SEJÁ VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR

Marcadores

Aborto (11) ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMÓNIAL (5) Adolecentes Cristão (2) ADPB (1) ADULTÉRIO (2) Agradecimento (1) Aniversario (10) Apologética Cristã (10) Arqueologia (1) As Inquisições (1) Assembleia de Deus (5) Barack Obama (2) Batismos (29) Bíblia (3) Brasil (48) Casamento (25) CGADB (19) Ciência (6) Círculo de Oração (5) CLASSE BERÇÁRIO (26) CLASSE DOS DISCIPULANDOS (55) CLASSE JOVENS E ADULTOS CENTRAL GOSPEL (73) CLASSE JOVENS E ADULTOS BETEL (153) CLASSE MATERNAL (104) Congresso (49) CPAD (6) Cruzada (3) Curiosidades (3) Cursos (3) Departamento Infantil (5) Depressão (2) Desaparecido (4) DESENHOS BIBLICOS (1) Desfiles (3) Dia do Pastor (4) Discipulado (64) Divórcio (4) EBD (20) EBO (21) Escatologia (2) Estudantes (2) Estudos (506) Eventos (118) FALECIMENTO (5) Família (16) Filmes (18) Galeria de Fotos (12) Gospel (285) Gratidão a Deus (1) Hinos Antigos (3) História (4) Homenagens (3) Homilética (4) Homoxesualismo (3) Ideologia de Gênero (12) Idolatria (3) Inquisição (2) Islamismo (10) Israel (18) JARDIM DA INFANCIA (7) LIção de Vida (2) Louvor (1) Luto (42) Maçonaria (3) Mães (3) Mensagens (56) Ministério (34) Missões (148) MODISMOS (2) Mundo (610) Mundo Cristão (178) MUSICAS EVANGÉLICAS (3) Namoro Cristão (8) Noivados (1) Notícias (3155) Obreiros (9) ONU (4) Oração (1) Pneumatologia (1) política (121) Psicopedagogia (3) Pureza sexual (8) Realidade Social (17) Reforma Protestante (4) RELIGIÕES (3) Retiro (4) REVISTA BETEL JOVENS (1) Revista Central Gospel (1) REVISTA CLASSE PRIMARIOS (230) REVISTA CLASSE DOS PRE-ADOLESCENTES (267) REVISTA CLASSE DOS ADOLESCENTES (280) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFANCIA (111) REVISTA CLASSE JARDIM DA INFÂNCIA (111) REVISTA CLASSE JUNIORES (243) REVISTA DA CLASSE JOVENS CPAD. (189) REVISTA DA CLASSE JOVENS. (319) REVISTA DA CLASSE ADULTOS (872) REVISTA DA CLASSE JOVENS E ADULTOS (401) REVISTA DA CLASSE JUVENIS (262) Revista Maternal (63) Santa Ceia (3) Saúde (45) Seminário (4) Sexualidade (7) Subsídios (1507) Subsídios EBD (1900) Subsídios EBD Videos (597) Templos (3) Teologia (5) Testemunho (1) TRANSGÊNEROS (2) Utilidade publica (1) UTILIDADE PÚBLICA (2) Vida de Adolecente (5) videos (106) Virgilha (1)

03 setembro 2011

Pr. Billy Graham dá 10 conselhos para os jovens resistirem ao sexo antes de casar



