SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (71) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (146) CLASSE MATERNAL (103) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (505) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (284) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (9) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (147) MODISMOS (2) Mundo (608) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (229) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (110) REVISTA CLASSE JUNIORES (242) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (185) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (391) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (592) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

17 março 2012

JARDIM DE INFÂNCIA - Lição 12 – Jesus prova o seu amor por nós Escrito por Jaciara da Silva


1º Trim. 2012 - JARDIM DE INFÂNCIA - Lição 12 – Jesus prova o seu amor por nós
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JARDIM DE INFANCIA – CPAD
1º Trimestre de 2012
Tema: A vida de Jesus
Comentaristas: Verônica de Oliveira Araujo & Marta Doretto
LIÇÃO 12 – JESUS PROVA O SEU AMOR POR NÓS
Texto Bíblico: João 19.1-41
Objetivo
Ministre sua aula de forma a conduzir os pequenos a compreender que Jesus por nos amar muito, muito, se deixou prender e morrer em nosso lugar, para podermos ser perdoados de nossos pecados (coisas erradas que praticamos) e ir morar no céu.
A palavra é..
AMOR
Desenhe um coração, e pergunte aos pequenos (as) que sentimento o desenho de um coração representa – Isso mesmo – o amor.
Amar é quando gostamos muito, mas muito mesmo de uma pessoa. Jesus ama muito todos nós, ama tanto que resolveu vir a terra para estar perto de nós, e morrer para nos dar o perdão do pecado.
Aprendendo a Bíblia
“Mas Deus nos mostrou o quanto nos ama: Cristo morreu por nós quando ainda vivíamos no pecado. (Rm 5.8 – NTLH)
Escreva o versículo em letras com cores bem vivas em uma cartolina. Em seguida, recorte em forma de um quebra-cabeça, para as crianças montar. Assim que terminarem a montagem peça que leiam no mínimo três vezes.
À seguir enfatize que Jesus deixou o céu, nasceu como um bebezinho, cresceu sem fazer nada errado, e mesmo assim foi preso, bateram nele, e depois morreu em uma cruz, isso para que através de seu sangue pudesse limpar nosso coração da mancha do pecado e podermos estar perto Dele e de Deus.
História Bíblica
Quem aqui já apanhou por ter feito alguma travessura, ou desobediência a mamãe e ao papai? É algo triste não é? Mas imagine alguém apanhar e sofrer sendo inocente, ou seja, sem ter feito nadinha de errado! – pois é, aconteceu isso com Jesus.
Desde que era pequenino como vocês, Jesus sabia que havia vindo à terra para salvar as pessoas de seus pecados. Vimos nas nossas aulas que Ele cresceu, curou pessoas, fez muita coisa boa. Mas estava chegando a hora em que Ele seria morto.
Assim Ele chamou seus alunos (os discípulos) e amigo para uma conversa especial. Ele pediu que preparassem a ceia especial de Páscoa. Era uma festa muito importante para o povo de Israel, pois nessa época lembravam de que Deus com seu amor os libertou da escravidão. Estavam escravos no Egito e Deus os libertou realizando grandes milagres e os levou para uma terra maravilhosa para viverem livres e felizes.
 Assim que terminaram o jantar, Jesus disse:
__ Eu sempre amei vocês, e sempre vou amar a cada um. Eu quero que vocês amem uns aos outros assim como eu vos amo. Vou contar algo a vocês, mas não tenham medo, e nem fiquem preocupados. Chegou a hora de cumprir a tarefa que meu Pai, Deus, me mandou para fazer. Morrer para que vocês possam ser libertos da força do pecado, e sendo livres possam estar comigo e com Deus. chegou o tempo de eu voltar para junto de meu Pai. Eu irei mas depois voltarei para buscar vocês para que também estejam comigo e com o Pai.
Os discípulos ficaram tristes. Jesus era tão bom, eles não queriam ficar sem seu amigo, professor e Salvador. Mas Jesus disse que não os deixaria sozinhos, estaria todos os dias com eles. Assim eles se animaram mais.
Enquanto eles conversavam, um dos discípulos, chamado Judas Iscariotes, havia saído, pois tinha recebido dinheiro para trazer os soldados romanos onde Jesus estava para prendê-LO
Ele sabia que ao sair do jantar Jesus iria com os discípulos para um jardim chamado Getsêmani.
Enquanto Jesus ia com seus amigos para o jardim, Judas levava por outro caminho os soldados. Quando Jesus estava orando eles chegaram e O prenderam e os levaram aos chefes dos judeus. Homens que tinham inveja de Jesus, pois ensinava melhor do que eles.
Os chefes dos judeus o levaram a Pilatos o governador romano, e pediram gritando:
__ Queremos que o senhor mande matar esse homem.
Pilatos logos descobriu que Jesus não tinha feito nada errado, mas para não desagradar os chefes dos judeus que ameaçaram fazer uma revolta se Jesus fosse solto, mandou crucificar Jesus.
Os soldados bateram muito em Jesus, machucaram muito seu rosto e suas costas com um chicote terrível, que arrancava os pedaços de suas costas, coloram uma coroa feita com espinheiro em sua cabeça, e assim o levaram para fora da cidade e o crucificaram no meio de dois bandidos.
Um dos bandidos se arrependeu e creu que Jesus era o Salvador, e assim foi salvo, o outro não quis acreditar Nele.
Jesus então não suportando mais a dor, tão bondoso orou assim a Deus:
__ Meu Pai, perdoa essas pessoas. Perdoa Pai. Agora tenho cumprido o que o SENHOR me mandou fazer. Está feito.
E tendo dito isso morreu.
Um discípulo chamado José, que morava em Arimatéia, pediu ao governador que autorizasse que ele tirasse o corpo de Jesus da cruz e o sepultasse. O governador autorizou, então ele levou Jesus, enrolou seu corpo em um lençol e colocou em um sepulcro.
Sabe crianças, o sepulcro antigamente era como uma caverna. Lá faziam uma mesa de pedra e colocam as pessoas que haviam morrido, depois colocavam uma pedra enorme na entrada para que animais não entrasse e mexesse lá. Assim foi Jesus sepultado, e muitos que o amavam choravam, mas lembravam-se que Ele havia dito, que iria viver de novo.
Fixando a aprendizagem
Móbiles de João 3.16:
Jd12 fig 1.jpg
Material: folhas de EVA (vermelho, azul, marrom e branco) retalhos de tecido, bolas de algodão, cola, fio de lã, fita adesiva, tesouras, canetas de retroprojetor.
Preparação:recorte um jogo completo dessas figuras em EVA, um para cada aluno:
·         Um coração vermelho
·         Um círculo azul
·         Um oval azul
·         Uma cruz marrom
·         Uma nuvem branca
·         Um fio de lã de 75 cm
Procedimento:
a.       Leia João 3.16 para as crianças e distribua os jogos de figuras e o fio de lã
b.      Nos corações vermelhos deverá escrever Deus (escreva com antecedência) – Deus
c.       Instrua-os a desenharem mapas verdes dentro do circulo azul – Amou o mundo
d.      Instrua para desenharem uma carinha feliz na figura oval azul– que deu-nos seu único Filho
e.       Na cruz, cada crianças deve escrever seu nome – para que todo o que Nele crer
f.       Instrua-os a colar algodão na nuvem branca – não pereça, mas tenha a vida eterna
g.       Dobre o fio de lã e cole as figuras  na ordem como mostra o desenho acima, cada figura  deve ter 5 cm de distancia uma da outra. Pendure o móbile pela laçada do fio de lã.
Fontes consultadas:
·         Bíblia NTLH – SBB
·         Bíblia Shedd – Editora Mundo Cristão – 2ª Edição
·         Bíblia Ilustrada Infantil – Editora Geográfica – Redatora Elvira Moraes Lustosa – São Paulo /SP, 2000
·         Enciclopédia Bíblica de trabalhos manuais. Editora Shedd, 1ª Edição, 2006, SP
Colaboração para o Portal Escola Dominical: Profª. Jaciara da Silva.
FONTE PORTAL EBD

