus é a razão e a Causa de todas as coisas (Sl 24.1). Só um Ser superior poderia e pode trazer a existência coisas e seres inexistentes. Todas as coisas estão Nele, provém Dele e são para Ele.
3.    Ele é infinito, sem fronteiras ou limites quanto ao seu Ser (Sl 139.7,8). Hidelberk de Lavardim declara: “Deus está sobre todas as coisas, sob todas as coisas; dentro, mas não enclausurado; fora, mas não excluído; acima, mas não elevado; embaixo, mas não deprimido; inteiramente acima, presidindo; totalmente abaixo, sustentado; totalmente por dentro, preenchendo todo espaço”.
4.    Deus é o Senhor absoluto de todo o poder (Jó 42.1,2; Sl 62.11). O exercício do poder de Deus não se revela nos limites da vontade humana, mas, sim, nos desígnios soberanos Dele.
5.    Deus conhece perfeitamente a Si mesmo. Sendo o Autor e a Fonte de todas as coisas, segue-se que Ele sabe tudo o que pode ser conhecido (Sl 139.1-6).
Amar ao próximo como a si mesmo
É comum vermos pessoas dizerem que promover à justiça, o amor, a caridade é estar fazendo a vontade de Deus, ou que é isso que Ele quer de nós. Criamos a idéia que agindo assim voltados exclusivamente para o próximo já estamos kits com Deus.
É importante entendermos que amar o irmão, praticar a filantropia, ser uma pessoa que procure viver a justiça não significa dizer que colocou Deus em primeiro lugar na vida. Há muitos que fazem tudo isto, e na verdade, são ateus não aceitando em hipótese algum a existência de Deus. Outros têm espiritualidades que desfiguram totalmente o Deus o qual nos foi apresentado.
 
Porém, quando na verdade seguimos o pensamento de Jesus e colocamos Deus acima de tudo, e O amamos sobre todas as coisas e de todo nosso entendimento, certamente, somos movidos  a viver o segundo seu mandamento, isto é, promovendo o amor, a justiça, a caridade, pois este compromisso está ligado ao amor a Deus e não exclusivamente ao próximo.
Aplicação da Lição
Prezado (a) enfatiza aos pequenos que temos que procurar viver estes mandamentos de maneira correta, eliminando muitas vezes desculpas por não viver os mandamentos do Senhor Deus. 
Devemos amar a Deus sobre todas as coisas, e seu Nome deve ser glorificado, não que Ele necessite, mas  para que muitos que sofrem ou que estão perdidos em suas vidas possam descobrir que Nele é que encontra o refugio e saibam que se fazemos algo de bom não é exclusivamente por nós, mas sim Ele em nós, e assim Deus é anunciado para muitos que não O conhece através de nossas atitudes. O amor á Deus, deve estar sempre na frente de qualquer expressão seja de amor ao próximo ou a mim mesmo.
Atividade:
Reproduza o desenho abaixo e dê aos pequenos
Fontes Consultadas:
·                    Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal – Editora CPAD – edição 2003
·                    Bíblia de Estudo Plenitude – SBB/1995 – Barueri/SP
·                    Bíblia de Estudo Pentecostal – Editora CPAD – Edição 2002.
·                    Bíblia Shedd – Editora Mundo Cristão – 2ª Edição
·                    Dicionário Vine – Editora CPAD – 3ª Edição 2003
Colaboração para o Portal Escola Dominical: Profª. Jaciara da Silva.
fonte www.portalebd.org.br

1º Trim. 2012 - JUVENIS - Lição 10: Salmos falam de solidão


1º Trim. 2012 - JUVENIS - Lição 10: Salmos falam de solidão
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUVENIS – CPAD
TEMA: Edificando a vida cristã através dos Salmos
COMENTARISTA: Regia Carvalho
LIÇÃO 10 – SALMOS FALAM DE SOLIDÃO
ENFOQUE BIBLICO
“Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, me não esquecerei de ti.” Is 49.15
OBJETIVOS
Conceituar e exemplificara solidão.
