SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (71) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (146) CLASSE MATERNAL (103) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (505) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (284) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (9) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (147) MODISMOS (2) Mundo (608) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (229) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (110) REVISTA CLASSE JUNIORES (242) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (185) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (389) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (592) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

25 dezembro 2011

11/12/2011 - Última Santa Ceia do Ano e Dia da Bíblia



Chegamos à 12ª e última Santa Ceia de 2011. É vitória para o povo de Deus da AD Coremas. Vitória justamente por ser um culto que, além de ter caráter memorial (da morte do Salvador), ratifica cada crente como membro do Corpo Místico de Cristo - a Igreja. O Apóstolo Paulo afirmou que esta união, este elo, esta ligação espiritual da Igreja com Cristo - análoga a um casamento -  é um MISTÉRIO (Efésios 5:24-32). Por esta razão
é que é motivo de grande comemoração, alegria, celebração, agradecimento, louvor, adoração, enfim, motivo de regozijo por cada crente individualmente que ali esteve presente para "cercar a mesa do Senhor", visto ser um privilégio incomensurável. 

Pr. Luciano/Areial-PB
Recebemos visita, sim, graças a Deus. Esteve conosco o Pastor Luciano, de Areial-PB. Ele é natural de Esperança-PB e amigo de época de Conjunto de Mocidade do Pastor José Carlos. Ambos cantavam no Conjunto de Mocidade de Esperança e ambos estão no "Campo". É um verdadeiro exemplo para os jovens que aspiram "o episcopado". Além do Pastor Luciano, recebemos o cantor Nildo, o irmão Evi, de João Pessoa, a irmã Aprigina de Paula Lacerda e filho, de São Paulo, o cantor Jeferson Viana, do Recife, dentre outros. 

A noite de 11/12/2011 também foi noite de Dia da Bílbia. 


A História do Dia da Bíblia é a seguinte:

Celebrado no segundo domingo de dezembro, o Dia da Bíblia foi criado em 1549, na Grã-Bretanha pelo Bispo Cranmer, que incluiu a data no livro de orações do Rei Eduardo VI. O Dia da Bíblia é um dia especial, e foi criado para que a população intercedesse em favor da leitura da Bíblia. No Brasil a data começou a ser celebrada em 1850, quando chegaram da Europa e EUA os primeiros missionários evangélicos. Porém, a primeira manifestação pública aconteceu quando foi fundada a Sociedade Bíblica do Brasil, em 1948, no Monumento do Ipiranga, em São Paulo (SP). 

E, graças ao trabalho de divulgação das Escrituras Sagradas, desempenhado pela entidade, o Dia da Bíblia passou a ser comemorado não só no segundo domingo de dezembro, mas também ao longo de toda a semana que antecede a data. Desde dezembro de 2001, essa comemoração tão especial passou a integrar o calendário oficial do país, graças à Lei Federal 10.335/2001, (o 2001 foi acrescentado à citação original) que instituiu a celebração do Dia da Bíblia em todo o território nacional. 

Hoje, as celebrações se intensificaram e diversificaram. Realização de cultos, carreatas, shows, maratonas de leitura bíblica, exposições bíblicas, construção de monumentos à Bíblia e distribuição maciça de Escrituras são algumas das formas que os cristãos encontraram de agradecer a Deus por esse alimento para a vida.


A AD Coremas também prestou sua singela homenagem ao Dia da Bíblia, este tão importante Livro que nos revela o Pai, o Filho e o Espírito Santo, a Redenção Humana e de toda a Criação. A homenagem ficou por conta de alguns jovens da Igreja: Missilene, Aylla, Cynthia, Bonfim, Romário e Valdir Filho. O irmão Bonfim, presidente da Mocidade, organizou uma apresentação cujo tema abordou o Poder da Palavra de Deus, demonstrando sua simbologia: A Palavra é Espelho, pois é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração; a Palavra é mais doce do que o Mel; a Palavra é Lâmpada para os nossos pés e Luz para o nosso caminho; a Palavra é um Martelo que esmiuça a penha, dentre tantas outras simbologias que a Palavra, a si mesma, atribui. Glória a Deus!

Enfim, juntos e unidos num só propósito, agradecemos ao Senhor das nossa vidas tão importante Dia. Deus abençoe a todos os irmãos em Cristo Jesus. AMÉM! 