PRIMÁRIOS - Lição 12 – O nosso Salvador está vivo!


1º Trim. 2012 - PRIMÁRIOS - Lição 12 – O nosso Salvador está vivo!
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
PRIMÁRIOS – CPAD
1º Trimestre de 2012
Tema: Jesus é o nosso Salvador
Comentaristas: Laudicéia Barboza da Silva & Débora Ferreira da Costa
LIÇÃO 12 – O NOSSO SALVADOR ESTÁ VIVO!
Texto Bíblico: Lucas 24.1-11; João 20.24-29
Objetivo
Ministre sua aula de forma a conduzir os pequenos a compreender que sua ressurreição nos garante a vida eterna.
Frase do dia...
JESUS ESTÁ VIVO
Amplie e cole o desenho baixo em um cartaz e escreva embaixo a frase do dia.
Pri_1trim2011_L12_ fig 1.jpg
Imagem: www.acolhendo.blogspot.com
Memória em Ação
“Depois da sua morte, Jesus apareceu a eles de muitas maneiras, durante quarenta dias, provando, sem deixar dúvida nenhuma, que estava vivo. Os apóstolos viram Jesus, e ele conversava com eles a respeito do Reino de Deus..”(At 1.3 – NTHL)
Escreva o versículo em letras com cores bem vivas em uma cartolina. Em seguida, recorte em forma de um quebra-cabeça, para as crianças montar. Assim que terminarem a montagem peça que leiam no mínimo três vezes.
Explorando a Bíblia
Na lição passada, estudamos que Jesus por nos amar, foi crucificado e morreu na cruz, sendo sepultado em um local que parecia uma caverna e colocaram uma pedra na entrada.
Mas vocês se lembram que Jesus havia dito que iria ressuscitar (viver novamente)? Lembram?
Então, passou o sábado inteiro e a noite e nada aconteceu. Os discípulos ora acreditavam, ora achavam que não. Assim resolveram ir pescar.