Gospel Mais
Divulgação
Billy Graham
Billy Graham
Ele foi conselheiro espiritual de vários presidentes americanos
O pregador batista norte-americano Billy Graham que foi conselheiro espiritual de vários presidentes americanos e é considerado um dos mais influentes escritores cristãos compartilha dez conselhos para os jovens a cerca de cuidados para que não venham cometer o ato sexual antes do momento “certo”.
Confira abaixo os conselhos dado por Graham:
1) Evite más companhias. Se você andar com maus elementosficará dominado por eles. A Bíblia diz: “Retirai-vos do meio deles, não toqueis em coisas impuras” (II Co. 6):
2) Evite o segundo olhar. Você não pode controlar o primeiro, mas pode evitar o segundo, que se torna cobiça.
3) Discipline suas conversas. Evite piadas e histórias com sentido duvidoso. “As más conversações corrompem os bons costumes” (I Co 15:33)
4) Tenha cuidado com a maneira de vestir-se. Deve ser um assunto entre você e Deus as roupas que usa. Uma jovem recém-convertida falou: De agora em diante vou vestir-me como se Jesus fosse o meu acompanhante.
5) Escolha cuidadosamente os filmes e programas de televisão que assiste.
6) Tome cuidado com o que você lê. Muito da literatura contemporânea apela ao instinto sexual.
7) Esteja em guarda com respeito a seu tempo de folga. Davi tinha o tempo em suas mãos, viu Beteseba e caiu em complicações.
8) Faça uma regra de nunca se envolver em namoro pesado. Jovens cristãos deviam orar antes de cada encontro. A moça que tem Jesus Cristo em seu coração possui um poder sobrenatural para dizer “não” aos avanços de qualquer rapaz. E o rapaz que conhece Jesus Cristo tem poder para disciplinar sua vida.
9) Invista grande parte de seu tempo lendo as Escrituras - “Guardo no meu coração a tua palavra para não pecar contra ti”. (Sl 119:11) – Memorize versículos e quando a tentação chegar, cite-os. A palavra de Deus é a única coisa à qual satanás não pode se opor.
10) Cultive a Cristo em seu coração e vida. Deus o ama e uma forte fé Nele tem livrado a muitos homens e mulheres de cometer imoralidades (I Jo 2:14).
FONTE PORTAL AD ALAGOAS

Ministério lança comunidade na web para jovens



Página vai divulgar o amor resgatador de Jesus e ajudar jovens nos seus difíceis questionamentos

Ministério lança comunidade na web para jovens
Estudantes universitários e em início de carreira contam agora com o Resgate (Ransom), uma comunidade na web de divulgação sobre o amor resgatador de Jesus e para ajudá-los nos seus difíceis questionamentos.

Quanto vale o seu resgate? A resposta pode ser evasiva ou mesmo incapacitante para jovens e adultos que lidam com questões difíceis em sua vida. "Nós todos temos uma história para contar. Nós podemos esconder nossos problemas, mas isso não vai nos levar para a resolução", disse Cissie Graham Lynch, produtora de projetos especiais.

RANSOM.tv é uma comunidade online voltada para jovens, lançada pela Associação Evangelística Billy Graham com o objetivo de encorajar os crentes com histórias de resgate de jovens no mundo atual e nas Escrituras, alcançando aqueles que estão sofrendo.

O público alvo são os jovens adultos na faculdade e em início de carreira. "É um momento tão importante em sua vida", diz Joe Gruber, um voluntário do Resgate que ministrou nos eventos dos últimos dois fins de semana em Denver e Milwaukee. 

As estatísticas dizem que a maioria dos cristãos sai da igreja depois que saem de casa. “Há uma necessidade desesperada de resgatá-los”.

Então, o que está por trás do nome Resgate? "A Bíblia diz que Jesus não veio para ser servido mas para servir e dar sua vida em resgate por muitos", diz Lynch, citando Marcos 10:45(NVI). "Nós temos sido resgatados de algo. Todos nós temos uma história para contar. Se Ele pode levantar e tomar toda a nossa vergonha, por que eu deveria ter vergonha de contar a minha história, se ela pode ser usada para a Sua glória?"

RANSOM.tv é composto por vídeos de música, artigos sobre temas sociais / culturais, devocionais, artigos de ajuda espiritual, críticas de filmes, música e moda, curtas-metragens, entrevistas e conteúdo enviado pelo usuário.

"Queremos construir uma comunidade de confiança. Temos uma rede de colaboradores que serão apresentados semanal e mensalmente. Queremos que Resgate seja um lugar seguro onde as pessoas não se sintam julgadas ou pressionadas. É um lugar onde possam se sentir seguros para fazer perguntas difíceis”, diz Lynch.

Cada mês, Resgate terá um tema de discussão. Nesse mês de setembro o assunto é "Identidade", que vai lidar diretamente com as questões que impedem a capacidade dos jovens adultos de viverem na completa liberdade de Cristo. 

“É nosso dever como cristãos responder a essas perguntas porque nós estamos na verdade do evangelho de Jesus Cristo", diz Lynch.