VEJA AS FOTOS





FONTE AD COREMAS

1ª Confraternização de Obreiros da AD Coremas - 22/12/2011




O pastor José Carlos Silva Barbosa e a irmã Charlene Guedes organizaram a primeira confraternização de Obreiros da AD Coremas (Presbíteros, Diáconos, Auxiliares e suas Esposas), na noite desta quinta-feira, 22/12/2011, às 19:00h. 

A confraternização foi organizada em duas partes: um culto relâmpago e um jantar. 

No culto relâmpago, como de costume, foi lida a palavra, bem como dada oportunidade para alguns irmãos cantarem, a exemplo do irmão Vanzinho e do irmão Manduca. A irmã Charlene abrilhantou a assembleia cantando o Hino "Sabor de Mel", de Damares. 

O Pastor Carlos Barbosa, ao ministrar a Palavra com base no texto da leitura oficial, frisou a importância da união dos membros do corpo de Cristo (citando João 17:21), condição imprescindível para o crescimento e o progresso da igreja de Cristo. "Somos membros uns dos outros, e cada membro em particular tem sua importância para o Dono da Obra que o chamou, por mais que alguém se julgue insignificante. Ninguém é insignificante para Deus nem para a Igreja como Corpo de Cristo", admoestava Pastor Barbosa. 

Transportando o sentido de cooperador para ferramenta, contou-nos o Pastor Carlos uma alegoria sobre o desentendimento das ferramentas de uma determinada Oficina:

Aconteceu num belo dia de verão. Um carpinteiro trabalhava alegremente em sua oficina. Terminando o serviço, ele arrumou as ferramentas sobre a banca e foi para casa. E na oficina reinava um silêncio. Nisto as ferramentas começaram a discutir uma com a outra e resolveram, então, fazer uma reunião. O senhor Martelo ia ser eleito para a presidência da equipe, quando o senhor Serrote, contrariado, começou a reclamar: 

- Eu protesto! O senhor Martelo, ele é muito barulhento. Perturba todas as reuniões. Ao invés dele ser presidente, o que ele devia fazer era retirar-se, pois ele não sabe agir sem bater em alguma coisa ou em alguém.

- Se eu tiver que sair da oficina por esta razão, respondeu o irmão Martelo, o irmão Serrote deverá sair também, pois ele é muito áspero e agudo. E mal ele recebe qualquer pancada, sai-se logo com aquele barulho irritante.

- Pois bem, se é assim, falou o irmão Serrote, que se dirá do irmão Arco de Pua? Ele é tão inútil que quando acaba de trabalhar, a única coisa que se vê é um simples buraco e um monte de pó.

E o senhor Arco de Pua levantou-se e disse assim:

- Se é da vontade de todos que eu me retire, tá bem, eu vou me retirar.

E nisto a irmã Chave de Fenda logo tomou a palavra e disse: 

- Se o irmão Arco de Pua precisa sair, declarou, acho melhor eu ir também. Contudo, se eu for, deverá acompanhar-me a irmã Régua, pois ela importuna. A irmã Régua é exigente, quer sempre que todos sejam perfeitos e sempre fica reclamando que a hora é pra isto, que a hora é pra aquilo, que as horas são compridas.

E a irmã Régua arrumou-se contrariada e falou:

- Está bem, sairei. Mas deverá ir comigo a irmã Plaina. Ela, coitada, dá impressão que faz muita coisa, mas realmente não faz é nada. Seu trabalho é muito superficial, quando poderia ser um pouco mais profundo.

- Está bem! Está bem!, retrucou a irmã Plaina, sejam como os senhores desejam. Irei! Mas a irmã Lima deverá sair também, visto que todas as vezes que ela está em atividade, deixa todo mundo arrepiado.