Explicaras causas da solidão
Apresentarmaneiras de resolver o problema da solidão  
   
INTRODUÇÃO
Quem gostaria de viver na solidão? Incrível mas já percebeu que às vezes queremos ficar só, não sabemos o porquê disso, se o ser humano foi feito para a vida gregária. Mas temos necessidades de ficarmos momentos isolados, principalmente quando há uma sobre carga de trabalho, problemas a serem resolvidos. Existe algo complicado para entender aquilo que faz mal para uma pessoa pode ser alegria do outro, numa separação, por exemplo, um pode sofrer tanto enquanto o outro pode pensar que esta se escapando de algo ruim e se alegrar com tudo isso. Não somos todos iguais, o professor (a), deve notar que na classe tem alunos com todos os tipos de temperamentos, uns suportam certas dificuldades e não sofrem tantos outros já necessitam de ajuda para sair de situações difíceis e se não forem ajudados ficarão depressivos e podem até serem acometidos com doenças físicas alem da solidão. Mas afinal que mal é esse tão debatido na filosofia, na psicologia, pelos analistas enfim um assunto bem presente “solidão”, não é mais tema de poesia, é a doença do século XXI.
CONCEITUANDO E EXEMPLIFICANDO A SOLIDÃO           
O dicionário define como estado de quem vive só; isolamento. Uma pessoa desamparada, solitário. Segundo dados da organização mundial da saúde, solidão é um dos mais graves problemas nesta virada de milênio é um dos fenômenos psicossociais que mais tem levado pacientes a escritório de psicólogos e analistas.
Existem algumas razões que levam a esses indicadores alarmantes. A primeira razão é que todo ser humano tem a necessidade de pertencer a grupo cujas regras sejam claras e que lhe permitam transitar por ele e de modo confiante e seguro. É importante que haja afinidades e que o grupo desperte um estado de pertencimento.
A família é o primeiro contexto responsável por transmitir ao jovem esse sentimento de acolhimento e de pertencimento. Para que o jovem estabeleça uma aliança fora de casa em um processo natural de sua busca de independência, ele necessita de modelos e nada melhor que a família.
O problema é que no avanço de hoje o jovem não se sente parte integrada da família, as famílias em geral se sente perdidas no relacionamento enquanto os filhos crescem. Por essa razão não podem passar os valores éticos e morais que incluam solidariedade, honestidade, cooperação, bem como estabelecer regras claras para a sobrevivência. A perda dessa bússola, trás solidão profunda. 
Outra razão é a sociedade exigente no que tange a competitividade, com isso as pessoas mais tímidas e as sensíveis sofrem vários distúrbios ao ter que interagir-se. Essas dificuldades os levam a sentir solitários, isolados de uma competitividade que muitas vezes é desonesta. A impressão é que não há em quem confiar isso é muito complicado. Veja um exemplo bem simples: Foi-se o tempo em que duas amigas eram cúmplices quando uma delas estava apaixonada por um rapaz, mas, agora existe o risco de que a amiga fique com ele também. Não há como evitar a angustia, a traição, a ferida que contaminam os veículos, que geram solidão.
A solidão atinge a homens e mulheres de todas as idades, um dos grandes flagelos da humanidade. Não da para imaginar um mundo em que as pessoas vivem quase que empilhadas um mal dessa natureza possa atingir milhares de pessoas. Vivemos em um mundo plugado em questões de segundos podemos dar uma volta ao mundo, através dos meios de comunicações estamos conectados com pessoas que jamais vamos conhecê-las, nem sabemos quem são. Reuniões, palestras, informações de modo geral são realizadas sem que todos estejam em um mesmo lugar, até mesmo julgamentos já estão sendo realizados com o réu em outra cidade ou distante do magistrado.
No entanto estamos desligados das pessoas que nos amam, filhos não falam mais com seus pais, passam a maior parte de seu tempo ligado nas parafernálias eletrônicas. A própria TV, um instrumento de entretenimento, já é instrumento que causa separação familiar, não há mais dialogo entre os seres. Essa corrida para compreender e aprender lidar com todo esse amarfanhado de coisas, trás distanciamento das pessoas. Não há como escapar da solidão, mesmo dentro da casa, onde deveria ser o local de aprendizado, de preparação para enfrentamento na sociedade, as pessoas vivem solitárias. Uma nova modalidade de família se forma; aquele “sim” do altar agora é “por enquanto sim”(folha universal 871), aquela educação dada aos filhos no sentido de orientá-los para a vida futura não temos mais tempo, então cada um por si. Suzana Wesley, quando perguntaram a ela: “qual a razão de todos os seus filhos serem pastores? A resposta foi: Cheguei antes do diabo e lhes ensinei.”