No domingo bem cedinho, antes até dos passarinhos acordarem, algumas mulheres que serviam e amavam a Jesus resolveram ir ao sepulcro para colocar perfumes no corpo de Jesus. Mas, ao chegar lá, virão que a enorme pedra que haviam colocado na entrada, estava removida, ou seja, foi rolada para o lado.
Elas se olhavam espantadas, perguntando-se o que teria acontecido, nesse momento elas ouviram uma voz linda que lhes disse:
__ Jesus não está aqui na sepultura.
Quando elas olharam era um anjo que estava falando. Ele estava assentado bem em cima da pedra rolada. E o anjo continuou a dizer:
__ Não fiquem assustadas, Jesus não está mais aqui. Ele ressuscitou como havia dito a vocês. Corram, conte isso aos outros. Ele está vivo.
Elas se apressaram em fazer o que o anjo lhes disse. Quando estavam saindo, o próprio Jesus estava diante delas e disse.
__ Estou vivo. Vá conte aos meus amigos.
Cheias de alegria, as mulheres correram até onde os discípulos estavam, e começaram a falar:
__ Jesus está vivo. Ele ressuscitou. Nos o vimos.
Mas os discípulos quase não conseguiam acreditar nisso. Pedro e João saíram correndo e foram até o sepulcro, chegando lá viram os lençóis em que haviam enrolado Jesus, dobrados e colocados no canto. Mas estava vazio. Eles não viram Jesus. Então voltaram rapidamente onde estavam os outros e disseram:
__ É verdade. O corpo de Jesus não está na sepultura.
Nisso chegaram dois discípulos que vinham de uma aldeia chamada Emaús e disseram:
__ Nós vimos Jesus. Estamos a caminho de Emáus quando Ele se aproximou, caminhou conosco, conversando e nos explicando as profecias que falava de sua morte e ressurreição, orou pelo alimento e depois desapareceu diante de nossos olhos.
Foi um alvoroço só. Todos falavam ao mesmo tempo, era muita alegria. Enquanto todos falavam, ouviram a voz de Jesus que apareceu no meio deles e disse:
__ Paz seja com vocês meus amigos e amigas. Quero que de hoje em diante vocês contem a todas as pessoas da terra que Eu estou vivo. Digam a elas que sou o Salvador. Ensinem a elas o que ensinei a vocês, e diga que devem obedecer a Deus. Que eu vou ao céu, mas voltarei para buscar aos que me aceitarem como Salvador para morar no céu comigo.
Oficina criativa
Móbiles de João 3.16:
Pri_1trim2011_L12_ fig 2.jpg
Material: folhas de EVA (vermelho, azul, marrom e branco) retalhos de tecido, bolas de algodão, cola, fio de lã, fita adesiva, tesouras, canetas de retroprojetor.
Preparação:recorte um jogo completo dessas figuras em EVA, um para cada aluno:
·         Um coração vermelho
·         Um círculo azul
·         Um oval azul
·         Uma cruz marrom
·         Uma nuvem branca
·         Um fio de lã de 75 cm
Procedimento:
a.       Leia João 3.16 para as crianças e distribua os jogos de figuras e o fio de lã
b.      Nos corações vermelhos deverá escrever Deus (escreva com antecedência) – Deus
c.       Instrua-os a desenharem mapas verdes dentro do circulo azul – Amou o mundo
d.      Instrua para desenharem uma carinha feliz na figura oval azul– que deu-nos seu único Filho
e.       Na cruz, cada crianças deve escrever seu nome – para que todo o que Nele crer
f.       Instrua-os a colar algodão na nuvem branca – não pereça, mas tenha a vida eterna
g.       Dobre o fio de lã e cole as figuras  na ordem como mostra o desenho acima, cada figura  deve ter 5 cm de distancia uma da outra. Pendure o móbile pela laçada do fio de lã.
Fontes Consultadas:
·         Bíblia NTLH - SBB
·         Curso para Professor de EBD - Faculdade de Teologia e Ciências Humanas IBETEL – Pr. Vicente de Paula Leite
·         53 Histórias de Jesus – Geográfica Editora
·         Enciclopédia Bíblica de trabalhos manuais. Editora Shedd, 1ª Edição, 2006, SP
Colaboração para o Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva

FONTE PORTAL EBD

Lição 12 – O propósito da verdadeira prosperidade - Plano de Aula


1º Trim. de 2012 - Lição 12 – O propósito da verdadeira prosperidade - Plano de Aula
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2012

TEMA – A verdadeira prosperidade – a vida cristã abundante

COMENTARISTA : José Gonçalves

PLANO DE AULA  Nº 12
LIÇÃO Nº 12 – O PROPÓSITO DA VERDADEIRA PROSPERIDADE
1º SLIDE  INTRODUÇÃO
- Na sequência do estudo da verdade prosperidade, estudaremos hoje qual é o seu propósito.
- Deus concede a prosperidade para o homem para que ele ame ao Senhor e ao próximo como a si mesmo.
2º SLIDE   I – O PROPÓSITO DIVINO PARA O HOMEM
- “Propósito” - “intenção de (fazer algo); projeto, desígnio; aquilo que se busca alcançar quando se faz alguma coisa; objetivo, finalidade, intuito; aquilo a que alguém se propôs, por que se decidiu; decisão, determinação, resolução”.
- “Propósito de Deus”  -  aquilo que o Senhor planejou, projetou, propôs às criaturas.
3º SLIDE
- Propósito de Deus em relação ao homem  - frutificar, multiplicar-se, encher a terra, bem como  sujeitá-la e dominar sobre toda a criação terrena (Gn.1:28).
- Para o homem se desincumbir desta tarefa, o Senhor formou um jardim no Éden onde pôs o homem - um lugar de delícias onde havia bem-estar espiritual, material e psíquico, sob a condição da obediência ao Senhor.
4º SLIDE
- O primeiro casal não obedeceu ao Senhor e, por isso, perdeu as condições favoráveis de que desfrutava e, sem as quais, jamais conseguiria cumprir o propósito divino.
- A perda da comunhão com Deus significou, também, a perda da comunhão entre os próprios homens. A imaginação do pensamento de seus corações passou a ser má continuamente (Gn.6:5).
5º SLIDE
- Houve um divórcio entre o propósito divino e o propósito do homem no pecado (Jr.3:17; 7:24; 9:14; 11:8; 13:10; 16:12; 23:17).
- Distante de Deus, o homem passa a ter apenas como objetivo em sua vida o fazer mal ao próximo, o praticar a maldade e o satisfazer os desejos perversos e incontroláveis de sua natureza pecaminosa (Gl.5:24), que geram a morte (Rm.7:5).
6º SLIDE
- Era propósito de Deus restaurar a comunhão do homem com Ele (Gn.3:15), o que independe das obras humanas (Rm.9:11) e exige a retirada do pecado (Is.59:2).
- O propósito de Deus para o homem é o de livrá-lo do domínio do pecado, de libertá-lo mediante o encontro pessoal com Cristo Jesus, a Verdade (Jo.8:32,36).
7º SLIDE   II – COMO DEVE SER O HOMEM QUE ATENDE AO PROPÓSITO DIVINO
- Com o retorno à comunhão com Deus, o homem é abençoado com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo (Ef.1:3).
- Deus nos escolheu para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante d’Ele em amor (Ef.1:4).
8º SLIDE
- Ser santo é ser separado do pecado, é voltar a ser imagem e semelhança de Deus, pois Deus é santo (Lv.11:44,45; 19:2; 20:26; 21:8; Is.6:3).
- O homem, por si próprio não pode alcançar a santidade, necessita ser santificado pelo Senhor (Lv.21:15,23; 22:9,16; Ez.37:28; I Co.1:2; 6:11; Hb.10:10,14).
9º SLIDE
- Para ser santificado, o homem precisa manter uma vida de comunhão com o Senhor, santificando-se durante todo o tempo de vida sobre a face da Terra (Ap.22:11) pelos seguintes meios:
a)  Palavra de Deus (Jo.17:17);
b) oração (I Tm.4:5);
c) jejum (Mc.2:20);
d) temor a Deus (II Co.7:1);
e) participação digna na ceia do Senhor (I Co.11:23-29).
10º SLIDE
- Ser irrepreensíveis diante de Deus exige de nós (I):
a)  não acharmos que os dons de Deus se adquirem por dinheiro (At.8:20,21)
b) vida de oração (At.10:31; Ap.8:3,4).
c) ajuda aos necessitados (At.10:31);
d) uma boa consciência (At.23:1);
11º SLIDE
- Ser irrepreensíveis diante de Deus exige de nós (II):