E em meio a toda esta confusão, abriu-se a porta e entrou o Carpinteiro. Naturalmente todos calaram-se. O Carpinteiro vestiu o avental e aproximou-se da banca. Tinha perante si a planta de um lindo púlpito, o qual deveria ser usado mais tarde para a pregação da Santa Palavra de Deus. E logo o Carpinteiro se pôs a trabalhar pegando a Régua e, em seguida, o Serrote, servindo-se deles. Usou o Martelo, o Arco de Pua e a Chave de Fenda. Trabalhou muito tempo com a Plaina em sua mão e por fim, apanhando a Lima, alisou as partes ásperas, arredondando tudo. E o sol se pôs e o dia findou-se. E o púlpito estava perfeito. O Carpinteiro sorriu e retirou-se alegremente. E depois que o Carpinteiro saiu, as ferramentas todas ficaram olhando contentes o bom trabalho que tinha sido feito pelo Carpinteiro. E estavam pensativas, lembrando-se de como o Carpinteiro usou cada uma delas para um trabalho diferente. Ninguém discutiu mais, pois agora compreendiam que o Carpinteiro tinha, para cada uma delas, um trabalho próprio e que nenhuma podia fazer direito o trabalho da outra. Qualquer uma, em si, poderia parecer inútil, mas na mão do Hábil Carpinteiro, eram Cooperadoras na Obra que Ele quis fazer. Fim.

"Segundo esta alegoria, portanto, admoestava o Pastor Carlos, ninguém é desprezível na Obra de Deus. Cada um foi chamado para uma obra peculiar, de acordo com sua capacidade, sua índole, seu modo de ser, seu temperamento, visto que cada pessoa é única e ninguém pode trabalhar sozinho, mas em consenso, buscando sempre alcançar os objetivos propostos. Neste ínterim, todos são COOPERADORES da Casa de Deus". O pastor Carlos também pedia aos irmãos que em 2012 continuassem a trabalhar com empenho na Casa de Deus, se possível, dando mais de si, cada um, empenhando-se mais que em 2011. Louvado seja o Nome de Jesus para Sempre. Amém!

VEJA AS FOTOS DA CONFRATERNIZAÇÃO

FONTE AD COREMAS

A criança e a televisão









MITOS QUE A CRIANÇA APRENDE NA TV

A média de tempo que as crianças passam assistindo tv, está surpreendendo, em muitos casos, a tv , os videos e a internet estão criando nossas crianças.
Está circulando na tv, uma certa propagando de um canal de televisão que diz, mais ou menos assim: Olha só o que tem nesta casa, e mostra a casa toda arrumadinha , enfim mostra as crianças vendo tv , e diz assim, nesta casa tem SOSSEGO.

Porque naquela casa da propaganda tem esse certo canal de programas, e as crianças ficam quietinhas assistindo.

A realidade é esta mesmo, os pais estão querendo sossego. As crianças de férias, os pais não aguentam. Minha vizinha disse que estava ficando louca com os 2 filhos pequenos em casa. eu até achei engraçado, porque ela nao faz nada pra melhorar isso. E nesse caos todas as crianças de hoje se tornam mais violentas, por conta de desenhos e filmes que se dizem infantis.
Estão moldando nossas crianças: Crenças contrarias á palavra de DEUS.


MITO 1 - NÃO HÁ MAL NENHUM EM FERIR ALGUÉM PARA RESOLVER UM PROBLEMA
Embora lutando por *boas causas* os heróis de desenhos animados e filmes, usam chutes, socos, tiros, etc... para vencer. O impacto de imagens violentas nas crianças durante o seu crescimento é preocupante.

MITO 2 - FELICIDADE É TER COISAS
As propagandas influenciam muito as crianças, pois é tudo colorido e muito bonito. Qual a mensagem escondida? Somente este brinquedo faz voce se sentir feliz, moderno ou popular.
MITO 3 - MAIS, É SEMPRE MELHOR
As crianças são sempre atormentadas a querer sempre mais.


MITO 4 - TERRA E ANIMAIS TEM GRANDE VALOR... MAIS DO QUE PESSOAS.
A midia enfatiza ao extremo a conservação da natureza, os animais são tratados feitos verdadeiros reis, e esquecem que tem crianças morrendo de fome e frio. Isso eles não mostram.

MITO 5 - VOCÊ MESMO PODE DECIDIR O QUE É CERTO E ERRADO
Ultimamente muitos programas não só infantis, tem abordado opiniões e comportamentos, antes considerados errados, como sendo alternativos, dizendo que todo comporatmento deve ser tolerado. Seje ele bom ou ruim. Existem filmes e desenhos mostrando que crianças com comportamento errado são perdoados porque*salvaram o dia*.