Ao longo de dois fins de semana, Gruber foi capaz de compartilhar e ministrar o Evangelho para muitos. O mais memorável foi um adolescente em Milwaukee, que tinha sido usuário de drogas desde os 15 mas estava fora do vício por meses. "Ele deve ter fumado uns seis cigarros nos 30 minutos que eu falei com ele. Ele disse: ‘Sinto muito. Eu sei que estou errado. Eu preciso voltar ao bom caminho do Senhor’.  Eu o encorajei dizendo que Deus vai completar o trabalho que começou nele”, disse o ministro.

"Muitos deles são cristãos que só precisam ser incentivados em sua fé. Resgate é mais um recurso ou ferramenta que pode chegar a algumas dessas pessoas", diz Gruber.

Há muitas maneiras para os jovens ficarem conectado com Resgate. Além doRANSOM.tv, ele estará também nas páginas do Facebook , Twitter e YouTube.

"Acredito que esta geração quer ser transparente. Jesus levou nossa vergonha na frente de todo o mundo. Eu não vou ter vergonha do que Ele fez na minha vida”, afirma Lynch. 


Fonte: Charisma News/Redação CPADNews

Como ganhar seu marido para Cristo








O apóstolo Pedro, consciente das dificuldades que as mulheres convertidas ao evangelho teriam pelo fato de seus maridos não serem cristãos, ensina em 1 Pedro 3.1-4 como uma esposa deve agir para ganhar o seu marido não-salvo para Cristo.

A mulher cristã deve ser submissa ao marido e reconhecer a sua liderança na família, conforme o ensina a Palavra de Deus (Ef 5.22-24). Ela tem a tarefa dada por Deus de ajudar o marido e de submeter-se a ele. Submeter-se significa “ceder por amor”. Uma esposa não pode se considerar preparada para dar seu testemunho perante o seu marido não-salvo enquanto não estiver sujeita a ele, rendendo-lhe o devido amor.


Os maridos que recusam obedecer à Palavra de Deus podem ser ganhos para Cristo sem palavra. Isso não impede que a esposa pregue o evangelho para seu marido. A idéia da expressão “sem palavra” significa “sem argumentos”, “sem discussões”. De nada adianta falar de Jesus para o marido, se a esposa não for submissa a ele. Falar da Bíblia o tempo todo e não agir como ela ensina somente contribuirá para endurecer o coração dele contra o Evangelho.

Muitas vezes, ao invés de ficar constantemente falando de Deus a ele, é melhor falar com Deus a respeito dele.


A conversão do marido está intimamente ligada à conduta genuína de sua esposa. O marido não-salvo precisa reconhecer a genuinidade da conduta dela, de seu real testemunho cristão em relação a ele, pois isso falará mais alto que as palavras que ela disser. Tais maridos devem ser ganhos pela vida piedosa, e não pelas discussões resmungadoras.

A esposa sábia que quer ganhar o marido para Cristo deve demonstrar as seguintes atitudes em relação a ele: amor (Tt 2.4), respeito (Ef 5.33 e 1Pe 3.1-2), ajuda (Gn 2.18), pureza (Tt 2.5 e 1Pe 3.2), submissão (Ef 5.2 e 1Pe 3.5), espírito manso e quieto (1Pe 3.4), ser uma boa mãe (Tt 2.4) e ser uma boa dona-de-casa (1Tm 2.15; 1Tm 5.14; Tt 2.5).


O testemunho de uma esposa cristã torna-se mais eficaz quando o seu marido constata o seu comportamento casto combinado com o temor (1Pe 3.2). Ela deve manter uma conduta casta, isto é, honesta, pura, livre das influências corruptas impostas por uma sociedade corrompida. A fidelidade a seu marido deve constituir-se como ponto de honra no seu casamento. Muitos maridos não-salvos têm sido ganhos para Cristo por causa da atitude de fidelidade vivenciada por sua esposas.