e)  fé (Rm.14:22);

f)  saber suportar as aflições e tribulações (II Ts.1:3-7);
g) exercer piedade para com a nossa própria família bem como a recompensar os pais (I Tm.5:4);
h) ter docilidade e tranquilidade no homem interior  (I Pe.3:4);
12º SLIDE
- O amor divino é o ambiente onde seremos santos e irrepreensíveis diante de Deus.
-  Características do amor divino ( I Co.13:4,5): sofredor, benigno, não invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça mas folga com a verdade.
13º SLIDE  III – O PAPEL DA PROSPERIDADE MATERIAL ANTE O PROPÓSITO DIVINO PARA O HOMEM
- A prosperidade material nada significa na realização do propósito divino para o homem.
- A nossa salvação não depende dos bens materiais, nem precisa ser acompanhada por eles.
14º SLIDE
- O Senhor, que é o dono do ouro e da prata (Ag.2:8), por Sua vontade, pode conceder a algum salvo a prosperidade material.
- A concessão de prosperidade material mas isto não decorre, em absoluto, da salvação em Cristo Jesus, mas da vontade de Deus para com aquela pessoa que for enriquecida materialmente.
15º SLIDE
- Quando Deus enriquece alguém, este rico (I):
a) deve cuidar para que a riqueza não se torne instrumento para pecar (Pv.30:9a);
b) não pode folgar nem confiar nas riquezas (Sl.119:14; Sl.62:10);
16º SLIDE
- Quando Deus enriquece alguém, este rico (II):
c) não pode achar que as suas riquezas são um “passaporte para o céu”, nem meio de manipulação da obra de Deus (At.8:20,21);
d) tem de pôr suas riquezas a serviço da obra de Deus e dos necessitados (II Co.8:9; Jó 29:12-16)
Colaboração para o Portal Escola Dominical -  Ev. Profº Dr. Caramuru Afonso Francisco

