SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Google+ Followers

Marcadores

Aborto ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL Adolecentes Cristão ADOLESCENTES ADPB ADULTÉRIO ADULTOS Agradecimento Aniversario Apologética Cristã Arqueologia As Inquisições Assembleia de Deus Barack Obama Batismos Bíblia Brasil Casamento CGADB Ciência Círculo de Oração CLASSE BERÇARIO CLASSE BERÇÁRIO CLASSE DOS DISCIPULADOS CLASSE DOS DISCIPULANDO CLASSE DOS DISCIPULANDOS CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL CLASSE MATERNAL Congresso CPAD Cruzada Curiosidades Cursos Departamento Infantil Depressão Desaparecido DESENHOS BIBLICOS Desfiles Dia do Pastor Discipulado Divórcio EBD EBO Escatologia Estudantes Estudos Eventos FALECIMENTO Família Filmes Galeria de Fotos Gospel Gratidão a Deus Hinos Antigos História Homenagens Homilética Homoxesualismo Ideologia de Gênero Idolatria Inquisição Islamismo Israel LIção de Vida Louvor Luto Maçonaria Mães Mensagens Ministério Missões MODISMOS Mundo Mundo Cristão MUSICAS EVANGÉLICAS Namoro Cristão Noivados Notícias Obreiros ONU Oração Pneumatologia política PRIMARIOS Psicopedagogia Pureza sexual Realidade Social Reforma Protestante RELIGIÕES Retiro Revista Central Gospel REVISTA CLASSE PRIMARIOS REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA REVISTA CLASSE JUNIORES REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. REVISTA DA CLASSE JOVENS. REVISTA DA CLASSE ADULTOS REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS REVISTA DA CLASSE JUVENIS Revista Maternal Santa Ceia Saúde Seminário Sexualidade Subsídios Subsídios EBD Subsídios EBD Videos Templos Teologia Testemunho TRANSGÊNEROS Utilidade publica UTILIDADE PÚBLICA Vida de Adolecente videos Virgilha

08 julho 2017

Lição 2 - O único Deus verdadeiro e a criação III




ESBOÇO Nº 2
CREMOS
“...
2. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas que, embora distintas, são iguais em poder, glória e majestade, o Pai, o Filho e o Espírito Santo; Criador do Universo, de todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, e, de maneira especial, os seres humanos, por um ato sobrenatural e imediato, e não por um processo evolutivo (Dt.6:4; Mt.28:19; Mc.12:29; Gn.1:1; 2:7; Hb.11:3 e Ap.4:11).” (Cremos da Declaração de Fé da CGADB) (destaque nosso).