Muito diferente hoje para se livrar dos filhos os pais adquirem celulares, computadores, games e presenteiam-lhes ainda na pré-adolescência. Boa parte deles a partir daí não participa mais dos cultos, ajoelham nas igrejas e ficam enviando torpedos, alguns estão conectados na internet, entram no mundo da pornografia e depois ficam sofrendo uma solidão infinda, pois quer namorar moças parecidas com aquelas produzidas pela tecnologia, diferente do mundo real.
a)                 A solidão natural
Todo ser humano necessita de companhia, amizades, enfim viver em sociedade. É natural viver uma solidão quando apartado de seus familiares, amigos mais próximos. Em um divorcio, por exemplo, os filhos sentirão a ausência de um dos progenitores, não poderão mais estar com os dois e isto trás uma solidão natural. Esse tipo de solidão pode ser solucionado com a amizade dos cônjuges separados, facilitando assim a situação dos filhos enquanto menor. Outra coisa é quando um filho vai embora do lar, deixando ele a casa é normal a mãe por mais que tenha outros filhos sentir solidão. O rompimento de um namoro pode trazer solidão a um dos nubentes. Ainda que não podemo-nos esquecer dos melancólicos que sempre reclamam que ninguém gosta deles que são sozinhos e não tem amigos.
b)                 A solidão voluntaria
Essa em alguns momentos pode ser benéfica, há momentos que sentimos a necessidade de estar a sós. Esse tipo de solidão faz com que nos encontramos a nós mesmos, analisamos e fazemos uma retrospectiva de nossas ações e fazemos uma introspecção também. Ficar sozinho em uma floresta ou numa praia deserta faz muito bem a nossa saúde.
O ponto mais importante é manter momentos a sós com Deus, sentir nitidamente a sua presença em nossas vidas isso fará com que despojamos de toda carnalidade possível.
A solidão voluntaria tem também o seu lado pernicioso, por meio dela se chega facilmente à exacerbação do EU. Podemo-nos julgar superiores aos demais seres humanos. Alguns chegam ao cumulo de se igualar ao próprio Deus (Lc 18.13)
c)                  A solidão involuntária
Nesse caso não é a nossa vontade, mas às vezes nos sentimos solitários, solidão involuntária é a pior de todas, você não quer estar só, mas esta. Jesus sofreu essa solidão a partir Getsêmani e foi até a cruz. Houve um momento que ele gritou “Meu Deus porque me desamparaste”. Em (Mt 26.40), Jesus sente a agonia de abandono pelos discípulos e na cruz agonizante não sente a presença do Pai (Mt 27.46).
AS CAUSAS DA SOLIDÃO
O pastor Jaime Kemp apresenta em sua coluna no Bíblia Word Net, as seguintes causas:
Obsessão  pela eficiência- quando não atingido causa sentimento de inutilidade e falta de significado para a vida.
A ruptura de relacionamentos- principalmente os adolescentes com a separação dos pais.
Baixa estima- cuidado ao depreciar uma pessoa colocada para realizar algo que não é a sua especialidade. Ele se sentira um incompetente e pode nunca mais querer fazer nada. Alguns olham nos espelhos e se entristece por não ter o corpo que desejaria ter. É uma das causas da baixa estima.

Relacionamentos inadequados – jugo desigual, uma criança até os nove anos de idade precisa muito de um relacionamento bem adequado para enfrentar a adolescência.
Medo – as pessoas lutam e se escondem para viver uma solidão profunda, ela se escondem com medo de cair a mascara e revelar-lhes.
Desejo de dependência– anseio por autonomia, adolescentes são os mais atingidos nesse quesito.
Circunstancias– abandono do namorado (a), reprovação no vestibular, mudanças de bairro ou cidade.
Indisposição para comunicar-se– é uma das raízes da solidão pessoal.
Repercussão espiritual – solidão é o resultado do distanciamento de Deus. A rebelião humana foi à causa parcial da solidão.
O Pr Kemp ainda cita outras causas como a timidez, rejeição, doença física, sentimento de não pertenço, conflito não resolvido, morte de ente querido, desejo de namorar alguém que nunca se interessa e muitas atividades.
Solidão não se trata de algo banal que deve ser deixado para lá, a pessoa pode correr sérios riscos, pois outros problemas poderão acompaha-la. Problemas como: extrema aflição, a pessoa pode ficar fora da realidade, achar que a vida não vale a pena, desesperançado com uma situação. Estes problemas são as causas da maioria dos suicídios, nos EUA, trinta mil pessoas se suicidam entre os 15 e 44 anos. Esse tipo de morte lá ocupa a 8ª posição entre as causas gerais de morte . (site ABC da saúde).