JUNIORES - Lição 12 – Jesus ensina sobre o Bom Pastor


1º Trim. 2012 - JUNIORES - Lição 12 – Jesus ensina sobre o Bom Pastor
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUNIORES – CPAD
1º Trimestre de 2012
Tema: Os ensinos de Jesus
Comentaristas: Damaris Ferreira da Costa & Luciana Alves de Sousa
LIÇÃO 12 – JESUS ENSINA SOBRE O BOM PASTOR
Texto Bíblico:  Lc 15.3-6
Objetivo
Professor (a) ministre sua aula de forma a conduzir seu aluno a:
Ø  Conscientizar se de que Jesus como Bom Pastor cuida e protege. Ele sempre está conosco.
Exercitando a Memória
"Eu sou o Bom Pastor, o Bom Pastor dá a vida pelas ovelhas" (Mt 5:13 a)
Introdução
Inicie perguntando aos pequenos (as) se já se perderam alguma vez, seja dentro do mercado, ou uma loja, em meio a uma multidão. Enfatize que mesmo sendo por alguns segundos é uma sensação de medo que sentimos, não é mesmo? Hoje iremos aprender uma historia que Jesus contou sobre uma ovelhinha perdida.
Provavelmente você ainda não ouviu falar muito destes símbolos: pastor e ovelhas, não é mesmo?
Porém, na terra onde  Jesus viveu quando esteve aqui na terra, eles faziam parte da vida do povo. Por isso mesmo, a profissão de pastor era conhecida por todos. E os filhos, desde pequenos, aprendiam dos pais esse ofício de cuidar das ovelhas. O pastor usava praticamente dois instrumentos: o cajado e o bastão. Ambos eram feitos de pau (tipo vara, um pouco mais grossa). O bastão se diferenciava por uma curva que tinha na ponta. Isso facilitava o trabalho do pastor na hora de recolher e reunir as ovelhas.
A figura do pastor era tão valorizada porque a ovelha era um animal muito importante na Palestina. Para compreendermos o valor da ovelha naquela região, é só compará-la à importância da vaca para nós. Vamos perceber então para quantas coisas a ovelha servia.
Usavam-se sua carne e seu leite na alimentação, e com sua lã, as mulheres teciam e faziam roupas quentinhas e cobertores para o tempo do frio. Da sua pele (couro), faziam-se muitos objetos, como bolsas e sandálias. Além disso, a ovelha era mais que um animal de estimação. Uma grande "amizade" a unia à família de seus donos. Todos a queriam bem e a tratavam com muito carinho, principalmente o pastor! E ninguém gostava de matar uma ovelha.
Isso só acontecia mesmo em festas muito especiais.
Bons e maus pastores
Contudo, havia dois tipos de pastores: os bons e os maus. Os bons, quase sempre eram os donos das ovelhas (rebanho). Dedicavam seu tempo e suas vidas para cuidar bem delas. Pela manhã, levavam-nas ao campo, procuravam para elas as melhores pastagens, água fresquinha e, sombra, onde pudessem descansar. À noite, recolhiam-nas no curral. Protegiam-nas, também, dos lobos e de outros animais ferozes.
E os maus pastores? Quase todos eram empregados. Por isso, a preocupação deles era com o dinheiro que iam receber do patrão. Interessavam-se muito pouco pelas ovelhas. Um exemplo é a atitude deles diante do inimigo (lobo). Fugiam para salvar suas vidas do perigo, deixando que as ovelhas fossem atacadas, feridas e até devoradas. Além dos animais selvagens, muitos ladrões e assaltantes perseguiam as ovelhas. Nem com eles os maus pastores se importavam.
O que fez Jesus diante disso? Ele se preocupou, porque sabia que o que acontecia às ovelhas, acontecia também com as pessoas. Por isso, Jesus sentiu que precisava falar ao povo e esclarecê-lo. Foi então que ele contou a parábola do bom pastor, para mostrar ao povo do seu tempo, e também a nós hoje, como devemos estar atentos para reconhecer os dois tipos de pastores. E não é só isso. Jesus ensina ainda como devemos reagir diante deles. E agora, acompanhemos as palavras de Jesus. Você as encontra também no Evangelho de São João, capítulo 10, versículos de 11 a 15. Nesta história, Jesus compara as ovelhas ao povo e se apresenta como o bom pastor. Dá muitas explicações interessantes sobre as atitudes do verdadeiro e do falso pastor.

"Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. O mercenário (empregado), que não é pastor, quando vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e sai correndo. Então o lobo ataca e espalha as ovelhas. O empregado foge porque trabalha só por dinheiro e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor: conheço as minhas ovelhas e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou a vida pelas ovelhas."
Então, o que você achou de importante nessa parábola? Deu para notar a diferença na atitude e no modo de agir do bom e do falso pastor?
Você reparou que Jesus chama a atenção de todos para uma atitude particular do verdadeiro pastor? Ele conhece suas ovelhas, e elas também o conhecem. Por isso mesmo, Jesus nos convida a segui-lo. Reconhecendo-o como o bom pastor, cada um de nós irá descobrir melhor o que significa o amor de Jesus e como ele se preocupa, de verdade, com o nosso bem. Prova disso, foi a sua vida, que ele entregou por todos nós. Especialmente na Páscoa, nós celebramos e lembramos a grandeza desse gesto de Jesus. Sua ressurreição conquistou-nos a vida em plenitude.
Ou seja. esta vida, que começa aqui e que cada um de nós recebeu, vem de Deus e nunca acabará. Sem dúvida, isso é algo maravilhoso, que faz a gente crescer e ser feliz.
Diante disso, você não acha que vale a pena voltarmos ao convite de Jesus? Afinal, quem é que não gostaria de cultivar dentro de si esta vida sem fim? E você sabe como essa vida cresce? Ela cresce a partir de nossas atitudes e gestos de amor, de partilha, de fraternidade, de perdão etc. E nisso, Jesus nos deu exemplo e nos diz: "Sigam por mím. Eu sou o caminho, a verdade e ávida".
Seguir o bom pastor
Certamente, você está se perguntando: "Como posso seguir hoje o bom pastor"?
Voltemos, então, à parábola. Ela nos convida a estarmos atentos para percebermos a voz de Jesus entre as vozes de muitos falsos pastores, que estão em nosso meio...
há muitos que são bons comunicadores. Precisamos estar atentos ao que eles dizem. E não podemos aceitar como verdade tudo o que vemos, ouvimos ou lemos. Pois, como sabemos, muitas notícias, entrevistas e reportagens mostram apenas uma parte da verdade. E a outra? Sem conhecê-la fica difícil julgar alguém. Se o fizermos podemos prejudicar outras pessoas. Ou nós mesmos nos prejudicamos.
Esta chamada de atenção vale também para os sermões e comentários da Bíblia que ouvimos. Hoje são inúmeras as pessoas que se apresentam como pregadoras da Palavra de Deus. Sem dúvida, tudo isso é válido e muito bom, mas esses pastores devem ser muito honestos, saber respeitar a liberdade das pessoas e ajudá-las a encontrar o caminho para Deus.
Percebemos, por aí, como é importante a gente saber distinguir os bons e os maus pastores.
E mais: poderemos ajudar outras pessoas (ovelhas) a se livrarem do engano e da armadilha de tantos falsos pastores que estão disfarçados por aí. Eles se dizem enviados por Deus para pregar em nome de Deus, mas não se interessam pelo bem das pessoas. Eles não conseguem ajudar as pessoas, porque lhes faltam a força e a graça de Deus, que só os verdadeiros pastores possuem.
Aplicação da Lição
Prezado (a) enfatize aos pequenos que Jesus conhecia e percebia a necessidade que o povo tinha de conhecer a Deus. Daí a insistência de sua pregação. E, muitas vezes, no Evangelho vemos Jesus indo ao encontro das multidões para lhes falar do Pai (Deus), do Reino. E ao mesmo tempo, Ele dizia aos seus discípulos estas palavras, que ainda hoje Ele dirige a nós: "Tenho pena desse povo, porque são como ovelhas sem pastor".
Fontes Consultadas:
·         Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal – Editora CPAD – edição 2003
·         Bíblia de Estudo Plenitude – SBB/1995 – Barueri/SP
·         Bíblia de Estudo Pentecostal – Editora CPAD – Edição 2002.
  • Bíblia Shedd – Editora Mundo Cristão – 2ª Edição
  • Dicionário Vine – Editora CPAD – 3ª Edição 2003
  • www.trabalhinhos.blogspot.com
Colaboração para o Portal Escola Dominical: Profª. Jaciara da Silva.