MITO 6 - DEUS É UMA FORÇA (NÃO UMA PESSOA)
Na maior parte da programação da midia, Deus não é apresentado como pessoa, mas uma força com um lado escuro e outro claro. Como o oriental Ying Yang.

MITO 7 - O CÉU É BRANCO FOFO E ENTEDIANTE.
A midia mostra em seus filmes e desenhos pessoas morrendo e subindo em uma nuvem e ali ficam. Não tem nada de interressante.

MITO 8 - A TV TORNA VOCÊ MAIS ESPERTO.
Isso não é verdade, relatórios confirmam que tempo demais diante da tv, substitui as brincadeiras que aguçam a imaginação, as leituras e experiências socias, e de aprendizado.

MITO 9 - ASSISTIR TV DEPOIS DA ESCOLA É UMA ATIVIDADE INOFENSIVA ÁS CRIANÇAS.
Quando se tem permissão para assistir tv horas a fio, as crianças crescem acreditando que essa atividade é aceitável, Infelizmente estudos revelam que há uma epidemia de obesidade entre crianças, saúde precaria, e menos agilidade física, fora a vida espiritual de nossos filhos que se acaba.

MITO 10 - AS PESSOAS NA TV SÃO SEU AMIGOS E FAMILA.
Muitas crianças acreditam que personagem da tv são seus amigos ou familiares, através de uma mensagem subliminar que passam para elas.

VOCÊ VAI CONTAR A VERDADE À ELAS?

VOCÊ VAI PROTEGER SEUS FILHOS DESTE MAU, QUE É A TELEVISÃO?

O casamento está falido?




Há anos a instituição do casamento vem sendo atacada e demolida por uma sociedade sem Deus. Rotula-se ele como algo ultrapassado, que pode ter servido em algum momento na evolução sociológica do homem, mas que não tem mais lugar em pessoas modernas e esclarecidas. Esse ataque começa sempre pelo questionamento de sua indissolubilidade. Casamentos existentes são quebrados com a maior facilidade e, por maior que tenha sido a cerimônia original, a quebra ocorre sem a menor cerimônia.

Seguindo o mesmo curso de pensamento, a sociedade passa a considerar o passo inicial como desnecessário. Deve-se “experimentar” a vida conjunta, “para ver se dá certo”. E “se der certo”, para que se casar? A felicidade, nos dizem, não depende da cerimônia.

Aliado ao descaso e desprezo pelo casamento, temos a banalização do mesmo, com resultados possivelmente até mais destrutivos. Personalidades famosas, do mundo esportivo ou televisivo, “casam-se” em um festivo evento social, às vezes até no meio de comprometimentos conjugais passados que ainda não foram formalmente ou juridicamente encerrados. Os novos relacionamentos são detonados poucos meses depois, com grande publicidade e, invariavelmente, com grandes somas de dinheiro trocando de bolsos.
Infelizmente, já notamos reflexos dessas atitudes dentro das nossas igrejas. Não somente os abandonos, o repúdio e o divórcio tornam-se cada vez mais comuns, mas muitos jovens já não dão a importância devida à cerimônia de casamento. Aceitam naturalmente a sua banalização.

Enquanto muitos cristãos estão desenvolvendo idéias bem diferentes das que a Bíblia apresenta, é incrível que alguns alertas surjam até dos que estão do lado de fora das igrejas evangélicas. O conhecido Stephen Kanitz escreveu alguns pensamentos sóbrios sobre o formalismo que cerca os relacionamentos matrimoniais e sobre a cerimônia de casamento (VEJA, 1873, 29.09.04). Nesse artigo, que tem recebido ampla circulação, ele disse:

A essência do contrato de casamento é a promessa de amar o outro para sempre. Muitos casais, no altar, acreditam que estão prometendo amar um ao outro enquanto o casamento durar. Mas isso não é um contrato... Banalizamos a frase
mais importante do casamento. "Eu amarei você para sempre" deixou de ser uma promessa social e passou a ser simplesmente uma frase dita para enganar o outro.

Contratos, inclusive os de casamento, são realizados justamente porque o futuro é incerto e imprevisível.

O contrato de casamento foi feito para resolver justamente esse problema. Nunca temos na vida todas as informações necessárias para tomar as decisões corretas. As promessas e os contratos preenchem essa lacuna, preenchem essa
incerteza...