FONTE MULHERES QUE CONQUISTAM

As origens da fé em Javé, o Deus de Isarel



A fé de Israel mudou ao longo de sua caminhada.Talvez pelos problemas encontrados ao longo do caminho, ou por influências de outras religiões. No livro dos Juízes, está o relato de altos e baixos.
Israel desobedece a Javé, em consequência a isto, vão ao cativeiro. No exílio eles arrependem-se, Javé levanta um juiz e livra-os. Ao esquecerem os atos de misericórdia de Javé, desobedecem às leis, e novamente o resultado é o cativeiro. Vemos assim ida e volta, desobediência e obediência, altos e baixos, juízo e misericórdia.
Nas religiões de outros povos, também houve mudanças, isso pelo aumento do conhecimento na caminhada histórica. O avanço do conhecimento faz com que as pessoas avaliem suas noções religiosas e culturais. A história de Israel está claramente exibida nos livros históricos e proféticos, que vão descrevendo a conduta da nação, e a influência sofrida em detrimento das nações vizinhas. Temos então uma mensagem rica e atual para nosso saber teológico.
Quando examinamos a história da religião e teologia do AT, vemos mudanças de procedimentos, conceitos e ações do povo de Israel. No entanto entendemos a imutabilidade de Deus em toda a História. Devido à imutabilidade de Deus, é exigido de Israel que também não mudem em dano dos comportamentos de outras religiões, Israel não deve sofrer mudanças. Os costumes, os métodos religiosos pagãos, não devem ser desejados e nem copiados por Israel. Uma técnica reprovada por Javé nas religiões pagãs, era os sacrifícios de crianças aos deuses, isto é: passar os filhos pelo fogo. Israel não deveria perpetrar isso, por ser abominação a Javé.
Sou de acordo com o texto, quando exibe que a adoração a Javé foi exercitada antes da existência de Israel. Adão, Sete, Noé, Abraão e Jacó, já adoravam antes a Deus com a construção de altares. No Egito, Moisés foi a peça fundamental para trazer Deus ao centro da adoração do povo de Israel, que com o controle egípcio, esqueceu-se de Javé. Talvez, alguns tivessem lembranças do Deus de seu pai Jacó; Compreendemos que Jacó quando descia à casa de Labão, quando chegou a Betel fez um voto a Deus, prometendo ser fiel a ele, e servi-lo somente a ele, se Deus fosse com ele abençoando-o.
Jacó tinha conhecimento de Javé. Talvez a comunhão e a informação de Jacó com Javé chegaram à ciência do povo de Israel, todavia, como adorá-lo? Então aparece Moisés com a missão de levar de volta o povo a Javé. Até porque era promessa de Deus a Abrão e a Jacó, trazer o povo de volta do Egito. Vemos isso na fé de José, que preferiu não ser enterrado no Egito, acreditando que o povo sairia de lá, e então teria seu corpo sepultado em Canaã. O povo precisava voltar-se ao Deus dos pais, o Deus das promessas, das terras e de um futuro propício. Então era necessário que confiassem nesse Deus, era preciso estar preparado a servi-lo e adorá-lo como garantia das bênçãos.
As festas judaicas, em especial a páscoa, servem para trazer de volta à memória das famílias, e propor aos mais novos os feitos de Javé.Aprendem então que Javé é o Deus dos menos favorecidos, dos oprimidos como era o povo no Egito. Isso levou o povo a lutar contra a injustiça, acreditando fazer a vontade de Javé. A páscoa e outras festas servem para contar o que Javé fez em favor de Israel.

Isso incentivava o povo servir a ele com fidelidade. Israel percebeu o milagre e a intervenção divina nas pragas do Egito. Isto despertou a fé em Deus, que então firmou as alianças e as leis para Israel. A partir daí, Deus se manifesta no monte Sinai, que fumegava e tremia e começa Deus a falar audivelmente com Israel. A teofania de Javé, segundo a primeira tradição, vem acompanhada de fogo, fumaça e tremor. Javé se revela FONTE ALERTA FINAL

O monoteísmo Bíblico




O monoteísmo é bíblico porque o próprio Javé, Deus de Israel estipulou isso à nação, quando