FONTE PORTAL EBD

JUVENIS - Lição 12 – Salmos falam de Cristo


1º Trim. 2012 - JUVENIS - Lição 12 – Salmos falam de Cristo
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUVENIS – CPAD
TEMA: Edificando a vida cristã através dos Salmos
COMENTARISTA: Regia Carvalho
LIÇÃO 12 - SALMOS FALAM DE CRISTO
ENFOQUE BIBLICO:
“Quem é este rei da Glória? O SENHOR dos Exércitos ele é o Rei da Gloria” (Sl 24.10)
OBJETIVOS:
Destacar a temática messiânica nos Salmos.
Demonstrarcomo Jesus experimentou dor, sofrimento, morte e gloria.
Aplicar à vida dos alunos os ensinos que os Salmos messiânicos oferecem.
INTRODUÇÃO:
Nessa lição estudaremos alguns dos salmos que falam de Cristo, os salmistas apresentam o Messias como homem, como Deus, como Ser Eterno e como Filho de Deus. Falam também de seu caráter, ele é Santo, Justo e Bom, suas obras também estão registradas assim como suas funções ele é Profeta, Sacerdote, Juiz e Rei.
A TEMATICA MESSIANICA NOS SALMOS
A deidade e o Reino Universal do Ungido de Deus (Sl 2)
Este salmo é muito conhecido como o salmo do Messias, o salmista tem uma visão maravilhosa, as nações se levantando contra o Messias e Deus rindo,zombando deles, pois o propósito é exaltação de seu Filho. Existe harmonia com o NT, em At 13.33, confirma o Sl 2.7, é observado também que o referido salmo fala da deidade do Messias e de seu reino universal. (Hb 1.5-8; Fp 2.9-11)
O homem mediante o Messias torna-se dominador da criação (Sl 8)
Na temática desse salmo o homem Jesus Cristo é exaltado, o objetivo desse salmo é mostrar e celebrar o grande amor e bondade de Deus para com a humanidade, não só em sua criação, mas também na redenção por Jesus Cristo, que, como homem promoveu a honra e o domínio mencionados no salmo, dando assim continuação a sua grande obra. Harmonicamente com o NT, confira Hb 2. 6-10 com o Sl 8.6 e 1Co 15.27.
Cristo ressurreto dentre os mortos (Sl 16)
Conhecido como salmo dourado, por se tratar de matéria mais fina que o ouro, na verdade é “A Jóia de Davi”, um cântico notável. Mostra a impossibilidade de o Messias permanecer morto em um sepulcro, a profecia fala de sua ressurreição dentre os mortos (Sl 16.8-10 - Lc 24.5-7; At 2. 22-29).
O sofrimento de Cristo (Sl 22)
Este é o salmo da cruz, pois retrata o sofrimento de Cristo na cruz. As palavras registradas neste salmo têm seu cumprimento na integra:
a)      A agonia da cruz (Sl 22.1-21)
b)      Lançaram sorte para repartir as vestes dele (Sl 22.18 – Mt 27.35; Jo 19.23,24)
c)      Teve sede pendurado na cruz (Sl 22.15 - Jo 19.28)
d)      Declararia o nome de Deus (Sl 22.22 – Hb 2.12)
A vida de Cristo e o Trono eterno (Sl 45)
Este Salmo é interessante, fala do Messias descrevendo o seu relacionamento com a igreja, a noiva (Ap 17.7,8; 21.9; 22.17). O salmista fala de um casamento em que o noivo e a noiva estarão ornamentados de modo que nossas mentes não conseguem avaliar a beleza (Sl 45.2,3 e 13-17)
Os sofrimentos do Messias (Sl 69)
O rei Davi, sempre sofria devido aos seus pecados, mas esse Salmo mostra uma perseguição infinda e sem causa, não que ele não tivesse pecado. É o salmo mais citado no NT, sempre apontando para o sofrimento do Messias, não apenas a angustia da cruz.
a)      Rejeição dos irmãos (v 8 – Jo 7.5)
b)      Zelo pela casa de Deus (v9 – Jo 2.14-17)
c)      O grande sofrimento de Cristo (vv 20,21 – Mt 27. 24; Mc 15.23; Lc 23.36; Jo 19. 28-30)
d)      Rejeição ao Messias trás julgamento (vv 22-28 – Rm 11.9,10
A promessa que seu reino não terá fim (Sl 89)
Deus prometeu  o trono a descendência de Davi, jamais outro terá domínio no trono de Davi. Esse é o salmo da aliança, Jesus estará assentado para sempre no trono de Davi. (Ap 22.5)
Cristo, o Rei e o Sacerdote Eterno (Sl 110)
Salmo que revela as credenciais do Messias, Jesus Cristo é Filho,  SENHOR e Sacerdote, como Senhor ele é o dominador (repreendeu tempestades, ordenou que os homens fizessem) como Sacerdote intercede por nós (a mulher apanhada em ato de adultério foi livre). Nós não temos que nos vingar de nada, deixa que Cristo tome conta de tudo ele sabe o que fazer, todo o domínio das coisas pertence a ele.
O Cristo rejeitado pelos seus (Sl 118)
Como já vimos em outro salmo à rejeição de Cristo pelos seus próprios irmãos, mas aceito por Deus (1 Pe 2.7,8), há registro de sofrimento por rejeição (Mt 21.42; Lc 20.17).