A Bíblia fala de alguns homens que se desesperançaram da vida, dentre eles Elias, pediu para morrer (1Rs 19.4), Jonas também pediu para morrer e alias ele quando jogado no mar teve seu consentimento, ninguém jamais conseguira sair ileso sendo jogado nas águas em distancias impossíveis de alcançar as margens , Deus o livrou. Mas no final da historia missão cumprida, Jonas esta vivendo uma profunda solidão e desejando a morte (Jn 4.1-3).
MANEIRAS DE RESOLVER O PROBLEMA DA SOLIDÃO
Eu diria que companheirismo é uma das maneiras de ajudar na solidão, aquele companheirismo que não ambiciona nada para si. Pois a casos em que pessoas mal intencionadas aparecem para ajudar no sentido de aproveitar de uma situação. Por exemplo, lucrar alguns valores, humilhar a pessoa porque em outra ocasião ele (a) se sentiu ofendido com alguma coisa então esse é o momento de se vingar? Pelo contrario a vingança não pertence a nós devemos ajudar com palavras de animo, lendo passagens bíblicas, testemunhando para que a pessoa se anime outra vez.
O profeta Elias estava deitado debaixo de um zimbro, facilmente seria encontrado e morto. Deus mandou-lhe comida e água por duas vezes, houve ali uma insistência, pois Elias estava muito abatido. Quarenta dias depois ele esta enfiado numa caverna com os mesmos problemas e Deus torna lhe falar e desperta-lo. O companheirismo divino foi muito importante na vida de Elias, ele tinha credito com Deus, mesmo que ele não quisesse mais falar com Deus e nem servi-lo mais como profeta, não foi deixado morrer depressivo e Deus que tudo pode fazer por sua soberania, pensou o seguinte: Elias não vai morrer de jeito nenhum, vou trazê-lo para o céu sem provar essa morte que ele tanto deseja. (conjectura minha)
Deus é quem cuida dos seus, principalmente os que ele chamou e enviou a algum trabalho especifico. Jonas quando entrou em depressão Deus estava lá juntinho dele, falando e orientando aquele grande homem, que muitas vezes o chamamos de fujão e de tantas outras coisas. Deus nunca pensou assim de Jonas, quem dera todos pudéssemos ter a amizade de Deus como esse profeta. Não da para avaliar o valor desse profeta perante Deus, até no ventre do grande peixe, Deus cuidou e ficou esperando a decisão, parece que Deus entrou com ele no peixe (Jn 2.1). Na hora que o sol esquentou devido ao vento enviado especialmente por Deus, Jonas desfaleceu a alegria foi embora e ele quis de novo morrer. Quem estava lá? O Soberano com voz poderosa e firme. Vamos aqui conjecturar Jonas repousava esperando a derrocada da cidade, Deus mandou o sol escaldante aquecer a cabeça dele e ficou ali ao seu lado. O profeta acordou irado, cheio de impropérios, ouviu quando Deus lhe perguntou: “È razoável essa tua ira por causa da planta? (Jn 4.9 – ARA)
Poderíamos falar de outros tais qual profeta Jeremias, porem gostaria deixar aqui algumas maneiras de resolver o problema da solidão. Já vimos no inicio que existem médicos que tratam do assunto que são os psicólogos, porém nunca devemos nos esquecer de dois fatores fundamentais para nós os cristãos que é a Palavra de Deus e a oração. A Palavra pode ser lida ou ouvida, através dela vem à fé, que faz transpor as barreiras da solidão. Quanto à vida de oração nos coloca frente a frente com o Criador, ele nos ouve, entende tudo, é nosso melhor amigo, tudo que você falar com Ele, jamais alguém vai saber nossos segredos são guardados. Ele é fiel.
CONCLUSÃO
Podemos ver uma pessoa andando só e ela não esta passando por nenhuma solidão, embora solidão signifique desacompanhado, isolado, solitário etc., ela é um estado de espírito. Eis a razão do porque mesmo estando em meio às multidões é possível estar passando por uma terrível angustia e se sentindo só. As muitas causas que levam a solidão afetam a todas as famílias, razão de homens e mulheres em todas as idades ser atingidas com esse terrível mal, conhecido como a doença do século. A igreja deve estar atenta, exatamente nesse momento que o mundo passa por uma crise, muitas empresas falindo, outras diminuindo seus quadros de funcionários. Já estamos tendo desempregados, empresários endividados, falindo, tudo isso reflete na vida espiritual.  Eis o momento de agirmos com companheirismo, cordialidade oração, jejum e pregação da Genuína Palavra de Deus, que gerará fé nos corações e fará que esse mal terrível chamado solidão fique bem longe de nossas igrejas (At 2.42-47).