disse: Não terás outros deuses diante
de mim. Jesus mesmo disse a satanás: Vai-te satanás, somente ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.
Quanto ao conflito entre Judeus e palestinos, a combate não é pelo fato de serem monoteísta. Mas a peleja vai, além disso, é por territórios, é a política das terras e das raças, não se baseia em um item apenas.
A Bíblia deixa clara a existência de outros deuses, quando adverte a Israel: “Não seguireis outros deuses, os deuses dos povos que houver ao redor de vós” (Dt 6.14). Poderíamos citar diversas outras passagens, mas não é o caso.
Outro ponto que quero destacar é sobre o Deus de Abraão de Isaque e de Jacó. Por mais que pareça que cada um destes patriarcas tenha seu próprio Deus pessoal, é mais claro e admissível, que cada patriarca teve sua experiência com Deus. A
té porque o Deus de Abraão não iria ordená-lo sair da terr
a, da parentela politeísta e permitir que Abraão continuassem no próprio erra que mais tarde Deus exigiria da não, servir a ele só.
Não acredito que Israel integrou outros deuses, ao Deus da Israel. Até porque antes da conquista de Canaã, a advertência contra deuses estranhos, já era conhecida. “Não seguireis outros deuses, os deuses dos povos que houver ao redor de vós” (Dt6. 14). “Não fareis outros deuses comigo; deuses de prata ou deuses de ouro não fareis para vós”
(Ex 20,23).
Outro sim, porque será que Jacó se desfez dos deuses estranhos enterrando-os? “““ E Jacó fez um voto, dizendo:” Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir”.
“E eu em paz tornar à casa de meu pai, o SENHOR me será por Deus” (Gn 29.20-21). Aí está por causa do voto que ele fez de servir somente a Deus. O Senhor será o meu Deus. Chegando ao lugar que ele fez o voto, ele se lembrou dos feitos de Deus, então entrou com sua pare cumprindo o voto.
Parece algo relativo, quando o texto afirma que no antigo Oriente, cada povo tinha o seu Deus maior, em especial que Israel também tinha o seu. Acredito que Javé é um Deus absoluto, porque derrota todos os demais deuses com seus respectivos poderes e seguidores. As dez pragas é algo contra os deuses dos egípcios. A morte dos animais, onde está o boi Ápis protetor das criações? E assim com as demais pragas.
Na caminhada de Israel, os deuses dos Moabitas, Amonitas, Baal e companhia, todos caíram diante do Deus Javé. Por isso ele é um Deus absoluto.
Quando os Israelitas foram dizimados ao exercito babilônico, receberam injúrias, e Javé foi afrontado dizendo que não pode fazer nada diante do deus babilônico, sabemos que tudo ocorreu pela permissão de Javé. A ajuda, o livramento, o cuidado e as bênçãos sobre Israel da parte de Javé, eram condicionais. Em Deuteronômio capítulo 28 a primeira parte das bênçãos cuidados e providencias eram a obediência e adoração a Javé. O contrario disso resultaria em abandono, e seriam entregues aos próprios inimigos. Foi o que aconteceu com Israel nas mãos dos babilônicos.