Ainda há outros salmos, não podemos analisar a todos, alguns são repetitivos, falando de um mesmo assunto, mas em ângulos diferentes. As profecias registradas nos salmos sobre o Messias são impressionantes, centenas de anos antes de Cristo, falavam de sua crucificação e que nem uns de seus ossos seriam quebrados (Sl 34. 20 – Jo 19. 36,37).
OS EXPERIMENTOS DE JESUS NOS SALMOS
Como já vimos os temas de alguns salmos messiânicos, os poetas que em uma época tão distante, pareciam ter ciência dos acontecimentos. Falaram de sua eternidade e divindade, falou de sua humanidade, de seu sofrimento e morte sem deixar de falar de sua ressurreição e ascensão, o salmo 24, chega a revelar detalhes de sua chegada ao céu. Veremos agora alguns momentos na vida de Jesus:
a)      Experimentou o sofrimento e a dor
Quando falamos em sofrimento, lembramos quase sempre de Jó, na verdade um sofrimento que ninguém gostaria de passar. Mas sofrimentos semelhantes ao de Jó, ouvimos falar de outros, recentemente em Santa Catarina, algumas pessoas tiveram suas famílias ceifadas pelas tempestades, quando caiu o avião em São Paulo eu vi pela TV, um moço desesperado, sua esposa e filho estavam no avião e assim tem acontecido pelo mundo afora.
Mas falar em sofrimento de Cristo, nunca se ouviu falar de alguém que tenha passado tamanho sofrimento. Não dá para imaginar a dor e o sofrimento que Jesus passou. O Profeta Isaias, fala com detalhes cerca de setecentos anos antes, sobre seu sofrimento com certos detalhes que só podemos entender quando lemos os evangelhos. O salmo 22, escrito antes mesmo de Isaias detalha o sofrimento de Cristo e até as palavras que centenas de anos depois seriam ditas por Jesus.
O sofrimento de Jesus não inclui somente a dor física, mas a dor moral, ele foi rejeitado pela sua família, seus irmão de sangue não gostavam dele, sua nação o desprezava. Os lideres religiosos de seu povo planejavam matá-lo, havia uma grande desconfiança dentre os seus seguidores, ele não podia contar com eles (Jo 2.23-25). Finalmente ele é traído por um dos seus amigos e é vendido por ele (Sl 41.9 – Mt 26.24), preso, deixado só e aquele que mais falava em amizade o negou. Houve um momento de desamparo total, ele estava amargando a dor do pecado sem nunca os tê-los cometidos (Mt 27. 45,46).
b)      Experimentando a morte
Finalmente todo o sofrimento e dor culminam em morte, Jesus foi posto em uma cruz tendo, seus pés e mãos cravados no madeiro em sua cabeça foi posto uma coroa de espinhos.  A ignomínia daquele sofrimento tinha um objetivo, salvar a humanidade, caso Jesus não provasse a morte o pecado continuaria tendo domínio sobre a humanidade. Era ele o Cordeiro de Deus, a pergunta que durante séculos esperaram a resposta “meu pai onde está o cordeiro?” (Gn 22.7), João o batista, viu Jesus passar e a ele foi revelado de modo que bradou para que todos ouvissem: “Eis o Cordeiro de Deus” (Jo 1.36). 
E é este Cordeiro que o Profeta Isaias no Capitulo 52. 13 a seguir e todo o Capitulo 53, se refere. O altar do sacrifício de Cristo foi à cruz, ele estava entre terra e céu , pendurado, ali expiou os nossos pecados, o brado foi ouvido pela multidão de curiosos que ali estavam olhando os crucificados, que geralmente falavam mal, blasfemavam, mas o homem na cruz do meio compadecia-se de um deles, que arrependido pediu para ser lembrado e perdoava seus algozes. E depois de apresentar o sacrifício perfeito entregou a Deus o seu espírito (Jo 19.28-30; Hb 5. 7-10; 10. 12). Jesus morreu, não temos nenhuma dúvida, os elementos do universo se contorceram, os soldados romanos reconheceram que o Filho de Deus havia morrido (Mt 27. 45 – 56).
 Há ainda quem preguem que Jesus apenas desmaiou, outros dizem que ele não sentiu dor e alguns dizem que ele nem se quer exista. Bem a Bíblia é clara ele nasceu, cresceu trabalhando na carpintaria de seu pai adotivo, esteve entre os doutores, foi batizado no Jordão, esteve no deserto jejuando, foi tentado por Satanás, exerceu o ministério cerca de três anos e meio, escolheu doze homens a quem designou onze como apóstolos, curou e libertou a muitos, suportou a incompreensão de seus compatriotas e por fim morreu na cruz do calvário e foi sepultado.
c)      Experimentando a Gloria