INTRODUÇÃO
- Na continuidade do estudo da Declaração de Fé da CGADB, estudaremos hoje a nossa crença em Deus e na criação.
- Deus é o Criador de todas as coisas e a criação se deu por um ato sobrenatural e imediato, não por um processo evolutivo.
I – A EXISTÊNCIA DE DEUS
- Na sequência do estudo da Declaração de Fé da CGADB, estudaremos hoje a respeito da doutrina de Deus e da doutrina da criação, temas que se encontram no item 2 do nosso Cremos. Aliás, em relação ao Cremos publicado desde 1969 no jornal “O Mensageiro da Paz”, onde este assunto ocupava o item 1, tivemos algumas alterações, de forma a tornar mais explícita nossa crença na Trindade (o que será objeto de lição própria), bem como dar nossa crença a respeito da criação, o que se tornou imperioso diante do avanço da chamada “teoria da evolução”, que, apesar de ser apenas uma teoria, é ensinada como “verdade científica” no sistema educacional.
- O primeiro ponto que devemos deixar bem claro é que a Bíblia não se preocupa, em momento algum, em demonstrar ou querer provar a existência de Deus. Deus é um dado que surge logo no início do relato da Criação: “No princípio criou Deus os céus e a terra” (Gn.1:1). Deus, assim, surge como o único existente, o único que sempre existiu, que não tem princípio nem fim. Esta mesma circunstância, para quem entende que o primeiro livro da Bíblia a ser redigido foi o livro de Jó, também se apresenta naquele livro, que, no seu início, também revela um ser que já existia ao tempo dos demais (Jó 1:1,6).
- Tem-se, aliás, neste ponto, uma das principais diferenças entre a teologia, que é o estudo racional a partir da revelação divina, e as demais atividades do conhecimento humano (filosofia, ciência, arte, mitologia), que têm como ponto de partida a razão humana e não a revelação divina. Os homens buscam, de todas as formas, uma forma de se provar a existência de Deus por intermédio da razão, mas isto é totalmente dispensável para quem se baseia nas Escrituras, que, já no seu introito, mostra Deus como o Ser que existe, Aquele que é o que é (Ex.3:14). Daí porque não haver qualquer sentido em se ficar indagando sobre provas de que Ele exista ou não, pois a Bíblia se contenta em apenas revelar que Deus existe e ponto final (I Co.8:6; II Co.4:4; Hb.11:5).
- A Bíblia Sagrada, também, mostra-nos, com absoluta clareza, que, além de existir, Deus é único, sendo, esta, aliás, uma peculiaridade da revelação divina que causa espécie nos homens até hoje. Os estudiosos e historiadores ficam a indagar porque o povo hebreu chegou, ao contrário de todos os povos à sua volta, à concepção de um único Deus, mas, a verdade, como sabemos, é que isto não foi fruto de qualquer mente humana, mas o resultado da revelação divina, que, desde quando chamou Abrão para que saísse de Ur dos caldeus, revelou-Se ser um único Deus. Deus é um só, é outra lição que aprendemos a respeito do Senhor (Dt.4:35; Is.42:8; 44:6,8; I Rs.18:39).
- Eis o motivo pelo qual basta esta demonstração da Bíblia para crermos em um único Deus, que é eternamente subsistente, como nos diz o item 2 de nosso Cremos logo em seu limiar.
- A despeito de a Bíblia não se preocupar em provar se Deus existe ou não, temos que apresenta diversos fatores que fazem com que percebamos a existência de Deus, ou seja, embora não seja preocupação das Escrituras trazer argumentos pelos quais possamos conceber a existência de Deus, há circunstâncias que nos revelam que Deus existe.
- O primeiro fator que nos mostra que Deus existe é o fato de que há uma crença universal em um Ser Supremo. A ideia de Deus, mesmo para aqueles que a rejeitam, é uma ideia que exsurge em todas as civilizações, em todos os povos, em todos os tempos e lugares. O apóstolo Paulo, quando se encontrava perante os maiores sábios de seu tempo, os filósofos do Areópago, atestou esta realidade ao afirmar que, os atenienses, do alto de sua filosofia, honravam a um “Deus desconhecido”, prova de que, mesmo de uma forma até certo ponto inconsciente, os homens buscam ao Senhor, como os cegos buscam um caminho a seguir tateando os objetos que estão à sua volta e que são incapazes de enxergar.
OBS: A propósito, interessante é a leitura da obra de Don Richardson, “o fator Melquisedeque”, onde se demonstra como, em todas as culturas, as mais primitivas, há a noção de um Deus único que está no controle de todas as coisas criadas.
- O segundo fator que nos mostra que Deus existe é a consciência, esta faculdade do espírito humano que nos indica o que é o certo e o que é o errado, verdadeira “filial” divina em nosso ser. Com efeito, a consciência dá-nos a demonstração clara e evidente de que existe alguém que está acima de nós, indicando o que é o correto e o que não o é, ou seja, a consciência traz-nos a vontade de um ser que comanda todas as coisas e que a todos julgará pelas suas ações. A compreensão que temos de que fizemos algo justo ou injusto, bom ou mau, ao contrário do que dizem muitos “sábios” do nosso tempo, não é resultado puro e simples de nossa educação ou do ambiente em que vivemos, pois, se assim fosse, não haveria o arrependimento ou a convicção interna, muitas vezes não confessada, de que erramos ao tomarmos esta ou aquela atitude, ainda que tal gesto tenha tido a aprovação do ambiente em que vivemos. A consciência é uma verdadeira “lei escrita nos corações” (Rm.2:15), que nos indica a presença de um Ser superior, a dizer o que se deve, ou não, fazer. Este ser outro não é senão o próprio Deus.
OBS: Neste passo, é a constatação de que existe injustiça no mundo e de que, portanto, há de se ter um julgamento na vida além-túmulo, que levou o filósofo alemão Immanuel Kant a demonstrar a existência de Deus, ainda que no campo da ética.
Para continuar lendo este artigo baixe o anexo no link abaixo.
COLABORAÇÃO PARA O PORTAL ESCOLA DOMINICAL - EV. CARAMURU AFONSO FRANCISCO