Geziel Silva Costa  FONTE ALERTA FINAL

As festas judaicas



Antigamente Israel se baseava no ano lunar. A cada dois ou três anos, fazia-se uma adaptação ao ano lunar, baseado no ano solar. Essa adaptação era a adição de um mês no ano solar. O primeiro mês do calendário de Israel correspondia aos nossos meses de março e abril aproximadamente. Conhecia-se o início de um mês pela lua nova.
Na cultura Judaica, comemoravam-se três grandes festas importantes para Israel. A festa dos Asmos, da Colheita e do tabernáculo. Conforme as ordenanças do Senhor em Êxodo 23 a Festa dos Pães Asmos era para ser celebrada durante sete dias. Isso no mês de Abibe, porque este foi o mês que saíram do Egito. O primeiro corte do Trigo era torrado, o povo se reunia em vários santuários para preservar a colheita.
Somente mais tarde é que o Rei Josias conduziu este cerimonial ao templo em Jerusalém. A festa das Semanas que é a festa das primeiras colheitas de trigo. Ficou conhecida como festa das semanas, por causa da contagem de sete semanas do início da colheita dos cereais. Era mais um culto de ações de graças, onde eles expressavam sua gratidão a Deus pelos frutos da terra. A festa das semanas era também celebrada a dádiva da Torah que receberam no Sinai. Foi nesse dia o derramamento do Espírito Santo, de onde conhecemos o pentecostes. Também existe a festa dos Tabernáculos, que é a celebração da colheita dos frutos. Durante a colheita dos figos, tâmaras azeitonas, uvas e etc., eles habitavam em cabanas. Essa ação lembra o tempo que Israel no deserto, morava em cabanas. É uma festa alegre, com danças, celebrada durante sete dias. Em Deuteronômio já vemos vinculado à festa dos Asmos a festa da Páscoa.
A páscoa na verdade era uma festa de pastores, quando saiu para terras longínquas em busca de pastos, matavam um animal para prevenção. Isso foi associado na saída de Israel do Egito, quando os Israelitas comeram o cabrito assado, e passaram o sangue nos umbrais das portas. Onde o Anjo da morte passava, e não matava os primogênitos devido o sangue. Aí temos a explicação da palavra Pascoa, passagem, talvez a passagem do destruidor, ou a passagem do mar vermelho por Israel. No tempo de Jesus a páscoa foi celebrada, e hoje é uma festa no seio da família israelita precisamente dia 14 do mês de nisã, relembrando os acontecimentos do Egito, e as ações de Javé. Hoje no cristianismo a páscoa simboliza a ressurreição de Cristo, a nossa passagem da morte para a vida.
A estas três festas, foram adicionadas outras festividades. Não creio ser pela influência do período pós-exílio, porque a maioria delas está no Pentateuco. As festas são: Ano Novo, o dia do perdão ou da expiação, o dia da alegria da lei, a festa da dedicação do templo, a festa de purim e o sábado.
O sábado em si não é uma festa, mas um tempo ou dia tirado para o Senhor. Sábado é um dia de descanso para Deus em hebraico (Shabat), parar de trabalhar. Este mandamento percorre todo o antigo Testamento. O sábado não é associado a outros dias como sexta feira treze, considerado um dia de azar. Não é que trabalhar no sábado trás uma maldição, ele não é um dia de mau agouro, mas um mandamento. Seis dias trabalharás, mas o sétimo é o sábado, isto é: trabalhamos seis dias em nosso favor, mas precisamos ter pelo menos um para agradecer ao Senhor.
Com o descanso sabático, os israelitas além de estarem obedecendo e se dedicando nesse dia a Javé, proporcionam descanso aos animais e aos servos, evitando trabalho escravo forçado. O sábado se torna um símbolo da identidade de Israel no exílio babilônico. Com o tempo, foram acrescentados os preceitos à observância da sábado. Acender fogo, carregar cargas e até a distância que se poderia andar neste dia. Alguns foram tão rigorosos na observância do sábado, que preferiram morrer que descumprir as ordens.
No Novo Testamento, os preceitos do sábado, principalmente por Jesus, eram observados. Mesmo assim, Jesus irritou muitos judeus zelosos, por curar e ter suas atividades normais no dia de sábado. Mas Jesus deu outro significado ao sábado, que veio a serviço da vida, o sábado foi feito por causa do homem e não o homem por causa do sábado. Paulo por sua vez, deixa claro que o sábado está inserido no contexto da lei. E o sim da lei é Cristo, para justiça de todos que creem. Estamos em uma Nova Aliança, por isso o Novo Testamento.
O domingo não veio para substituir o sábado. Mas se torna um dia especial porque as atividades de Jesus, como também suas aparições depois da ressurreição, deram muitas vezes no domingo. A partir daí, a igreja primitiva toma o domingo como dia do Senhor. Constantino foi o responsável pela associação do domingo com a divindade solar. Mesmo assim, algumas atividades não paravam no domingo, os escravos por exemplo. Os reformadores eram a favor do descanso dominical. Lutero entendia que antiga aliança ficou no passado, e que estamos sob uma nova aliança. Os puritanos na Inglaterra foram mais taxativos, e até leis foram elaboradas, proibindo qualquer atividade ou lazer no domingo.
Na atualidade, o mundo tem um dia para descanso e culto. No Brasil, adotamos o domingo como dia especial e existe até leis que regem melhor a situação de trabalho e descanso. Nos países muçulmanos é a sexta feira o dia d descanso. Todavia, devido às diversas atividades, alguns preferem ou são obrigados devidos às atividades, descansarem outro dia da semana. Isso prejudica a reunião familiar.
Hoje o que é mais importante não é a discussão se o sábado ou domingo é o dia de descanso. Mas sim saber conciliar entre lazer, família e culto a Deus no dia de descanso. Isso é tão importante que temos na Bíblia o ano sabático. Seis anos trabalhando mais o sétimo e o descanso da terra. Também a cada cinquenta anos, os escravos eram liberados.
No Antigo Testamento percebemos três tipos de sacrifícios: Agradecimento, comunhão e expiação. Alguns eram oferecidos com animais, outros com manjares, cada um tinha seu significado espiritual. Esses sacrifícios bíblicos, no meu entender, nada têm relacionado aos sacrifícios das divindades pagãs. Mas sim ensinar o homem a ser grato a Deus pelas bênçãos. Também não colocar seu caroção nas coisas terrenas. Também serviam para promover comunhão entre o homem e Deus.
Os sacrifícios pelo pecado eram necessários morrer um animal. As pessoas carentes de perdão iam até o sacerdote que fazia o ritual sagrado e bíblico. Esses sacrifícios apontam para o Jesus. Assim como o animal inocente derramou sangue para livrar da morte e perdoar os pecados de muitos, Jesus como o cordeiro que tira o pecado do mundo, nos deu vida morrendo e derramando seu sangue por nós.  FONTE ALERTA FINAL