Essa colocação do Kanitz é verdadeira. Os integrantes do casal, ao longo do seu percurso após o casamento, encontrarão muitos homens e mulheres, que poderiam até ser classificados como “ideais”, mas o contrato firmado deveria elevar o bom senso acima da atratividade pontual. Ele continua:

Kanitz chama a nossa atenção, portanto, para muitos aspectos que estão sendo deixado de lado, em nossa sociedade e que contribuem progressivamente para a dissolução dela mesma.

Acho digno de nota que algumas pessoas estejam verificando a necessidade de dar importância ao formalismo e aos votos que são proferidos em uma cerimônia de casamento. Mas para nós, cristãos, este momento envolve mais do que um contrato horizontal fechado entre dois lados – Deus está envolvido na cerimônia e nas promessas proferidas e isso é um pacto solene feito na sua presença (Ml 2.13-16). Nesse pacto, Deus está bem mais comprometido, do que as partes humanas poderiam estar, com o cumprimento do acordo.

O projeto de Deus foi e ainda é bom! – um homem e uma mulher – pessoas de sexos opostos, deixam suas famílias para formar uma união singular – uma nova família independente. Esta é a regra dada pelo Criador à raça humana, para sua própria preservação! Paulo compara o relacionamento entre Jesus e a sua igreja àquele existente entre um marido e uma esposa:


"Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,
Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,
Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;
Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos.
Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne.

Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja". (Ef 5.25-32) 

Nossos casamentos devem ilustrar esse tipo de amor, aos nossos filhos e ao mundo!

Assim, quando participarmos da próxima cerimônia de um casamento cristão, não vamos pensar que estamos apenas atravessando os trejeitos de uma convenção social em extinção. Não vamos concentrar nossas mentes nos aspectos cansativos da ocasião. Vamos nos lembrar de que estamos tendo o privilégio de participar e testemunhar a realização de um pacto solene, igualmente testemunhado e atestado por nosso Deus Santo e Soberano.




Que a paz de Deus que excede todo o entendimento te abençoe em Cristo Jesus, seu Filho amado.


Fonte: http://www.esposavirtuosa.com

Divórcio, por que?