Como seria enfadonho ter que falar de um Salvador morto e que os seus restos mortais estivessem em uma sepultura qualquer em Jerusalém. Aqueles que professam sua fé em alguém morto que seus restos mortais continuam na sepultura, não tem certeza que seu herói possa fazer-lhes algo. Os cristãos que professam sua fé unicamente em Cristo pode regozijar se, porque ao terceiro dia ele ressuscitou dentre os mortos.
O salmista Davi, compôs um hino dizendo que era impossível seu corpo permanecer na sepultura (Sl 16. 10; At 2.27), Jesus esta vivo (Mt 28.1- 10). Durante quarenta dias ele esteve junto com seus discípulos com eles comeu, viajou e preparou a grande comissão para evangelização mundial. O ponto culminante é a sua ascensão enquanto falava subiu ao céu envolto a uma nuvem, o salmo 24. 7,8, retrata sua chegada ao céu, como pode também estar referindo ao seu reinado em Jerusalém, existe as duas opiniões devido aos versículos 9 e 10, ao que parece ele chega com um exercito. Seja qual for a interpretação, uma coisa é certa, a igreja fará parte desses exercito, ela tanto subira ao céu por ocasião do arrebatamento, como também vira reinar com Cristo no Milênio. Aguardem! “Nesse tempo céu e terra hão de ser a mesma grei entoando aleluias ao meu Rei” (HC 3).
APLICAÇÃO A NOSSA VIDA QUE OS SALMOS MESSIANICOS OFERECEM.
Os salmos são Messiânicos, não porque foram escrito para o Messias, os poetas falavam de uma situação em que estavam vivendo e eram tomados pelo Espírito Santo para escreverem algo que só aconteceria centenas de anos depois. A princípio eles buscavam soluções para problemas existentes, buscavam alivio às suas tribulações e provações. As palavras fluíam em forma de poesias como se fosse o próprio Cristo falando como já vimos.
Para nós hoje alem de já conhecermos os salmos como a oração ou o hino do salmista, era também profecia que já se cumpriu em partes e ainda há o que ira se cumprir. Também tem a aplicação que podemos fazer para as nossas vidas, em primeiro lugar não há duvidas que o homem que morreu na cruz é o Cristo, os salmos esclarecem bem esse fato, segundo, sua deidade esta revelada também nos salmos Messiânicos, terceiro a obra expiatora foi consumada na integra. E em quarto lugar ele foi glorificado e junto com ele a igreja também será, vivera com ele por toda a eternidade.
Portanto o que aprendemos e podemos aplicar em nossas vidas é que o sofrimento a dor e a humilhação, que passamos aqui nem se compara com o peso da gloria que nos espera lá (Rm 8.18). É importante saber que mesmo desamparado por nossa família, ou nossos amigos desapareça, Deus está cuidando de nós. No salmo 69, o rei Davi está sofrendo uma perseguição infinda, no entanto não havia nele culpa, até parodia os bêbados faziam sobre ele (v 12). Mas o rei Davi mesmo em meio às lutas estava disposto a louvar a Deus, ele tinha certeza que Deus ouve aos necessitados.
CONCLUSÃO:
Ao concluir não estamos esgotando o assunto, Jesus Cristo é Deus, sendo infinito é impossível conhecermos tudo sobre ele uma vez que somos finitos. Quero aqui colocar algumas profecias e cumprimento sobre o Messias e que não estão nos salmos.
a)       Descendente da mulher – Gn 3.15 - Gl 4.4; Lc 2.7
b)      Semente de Abraão, prometida – Gn 12.3; 18.18 – At 3.25; Mt 1.1; Lc 3.34
c)      Semente de Isaque, prometida – Gn 17.19 – Mt 1.2; Lc 3.34
d)      Semente de Jacó, prometida – Nm 24.17 – Lc 3.34; Mt 1.2
e)      Descendente da tribo de Judá – Gn 49.10 – Lc 3.33; Mt 1.2,3
f)       O herdeiro do trono de Davi – Is 9.7; 11.1-5 – Mt 1.1,6; 2Sm 7.13
g)      O lugar de seu nascimento – Mq 5.2 – Lc 2.1, 4-7
h)      O tempo de sue nascimento – Dn 9.25 – Lc 2. 1-7
i)        Nascido de uma virgem – Is 7.14 – Mt 1.18; Lc 1. 26-35
j)        O ministério na Galiléia – Is 9.1,2 – Mt 4. 12-16
k)      Vendido por trinta moedas de prata – Zc 11.12,13 – Mt 26. 15; 27.3- 10
l)        Seu lado traspassado – Zc 12.10 – Jo 19.34
Não há duvidas Jesus Cristo nasceu, morreu, ressuscitou ao terceiro dia dentre os mortos, voltou ao Pai e hoje está GLORIFICADO (At 7.56; Ap 1. 12-18).
Obras Consultadas:
ROYER, Gary Luther – Cristologia 3ª edição EETAD
WOOD, George O. – Um Salmo em seu Coração – CPAD
ELLISEN, Stanley A. – Conheça melhor o Antigo Testamento – Editora Vida
SPURGEON, C.H. – Esboços Bíblicos de Salmos – Sheed Publicações
Colaboração para o Portal Escola Dominical - Pr Jair Rodrigues

FONTE PORTAL EBD

LIÇÃO 09 - A MORDOMIA DO TRABALHO / SLIDES / CLASSE ADULTOS

BAIXAR OS SLIDES