OBRAS CONSULTADAS
Soma .com.br
Blog Elizabeth salgado
Bíblia Word Net – espaço jovem com Pr Jaime Kemp
ABC da saúde.com
Colaboração para o Portal Escola Dominical - Pr Jair Rodrigues

1º Trim. 2012 - PRÉ-ADOLESCENTES - Lição 10: Eu e minha casa


1º Trim. 2012 - PRÉ-ADOLESCENTES - Lição 10: Eu e minha casa
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
PRÉ-ADOLESCENTES CPAD
1º TRIMESTRE DE 2012
Tema: Conhecendo a si mesmo e os outros
Comentarista: Ângela Sueli Silva da Costa
LIÇÃO 10 – EU E MINHA CASA
Texto bíblico   Ef 6.1-3   Pv 1.8,9
Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo.
Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa,
Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra.
Filho meu, ouve a instrução de teu pai e não deixes a doutrina de tua mãe.
Porque diademas de graça serão para a tua cabeça e colares para o teu pescoço.
O texto descrito acima faz parte da epistola do apostolo Paulo aos efésios, nela Paulo instrui a igreja a observar os mandamentos de Deus para a família, cada membro possui a sua responsabilidade, não apenas em obediência a Deus, mas também para o pleno desenvolvimento da  família.
Deus é o arquiteto da família, assim repartiu para cada membro uma responsabilidade, o texto acima destaca a responsabilidade dos filhos em relação aos pais.
“Há uma diferença entre obedecer e honrar; obedecer  significa  agir de acordo com instruções recebidas. Honrar significa respeitar e amar.
Os filhos são obrigados a obedecer os pais enquanto estiverem sob o seus cuidados, mas a responsabilidade de honrar é para toda a vida”.
( Comentário extraído da Bíblia de Aplicação Pessoal)
Introdução
No sentido bíblico o termo “casa” muitas vezes é utilizado para simbolizar a família, um exemplo disto está em Js 24.15d
“... porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor.”
Josué estava afirmando que a sua familia serviria a Deus.
A família é uma instituição divina  a qual o adolescente encontra  proteção e desenvolvimento físico, moral e psicológico.
I- O que é Família?
Segundo o dicionário familia é:
Pessoas aparentadas, que vivem, em geral, na mesma casa, particularmente o pai, a mãe e os filhos. Pessoas unidas por laços de parentesco, pelo sangue ou por aliança: Ascendência, linhagem.
Mas é a Bíblia que nos fornece uma definição mais precisa, pois a familia é uma instituição divina,ou seja,foi o próprio Deus quem a criou.
A familia é algo tão importante que Deus a criou antes mesmo da Igreja, do Estado.
Em Deus esta o principio de tudo, não poderia ser diferente em relação a família, pois Deus foi o seu idealizador, e tudo começou no jardim do Éden. A intenção Dele era que a terra fosse totalmente habitada, e que o homem dominasse sobre a sua criação, esse propósito seria
plenamente realizado através da família . Por isso logo viu que não era bom que o homem
estivesse só, com isto formou uma companheira para ele, da qual logo tiveram filhos, iniciando assim a primeira família.
E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja {ou lhe assista} como diante dele .
Então, o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costela s e cerrou a carne em seu lugar.
E da costela que o Senhor Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão.
(Gn 2.18,21,22)
 Deus na sua infinita sabedoria já havia arquitetado tudo isto, visando o nosso bem estar, pois na família e principalmente se ela for bem estruturada, temos todas as condições para um desenvolvimento físico, social, mental e espiritual, podemos destacar que:
* Família produz formação para a vida.
No ambiente familiar são formado o caráter, definidos os valores morais que conduziram a conduta das pessoas. É importante um ambiente saudável, equilibrado e construtivo no lar.
Geralmente se diz a respeito da má conduta de alguns que eles são produto do meio, isto porque uma proporção alta as pessoas fazem nos diversos meios em que vive, aquilo que conviveu e aprendeu em casa.