          Você está se alegrando com o divórcio como se tivesse alcançado uma vitória? No entanto, já se esqueceu que um dia você prometeu amor eterno e fidelidade a esse que hoje  está  sendo execrado. Que amor é esse, que ontem se amavam, e hoje não amam mais? Onde está o cumprimento da palavra de Deus nessa união, porque Jesus afirmou que serão os dois uma só carne, e o que Deus uniu não separa o homem. Quem  selou essa união que acabou dessa forma, e onde está  a reciprocidade nos momentos difíceis que  enfrentam juntos?  
          Amados em Cristo, dado ao grande número de divórcios e separações que ocorrem constantemente a nossas vistas, não poderíamos nos acomodar e aceitar esse acontecimento catastrófico de braços cruzados, pois a palavra do Senhor exorta dizendo:
"Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus". (Romanos 12.2).
E certamente, o divórcio não é agradável aos olhos de Deus, ao contrário é uma epidemia maligna que enferma e sucumbi o corpo familiar.
O nosso objetivo não é criticar os que se encontram nessa situação, ao contrário, o nosso desejo é confortá-los e levar a esperança em Cristo, como também, alertar aqueles que estão na iminência desse acontecimento, em especial a mulher, a qual acaba sendo a maior vítima desse sinistro que assombra e agoniza o século presente.
Mas a palavra de Deus revela que a mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola destrói com as suas próprias mãos. Portanto mulher, vigie, ore, jejue e busque no Senhor a perpetuação do bem estar da sua família. Seja sábia, no Senhor, e edifique a sua casa.
Jesus já previa o abalo que haveria de vir sobre a família no fim dos séculos, podemos observar no  Evangelho de Marcos 13.3-12, que estando Ele assentado no monte das Oliveiras, defronte do templo, Pedro, Tiago, João e André lhe perguntaram em particular: "Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá quando todas as coisas estiverem para se cumprir. E Jesus, respondendo-lhes, começou a dizer:
Olhai que ninguém vos engane, mas importa que o Evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações: O irmão entregará à morte o irmão, e o pai, o filho; e levantar-se-ão os filhos contra os pais e os farão morrer".
Essa é uma das maiores evidências que estamos vivendo os últimos tempos, e todas essas coisas acontecem continuamente, porque a palavra do Senhor está se cumprindo, mas os servos de Deus precisam estar atentos a tudo isso, o mundo precisa ver a diferença entre o justo e o ímpio, entre o que serve a Deus e o que não serve, e buscar a vontade do Deus Pai para não ser surpreendidos no grande e terrível dia do Senhor, na vinda do Mestre para arrebatar os seus escolhidos, porque o fim está próximo.
E o alvo de satanás para a destruição da família é o casamento, a primeira instituição ordenada por Deus ao homem, porém, satanás de imediato, tratou de inventar o divórcio para dissolver a união designada pelo Criador.
Mas os seguidores de Cristo precisam estar imunes a ação do maligno, ser a luz no mundo de trevas que está sob o poder do maligno (I João 5.19). Devemos primeiramente, buscar no Senhor, um relacionamento harmonioso de paz para dentro do nosso lar, o respeito recíproco, a humildade, todos unidos em uma mesma fé, e solidificados na mesma esperança, revelada pela graça do Senhor Jesus.   
Hoje, satanás tenta de todas as formas dissolver a união conjugal, e com astuciosas ciladas ele busca minar a coluna da família que é o casamento, porque quebrando a união matrimonial, a família está literalmente fragmentada e destituída. E as conseqüências de uma separação são desastrosas na vida material. Espiritualmente então, não há adjetivo para qualificar o rastro de destruição deixado pela obra realizada pelo inimigo.
Para os infiéis, o casamento é uma instituição falida, insignificante, e o resultado pela falta de apreço para essa inspiração divina, são muitos lares abalados e dissolvidos, famílias desestruturadas, não há reverência entre pais e filhos, o relacionamento entre esses se tornou estranho, não há reciprocidade no respeito. A alegria e o encanto na agregação familiar, lamentavelmente, é um sentimento em extinção, os conflitos passaram a fazer parte do cotidiano. E a nossa maior consternação: Essas circunstâncias desesperadoras estão sendo encaradas com naturalidade.
E quando o anormal passa a ser visto como um episódio natural é porque o homem perdeu a razão e o controle absoluto da situação, e não há mais consciência para discernir entre o que é agradável a Deus e as obras edificadas pelo maligno. Isso é preocupante.
Então irmãos, é hora de acordarmos e buscar no Senhor Jesus a libertação, para que haja paz no ambiente familiar, que é alvo de setas malignas e ocorrências conflitantes.
A família precisa viver as virtudes de uma comunhão perfeita, o Espírito Santo de Deus e a sua graça precisa estar presente em nossos corações em todo tempo, o amor precisa reinar no seio familiar.
A fraternidade, a compreensão, o sentimento de satisfação ao chegar em casa e encontrar a família reunida, precisa ser resgatado. Recompensar uns aos outros com alegria no coração é algo indispensável. Isso é bom e agradável aos olhos de Deus, porque se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel (I Timóteo 5.4, 8).