ENTENDA PORQUE A M.A.I.S. OPTARÁ POR APOIAR AS IGREJAS DO SUDÃO (DO NORTE)


buscar

 


O pastor M.A. é um dedicado ministro da palavra. Bem equipado, possui estudo no exterior e pastoreia uma das grandes igrejas de Khartoum, além de dirigir um seminário bíblico. Até um mês atrás, sua igreja tinha 400 pessoas. No último domingo havia 60. Mais de 300 de seus membros são originários do sul do Sudão,  e voltaram para a região por conta da emancipação do novo país.
O Sudão do Sul sagrou-se a mais nova nação do mundo e o 193o país da ONU, tudo a partir do último dia 9 de julho. A nova república é constituído por grande maioria cristã, pelo menos em termos nominais. Com isso, os muçulmanos se concentraram no norte. E o presidente Omar Al-Bashir declarou que, de agora em diante, o Sudão será um país 100% islâmico, visto que as tribos foram emancipadas. Não há intenção de tolerar diversidade cultural e religiosa.
Mas a igreja continua no norte. E a perseguição começou.
Nesses dias em que estive lá, visitei ambos os países. Os dois são marcados por extrema pobreza e falta de desenvolvimento. No sul, no entanto, percebe-se a euforia, e o cristianismo nominal bate à porta. A guerra e a perseguição fizeram com que o povo se aproximasse de Deus por algum tempo. Com o fim dessas, porém, líderes locais afirmam que a liberdade já parece ocidentalizar a mentalidade da igreja, gerando pouco compromisso. Os pastores mostraram-me cristãos bêbados nas ruas, celebrando a emancipação. Quando mal utilizada, a liberdade pode enjaular-nos.
No Norte, porém, os perseguidos caminham juntos. Participei de reuniões com os principais líderes anglicanos, presbiterianos, assembleianos e interdenominacionais. Vi que sua mobilização gira em torno da evangelização das regiões mais islamizadas do norte: “Agora, sem o sul, somos reconhecidamente um país islâmico. Portanto, somos um povo não alcançado” – disse-me um influente líder local.
No norte estão os que chamamos “muçulmanos convertidos”, ou em inglês MBBs (Muslim Background Believers). Esses são os que mais sofrem, visto que, nessa parte do mundo, abandonar o Islam pode constituir crime passível de pena de morte.
A MAIS quer trabalhar de perto apoiando os referidos pastores convertidos do Islam, oferecendo treinamento e recursos. Já agendamos alguns seminários e pretendemos iniciar projetos de suporte financeiro. Um trabalho arrojado, secreto e que demanda grande investimento  Se quiser contribuir com nossos projetos no Sudão, fale conosco através do e-mail contato@maisnomundo.org. Sobre todas as coisas, sua oração será o nosso sustento!

Continuemos a caminhar, sonhando que a igreja sofredora torne-se igreja triunfante. A Ele a glória!
http://www.maisnomundo.org/blog/sudao-a-islamizacao-e-o-desafio-de-prosseguir/

LIÇÃO 05 - A INSTITUIÇÃO DA MONARQUIA EM ISRAEL / SUBSÍDIOS / CLASSE ADULTOS

Apresentado pelo Comentarista das Revistas Lições Bíblicas Adultos da CPAD, pastor Osiel Gomes