* Família é um ambiente para experimentar a fé.
O ambiente familiar é o lugar mais difícil, da qual o adolescente precisar expressar sua fé, e isso gera algumas vezes uma vida dupla, alguns adolescentes na igreja se comportam de maneira tipicamente exemplar, mas em casa são irreconhecíveis como crentes.
Uma fé que não é manifestada no ambiente familiar não passa de uma farsa, e é preciso rever essa situação.
* Família é um posto de reabastecimento emocional.
Vivemos a vida numa sociedade desumana, competitiva, somos cercados pelo mundanismo e pecado, e isto gera um certo nível de estresse e ansiedade, sendo assim como seres humanos precisamos de um espaço onde se possa relaxar, ter um pouco de paz, e assim se refazer as forças e animo. A família precisa ser este espaço, onde são recuperadas as energias, a motivação e alegria.
II- O melhor lugar de se aprender
Já afirmamos por diversas vezes que a fase que o adolescente atravessa é um período de descobertas e muito aprendizado.
Neste sentido podemos afirmar que existem duas principais agencias que promovem aprendizado.
A família é a primeira, desde o nascimento, a criança está  preparada para receber e armazenar informações e, os pais são a fonte primária desse processo
No seio familiar aprende-se a falar, identificar objetos, pessoas, lugares e principalmente a manifestar amor, carinho e afeto. Assim sendo cabe aos pais, suprirem as necessidades do adolescente: físicas, emocionais, culturais e espirituais.
O segundo grupo e não menos importante, é a escola. Nessa fase inicia-se novos aprendizados: Matemática, Ciências, História, Geografia, Língua Portuguesa, que compõem o currículo escolar.
Estes são os conhecimentos historicamente construídos pela humanidade. Estes conhecimentos são importantes e necessários para uma formação profissional, porem é na família que de fato o adolescente recebe a formação necessária para desenvolver-se  em todos os sentidos; social e espiritual.
Da mesma forma como Deus criou o homem para viver em família, a família se tornou a principal fonte de formação, é claro que para isto é necessário uma família bem estruturada, com pais responsáveis desta missão, ou seja educar os filhos.
A escola publica é uma criação da sociedade moderna, mas a bíblia relata que desde o principio Deus já havia estabelecido que no lar  o ensino deveria ser dado aos filhos;
E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração;
E as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, deitando-te, e levantando-te. (Dt 6.6,7)
Infelizmente  a sociedade moderna vive uma crise de valores éticos e morais sem precedentes, e esta crise tem alcançado estas agencias de educação.
A escola não consegue mais desempenhar o seu papel principal , ou seja educar; isso ocorre por varias razões; falta de apoio dos governos, desmotivação dos alunos, desvalorização dos professores, a falta de segurança, e por fim todo o sistema educacional, tanto no conteúdo didático, como nas diretrizes de ensino.
Por outro lado a família também vem sendo muito atacada, aquela família tradicional, constituída de pai, mãe e filhos tornou-se uma raridade. Atualmente, existem famílias dentro de famílias. Com as separações e os novos casamentos, aquele núcleo familiar mais tradicional tem dado lugar a diferentes famílias vivendo sob o mesmo teto. Esses novos contextos familiares geram, muitas vezes, uma sensação de insegurança e até mesmo de abandono,  e negligencia dos pais na educação dos filhos.
Além disso, essa mesma sociedade tem exigido, por diferentes motivos, que pais e mães assumam posições cada vez mais competitivas no mercado de trabalho. Então, enquanto que, antigamente, as funções exercidas dentro da família eram bem definidas, hoje pai e mãe, além de assumirem diferentes papéis, conforme as circunstâncias saem todos os dias para suas atividades profissionais. Assim, observa-se que, em muitos casos, crianças e adolescentes acabam ficando aos cuidados de parentes (avós, tios), estranhos (empregados) ou das chamadas babás eletrônicas, como a TV e a Internet, vendo seus pais somente à noite.
É triste afirmar, mas os próprios pais crentes também se deixam levar por essa irresponsabilidade, mesmo a Bíblia conferindo a eles essa  responsabilidade.
 Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele. (Pv  22:6)
Uma recente pesquisa em São Paulo se constatou que boa parte dos adolescentes e jovens presos são filhos de evangélicos, verdadeiramente os seus pais não tem cumprido com o versículo descrito acima.