As instituições religiosas tentam de alguma forma salvar a aliança com ministração de curso para casais, reuniões, cultos direcionados a família, mas os resultados nem sempre aparecem, porque é algo momentâneo e vazio, sem consistência espiritual, porque nesses “cursos e encontros” para casais, falta o essencial, que é a unção do Espírito Santo. Esquecem de anunciar o propósito fundamental de Deus para o homem, a salvação para a vida eterna,  pela aspersão do sangue do Senhor Jesus, e Ele mesmo declarou: "Sem mim nada podereis fazer" (João 15.5).
Mas todos esses desajustes familiares e sociais decorrem por uma única razão: Falta de compromisso com Deus. Muitos dirão, mas eu vou à igreja, sou dizimista, participo das atividades ministeriais, e mesmo assim, não há paz no meu lar.
Meu irmão, minha irmã, falo sem receio ao equívoco: Há algo errado na sua vida. Porque não estamos tratando de religiosidade, porque religião não nos dá a graça, como também não pode salvar a ninguém, mas a palavra da cruz é para conversão. Faça prova disso e verás o resultado.
As obras da carne (Gálatas 5) tem sido decisiva na consumação da dissolução da unidade familiar, as quais são: Prostituição, ciúmes, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, invejas, iras, discórdias, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.
Mas o Fruto do Espírito é: Amor, alegria, paz, caridade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivermos no Espírito, andemos também no Espírito.   
Porém, existem solução para a blindagem do casamento contra à fúria inimiga, e sustentam-se em dois fundamentos básicos para que o casamento jamais seja desfeito, mas,  desconsiderado esses preceitos, se sujeitará a ser alvejado pela seta fulminante do inimigo e a conseqüente consumação do intento de satanás, observemos:
Primeiramente, esse amparo dá-se quando os nubentes, sendo servos do Senhor, a união vem selada sob a direção de Deus, essa bodas jamais se desfará, porque veio para dar cumprimento ao que o Senhor estabeleceu, dizendo: Deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem.
E não irão separar-se mesmo, porque não são mais duas pessoas, mas uma só. E sendo um único ser, como poderá haver separação?
Outra presunção da infalibilidade do matrimônio, vem quando o casamento ou mesmo a união estável, tenha ocorrido antes do recebimento da graça pelo sangue do Senhor Jesus, e ambos, convertidos e fazendo a vontade do Pai, esse matrimônio ganha raiz pela unção do Espírito Santo do Senhor, e não será mais assolado pelo inimigo, porque a palavra do Senhor oferece essa segurança, dizendo:
"Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito".
"E, se Deus é por nós, quem será contra-nós?" (Romanos 8.1, 31), o que também foi confirmado na primeira carta universal do Apóstolo Pedro 3.13, onde diz: Qual é aquele que vos fará mal, se fordes zeloso do bem?
 Precisamos de sabedoria para entender que o casamento, por Deus instituído, não veio para ser desfeito pelas mãos do homem. Tanto que Jesus censurou o divórcio, dizendo: Eu vos digo, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada comete adultério também. E pela palavra de Deus, somos conhecedores que os adúlteros não herdarão o Reino de Deus.
É oportuno evidenciar também o desapontamento dos familiares que envolvem o casal quando há uma separação, principalmente tratando-se dos filhos. Porque depois do divórcio, na maioria dos casos o homem acaba encontrando outra companheira, como também a mulher outro marido. E os filhos, porventura encontrarão um novo pai ou uma nova mãe?
Nesses casos, os verdadeiros divorciados (dos pais) são os filhos. Então perguntamos: Onde está a responsabilidade emanada por Deus para criar, educar e proteger os filhos? Você já tomou consciência disso?
Você pode imaginar quantos filhos estão lamentando a ausência dos pais num momento desses? Talvez, se fôssemos dotados de um pouco mais de humildade e menos egoísmo, teríamos poupado dor e sofrimento a muitos dos nossos entes queridos.  Portando, perdoe para ser perdoado, e sobrecarregue o seu coração com amor e humilde, porque isso é bom e agradável aos olhos de Deus.
Ore, vigie, medite e peça orientação a Deus, antes de qualquer decisão que possa ser inconveniente à vontade do Criador. Porque a palavra relata que se você não ama o seu próximo o qual vê, como amarás a Deus, o qual não vê?
Amados, a sustentação do seu casamento e a felicidade no seu lar, depende única e exclusivamente de você e da sua vontade em transformar esse quadro de desolação e tristeza, em regozijo permanente.
Problema na vida sempre vai existir, porque o próprio Jesus declarou: "Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo" (João 16.33). Porém, o Senhor não consentirá que sejamos tentados acima daquilo que possamos suportar.
Busque primeiramente o Reino de Deus e a sua justiça, e as demais coisas vos serão acrescentadas. Porque é impossível servir a Deus sem se dar ao arrependimento e a conversão, acrescido da fé para salvação e a vida eterna.
Porém, estando revestido da couraça de Deus e com Jesus ao seu lado, o barco jamais imergirá. Jesus Cristo já fez tudo para lhe ofertar a paz e a salvação, alcançá-las, depende só de você, porque no Evangelho de João 3.16, Ele mesmo declarou: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna".
 Que Deus te dê sabedoria para saber agir em cada situação no seu lar.

Lição 5, A Mordomia da Igreja Local

  Lição 5, A Mordomia da Igreja Local