III- Dividindo as tarefas
Um  importante papel dos filhos em relação a sua família é colaboração.
Assim como os pais se empenham para prover todas as necessidades da família, os filhos devem segundo as suas forças colaborar em todos os sentidos, não só para amenizar a carga sobre os pais, mas também porque a sua contribuição pode em muito fazer a diferença.
Essa colaboração pode ser da seguinte forma:
a) serviços práticos
Cada família tem a sua particularidade, por isso o adolescente precisa estar disposto a realizar serviços práticos, que vão desde as tarefas domesticas como também cuidar de irmãos menores.
Isto com o propósito de auxiliar seus pais, sabendo que certamente serão estimados por eles por sua disposição, certamente que esse procedimento contará muito diante de Deus.

E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis. (Cl 3.23,24)
Sabendo que esse esforço não somente resultará em benção da parte de Deus, mas também será uma experiência adquirida, pois certamente um dia o adolescente assumirá as mesmas responsabilidades que seus pais têm hoje.
b) força moral
Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.
Porque, se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante  (Ec 4.9,10)
Um ao outro ajudou e ao seu companheiro disse: Esforça-te! (Is 41.6)
Estes três versículos nos mostram como é importante na família o companheirismo, pois certamente que existem momentos de dificuldades, tanto no sentido pessoal como também financeiro.
Em um momento de doença é necessária a união da família, no sentido de dar animo, força, incentivo. No momento de dificuldade financeira, compreender que seus pais fazem o que é possível. Nesse momento o adolescente também colabora orando por sua família e pedindo que Deus a abençoe.
c) força espiritual
A força espiritual do adolescente deve ser aplicada conforme a situação que há na sua família,
alguns vivem num lar evangélico enquanto outros vivem num lar onde apenas eles servem a Deus. Em um lar evangélico o adolescente deve dar sua colaboração nos cultos domésticos quando esse houver, esta presente juntamente com a sua família na igreja, e lembra que grande parte das vezes, todo procedimento do adolescente na igreja recai sobre seus pais, quer seja bom ou ruim; deste modo é necessário ter em mente que acima de tudo o adolescente deve colabora para manter o bom nome da sua família perante a igreja.
Em um lar onde os pais não são evangélicos; a colaboração espiritual deve ser dobrada, pois o
adolescente não precisa apenas manter a sua vida espiritual, mas também demonstrá-la através de seus atos, deve ser exemplo em obediência e honra a eles. O adolescente deve ser o meio pelo qual o evangelho entre na sua família.
d) força financeira
De igual modo o adolescente deve enfrentar a realidade da sua família, caso os seus pais tenham meios de suprir todas as necessidades do lar isentando o adolescente de trabalhar, este deve com paciência se esforçar nos estudos, visando o futuro.
Além do estudo o adolescente deve ser grato a seus pais e colaborar nas tarefas domésticas quando não esta na escola.
Quanto aos que por necessidade tem de trabalhar; é necessário fazer com alegria, tendo em mente que Deus é poderoso para a seu tempo reverter essa situação, mas com tudo é preciso ter consciência de que nenhum trabalho é em si indigno, mas é honroso e dignifica os que o fazem com coragem.
Conclusão
Nosso Senhor Jesus Cristo valorizou a família. Veio ao mundo através de uma família.
Além de pais, teve irmãos e irmãs (Mt 13.55-57). Teve seu crescimento físico, social, intelectual e espiritual no seio da família (Lc 2.52).
 No seu ministério, não costumava a hospedar-se em hotéis, mas desfrutava da hospitalidade de um lar (Mt 8.14; Lc 10.38-42).
Em muitos milagres, demonstrou seu cuidado para com a família (Mt 8.14-15; Lc 7.12-16).
Seu primeiro milagre foi realizado numa festa de casamento (Jo 2.12).
Ensinou-nos a orar, chamando Deus de"Pai Nosso"(Mt 6.9). Enfatizou o quarto mandamento, mandando honrar pai e mãe (Mt 15.3-6; Mc 7.10-13). Teve um trato especial com as crianças, abençoando-as (Mc 10.13-16).
Que o adolescente possa desfrutar de toda paz, segurança e aconchego que uma família possa dar.
Que Deus os abençoe.
Colaboração para o Portal Escola Dominical – Prof. Jair César S. Oliveira

Lição 5, A Mordomia da Igreja Local

  Lição 5, A Mordomia da Igreja Local